Américo Valente

 

Contactos: Américo Valente - Tel: 217 606 184 - 216 075 221 - TMN: 962 654 803 - Email: valentone@sapo.pt

 

 

NOTÍCIAS - 2009

DEZEMBRO

31 de Dezembro de 2009

MEIMOA

João Manuel Teixeira Filipe lança livro "Eram dias de 100 anos - Rosnavam e mal mordiam"

Teve lugar, no passado dia 19 de Dezembro, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Penamacor, o lançamento do livro "Eram dias de 100 anos - Rosnavam e mal mordiam" da autoria de João Manuel Teixeira Filipe.

Natural da Benquerença, o autor é mais conhecido por João Manuel e é o proprietário do Restaurante "O Tear" em Meimoa.

A obra, prefaciada por Francisco Romão, conta a história de partida e regresso, uma história que atravessa todo o século XX, a queda da Monarquia e a turbulência da 1ª República, os passadores e o salto para o estrangeiro...

Muitos foram os amigos que estiveram presentes. A vereadora da Cultura, Drª Ilídia Cruchinho, depois de saudar o autor, sublinhou o esforço que a autarquia tem desenvolvido no sentido de apoiar a edição de livros no concelho. Recordou que nos últimos seis ou sete anos foram editadas diversas obras e concluiu afirmando que a Câmara está sempre disponível para apoiar outros autores do concelho. Após Francisco Romão ter feito uma análise do trabalho, o autor, que vê editada a sua primeira obra, agradeceu as presenças e os apoios recebidos. Seguiu-se uma sessão de autógrafos.

João Manuel revelou que tem já muito adiantado um novo trabalho, que espera publicar no próximo ano.

 

27 de Dezembro de 2009

MEIMOA

Comenda da Meimoa» de António Cabanas

O mais recente livro do escritor penamacorense foi apresentado este sábado, 26 de Dezembro, no Museu Dr. Mário Bento na Meimoa.

«Comenda da Meimoa da Ordem de Avis» é o mais recente livro do escritor penamacorense António Cabanas. Depois de «Carregos – Contrabando na Raia Central» (2006), «Meimoa de Ontem e de Hoje» (2007) e «Eh! Madeiro!» (2008), e outras participações em colectâneas o escritor prossegue nas suas investigações para, desta vez,  apresentar um estudo sobre a Comenda da Meimoa da Ordem de Avis.

Do que poderia não passar de uma mera transcrição de um tombo de comenda, António Cabanas constrói uma extraordinária base documental relacionada, que constitui um autêntico facho de luz sobre a história da Meimoa, contribuindo também para compreender melhor a relação das ordens religiosas com as suas comendas.
Em declarações  o escritor António Cabanas começou por recordar que «apesar de há um ano ter prometido que em 2009 descansaria um pouco, não resisti ao desafio que me lançou a família do falecido Dr. Mário Bento que, aliás, tinha iniciado o estudo da Comenda».
O documento – histórico e religioso – é o resultado de uma investigação longa e criteriosa. «O estudo abrange a análise de documentos desde o século XIII até à extinção das Ordens religiosas e implicou uma série de visitas à Torre do Tombo. Cerca de um ano de investigação, na busca de alvarás de nomeação de comendador, cartas de apresentação de priores, cartas de hábito e de quitação, que permitiu estabelecer listas, ainda que incompletas de párocos e de comendadores da Meimoa desde finais de quatrocentos até ao século XIX», esclareceu António Cabanas.
A finalizar o autor considerou que «Comenda da Meimoa da Ordem de Aviz» é um livro que «vem enriquecer a história local e regional e pode contribuir também para melhor conhecimento da problemática das ordens religiosas. Chega numa altura em que Mário Bento, caso ainda fosse vivo, faria 100 anos de nascimento e num ano em que Penamacor comemora os seus 800 anos de forais».

 

25 de Dezembro de 2009

MADEIRO

O madeiro foi activado na noite de 24 de Dezembro, por volta das 22H30. Juntou-se muita gente à sua volta onde não faltou a "pinga" e a chouriça assada, oferecida pelo Tó Carrapato.

Segundo informações recebidas, já há alguns anos que não se juntava tanta gente ao redor do madeiro.

Seguiram-se as visitas às casas de diversos conterrâneos para mais uns copos e umas filhoses.

 

22 de Dezembro de 2009

MEIMOA

António Cabanas, vice-presidente da Câmara Municipal de Penamacor, apresenta estudo sobre a Comenda da Meimoa da Ordem de Avis. Dia 26 às 16:00 no Museu Dr. Mário Bento,  na Meimoa.

Depois de "Carregos - Contrabando na Raia Central" (2006), "Meimoa de Ontem e de Hoje" (2007) e  "Eh! Madeiro!" (2008), todos editados pela Artemágica, António Cabanas prossegue nas suas investigações para, desta vez, apresentar um estudo sobre a Comenda da Meimoa da Ordem de Avis. Do que poderia não passar de uma mera transcrição de um tombo de comenda, António Cabanas constrói uma extraordinária base documental relacionada, que constitui um autêntico facho de luz sobre a história da sua aldeia, a Meimoa. O livro vai ser apresentado no dia 26 de Dezembro, pelas 16:00 horas, no Museu Dr. Mário Bento, Meimoa.

 

21 de Dezembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Faleceu hoje às 05H05 no Hospital da Covilhã, com 82 anos de idade o Sr. José Nabais, filho de António Nabais e Angélica Mendes, casado com Ana Silva Mendes (Ana Avó).

O corpo encontra-se na Casa Mortuária de Vale da Senhora da Póvoa.

O funeral terá lugar amanhã às 12H00 no Cemitério de Vale da Senhora da Póvoa.

À família enlutada apresentamos as nossas condolências.

20 de Dezembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Começou a nevar com intensidade na aldeia, de acordo com informação recebida às 21H47

19 de Dezembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Nasceu no dia 16 mais um descendente de pessoas do Vale da Senhora da Póvoa

Estamos todos  muito felizes. Nasceu o meu neto e tudo acabou por correr bem .
A minha filha é uma mulher que sabe o que quer  (sempre soube!),  tem 30 anos, licenciada desde os 22, não  lhe falta nada inclusive o respeito e a admiração de quem a conhece e priva com  ela;  sempre disse que não se queria casar mas que aos 30 anos queria ter um filho (produção independente).

E cá está ele:

Nasceu na Covilhã,  no Hospital Cova da Beira,   às 16 horas e 20 minutos do dia 16 de Dezembro de 2009 e foi lá registado cidadão, como:
Guilherme Vaz Cheicho Monteiro, filho de Teresa Isabel Vaz Monteiro e  neto de Mário José Monteiro dos Santos Carriço e de Maria Vaz Cheicho.

Quem estaria muito feliz se ainda cá estivessem, seriam os bisavós -  António Joaquim Cheicho e Joaquina Lages Vaz -  que tanto se orgulhavam dos filhos e netos que tinham.
 

(Maria Vaz Cheicho)
 

17 de Dezembro de 2009

Sismo de magnitude 6,1 sentido em Portugal

A terra tremeu hoje na Península Ibérica e em Marrocos, exactamente às  01:37:47h, numa intensidade de 6,1 na escala de Richter, segundo o Instituto de Meteorologia de Portugal. Não há danos a registar.
 

De acordo com dados do Instituto de Meteorologia de Portugal, o sismo que foi sentido esta madrugada em toda a Península Ibérica registou 6,1 graus na escala de Richter (num total de 10), uma intensidade considerada média.

Os instrumentos registaram uma duração de alguns minutos, mas o sismo apenas foi sentido pelas pessoas durante cinco a oito segundos, disse a mesma fonte.

O epicentro deu-se no mar, a 30km de profundidade e a Oeste de Gibraltar, cerca de 185km a Oeste de Faro e 264km a Sudoeste de Lisboa. O primeiro abalo foi seguido de onze réplicas.
 

De acordo com o European-Mediterranean Seismological Centre (Centro Sismológico Euro-Mediterrânico) e do U.S. Geological Survey (USGS, o instituto de geologia norte-americano), o abalo deu-se exactamente às 01:37:47h e teve uma magnitude um pouco mais baixa do que a avaliada pelo Instituto de Meteorologia: 5,7 na escala de Richter. 

Já o Instituto de Sismologia de Espanha avaliou em 6,3 na escala de Richter a intensidade do abalo sísmico.
 

Oito réplicas de fraca intensidade


Até às 03.47h, o site do Instituto de Meteorologia dava conta de oito réplicas do abalo, todas a Sudoeste do Cabo de São Vicente e com magnitudes entre os 2,3 e os 1,3 graus na escala de Richter.

Protecção Civil recebeu muitas chamadas sobretudo para esclarecimentos sobre o sismo

Veja aqui os conselhos que nos dá Patrícia Pires, funcionária da Protecção Civil, filha de Noémia Neto Pires, natural do Vale da Senhora da Póvoa.

 

 

 

Vale da Senhora da Póvoa

Santuário de Nossa Senhora da Póvoa

Capela em obras

A capela de Nossa Senhora da Póvoa está a receber obras de conservação, que começaram há cerca de três meses. A intervenção abrange todo o edifício, que acusava o passar dos anos.

“Há muito tempo que não era reparada e havia infiltrações”, explica Joaquim Capelo, da Confraria da Senhora da Póvoa.

Os trabalhos deverão estar terminados no próximo mês de Maio, a tempo da romaria. De fora ficam apenas as imagens, que já tinham sido restauradas.

(Jornal "Reconquista")

 Senhora da Póvoa voltou a casa

A imagem venerada na aldeia do concelho de Penamacor foi furtada e andou desaparecida durante dois dias. No regresso os sinos tocaram a rebate.

A notícia foi recebida com choque no dia da Imaculada Conceição: a imagem de Nossa Senhora da Póvoa tinha desaparecido da capela onde se encontrava. A angústia da população da freguesia de Vale da Senhora da Póvoa, no concelho de Penamacor, durou apenas dois dias. Mas estes foram penosos.

“Foram uns dias muito tristes, se não aparecesse a imagem era um Natal muito triste”, diz Joaquim Capelo, membro da Confraria da Senhora da Póvoa, à saída da missa do último domingo. A imagem que desapareceu não é a antiga, “mas para a aldeia tanto valor tem a nova como a velha”.

O final feliz desta história tem como protagonista António Teixeira. O homem de Quintas do Anascer, uma anexa da freguesia penamacorense de Benquerença, andava pelos campos em redor da aldeia para ajudar a guardar umas ovelhas. No caminho entre o Vale da Senhora da Póvoa e a Senhora da Quebrada um tractor despertou-lhe a curiosidade, sinal que havia por ali gente na colheita da azeitona.

“Calha olhar para o lado e vejo um reflexo (…) quando lá cheguei perto vieram-me as lágrimas aos olhos”, lembra António Teixeira. Foi então que começou a chamar por quem andava por ali à azeitona, que ficaram tão atónitos quanto ele.

“Eles começaram a dizer tu és maluco”, lembra. Mas António Teixeira não estava ali para enganar ninguém. A Senhora da Póvoa repousava de facto ao lado de um pinheiro de pequeno porte, a poucos metros da berma da estrada. Ligaram então a um conterrâneo que trabalha no tribunal, que fez chegar a notícia à GNR.

Quando a boa nova se espalhou pela aldeia, os sinos tocaram a rebate, conta o padre César Nascimento. O choque do desaparecimento da santa foi-lhe comunicado a caminho da aldeia de Meimão, uma das várias paróquias que tem a seu cargo nos concelhos de Penamacor e do Sabugal. Em 10 anos de sacerdócio nunca tinha presenciado tal acontecimento.

“As pessoas ficaram muito triste e revoltadas”, conta o sacerdote, que sublinha o grande apego que as gentes da aldeia têm à santa que lhe dá nome. O esforço para recuperar a imagem era feito por cada um à sua maneira. As autoridades foram com a investigação para o terreno “ e os que tínhamos fé, rezámos”.

O tempo em que as chaves ficavam na porta é cada vez mais uma imagem do passado, ainda para mais quando nem os símbolos religiosos escapam. “Infelizmente isso está a acontecer e temos de pôr trancas à porta”, lamenta César Nascimento. O pároco de Vale da Senhora da Póvoa espera agora que a investigação vá até ao fim.

A romaria da Senhora da Póvoa é uma das mais conhecidas da região, atraindo gente não só do concelho de Penamacor, mas de outros em redor, como o vizinho Sabugal. “E agora já não é nada, porque antigamente eram três dias de festa rija”, conta Joaquim Capelo, membro da confraria.

Hoje a festa resume-se a um dia: uma segunda-feira. Mas na véspera há missa, para aqueles que não podem faltar ao trabalho.

António Teixeira, que encontrou a imagem da santa após o furto, frequenta a romaria desde tenra idade. Como muitos da sua geração antigamente ia a pé para a capela. Desses tempos ficou o apego a uma romaria, que nas suas palavras, “é uma tradição de toda a nossa vida”.

(Jornal "Reconquista")

14 de Dezembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

A RÉPLICA ROUBADA DA SENHORA DA PÓVOA FOI ENCONTRADA NUM PINHAL

Os habitantes da localidade de Vale da Senhora da Póvoa, no concelho de Penamacor, festejaram o reaparecimento da imagem da Senhora da Póvoa, a mais moderna (portanto uma réplica da original) que tinha sido roubada, talvez por engano, terça-feira.
Segundo o padre César Cruz, a imagem mais moderna, que se encontrava na capela, foi roubada na terça-feira, enquanto decorria a celebração da eucaristia na igreja matriz, mas foi encontrada esta quinta feira, dia 10, por um pastor, num pinhal entre o Vale da Senhora da Póvoa e a Senhora da Quebrada, já na freguesia de Benquerença, no local conhecido por Tôco Negro.
O pastor encontrou-a de manhã, num pinhal e telefonou para o Tribunal de Penamacor que depois enviou a GNR ao local.
Os larápios ao reconhecerem que não levavam a imagem antiga abandonaram a réplica no pinhal.

(Rádio Clube de Monsanto)

 

11 de Dezembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Mensagem do Padre César Cruz

Gostaria de deixar claro que estarei disponível para respostas, não em forma de recados mas em forma de diálogo e esclarecimento. Dói e doeu saber que chamar a responsabilidade de tal acto foi atribuída rapidamente ainda sabendo tudo o que se está a efectuar. Este site é um ponto de união e se tem o nome da Senhora da Póvoa deveria sê-lo. Há um ano a servir a nossa paróquia e o nosso tão querido e terno Santuário de Nossa Senhora da Póvoa, o vosso pároco!

Um apelo e interrogativa gostaria de deixar aqui: por momentos pensei que mais importante do que a dor da perda e a interrogativa do porquê deste crime (assalto), o que mais pesou em mentes foi a responsabilidade pessoal.

A Responsabilidade primeira é minha e como pároco assumo-a estando totalmente livre de consciência pois em menos de um ano como pároco da paróquia de S. Tiago (Freguesia de Vale da Senhora da Póvoa) procedi com estreita colaboração com a Comissão Fabriqueira e Comissão do Santuário à recuperação e preservação do NOSSO património que durante tantos anos se encontrava em deterioração, embora seja reconhecida a obra de todos os que durante tantos anos procuraram preservar, conservar e fomentar o referido património.

Gostaria de salientar que a segurança do espaço do nosso Santuário não está nem estará esquecida pois se tal não fosse a imagem que teria sido levada teria sido a imagem mais antiga que costumava estar no referido lugar. Diligências estão a ser tomadas mas ninguém contará que se efectue de um dia para o outro coisas que nunca foram feitas até então e que muitos se alhearam até este acontecimento ou pouco antes deste acontecimento.

Não é pelo facto de ter surgido a imagem tão venerada por todos nós que nos poderá fazer esquecer o crime que foi cometido esperando próximos e rápidos desenvolvimentos.

Gostaria de expressar aqui um agradecimento à preocupação e orações de todos vós pelo facto do desaparecimento da imagem nova de Nossa Senhora da Póvoa. Graças a Deus ela foi recuperada mas esperemos que a preocupação pela segurança do Santuário da Senhora da Póvoa não nos faça esquecer que a continuidade das investigações judiciárias continuem.

 

10 de Dezembro de 2009

Nossa Senhora da Póvoa regressa a casa

A imagem de Nossa Senhora da Póvoa que desapareceu no passado dia 8 de Dezembro, foi hoje encontrada

O Sr. António Teixeira, da Benquerença, encontrou a imagem desaparecida num pinhal situado entre Vale da Senhora da Póvoa e a Senhora da Quebrada, situado já na zona da freguesia de Benquerença. Este senhor alertou o Ministério Público de Penamacor e este, por sua vez, comunicou o facto à GNR desta localidade.

A GNR deslocou-se ao local, fez o levantamento da imagem e entregou-a ao Presidente da Junta de Freguesia do Vale da Senhora da Póvoa.

António Reis, presidente da Junta de Freguesia, contactou Joaquim Capelo (membro da Confraria da Senhora da Póvoa) a fim de lhe entregar a imagem e ser colocada em local apropriado.

Os sinos da aldeia tocam a rebate anunciando o retorno da imagem que é motivo de alegria para os habitantes desta aldeia, e não só.

Conta Joaquim Capelo:

O Sr. António Teixeira, esteve ontem em minha casa, a fim de receber um pagamento relativo ao madeiro. Falámos do desaparecimento da imagem de Nossa Senhora da Póvoa. Hoje, António Teixeira foi ajudar a passar as ovelhas do Anascer para a Senhora da Quebrada para o local conhecido por Tôco Negro. Foi durante esta manobra que deparou com a imagem. Ficou com receio mas, ganhando coragem, aproximou-se da imagem que se encontrava em perfeito estado, e verificou que havia um orifício na cabeça da mesma, local de encaixe da coroa. Foi nesse momento que se apercebeu que se tratava da imagem de Nossa Senhora da Póvoa. Seguidamente gritou para umas pessoas que andavam ali perto na apanha da azeitona e foi um alarido. Como não tinham o nº de telefone da GNR, telefonaram para o Sr. Álvaro do tribunal de Penamacor e natural da Benquerença, tendo este tomado as providências necessárias já conhecidas.

Reportagem da SIC - Clique Aqui

Nota: É natural que ao verem a imagem pela primeira vez, esta surja com paragens. Deixe correr até ao fim e depois volte a ver novamente, já sem deficiências.

Reportagem da TVI - Clique Aqui

Nota: A notícia sobre este assunto é a última. Demora um pouco a carregar.

 

09 de Dezembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Santuário de Nossa Senhora da Póvoa

Imagem nova de Nossa Senhora da Póvoa foi roubada

A imagem mais recente da N. Sr.ª da Póvoa foi ontem roubada ao final da manhã, da capela onde se encontrava. A GNR registou a ocorrência e, hoje, de manhã, o Núcleo de Investigação Criminal esteve no santuário para recolher provas.

Segundo o Padre César, pároco da freguesia do Vale da Senhora da Póvoa (Concelho de Penamacor) a imagem nova da Santa foi roubada durante a celebração da Eucaristia na igreja desta aldeia, ou seja, durante a missa o ladrão/ladrões aproveitaram o facto de a população estar na celebração para se dirigir/dirigirem até à capela do Santuário de Nossa Senhora da Póvoa e roubar/roubarem a imagem. O Padre. César referiu, também, que a imagem da Nossa Senhora da Póvoa furtada foi a mais recente, pois a antiga encontra-se guardada devido às obras de restauro que a capela está a sofrer.
O roubo foi comunicado à GNR de Penamacor, que imediatamente se deslocou ao local e registou a ocorrência, informando, depois, o Núcleo de Investigação Criminal, que esteve hoje no santuário para recolher provas e amostras que possam levar ao autor do crime. O caso está agora a ser investigado.
Nossa Senhora da Póvoa é venerada por toda a população desta região, e não só, e possui um valor sentimental incalculável para os habitantes do Vale da Senhora da Póvoa.
 
(Jornal "Cinco Quinas")

08 de Dezembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Capela de Nossa Senhora da Póvoa

Hoje a capela de Nossa Senhora da Póvoa foi assaltada tendo sido roubada a imagem de Nossa Senhora (nova).

A GNR já tomou conta da ocorrência e a Policia Judiciária vai amanhã ocupar-se do assunto.

 

07 de Dezembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Junta de Freguesia de Vale da Senhora da Póvoa

Estátua/Busto do Dr. José Lopes Dias

Em reunião da Junta de Freguesia foi decidido apoiar a iniciativa de se fazer uma estátua/busto dedicada ao Dr. José Lopes Dias e desde já se prontifica a colaborar.

Assim, informa que já está apta a receber os donativos para o efeito, devendo estes ser entregues nesta Junta ou entregues a qualquer elemento desta.

Brevemente vai ser aberta uma conta bancária para o efeito, onde serão depositados os donativos recebidos e  posteriormente será publicado o NIB para quem quiser contribuir por transferência bancária.

Esta situação foi colocada à Assembleia de Freguesia, que reuniu no passado dia 4 de Dezembro, e esta não levantou qualquer objecção e apoiou a iniciativa.

O Presidente da Junta

António Reis

Iluminação de Natal

A Junta de Freguesia colocou em quatro pontos da aldeia, iluminação de Natal.

Os quatro pontos aludidos são: Rua Direita ao fundo e ao cimo (frente ao Largo Dr. Jaime Lopes Dias), e na Avenida da Igreja, também ao cimo e ao fundo.

 

Madeiro

Uma vez que já não há mancebos, a Junta de Freguesia vai amanhã buscar a árvore para ser cortada em pedaços e tornada no madeiro que arderá desde a noite de Natal até ao dia de Reis.

 

02 de Dezembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

EDP vai construir nova central eléctrica na Freguesia de Benquerença
 
A EDP, segundo revelou o presidente da Câmara de Penamacor, Domingos Torrão, entregou sexta-feira, nos serviços técnicos da autarquia o projecto para a criação de uma central eléctrica junto à que já existe, na Benquerença.
 
 

Domingos Torrão avança que a localização escolhida se deve "a aproveitar a ligação à Rede Eléctrica Nacional (REN)", e acrescenta que "serão montadas torres na Serra de Opa, no Meimão, e na Serra do Ramito, no Salvador.

Com a implementação deste projecto no terreno, afirma que "aos 80 MW já instalados se juntarão mais 40 MW".

Por isto, o autarca não hesita em afirmar que a energia eólica "foi das melhores apostas que se podia ter feito", para realçar que "também estamos a trabalhar na central hidroeléctrica", bem como que "gostávamos muito de aproveitar o Sol", referindo-se, obviamente, ao aproveitamento da energia solar no Concelho.

Domingos Torrão, voltando a falar na produção de energia eólica, sublinha que "nos dão 2,5 por cento, mas nós negociamos outros 2,5 por cento, pelo que no total recebemos cinco por cento do que é negociado com a REN".

(Gazeta do Interior)

01 de Dezembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Mensagem do Padre César

Como é de conhecimento da população do Vale da Senhora da Póvoa, estamos a fazer  remodelações no Santuário da Senhora da Póvoa. As imagens encontravam-se em profunda deterioração pelo que foi a nossa primeira preocupação o seu restauro e conservação. O processo teve sempre acompanhamento e registo. Em pouco mais de um ano como pároco do Vale da Senhora da Póvoa sinto que estamos a andar a bom ritmo pelo que tal só é possível devido à ajuda e inteira colaboração de alguns membros da nossa comunidade. O trabalho que se está a desenvolver permitirá a uma maior dignificação de todo o nosso património artístico, cultural e religioso. Após a conservação de algumas das nossas imagens estamos a proceder ao restauro da capela e do seu interior. O registo de todo o nosso património é uma preocupação constante.

Conto em breve poder disponibilizar ao senhor Américo algum desse material registado para que possa ser divulgado neste espaço o "andamento" de todo este vastíssimo processo. Estarei sempre disposto para pessoalmente poder elucidar ou esclarecer quaisquer dúvidas. Reitero votos que este espaço seja uma forma sublime de nos congregar. Um apelo para que todos, quer os que estamos ao longo do ano no Vale e os que se encontram fora, se sintam (co)responsáveis em suas opiniões e nas suas acções concretas na consolidação de um projecto de transformação e desenvolvimento da nossa terra.

Abraço a todos

NOVEMBRO

28 de Novembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Bodas de Ouro

  Bernardino Capelo e Ascensão Pires Mugeiro

  Parabéns pelo 50º Aniversário de casamento

Este casal festejou as bodas de ouro em casa de sua filha, Cristina. Almoçaram em Alcochete no restaurante "A Casa das Enguias" em companhia dos filhos, genro, nora e netas.

Regressaram a casa, tendo cortado o bolo de aniversário e cantado os parabéns alusivos ao evento.

Depois de jantar foram ao Teatro Maria Vitória assistir ao espectáculo de Revista em cartaz.

25 de Novembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Faleceu hoje, pelas 10H00, em Vale da Senhora da Póvoa, o Sr. João José Marques, (Roque) com 83 anos de idade, esposo de Maria Augusta.

Pai de Joaquim Leal Marques, Manuel Leal Marques, João José Leal Marques, António Joaquim Leal Marques, Maria da Conceição Marques, José Luís Leal Marques e Ester de Jesus Leal Marques.

O corpo encontra-se em Câmara Ardente na Casa Mortuária de Vale da Senhora da Póvoa.

O funeral terá lugar amanhã pelas 15H30 no cemitério de Vale da Senhora da Póvoa.

À família enlutada endereçamos os nossos sentidos pêsames.

 

18 de Novembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Faleceu hoje em França, com 86 anos de idade, Natividade Emília, viúva de Manuel Lopes. O corpo vai ser transportado para a casa Mortuária do Vale da Senhora da Póvoa no próximo sábado, onde chegará durante a tarde.

O funeral terá lugar às 12H00 de domingo no cemitério de Vale da Senhora da Póvoa.

À família enlutada endereçamos os nossos sentidos pêsames.

 

Faleceu ontem em Lisboa, com 82 anos de idade, José da Silva Fonseca (ex-sapador bombeiro mais conhecido por José Lousa). O corpo encontra-se no Instituto de Medicina Legal.

19NOV09 - O corpo já se encontra em câmara ardente na Casa Mortuária da Igreja de S. Paulo em Lisboa.

Amanhã, dia 20,  haverá missa de corpo presente às 11 horas e o funeral terá lugar às 14 horas no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa.

À família enlutada endereçamos os nossos sentidos pêsames.

 

15 de Novembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Conforme largamente anunciado, foi hoje levado a efeito o concerto "Compassionatto ensemble" no salão da Junta de Freguesia, tendo inicio pelas 16 horas. O trio, composto por Adriana Ceia, Andreia Fernandes e Bárbara Castro, utilizando violoncelo, piano e flauta, interpretou algumas peças de música clássica e, foi do agrado geral das pessoas que encheram por completo o salão, tendo algumas ficado de pé por já não haver cadeiras. Estiveram presentes a Drª Ilídia Cruchinho, vereadora da Cultura e Joaquim Nabais, também membro daquele sector da Câmara Municipal de Penamacor.

A Drª Ilídia Cruchinho, no final, proferiu algumas palavras reiterando a vontade de continuar a promover eventos deste género em todas as freguesias do concelho.

O presidente da Junta de Freguesia, António Reis, agradeceu a  presença do público, e à Câmara de Penamacor aqui representada pela Drª Ilídia Cruchinho, por ter promovido este espectáculo.

A cultura está mesmo a chegar às nossas aldeias e a ser apreciada.

(Américo Valente)

 

14 de Novembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

 Bodas de Ouro

Henrique Antunes Capelo e Maria Augusta Lourenço Marques

Parabéns pelo 50º aniversário de casamento

Neste dia, este casal celebrou o 50º aniversário de casamento. Os filhos, ofereceram-lhes uma viagem à Ilha da Madeira, onde permaneceram desde 09NOV09 a 12NOV09.

Depois de regressarem, comemoraram a festividade no dia 14 no Restaurante "Os Três Pinheiros" em Penamacor, tendo como convidados os elementos da família mais próxima e alguns amigos.

O filho, Pompeu, brindou-os à noite, com fogo de artifício no Vale da Senhora da Póvoa.

 

12 de Novembro de 2009

Idanha-a-Velha

Até os romanos vieram ao Casqueiro

O festival Casqueiro 2009 atraiu as atenções de milhares de pessoas. Idanha-a-Velha recriou uma feira romana onde o pão foi rei, durante um fim de semana que ficou marcado por diversas iniciativas que animaram a aldeia.
 

A primeira edição do Festival do Pão, Bolos e Tradições de Idanha-a-Velha, Casqueiro 2009, atraiu à aldeia milhares de visitantes. O seu imponente património histórico recebeu e favoreceu de forma monumental a iniciativa, tanto mais que recriando-se uma feira de antanho houve até uma guarnição romana instalada “às portas da cidade” (a velhinha Egitânea, com dois mil anos) e centuriões e outras animações por ali a circular no último fim de semana. E assim, entre variados motivos de interesse, se realizou um festival que mostrou ter pernas para andar.

O forno comunitário que existe há décadas foi o mote para não deixar cair no esquecimento junto de jovens e menos jovens o ciclo do pão. A Liga dos Amigos de Idanha-a-Velha agarrou na ideia e transformou-a num festival, com o apoio das autarquias locais, sem esquecer o imprescindível papel desempenhado pelas “padeiras” da terra, mas também de outros pontos do concelho que não quiseram também deixar de por as mãos na massa. Os fornos de lenha e os expositores com outras iguarias regionais e artesanato completavam o cenário.

Fermentada a feira foi só abrir depois as portas ao público. Até turistas apareceram, de Lisboa e de Madrid, em grupos que andavam pelo território da Naturtejo a apreciar as belezas do Geoparque.

Para as autoridades locais o importante é que haja gente jovem a pegar na actividade da produção do pão um pouco por todo o concelho e nesta iniciativa viram-se bons exemplos vindos de Idanha-a-Velha, Penha Garcia, Salvaterra do Extremo, Rosmaninhal, Alcafozes, Medelim e Zebreira. Promover os produtos locais e mobilizar as pessoas reactivando a economia local e familiar ficaram também entre as metas alcançadas por este evento.

Daí que Álvaro Rocha, presidente da Câmara de Idanha, tenha referido que “valeu bem a pena todo o esforço que foi feito para realizar um espectáculo desta natureza numa das aldeias mais bonitas deste país”. O autarca sublinha que “é preciso galvanizar as pessoas que cá vivem tentando ao mesmo tempo atrair visitantes e é nessa medida que não regateamos esforços no apoio a estes eventos”.

Incentivando outras freguesias do concelho a tomarem iniciativas do género, Álvaro Rocha apelou ainda para que “as pessoas não se desliguem das suas terras, estes eventos também servem para isso”, antes de dar o papel principal ao “Consul de Roma” que guiou as “tropas” pelas ruas de Idanha-a-Velha dando conta do ciclo do pão.

Para Rui Afonso, da liga de amigos que deu corpo a esta realização, “a ideia é mostrar a toda a gente as tradições de Idanha-a-Velha, para além do nosso valioso património”, enquanto Armindo Jacinto, presidente da empresa inter-municipal Naturtejo, destacou o facto de Idanha-a-Velha pela primeira vez ter dedicado um festival à temática do pão. “Este sucesso fará certamente com que esta iniciativa se repita em anos futuros, disse, para acrescentar que “já este ano tivemos aqui muitas pessoas que individualmente e em grupos organizados se deslocaram a este concelho para ver este festival”.

Entre as muitas animações que tiveram lugar desde a cozedura do pão ao vivo até a ateliês para crianças, música ao vivo e teatro, não pode deixar de ser destacada a recriação de um circo romano que teve lugar no domingo à tarde na praça de touros desta localidade.

Por: José Júlio Cruz

(Jornal "Reconquista")

Vale da Senhora da Póvoa
 
Concerto Compassionatto Ensemble

No âmbito do Ciclo de Música de Outono, organizado pela Câmara Municipal de Penamacor, no próximo dia 15 de Novembro, pelas 16 horas, a Junta de Freguesia do Vale da Sr.ª da Póvoa vai receber o Concerto Compassionatto Ensemble.
 

 
O Ciclo de Música de Outono, organizado pela Câmara Municipal de Penamacor vai dar música aos habitantes do Vale da Sr.ª da Póvoa, com o concerto Compassionatto Ensemble, que contará com as três maravilhosas vozes de Adriana Ceia, Andreia Fernandes e Bárbara Castro.
Um estilo de música único que alegrará tudo e todos aqueles que se deslocarem até à Junta de Freguesia desta localidade.
 
(Jornal "Cinco Quinas")

11 de Novembro de 2009

Câmara de Penamacor

Pelouro do Pessoal passou para as mãos da vereadora

Presidente Torrão deixou quase tudo na mesma

António Cabanas continua vice-presidente, mas a área do pessoal passa neste mandato para Ilídia Cruchinho.

O Presidente da Câmara de Penamacor procedeu na última sexta feira à distribuição de pelouros para o novo mandato, deixando tudo praticamente na mesma. A única mudança a assinalar diz respeito ao pelouro do pessoal, que estava sob a alçada de António Cabanas e que passa, agora, para a responsabilidade da vereadora Ilídia Cruchinho, embora se trate de uma área da competência do presidente. Da responsabilidade directa do presidente Domingos Torrão continuam a ser as Obras Públicas, a Gestão e Finanças e as Juntas de Freguesia.

António Cabanas continua a ser vice-presidente, acumulando os pelouros do Turismo, Desporto, Ambiente, Protecção Civil e Obras Particulares.

Ilídia Cruchinho volta a ter a seu cargo a Educação, a Cultura, a Acção Social, Juventude e Associativismo e Pessoal.

Relativamente às sessões da Câmara, o presidente Domingos Torrão disse ao JF (Jornal do Fundão) que ainda não está decidida a periocidade das mesmas, situação que se definirá no início do próximo ano.

Cuidados Continuados

Uma Unidade de Cuidados Continuados (de média e longa duração) vai ser construída na Quinta da Senhora do Incenso, em Penamacor, por iniciativa do Lar Dª. Bárbara Tavares da Silva. O investimento rondará os 2 100 000 Euros. A candidatura já foi aprovada e a futura Unidade terá capacidade para trinta camas. Uma dezena para cuidados de média duração e duas dezenas para cuidados de longa duração. A Rede Nacional de Cuidados Continuados presta apoio a doentes que na sequência do internamento carecem de cuidados específicos na fase de reabilitação. É uma das prioridades da Câmara de Penamacor para o novo mandato. O projecto aguarda agora parecer de vária entidades para poder prosseguir e então, aí sim, as obras poderão avançar no terreno. Apesar da luz verde da entidade nacional que tutela o sector, faltam, no entanto, os pareceres sobre os projectos das especialidades e que implicam espera prolongada.

Prenda de Natal antecipada

Para os trabalhadores da Câmara de Penamacor o Pai Natal poderá chegar este ano mais cedo. O processo das Termas de Águas deu, recentemente, mais um passo com a publicação da delimitação do perímetro da estância termal e a Câmara admite abrir excepcionalmente as Termas para os trabalhadores da autarquia interessados. O anúncio foi feito pelo próprio presidente da Câmara: "Estamos a trabalhar no sentido do licenciamento dos furos e da celebração de um contrato de concessão para exploração", afirmou o autarca, admitindo a possibilidade de a Câmara poder vir a proporcionar aos trabalhadores da autarquia a possibilidade de usufruirem daquela estância termal, até ao final do ano. Seria uma espécie de prenda de natal antecipada, mas antes "teremos de reunir com o director técnico e o director clínico das Termas.

(Jornal do Fundão)

08 de Novembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa - Magusto

A Junta de Freguesia levou hoje a efeito no Recinto das Festas,  um magusto com lanche ajantarado, composto de castanhas, sardinhas assadas, chouriça e morcela assadas, vinho, sumos e jeropiga. Teve início pelas 16H00 e terminou por volta das 18H30. Estiveram presentes cerca de uma centena de pessoas.

01 de Novembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

O Vale hoje esteve apinhado de gente. Foi o dia de romagem ao cemitério em visita às campas dos familiares falecidos, e ornamentação das mesmas. Além disso, houve dois funerais que acabaram por levar ainda mais gente a esta aldeia. A Igreja estava superlotada e, segundo informações, as pessoas não couberam todas no seu interior. O trânsito foi enorme havendo grande dificuldade em arrumar os automóveis

OUTUBRO

31 de Outubro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Faleceu hoje, às 17H00, no Centro de Saúde de Penamacor, Elisa de Jesus de Campos, com 91 anos de idade, natural de Vale de Lobo (Vale da Senhora da Póvoa). Encontrava-se internada no Lar Residencial Dona Bárbara Tavares da Silva, em Penamacor.

Vai estar em Câmara Ardente na Casa Mortuária  de Vale da Senhora da Póvoa a partir das 20H00.

O funeral será realizado amanhã às 12H00 no cemitério de Vale da Senhora da Póvoa.

À família enlutada apresentamos os nossos sentidos pêsames

 

Faleceu hoje em Alcoentre, às 12H30, no Lar "O Bom Amigo" Maria Martins Lourenço Braz, com 83 anos de idade, natural de Vale de Lobo (Vale da Senhora da Póvoa), viúva de João Luís Braz e mãe de Maria Teresa Brás Vicente.

Vai estar em Câmara Ardente na Casa Mortuária  de Vale da Senhora da Póvoa a partir das 19H30.

O funeral será realizado amanhã às 12H00 no cemitério de Vale da Senhora da Póvoa.

À família enlutada apresentamos os nossos sentidos pêsames

 

30 de Outubro de 2009

Lince ibérico

 Malcata já tem quase 500 hectares para coelho crescer e alimentar a espécie

A Reserva Natural da Serra da Malcata deverá chegar ao fim de 2009 com perto de 500 hectares de terreno adaptado para a população de coelho bravo crescer e vir a alimentar o lince ibérico, disse o responsável pela área.

No terreno, já é visível “um crescimento dos núcleos existentes”, mas ainda é cedo para dizer quando haverá coelho de forma sustentável para o lince regressar, referiu Armando Carvalho, em declarações à agência Lusa.

“A natureza leva o seu tempo”, referiu o responsável, precisando que foram precisos três anos de trabalho nos quase 500 hectares de ambiente florestal recortado aqui e ali para os matos secos darem lugar a espécies herbáceas que os coelhos possam comer.

A Serra da Malcata era um dos habitats do lince ibérico, como o demonstra a marca Terras do Lince, que serve de chapéu a diversos produtos e actividades da Câmara Municipal de Penamacor, concelho que guarda “muita simpatia” pela espécie em risco de extinção, realça Armando Carvalho.

O Centro Nacional de Reprodução em Cativeiro de Silves recebe esta semana os primeiros linces ibéricos, ao abrigo de um protocolo com Espanha.

O objectivo é que a espécie se reproduza e seja depois reintroduzida em habitats naturais.

Enquanto em Silves todos os olhos se viram para os linces, na Malcata a atenção ainda está centrada no seu principal alimento: o coelho bravo. Cuida-se de pontos de água e instalam-se moroiços (estruturas de abrigo e reprodução) para que nade falta aos coelhos bravos e suas crias.

A Reserva Natural da Serra da Malcata tem 6000 hectares, 5000 dos quais estão sob gestão do Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB). “Até final do ano estimamos que um décimo da área tenha sido intervencionada, num trabalho com duas frentes: criar condições para o coelho bravo crescer e minimizar o risco de incêndios florestais”, explicou Armando Carvalho.

“Esta já será uma área muito significativa para podermos obter alguns resultados”, algo que só a monitorização do coelho bravo o dirá. “Se não tiverem predadores, muito provavelmente vamos ter um incremento e depois logo veremos quais os passos a dar”, sublinha o responsável.

“A natureza tem as suas próprias regras e nós aprendemos fazendo. Temos ainda algum tempo para avaliar os resultados do nosso trabalho”, realça o também director do Departamento de Gestão de Áreas Classificadas do Centro e Alto Alentejo do ICNB.

Armando Carvalho aprecia o interesse da população e dos municípios no regresso do lince. “Estas batalhas não se ganham só no número de hectares intervencionados, mas também na capacidade de captar outras entidades e os residentes. A espécie tornou-se simpática e isso motiva outra maneira de estar”, reconhece.

LFO.

Lusa

26 de Outubro de 2009

Quintas do Anascer – Idosa burlada por falso funcionário da Segurança Social

Na passada quarta-feira, 21 de Outubro, na pacata localidade de Quintas do Anascer, uma idosa com cerca de 70 anos, foi abordada por um falso funcionário da Segurança Social que lhe levou todas as suas economias.
 

Passava pouco do meio-dia, quando Cacilda Martins de Almeida recebeu, na sua quinta, a visita de um senhor, alto, magro, com cerca de 40 anos, muito bem vestido que alegava ser funcionário da Segurança Social. Gentilmente, começou a abordar a idosa fazendo diversas perguntas relacionadas com a sua saúde. No desenrolar da conversa, o indivíduo garantia à idosa que daqui em diante iria usufruir de diversos benefícios como a visita de uma médica, que se deslocaria ao seu domicílio para a realização de tratamentos e lhe traria medicamentos gratuitos.
Pouco depois, perguntou à idosa se estava sozinha e se nas quintas vizinhas havia mais gente. Ao afirmar que não havia ninguém, o diálogo do burlão mudou radicalmente. Este assegurava que o Euro iria acabar e que a senhora tinha de trocar o seu dinheiro pelo novo. Para dar um ar mais convincente à sua prosa, o homem mostrou notas e moedas que a idosa não soube identificar afirmando que aquele era o dinheiro novo. Convencida que o Euro ia mesmo acabar, a D. Cacilda foi buscar todo o dinheiro que tinha em casa, colocou-o numa mesa e começou a contá-lo. O burlão, que se encontrava à porta, entrou bruscamente pela casa, agarrou o dinheiro e fugiu a correr para um carro escuro que estrategicamente já se encontrava pronto para sair.
A idosa, apanhada de surpresa, nem teve tempo de anotar a matrícula do veículo e, assim, lá se foram 1510,00 € numa conversa simpática, com um indivíduo educado e bem parecido que não aparentava ter um pingo de malvadez!
Apesar de tudo, a D. Cacilda teve sorte pois este episódio podia ter acabado de uma forma trágica porque muitos burlões recorrem à agressividade para obterem os seus fins.
 
(Jornal "Cinco Quinas")

 

22 de Outubro de 2009

MEIMÃO - Miradouro com vista para Meimão

A Junta de Freguesia de Meimão concluiu as obras no miradouro junto à estrada que liga a aldeia ao Sabugal, uma obra onde se destaca a vista para a aldeia e a barragem.

O miradouro de Nossa Senhora do Pilar conta com um parque de merendas e homenageia o Padre José Miguel, nome bem conhecido na freguesia e na zona.

A homenagem é feita através de um nicho que foi recuperado e recolocado naquele local após anos submerso nas águas da albufeira. Um nicho “construído pelo padre José Miguel e pela juventude da época”, explica o presidente da junta Francisco Campos.

Há cerca de quatro anos, quando as águas da barragem desceram ao ponto de o nicho ficar à superfície, foi recuperado e levado para a aldeia, ocupando agora um lugar de destaque.

Meimão - Muito lixo na barragem de onde todos bebem

A população de Meimão e de outras aldeias do concelho de Penamacor passou a manhã de sábado a retirar lixo da barragem. Os avisos no local ainda são ignorados e os pescadores são os alvos das críticas.

Pneus, alguidares, colchões ou bidões. O normal seria encontrá-los numa qualquer lixeira mas estes e outros objectos povoam as imediações da barragem de Meimoa, em Penamacor. Ou povoavam, já que o auto-denominado Movimento Cívico e Ambiental na Defesa da Barragem deitou mãos à obra e durante a manhã de sábado foi à caça do lixo.

O encontro foi junto à igreja da aldeia às primeiras horas da manhã, com gente da terra mas também de populações vizinhas, como a Meimoa ou Benquerença. Um exemplo que Francisco Campos, o presidente da Junta de Freguesia de Meimão, gostaria que fosse seguido por outros, porque a barragem beneficia muita gente.

“Acho que se deviam juntar mais pessoas porque toda a gente do concelho bebe a água aqui da barragem”, diz o autarca, que uma semana após a reeleição repete a iniciativa que promoveu há quatro anos quando tomou posse.

Da manhã de trabalho saltam à vista os monos que as pessoas vão deixando à beira da estrada como se fosse uma lixeira. Mas na barragem é mais fácil encontrar garrafas e sacos de plástico. Alguns até se dão ao trabalho de prender estes com uma pedra para que o lixo não se espalhe. Utilizar os caixotes é que nem por isso.

Francisco Campos aponta o dedo sobretudo aos pescadores, que segundo ele “deixam sacos atados com restos das merendas em vez de trazerem”. E não é por falta de aviso, porque em redor da barragem são vários os painéis colocados pela junta que apelam ao civismo e indicam os caixotes.

Com esta acção a junta de freguesia cumpre também uma das cláusulas do protocolo assinado recentemente com a Associação dos Escoteiros de Portugal, para a instalação do campo nacional desta associação na aldeia, explica o presidente.

O lixo deu para encher alguns tractores e carrinhas de caixa aberta, que ao final da manhã regressaram à aldeia. Na mesa já esperava a chanfana oferecida pela junta para um almoço onde também esteve o presidente da Câmara Municipal de Penamacor, Domingos Torrão.

A barragem está agora mais limpa, resta saber até quando.

Por: José Furtado

21 de Outubro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Carta aberta de José Jorge Cameira dirigida ao Presidente da Junta de Freguesia, apresentando sugestões.

PROPOSTAS  À JUNTA DE FREGUESIA DO VALE DA SENHORA DA pÓVOA

 

Ao Amigo e Conterrâneo Presidente da Junta de Freguesia, António Reis

 

Algumas sugestões para o desenvolvimento do Vale da Senhora da Póvoa

 

DESPORTO - criar um Clube na aldeia, com o logotipo da Senhora da Póvoa, fazendo um concurso público para ideias desse Emblema.

Esse clube só com desportistas (M/F)  da aldeia terá diversas modalidades. Sugiro:

a) Futebol:

01 - iniciados/juvenis, equipa masculina e feminina

02 - Se houver jogadores juniores/seniores, organizar o I Torneio de Futebol da Senhora da Póvoa, convidando aldeias vizinhas, com prémios em Taças oferecidas por Entidades, sendo o 1º Prémio a Taça da Junta de Freguesia do VSP.

 

b) Atletismo:

01 - Equipas feminina e masculina nos diversos escalões para concorrer a provas organizadas por Associações já existentes no Distrito de Castelo Branco e Guarda. É modalidade fácil de organizar e galvanizante.

02 - Organização anual de Torneio de Atletismo da Senhora da Póvoa, nos diversos Escalões, nas ruas da aldeia, com Taças a oferecer por Entidades diversas, sendo o 1ºPrémio, a Taça da Junta de Freguesia do VSP (exemplo: taça e dinheiro). Nos Escaloes Seniores a prova começará na aldeia, irá até ao Santuário, regressando à aldeia.

 

c) Cicloturismo:

01 - Passeios-treino a realizar nos fins de semana com participação de todos os habitantes, distâncias médias (até Penamacor e até Sabugal, por exemplo), cumprindo inerentes Regras de  Segurança. 

02 - Projectar uma prova bi-anual de descida de bicicleta com percursos assinalados e com captação de painéis publicitários na extensão do mesmo. Sugestão: saída da Mina, fim junto à  Casa da Cacilda.

03 - Obtenção de bicicletas a custo reduzido nas Fábricas (Águeda) e convidar um conterrâneo competente para manutenção das mesmas.

 

d) Desporto Motorizado:

No topo da Serra há óptimas condições para Provas de Motas de 50 cm3.

 

POUSADA - Explorar a ideia de uma Pousada com 10 quartos na aldeia. Há subsídios comunitários para isso. Locais bons, na minha opinião: a casa abandonada do Ti Zé Lucas, cá em cima e lá em baixo a Casa da Família Lopes Dias. Poderá ter um complemento - um restaurante com as nossas especiarias, sendo  Cozinheira-Chefe  e Formadora a nossa conterrânea que foi cozinheira do Dr. Jaime Lopes Dias.

 

PRODUTOS - A exemplo dos potinhos de Mel, o mesmo aplicável a AZEITE, VINHO, AGUARDENTE de bagaço, CASTANHAS de conserva, AZEITONAS, ENCHIDOS. Sempre com o logotipo da Senhora da Póvoa.

 

ARTESANATO - Cestaria diversa feita com vime ou buinho apanhado na nossa Ribeira. Para mim o melhor local para um "Centro de Artesanato" seria a casa da Melita, detrás do Chafariz da Praça.

 

MUSEU DA NOSSA ALDEIA

a) Alfaias agrícolas - Recolha e recuperação de todas alfaias agrícolas usadas pelos nossos antepassados. Nesses sótãos, há muitos objectos  desses  abandonados.

b) Arqueologia - Recolha e caracterização de diversos objectos das diversas colonizações havidas na aldeia, desde moedas a documentos, pedras, vasilhas, fotos antigas, etc. 

c) Recolha de objectos sagrados  (não devem ficar na Igreja, é património da aldeia, crentes e não crentes).

 

TURISMO - Criação de percursos pedestres por locais de interesse na aldeia, no topo da serra e no santuário, com um cicerone conhecedor da aldeia. Matança do porco.

 

SANTUÁRIO DA SENHORA DA PÓVOA - proibir a entrada de qualquer automóvel no Recinto. Criação por aluguer de um parque antes do Santuário, com estacionamento vigiado e pago (50 cent cada viatura, receita da JF). Controle de som dos feirantes durante as actividades religiosas.

 

CENTRO DE SOLIDARIEDADE – Controlado pela JF que visará apoiar todas as pessoas carenciadas da Aldeia, desde alimentação, higiene e vestuário. Aos incapacitados, apoio dominical para assistir à Missa. Aos mais carenciados, verificar o aquecimento no Inverno. Combater com solidariedade e activamente o isolamento de pessoas sós.

 

BIBLIOTECA -  Felizmente já anunciada, mas juntar uma secção de audio-visuais, internet, música. Livros para levar para casa e nunca perguntar por eles se não forem devolvidos.

 

.JoséJorgeCameira-Beja e VSP

 

17 de Outubro de 2009

Meimão – Escultura em homenagem ao emigrante e imigrante.

Foi inaugurada a obra em homenagem aos emigrantes e imigrantes naturais da freguesia do Meimão, no passado dia 3 de Outubro. O padre César foi o pároco de serviço que realizou a Missa Campal e abençoou a escultura.
 

A Serra de Malcata, o rio e o emigrante/imigrante encontram-se representados nesta escultura realizada pelo mestre Eugénio Macedo, que aproveitou e requalificou da melhor forma, um antigo poço existente no espaço onde a escultura foi erigida.
Esta escultura há muito tempo que vinha sendo pensada, mas “só mesmo no fim do mandato é que foi possível conclui-la”, referiu o Presidente da Junta de Freguesia do Meimão, Francisco Campos. “Uma das razões que me levaram a fazer este monumento, e que levaram a Junta de Freguesia a fazer este monumento foi deixar uma homenagem a todos os emigrantes, e também ao meu pai, pois também ele foi emigrante. E este monumento é para aqueles que nos visitam todos os anos pela altura do Verão, e para que não se esqueçam da terra que os viu nascer”, acrescentou o Presidente. Contudo, esta escultura também é dedicada a todos aqueles que “vão para fora cá dentro”, ou seja, aos que se encontram imigrados dentro do país. Com a ideia bem definida daquilo que queria ver representado nesta obra, e depois de ouvir falar muito, e bem, do escultor Eugénio Macedo, Francisco Campos contactou por via telefone o escultor e transmitiu-lhe a ideia que queria e passado dez minutos já tinha um e-mail do mesmo com o esboço da escultura pretendida. E, depois, foi por mãos à obra. “Ele (Eugénio Macedo) conseguiu ler os meus pensamentos, que foi homenagear os emigrantes, uma serra a jorrar água, uma fonte e tapar um poço. A obra está realmente muito bonita” acrescentou o Presidente da Junta.
A inauguração simbólica realizou-se no passado dia 3 de Outubro, contudo, só será inaugurada oficialmente em Agosto de 2010, com a presença de todos os emigrantes.

(Jornal "Cinco Quinas")

Idanha-a-Velha - Pão, bolos e tradições

Casqueiro 2009 chega a Idanha-a-Velha

Animação de rua, música, magusto, jogos tradicionais, brincadeiras para as crianças, gastronomia, são os condimentos que complementam a festa da primeira edição do Casqueiro, que decorre de 6 a 8 de Novembro, na aldeia histórica de Idanha-a-Velha.

O Casqueiro 2009 – I Festival do Pão, Bolos e Tradições é uma organização da Liga dos Amigos da Freguesia de Idanha-a-Velha, com o objectivo de “despertar memórias e reavivar tradições”.

Segundo a organização, “o forno comunitário existe há décadas mas são já poucas as mulheres da aldeia que o usam para fazer o pão e os bolos tradicionais”. Por esta razão, “convidámos algumas ‘padeiras’ de Idanha-a-Velha e de outras aldeias do concelho para que durante todo o fim-de-semana o forno funcione com várias cozeduras por dia”.

Ao longo de dois dias, os visitantes poderão acompanhar todo o processo, desde o amassar até á cozedura, saboreando no fim os deliciosos produtos regionais que sairão quentinhos do forno.

No Domingo de manhã serão as crianças a “meter as mãos na massa” e aprenderem de uma forma lúdica como se faz o pão.

Nas noites de 6 e 7 de Novembro irão decorrer espectáculos culturais na Sé Visigótica de Idanha-a-Velha.

Nas ruas da aldeia, durante estes dias, haverá artesãos e expositores, representando as aldeias do concelho, que apresentarão o seu trabalho, a charcutaria e a doçaria da região.

(Jornal Reconquista)
 

Guarda é o concelho que mais população ganhou na Beira Interior 
 

Penamacor foi o que mais perdeu com menos 30 por cento de habitantes que em 1991.

Na Beira Interior, apenas os concelhos da Guarda e de Belmonte contrariam a tendência de perda de população registada em todos os outros, de acordo com dados do INE - Instituto Nacional de Estatística sobre a população nos municípios entre 1991 e 2008. O caso mais preocupante na região é o de Penamacor que regista uma quebra de 30,6 por cento, sendo mesmo o quarto concelho em todo o país que mais perdeu população durante este período. Os dados foram analisados em dois períodos temporais, o primeiro entre 1991 e o ano 2000, e o segundo, mais longo, entre 1991 e 2008. No primeiro caso, a Guarda é o concelho com melhor registo, com uma subida de 12,1 por cento na população, ficando inclusivamente à frente das vizinhas capitais de distrito, Viseu e Castelo Branco, com 10,2 e 1,2, respectivamente. Belmonte foi o outro caso com registo positivo, com uma população superior de 1,1 por cento. De resto, todos os outros municípios apresentam registo negativo. Os “menos maus” são Covilhã (menos 0,3 por cento), Celorico da Beira (-1,4) e Fundão (-1,9). Seguem-se Vila Nova de Foz Côa (-5,4), Trancoso (-6,5), Aguiar da Beira (-8), Seia e Gouveia (ambos com -8,3) e Manteigas (-9,4). Acima dos 10 pontos percentuais negativos estão Fornos de Algodres (-10,9), Figueira de Castelo Rodrigo (-12,2), Sabugal (-12,9), Pinhel (-14,1), Mêda (-16,6), Almeida (-16,9) e Penamacor (-17,4). Já entre 1991 e 2008, a Guarda continua a ser a cidade que mais população ganhou na Beira Interior, subindo inclusivamente para 14,7 por cento, embora tenha sido ultrapassada por Viseu que passou a ter 18,5 por cento. Belmonte também melhorou, passando a ter 4,3 por cento, enquanto que Castelo Branco passou a ter registo negativo com menos 0,6 por cento. De resto, todos os outros concelhos analisados pioraram ainda mais a situação, sendo que Aguiar da Beira “apenas” passou de -8 por cento em 2000 para -8,3 o ano passado. Outras situações com um aumento pouco significativo são os casos do Fundão que registava -2,5 por cento, passando à frente da Covilhã que passou para -3,5. Já Celorico da Beira passou a ter -3,3 e Seia e Gouveia -11,6 e -11,9, respectivamente. Por seu turno, Trancoso registou uma descida menos acentuada passando de -6,5 para -9,9 por cento. A partir daqui, as diferenças negativas são ainda mais acentuadas. Vila Nova de Foz Côa, por exemplo, duplicou o seu registo, passando a deter -10,8. Também Manteigas quase duplicou, passando para -18,1 por cento, ao passo que Fornos de Algodres chegou aos -16,5 e Figueira de Castelo Rodrigo aos -19,1. Para cima dos 20 pontos negativos passaram Sabugal (-21,7), Pinhel (-22,5) e Mêda (-23,1). Pior ainda, a fechar o “top 5” do país estão Almeida (-30,3) e Penamacor (-30,6), só superados por Gavião, Alcoutim (ambos com -31,8) e Sardoal (-57,2). Em oposição, surge Sesimbra, com 92,6 por cento.

Sistema de Informação Geográfica Intermunicipal
Câmaras da região colocam PDM na Internet

A Associação de Municípios da Cova da Beira (AMCB) criou um portal que reúne o Plano Director Municipal (PDM) de cada um dos 13 municípios associados. A Plataforma sig.amcb.pt está disponível desde 11 de Setembro. Cada município tem um link na sua página Web que redirecciona o utilizador para o portal da AMCB onde está alojada a informação relacionada com o PDM em vigor.
O projecto global está orçado em meio milhão de euros e é co-financiado pelo Programa Operacional da Região Centro [MaisCentro].
Na linha do que tem sido o processo de modernização e informatização da administração pública, nomeadamente a administração local, os Sistemas de Informação Geográfica (SIG) de âmbito municipal e intermunicipal surgem como uma ferramenta imprescindível para um bom conhecimento do território e para a adequada gestão do mesmo.
As autarquias são obrigadas a disponibilizar os Planos Municipais de Ordenamento do Território na Internet pelo que a Associação de Municípios da Cova da Beira em parceria com os seus municípios Associados desenvolveram um projecto com base numa solução SIG para consulta dos PDM´s de Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Guarda, Mêda, Pinhel, Penamacor, Sabugal e Trancoso.
A solução implementada permite fazer uma consulta prévia ao PDM, tendo como ponto de partida um determinado ponto ou localização no território. Depois de identificada a localização da pretensão é possível cruzar esta informação com as classes de espaço, com o regulamento e condicionantes do PDM e imprimir a informação resultante desta análise, servindo como uma primeira aproximação à viabilidade de transformação do terreno rústico. Permitirá no futuro fazer pesquisas, visualização e consulta aos processos de obras das Câmaras Municipais partindo da localização dos processos. Em alternativa à selecção de um elemento existente, é possível a digitalização de um polígono directamente no interface web.
Os dados estão disponíveis numa plataforma na internet [sig.amcb.pt] que reúne os Planos Directores Municipais (PDM’s) de cada um dos municípios, desde 11 de Setembro de 2009.
“É uma cartografia actualizada com levantamentos em escalas muito próximas da realidade que possibilita aos municípios acederem a toda a informação do concelho em formato digital permitindo uma melhor gestão das autarquias com o seu próprio território”, destaca Carlos Santos, Director Geral da AMCB.
A plataforma, designada Sistema de Informação Geográfica Intermunicipal (SIGI), permite a consulta prévia do PDM a partir de um determinado ponto do território, cruzamento da informação com a toponímia, rede viária, regulamento ou condicionantes daquele instrumento de gestão territorial, bem como editar on-line a delimitação de uma parcela de terreno, calcular distâncias e áreas, imprimir uma planta de localização, entre outros temas.
 

15 de Outubro de 2009

Penamacor - Alunos da Ribeiro Sanches preparam DVD sobre o concelho

A ideia vai ser desenvolvida ao longo do ano lectivo por um grupo de jovens de 17 e 18 anos e pretende despertar o interesse pela história e cultura local.

O património do concelho de Penamacor vai ser estudado até ao final do ano lectivo por um grupo de alunos finalistas do Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches. O projecto “Penamacor na História e na Lenda” é inédito a vários níveis no concelho, a começar na edição em DVD. É também a primeira parceria que a escola faz com uma associação no âmbito da Área Projecto, uma área curricular em que os alunos trabalham em grupos e com temas definidos por si.

A iniciativa foi proposta à escola pela Adraces - a Associação para o Desenvolvimento da Raia Centro Sul – e inserida no Programa Juventude em Acção. O trabalho começou em Setembro, mês de inicio do ano lectivo, com os primeiros passos da elaboração do projecto. Esta fase irá decorrer até ao final do primeiro período, por altura do Natal, com os alunos a distribuírem-se pelos temas, que têm em comum a ligação ao património. Os da área de letras vão trabalhar o património histórico-construído ou imaterial (como a etnografia), enquanto os colegas de ciências focam o trabalho no património natural. Esta é a regra mas há espaço para a excepção.

“Uma aluna da área científica está a trabalhar o património imaterial”, exemplifica António Canoso, o professor responsável pela Área Projecto. A acção envolve 15 jovens que tomam praticamente todas as decisões, o que na perspectiva do professor acaba por ser mais motivante para eles.

Depois das férias do Natal e do Ano Novo começa a fase da concretização e o último período, que arranca depois da Páscoa, é o da apresentação. O projecto termina em Junho de 2010 com a apresentação do DVD, mas António Canoso espera que não fique apenas por esta iniciativa.

“Não está descartada a hipótese de fazer outras actividades complementares”, diz o professor, que aponta exemplos como uma feira de sabores ou a elaboração de percursos pedestres. Tudo ideias que podem pegar.

Para Helena Pinto, a presidente do Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches, o projecto é mais uma oportunidade para abrir a escola à comunidade, mostrando que esta não é um gueto.

“Penso que vai permitir coisas muito interessantes e que vai ultrapassar as fronteiras do concelho de Penamacor”, diz a professora. Mas é também encarado como uma forma de dar a conhecer o concelho a quem é de lá, porque a informação é pouca e a que existe encontra-se algo desactualizada, como “O Concelho de Penamacor na História, na Tradição e na Lenda”, o livro de José António Landeiro publicado em 1938.

“Não há muito mais (…) este vai de certeza dar-nos a conhecer aspectos novos do nosso património histórico, cultural e ambiental”, espera Helena Pinto.

Para a elaboração do DVD os jovens da Ribeiro Sanches vão contar com acções de formação ao nível da dicção, colocação de voz e técnicas de representação. Está ainda prevista a construção de um blogue e uma exposição de fotografia, entre outras iniciativas que vão sendo pensadas em colaboração com o Pólo Raiano da Adraces, que fica na vila.

Para a associação esta colaboração assenta que nem uma luva na sua estratégia. António Realinho, director-executivo da Adraces, diz que a ideia é cada vez mais “fazer iniciativas que envolvam as pessoas que estão nos concelhos, nomeadamente as mais novas”.

“Estas terras, como Penamacor, têm futuro, mas tem de ser um futuro feito pelas pessoas que lá estão”, diz Realinho, que entende ser necessária a valorização de recursos como a Serra da Malcata e o seu lince ou os produtos tradicionais. Em Junho de 2010 se verá como o fazem os jovens do concelho.

Por: José Furtado
 

14 de Outubro de 2009

Belmonte - Idosa burlada em 17.500 euros

A GNR está a investigar uma queixa por burla no valor de 17.500 euros, de que terá sido vítima uma idosa de 80 anos, na terça-feira, numa quinta a  cerca de 5 Kms de Belmonte, disse à Agência Lusa fonte daquela força de segurança. Segundo a fonte, a idosa foi abordada em casa por um indivíduo “que se identificou como pertencente a uma empresa de Belmonte e lhe pediu para trocar o dinheiro que tinha em casa, porque já não valia nada”. O homem terá dito que “ela teria uns 15 mil euros” em casa e convenceu-a a entregar-lhe todo dinheiro, “para ser trocado por outras notas que ele trazia consigo”. Depois de ter o dinheiro nas mãos, que, segundo a queixa, ascendia a 17.500 euros, pediu ainda um recibo de electricidade, mas quando a idosa voltou, “já não o viu”, referiu a mesma fonte. Segundo a vítima, o indivíduo era “bem-parecido” e tinha um carro vistoso. Entretanto, noutro ponto do distrito de Castelo Branco, na Sertã, a GNR identificou também na terça-feira dois indivíduos, um homem e uma mulher, ambos de 29 anos, pela prática de vários furtos em capelas e igrejas da região. Segundo fonte da GNR, os dois furtavam quadros e outros artigos de arte sacra

Clique aqui e oiça a história contada pela Maria Odete, vítima da burla.

(Jornal do Fundão)

11 de Outubro de 2009

Castelo Branco - Autárquicas

Resultado das votações para as Câmaras Municipais de todos os concelhos deste distrito:

Partidos C.Branco Belmonte Proença Idanha  Sertã Vila Rei Covilhã Penamac. Oleiros V.V.Rodao Fundão
PS 69,90% 49,69% 76,56% 58,50% 36,25% 18,70% 26,83% 53,64% 18,04% 61,02% 28,84%
PSD 16,99% 30,45% 18,15% 28,04% 50,91% 61,09% 56,69% 39,07% 75,16% 31,99% 61,17%
CDS 3,91% 1,53% 1,57% 5,18% 7,67% 10,13% 2,78% 0,00% 0,00% 1,44% 2,78%
BE 2,78% 2,60% 0,00% 0,00% 1,62% 0,00% 2,53% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
CDU 3,40% 6,67% 0,64% 2,87% 0,62% 4,30% 7,47% 2,83% 1,80% 3,13% 3,65%
Outros 3,02% 9,06% 3,08% 5,41% 2,93% 5,78% 3,70% 4,46% 5,00% 2,42% 3,56%
Totais 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00%

Penamacor - Autárquicas

Resultado da votação de todas as freguesias do concelho de Penamacor:

Concelho de Penamacor Juntas Freguesia Câmara Municipal Assembleia Munic.
Discriminação Votos Percent. Votos Percent. Votos Percent.
Partido Socialista - PS 2285 35,79% 2346 36,75% 2369 37,11%
PSD, CDS-PP, MPT 1532 24,00% 1709 26,77% 1627 25,49%
CDU 9 0,14% 124 1,94% 157 2,46%
Grupo Cidadãos 336 5,26% 0 0,00% 0 0,00%
Votos em Branco 105 1,64% 90 1,41% 100 1,57%
Votos Nulos 107 1,68% 105 1,64% 121 1,90%
Abstenções 2010 31,48% 2010 31,48% 2010 31,48%
Total 6384 100,00% 6384 100,00% 6384 100,00%

Domingos Torrão revalida maioria

O presidente da Câmara Municipal de Penamacor vai cumprir um terceiro e último mandato.

Domingos Torrão foi reeleito com 53,64% e conquista três mandatos para o PS, contra os 39,07% de Vítor Gabriel, o candidato da coligação PSD, CDS, Partido da Terra.

A oposição continua com dois vereadores.

A CDU, de Ana Paula Pires, alcançou 2,83%.

Votaram 68,52% dos eleitores.

Na freguesia de Penamacor, a maior do concelho, a votação foi renhida, com o PS e a Coligação Todos por Penamacor separados por apenas 15 votos, com os socialistas a reelegerem Orlando Gonçalves.

(Jornal Reconquista)

Vale da Senhora da Póvoa - Autárquicas

Mais uma vez a população desta aldeia acorreu às urnas para exercer o seu direito de votar, para os seguintes órgãos:

- Junta de Freguesia do Vale da Senhora da Póvoa

- Presidente da Câmara Municipal de Penamacor

- Assembleia Municipal da Câmara Municipal de Penamacor.

O povo votou e os resultados obtidos foram:

Resultado da Votação em Vale da Senhora da Póvoa

Junta de Freguesia   

                                Junta de Freguesia    
Partido Socialista  (António Reis) 149 48,53%
PSD, CDS-PP, MPT (António Padez) 86 28,01%
CDU    
Votos Brancos 1 0,33%
Votos Nulos 1 0,33%
Abstenções 70 22,80%
Total 307 100,00%

António Joaquim dos Reis Bogas é o novo Presidente da Junta de Freguesia, contando com os seguintes elementos para o efeito:

Secretário - Sebastião Reis

Tesoureiro - Joaquim Manuel Carrilho Capelo

Assembleia de Freguesia - Joaquim Félix, Fátima Reis, Maria Cheicho Martins, António Manuel Mendes Lopes, Joaquim António de Campos, Maria José Carrilho Mugeiro, Manuel Silva, João Mendes Pires, Ana Raquel Campos, Manuel Joaquim Pires, Andreia Leitão, Francisco Silva Jorge, Maria José Robalo Nascimento, Jorge  Campos Mugeiro, João da Piedade, António Canilho, José Mendes, Emília Bento, António Almeida e  Maria Filomena Marques.

Resultado da Votação em Vale da Senhora da Póvoa

Câmara Municipal de Penamacor

                          Presidente da Câmara    
Partido Socialista  (Domingos Torrão) 140 45,60%
PSD, CDS-PP, MPT (Vitor Gabriel) 89 28,99%
CDU (Ana Pires) 3 0,98%
Votos Brancos 5 1,63%
Votos Nulos    
Abstenções 70 22,80%
Total 307 100,00%

Resultado da Votação em Vale da Senhora da Póvoa

Assembleia Municipal da CMP

                          Assembleia Municipal    
Partido Socialista   139 45,28%
Coligação PSD, CDS-PP, MPT  85 27,69%
CDU  7 2,28%
Votos Brancos 4 1,30%
Votos Nulos 2 0,65%
Abstenções 70 22,80%
Total 307 100,00%

 

10 de Outubro de 2009

Penamacor - Autárquicas

Amanhã é dia de eleições autárquicas e a população de Vale da Senhora da Póvoa vai exercer o seu direito de voto.

Os principais candidatos à Presidência da Câmara de Penamacor são os seguintes, dos quais se traça um breve perfil:

Domingos Manuel Bicho Torrão tenta um terceiro mandato como presidente da Câmara Municipal de Penamacor, cargo que ocupa desde 2001. Nesse ano, concorreu como independente e derrotou o PS, partido que lhe abriria as portas quatro anos depois. Com o "equipamento socialista", Torrão venceu a coligação "Todos por Penamacor", que este ano volta a ser um dos adversários nas eleições de amanhã.

Domingos Torrão foi professor secundário e iniciou-se politicamente com funções na Junta de Freguesia de Pedrógão de S. Pedro .

Mais tarde passou para vereador da Câmara de Penamacor e em 2001 saltou então para a presidência, onde se mantém.

É também presidente do Lar Residencial Dª. Bárbara Tavares da Silva

 

 

A coligação "Todos por Penamacor", que junta as forças políticas do PSD, CDS-PP e MPT, aposta pela segunda vez no independente Vitor Gabriel, professor do Ensino Superior que em 2001 já foi eleito vereador da oposição  na Câmara Municipal de Penamacor.

Vitor Gabriel é licenciado em Gestão, completou mestrado em Finanças e faz actualmente o doutoramento na mesma área. Foi gestor de marketing de uma empresa de bens de grande consumo e desde 2008 é tutor do programa "Poliempreende". Recentemente editou os livros "Fundamentos de Matemática Financeira" e "Matemática Financeira com excel" e é co-autor do "Guia do Empreendedor, no âmbito do projecto Guarda Digital.

 

 

 

Ana Paula Cunha Martins Pires nasceu em Penamacor, é Educadora de Infância, tem o Diploma de Estudos Superiores de Educação em Orientação Pedagógica da Escola Superior de Educação de Castelo Branco, foi membro da Assembleia Municipal da Covilhã no mandato 2001-2005, exerce as suas funções docentes em Coimbra e é dirigente sindical do Sindicato de Professores da Região Centro - FENPROF.É candidata pela CDU

 

 

 

 

 

 

 

Melhor queijo do mundo delicia EUA

Produzido no Fundão, melhor queijo do mundo continua a “seduzir” americanos e é tema de conferência em Nova Iorque

O EMPRESÁRIO que produz, na Zona Industrial do Fundão o Queijo Amarelo da Beira Baixa – está de malas aviadas para Nova Iorque, onde participará, a 15 de Outubro, numa conferência sobre o famoso queijo, que em finais do ano passado foi considerado, nos Estados Unidos, o melhor do mundo. “Vou falar do processo de fabrico do Queijo Amarelo da Beira Baixa e da região onde é produzido”, disse ao JF Daniel Reis Amarelo, acrescentando que esta viagem aos Estados Unidos surgiu a convite de um cliente americano e contemplará, também, no dia 16, uma degustação numa loja da 5.ª Avenida.

O Queijo Amarelo da Beira Baixa, que é produzido com leite cru de ovelha e de cabra, foi considerado o melhor queijo do mundo, numa prova (cega), organizada pela conhecida revista Vanity Fair e Wine Spectator, para escolher o melhor entre os melhores cem queijos do mundo. De olhos vendados, os membros do júri, renderam-se à excelência do Queijo Amarelo da Beira Baixa, entre muitos outros queijos de vários países. “É um queijo único no mundo e é produzido no Fundão. Sei que a qualidade é boa, mas os outros também deviam ser bons, admite Daniel Reis Amarelo, que soube do prémio, alcançado do lado de lá do Atlântico, através de um cliente americano e do director da Sonnae. Foi no Outono do ano passado. A escolha do júri foi divulgada pela comunicação social em vários pontos do mundo e, como era de prever, as vendas subiram em flecha. “Vendemos muito mais no Natal seguinte. Felizmente, estava preparado, mas se não estivesse era um problema”, contou o empresário ao JF. Mas qual é afinal o segredo do afamado queijo? “Uma mistura de leite de ovelha e de cabra, mas sobretudo, o micro clima desta região entre a Gardunha e a Estrela e que se reflecte nos pastos e no processo de cura”, garante Daniel Reis Amarelo, que não passa sem queijo e, sobretudo, sem o Amarelo da Beira Baixa, que é, de longe, o seu preferido.

(Jornal do Fundão)

Fogo no concelho do Sabugal  -  O maior da Europa  

A conclusão é do Relatório do Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios

O incêndio que deflagrou em Sortelha, no concelho do Sabugal, no mês Agosto, foi o que registou maiores proporções a nível da Europa, tendo consumido mais de 9 mil e 800 hectares de terreno.

Estes dados constam do Relatório do Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios, que avança ainda que Portugal é o terceiro país da União Europeia mais afectado pelos Fogos Florestais, este ano.

O segundo comandante distrital do centro de operações e socorro da Guarda, Seara Pires admitiu à "F" que nunca imaginou que o incêndio do concelho do Sabugal, fosse o maior da Europa.

Seara Pires recordou que a área ardida envolveu dois incêndios.

Apesar de ainda não serem conhecidos os números sobre a época mais critica dos incêndios este verão...o segundo comandante distrital de operações e socorro tem uma certeza: a área ardida é superior à do ano passado.

(Jornal "Guarda.pt")

 

05 de Outubro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa - Autárquicas

Esta é a semana dos comícios finais dos candidatos à Presidência da Junta de Freguesia.

Hoje terá lugar o comício do candidato António Padez, às 20H30, no Salão da Junta de Freguesia, terminando com um beberete. António Padez convida todos a estarem presentes.

Na próxima 4ª feira, terá lugar o comício do candidato António Reis, começando com uma arruada,  e pelas 20H00 a concentração irá realizar-se no Salão da Junta de Freguesia.

Louvor ao Presidente da Junta de Freguesia cessante e a toda a sua equipa:

Joaquim Luís da Silva Martins, termina  agora o seu mandato, e é altura de fazer aqui um reconhecimento pelas obras realizadas no período de 2002 a 2009, tempo em que dirigiu os destinos desta aldeia.  Segue-se um breve resumo das obras que deixou realizadas, podendo ser visto com mais detalhe no capítulo "Personagens e Obras":

2003 - Remodelação do Parque Infantil

2003 - Edifício onde funciona a Associação dos Amigos do Vale da Senhora da Póvoa

2004 - Construção da ponte sobre a ribeira no "Chão do Moinho"

2004 - Construção do edifício da Junta de Freguesia

2004 - Remodelação do Parque Desportivo, que passou a ser o actual recinto das festas

2004 - Construção da cozinha, bar, esplanada, sanitários e  quermesse, no Recinto de Festas.

2008 - Casa Mortuária. Remodelação de edifício para o efeito.

2008 - Chafarizes artísticos: Um no Recinto das Festas, outro ao cimo da povoação junto à entrada para o Bairro Figueiredo

2008 - Remoção da estátua do Dr. Jaime Lopes Dias do local onde se encontrava para o centro do Largo "Dr. Jaime Lopes Dias"

2009 - Construção da melaria "Meimoacoop" em Vale da Senhora da Póvoa. Foi construída por esta cooperativa.

2009 - Festa de Santiago. Por falta de mordomos, foi a Junta de Freguesia que a levou a efeito.

Bem haja pelo trabalho realizado e receba o nosso reconhecimento, pois deixa o Vale mais bonito e com mais qualidade de vida.

(Américo Valente)

01 de Outubro de 2009

Ajudar com um pé em África e outro em Penamacor

Os primeiros donativos recolhidos na região pela associação Solidariedade sem Fronteiras seguiram para Lisboa, mas ainda há espaço no contentor que vai para Moçambique.

O concelho de Penamacor tem uma nova associação vocacionada para o apoio social a países africanos, mas também à região onde está implantada. Na origem desta está um projecto de solidariedade que levou Andreia Martins a Moçambique entre Novembro de 2007 e Março de 2008. Neste período a jovem penamacorense trabalhou numa aldeia da província de Inhambane, onde contactou com crianças órfãs e se apercebeu das necessidades dos habitantes locais.

De regresso a Portugal ficou a vontade de continuar a ajudar aqueles com quem tinha contactado. É então que começa a recolha de donativos com destino à antiga colónia portuguesa, tendo como meta encher um contentor que viajaria por via marítima. Ao longo dos últimos meses a campanha foi crescendo e em Julho passou mesmo pela Feira das Actividades Económicas de Penamacor, onde esteve a recolher donativos e mostrou alguns dos objectos tradicionais que trouxe de Moçambique.

A vontade passava pela formação de uma associação, como Andreia Martins transmitiu ao Reconquista em Maio deste ano. Objectivo que acabou por ser cumprido nos últimos meses, com o registo no Conservatório Notarial de Competência Especializada de Castelo Branco. O nome escolhido diz tudo: Solidariedade sem Fronteiras.

Andreia Martins – que assume a direcção com Pedro Agapito e João Antunes - explica que a associação “tem vários objectivos, nomeadamente o apoio a jovens, idosos, desenvolvimento local, formação” entre outras ideias que aguardam concretização. Tal como uma sede, necessidade que vai sendo colmatada com a ajuda da Junta de Freguesia de Aldeia de João Pires, que disponibilizou a cave da sua sede para que o trabalho não pare. No espaço acumulam-se caixas e sobretudo sacos de roupa, que nos últimos dias foram transportados para Lisboa e colocados dentro do ansiado contentor. Ainda sobrou algum espaço e por isso a Solidariedade sem Fronteiras vai continuar a reunir donativos até dia 17 de Outubro, seguindo para a capital no dia 22.

Os donativos têm chegado de vários locais.“Trouxemos imensas coisas de Castelo Branco de outras associações que nos apoiaram”, diz Andreia Martins, que enumera os casos da freguesia de Boidobra (Covilhã) e do Vale da Sr.ª da Póvoa, aldeia penamacorense onde foi dinamizada por Renato Silva e Susana Almeida. A associação contou ainda com os apoios da Câmara Municipal de Penamacor, Sporting Clube da Covilhã, Associação Desportiva da Estação, Cruz Vermelha de Vilar Formoso, Casa de Infância e Juventude de Castelo Branco e da empresa de transporte de mercadorias Arnaud.

O trabalho não pára com a primeira remessa para Moçambique e a Solidariedade sem Fronteiras está de olho em Angola. No entanto os donativos que não puderem seguir para África serão distribuídos por instituições portuguesas.

“Precisamos muito de financiamento, isto não se faz só pela nossa vontade”, diz Andreia Martins. Pela frente há ainda muito trabalho e ideias que começam a ganhar corpo, como um projecto de integração social vocacionado para deficientes.

A Solidariedade sem Fronteiras está na internet em http://solidariedadesf.blogspot.com, podendo ser contactada através do endereço de correio electrónico solidariedadesf@gmail.com ou pelo telefone 96 887 41 15.

Por: João Carrega
(Jornal "Reconquista")

SETEMBRO

 

27 de Setembro de 2009

Eleições Legislativas

Hoje foi dia de eleições em Vale da Senhora da Póvoa e no país. Os portugueses foram às urnas e escolheram o líder dos desígnios nacionais para os próximos quatro anos. José Sócrates foi o vencedor destas legislativas, no entanto o PS não conseguiu maioria absoluta.

Resultados da votação dos eleitores:

             Nacional Penamacor C.Branco V.S.Póvoa
Partidos Deput Percent Percent Percent Percent
Partido Socialista - PS 96 36,60% 43,50% 41,00% 50,00%
Partido Social Democrata - PSD 78 29,10% 30,54% 29,72% 30,58%
CDS - PP 21 10,50% 11,31% 8,37% 6,80%
BE 16 9,90% 7,27% 9,08% 6,80%
CDU 15 7,90% 3,28% 5,05 2,91%

 

             Concelhos do distrito de Castelo Branco        
Partidos C.Branco Belmonte Proença Idanha  Sertã Vila Rei Covilhã Penamac. Oleiros V.V.Rodao Fundão
PS 39,12% 44,02% 36,99% 45,55% 32,00% 15,60% 48,15% 41,94% 24,89% 49,35% 40,82%
PSD 28,64% 25,45% 39,99% 29,82% 41,63% 51,74% 20,88% 29,45% 55,37% 29,74% 30,06%
CDS 8,76% 6,60% 9,70% 7,57% 12,36% 15,20% 6,42% 11,48% 7,67% 4,53% 8,43%
BE 11,58% 9,75% 5,65% 5,68% 5,73% 5,57% 10,10% 7,01% 3,60% 6,30% 9,38%
CDU 4,88% 6,57% 1,24% 3,35% 1,30% 1,96% 8,44% 3,16% 1,34% 5,24% 4,46%
Outros 7,02% 7,61% 6,43% 8,03% 6,98% 9,93% 6,01% 6,96% 7,13% 4,84% 6,85%
Totais 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00% 100,00%

Vale da Senhora da Póvoa - Legislativas

Resultado da votação dos eleitores nesta freguesia:

 

Discriminação Votos Percent.
Partido Socialista - PS 103 33,6%
Partido Social Democrata - PSD 63 20,5%
Bloco de Esquerda - BE 14 4,6%
CDS - PP 14 4,6%
CDU 6 2,0%
MEP 1 0,3%
PCPT 1 0,3%
Votos em Branco 1 0,3%
Votos Nulos 3 1,0%
Abstenções 101 32,9%
Total 307 100,0%

Informação prestada por Renato Silva e confirmada pelo Presidente da Junta de Freguesia

25 de Setembro de 2010

Vale da Senhora da Póvoa - Autárquicas

Apresentação do Programa Eleitoral da Lista candidata à Junta de Freguesia de Vale da Senhora da Póvoa, pelo Partido Socialista, encabeçada por António Joaquim dos Reis Bogas.

O nosso compromisso com a população é para valer. Todos juntos podemos traçar o rumo que desejamos para a nossa terra, com mais e melhor saúde, mais desenvolvimento social, melhor urbanismo e mais cultura, desporto e lazer. Uma terra com qualidade de vida, onde todos contem, se sintam bem e tenham esperança num futuro cada vez melhor. É este o nosso propósito.

Ouvimos os anseios dos nossos conterrâneos, estamos disponíveis para os satisfazer.

Propomo-nos estimular a cidadania:

·             Colaborando e apoiando as nossas associações (de Caça e pesca, dos Amigos do V. S. Póvoa, o Rancho Folclórico), Ajudando a dinamizar a vida social, cultural e desportiva da nossa terra, promovendo as actividades culturais, desportivas e de lazer;

·             Recuperando tradições, como as Alvíssaras, encomendação das almas, lendas. Realização de eventos gastronómicos ( sopas, ensopado, arroz doce e outros)

·              Aproximando a Junta de Freguesia da população, ouvindo as pessoas e contribuindo para a resolução dos seus problemas.

·             Apoiando todos os residentes nos processos de reforma, complemento solidário de idoso, complemento de terceira pessoa, preenchimento e entrega da declaração do I.RS., medicamentos, pagamentos de reformas, telefone, electricidade, água, aconselhamento jurídico e outros.

·              Promovendo acções de formação para o emprego; programas ocupacionais para jovens e desempregados.

·              Promover a Internet de banda larga em Wireless gratuita para todos.

·              Transformar o fundo local de leitura em Biblioteca.

Propomo-nos melhorar o conforto e os serviços:

·              Promovendo a criação de um Lar de Terceira Idade.

·              Melhorar as condições da Extensão de Saúde.

·              Criar um Centro de Convívio para os jovens.

         Propomo-nos melhorar o ambiente e a natureza:

·              Limpando e recuperando as nossas linhas de água.

·              Reforçando o sistema de Ecopontos e de recolha de Resíduos.

·              Promovendo um perímetro de segurança contra fogos em redor da aldeia.

·              Ajudando a promover a utilização de energias renováveis.

·              Criando percursos pedestres e novos espaços de lazer e de veraneio

Novas obras e equipamentos para resolver velhos problemas:

·              Pavimentar dignamente todos os espaços e arruamentos públicos e dotá-los de energia, abastecimento e saneamento.

·              Melhorar a rede de caminhos agrícolas e florestais.

·              Requalificar fontanários e outros equipamentos.

·              Construção de Casas de Banho Públicas

·              Obras de conservação e beneficiação do Cemitério.

·              Melhorar o largo de festas (cozinha, balneários e obras no campo de jogos).

·              Requalificação do Parque Infantil, tornando-o mais seguro e atraente.

·              Promover o aproveitamento turístico do nosso património religioso e cultural.

Queremos revitalizar o sector económico:

·              Promovendo e incentivando a criação de aproveitamentos olivícolas e florestais.

·              Criar uma Zona de Intervenção Florestal (ZIF)

·              Criar a Loja de Aldeia Terras do Lince.

·              Colocar o Vale da S. da Póvoa na  Rota das Aldeias de Xisto.

·              Estimular a restauração e o alojamento turístico.

OUTRAS  ACÇÕES: Uma vez eleitos, iniciaremos conversações com alguns elementos de famílias ilustres da nossa terra, no sentido de doarem à Junta de Freguesia alguns dos bens que aqui possuem.

Sendo certo que o Santuário de Nossa Senhora da Póvoa é uma mais valia da nossa terra, vamos incentivar a Igreja, através dos seu representantes e mantendo total independência entre as Instituições, que ali leve a cabo um Mega Projecto que envolva muitas das obras atrás referidas. ( Lar, turismo religioso e outras ), apoiaremos em tudo o que estiver ao nosso alcance, não nos poupando a qualquer esforço nesse sentido.

Propor a aquisição de alguns terrenos, caso se mostre necessário  e de alguns imóveis degradados para posterior requalificação ou demolição, dando neste caso lugar a espaços verdes.

Finalmente : É de facto um programa ambicioso, de curto, médio e longo prazo, mas é sobretudo um programa necessário e possível . Haja boa vontade política de todos os intervenientes e de todas as entidades competentes com que iremos dialogar.

(António Reis Bogas)

23 de Setembro de 2009

Penamacor – “Fio da História”

No âmbito das comemorações dos 800 anos do concelho de Penamacor, a Câmara Municipal realizará no próximo dia 26 de Setembro uma jornada de conferências intitulada “Penamacor: Figuras e Factos” integrada no ciclo o “Fio da História”.
 

A jornada decorrerá no Salão Nobre dos Paços do Concelho, pelas 10 horas onde o ciclo o “Fio da História” deste concelho com 800 anos será dissertado e falado por ilustres convidados que participarão nesta jornada.
Os temas escolhidos são as figuras emblemáticas que contribuíram e elevaram a vila de Penamacor, como por exemplo: D. Lopo de Albuquerque, Ribeiro Sanches, Dr. Adelino Robalo, José Manuel Landeiro, Jaime Lopes Dias, José Vicente Lopes, Dr. Mário Bento e José Lopes Dias. Figuras incontornáveis que também estão de parabéns e fazem parte da comemoração dos 800 anos do concelho.

(Jornal "Cinco Quinas")

Hotel de Penamacor com financiamento desbloqueado

Os mais de três milhões de euros para a comparticipação do projecto acabam de receber luz verde.

O contrato para a construção do hotel de Penamacor deverá ser assinado dentro de duas semanas. Esta é a convicção dos promotores do projecto que acabam de ver aprovado o financiamento para a obra, no âmbito do Programa Operacional Factores de Competitividade, uma das iniciativas do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). São três milhões e 300 mil euros de financiamento para um projecto que na totalidade deverá rondar os seis milhões e 300 mil euros.

De acordo com os promotores, o hotel a construir na Quinta do Cafalado – junto à estrada que liga Penamacor a Aldeia do Bispo – terá 102 camas divididas por 50 quartos duplos e duas suites, piscina e restaurante. A infra-estrutura ficará classificada com três estrelas (superior) e segundo as previsões irá gerar 18 postos de trabalho directos. O anúncio foi feito esta terça-feira numa conferência de imprensa que juntou a Câmara Municipal de Penamacor, a Turismo da Serra da Estrela e Carlos Barros, o investidor privado que detém a maioria do capital da sociedade.

Por: José Furtado

17 de Setembro de 2009

Chocalhos animam Alpedrinha durante três dias

A festa da transumância é já este fim-de-semana. São três dias de Chocalhos com muita música popular, um concerto com Tereza Salgueiro e o Étnico

A TRANSUMÂNCIA uniu, desde sempre, geografias e paisagens, costumes e gentes. Hoje, essa pluralidade, mais do que relembrar as sociedades passadas, assume um valor patrimonial de excelência. Património colectivo que este evento cultural pretende revivificar com um alargado conjunto de iniciativas, cruzando a música pastoril, os produtos locais com as paisagens, a realidade com os sonhos.

Este fim-de-semana de 18 a 20, Alpedrinha é a capital da Transumância com a realização do festival “Chocalhos”. Durante três dias a vila do concelho do Fundão recebe dezenas de grupos de música popular mas também um concerto com Tereza Salgueiro e Lusitânia Ensemble no Largo do Chafariz no dia 19, às 22 e 30. “Matriz é o nome que escolhi para apresentar este projecto em que pretendo partilhar convosco uma experiência musical que nos levará através do tempo e do espaço, tendo como fio condutor as palavras, os sons, as melodias e ritmos de vários autores, épocas e regiões de Portugal. Centrou-se a procura naquilo que se mantém e se desenvolve, no próprio respirar dos tempos – a chave e evocação de um universo de costumes, de histórias contadas, de formas de pensar e sentir, de desejos e sonhos, esboços de um carácter português”, explica Tereza Salgueiro. Este ano, inserido no “Chocalhos” realiza-se a terceira edição do Étnico – Festival Internacional de Música Tradicional. Este festival caracteriza-se pela apresentação, valorização e preservação da música tradicional do Mundo e suas raízes e contribuir, de certa forma, para o encontro dessas mesmas culturas.

Assim sendo, este festival traz ao Fundão os seguintes grupos: Dia 18 – Ovelhas Negras (Portugal - Animação de Rua); Gnawa Al-Baraka (Marrocos - Largo da Fontainha); Daskarieh (Portugal - Largo do Chafariz). Dia 19, Ovelhas Negras (Portugal - Animação de Rua); Danae (Cuba/Cabo Verde - Largo do Chafariz); e OliveTreeDance (Portugal - Largo da Fontainha). O festival Chocalhos abre no dia 18, às 19 horas com o desfile pelas ruas de Alpedrinha dos Zabumbas de Alpedrinha; Pifaradas de Álvaro; Grupo de Gaitas de Foles “Transumância”; Grupo de Gaitas de Foles “Os Carriços”; Grupo “Tok’avacalhar”; Grupo de Bombos do Alcaide; Acordeonistas; Grupo “Foles da Beira” e os “Ovelha Negra”. Durante os três dias a partir das das 21 horas e até às 24 as ruas daquela vila estão animadas por vários grupos de música popular, fados, acordeonistas, ranchos folcóricos e concertos, sem esquecer as tradicionais tasquinhas com petiscos regionais que todos os anos levam a Alpedrinha milhares de pessoas naquele que é o maior festival popular do concelho do Fundão.

(Jornal do Fundão)

Penamacor - Espectáculo Musical

No próximo dia 19, pelas 21H00, vai ser levado a efeito o espectáculo "In Terra Nostra", uma criação da Academia de Música e dança do Fundão, no âmbito das comemorações dos 800 anos do concelho, interpretado pela Companhia de Dança e Orquestra Sinfónica da AMDF, na Praça Nova do ex-Quartel em Penamacor.

15 de Setembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa - Autárquicas

O Partido Socialista apresenta a Lista do candidato à Presidência da Junta de Freguesia do Vale da Senhora da Póvoa.

António Joaquim dos Reis Bogas é o candidato à Presidência da Junta de Freguesia, pelo PS, contando com os seguintes elementos para o efeito:

Presidente - António Joaquim dos Reis Bogas

Secretário - Sebastião Reis

Tesoureiro - Joaquim Manuel Carrilho Capelo

Assembleia de Freguesia - Joaquim Félix, Fátima Reis, Maria Cheicho Martins, António Manuel Mendes Lopes, Joaquim António de Campos, Maria José Carrilho Mugeiro, Manuel Silva, João Mendes Pires, Ana Raquel Campos, Manuel Joaquim Pires, Andreia Leitão, Francisco Silva Jorge, Maria José Robalo Nascimento, Jorge  Campos Mugeiro, João da Piedade, António Canilho, José Mendes, Emília Bento, António Almeida e  Maria Filomena Marques.

Brevemente será publicado o programa eleitoral e informações que acharmos por bem noticiar.

(António Reis)

As candidaturas  às próximas eleições autárquicas pelo Partido Socialista foram apresentadas oficialmente no passado dia 12.

O evento decorreu na parada do ex-quartel de Penamacor, a qual encheu por completo.
Foram ultrapassadas as expectativas da própria organização, a tal ponto, de se tornar necessário a colocação de mais mesas e mesmo assim houve pessoas que ficaram de pé.
Isto demonstra bem e inequivocamente, que estamos com equipa certa para  a Câmara Municipal de Penamacor, sendo certo que o Presidente Domingos Torrão, irá continuar a sê-lo nos próximos 4 anos.

Quanto à presença do  Vale da Senhora da Póvoa, é evidente, não podia ter sido melhor.
A gente da nossa terra demonstrou neste dia, com todo o seu carinho e afecto, saber muito bem quem quer ter nós próximos 4 anos na Junta de Freguesia. As presenças ultrapassaram a centena.
Sabemos que muitos outros desejaram estar presentes, mas que pelos mais diversos motivos não o puderam estar, mas também com todo o seu carinho e afecto, nos transmitiram o seu apoio e que por isso estiveram connosco em pensamento.
Muito sinceramente e com toda a nossa humildade a todos o nosso Bem-haja, pela força que nesse dia nos deram e pela demonstração forte de que nos vão continuar a dar. Todos juntos, vamos fazer com que a nossa terra seja cada vez melhor.
Um forte abraço de carinho a todos.

(António Reis)
 

13 de Setembro de 2009

Penamacor - Torrão acusa oposição de desespero

11 de Setembro de 2009 às 17:36h

O presidente da Câmara Municipal de Penamacor e candidato pelo PS a um novo mandato pronunciou-se pela primeira vez sobre a polémica da colocação do cartaz da Coligação Todos por Penamacor junto ao edifício da câmara.

Aos jornalistas Domingos Torrão afirmou que este caso demonstra “um desespero total da oposição” e acusa esta de ter avidez na colocação dos cartazes em primeiro lugar “porque ninguém conhece o candidato, mas ele já vai para a terceira candidatura”. E tal como a concelhia socialista, Torrão não pretende dar mais atenção ao caso.

“Gastar tempo com estas coisas não contem comigo, já dei para esse peditório”.

Por: José Furtado
 

Penamacor - Oposição avança com queixa-crime

11 de Setembro de 2009 às 17:37h

A Coligação Todos por Penamacor vai apresentar uma queixa-crime contra a Câmara Municipal de Penamacor devido à retirada do cartaz da candidatura de Vítor Gabriel junto ao edifício camarário. A confirmação foi deixada pelo próprio ao Reconquista.

A Comissão Nacional de Eleições deu razão às queixas da candidatura que junta o PSD, CDS-PP e Partido da Terra, mas demarcou-se de uma tomada de posição sobre a colocação das estruturas, afirmando que o conflito devia ser deprimido “pela via judicial”.

O PS alegou que já tinha colocado as estruturas que suportam o cartaz no local, mas Vítor Gabriel considera que o argumento utilizado pela concelhia socialista “não faz qualquer sentido” porque “são vestígios de uma estrutura metálica de há quatro anos”. Por isso o caso está entregue a um advogado e a queixa-crime vai avançar, alegando que “este comportamento prepotente, autoritário e anti-democrático não pode ficar impune”.

Por: José Furtado
 

Vale da Senhora da Póvoa - Autárquicas

Apresentação do Programa Eleitoral da Lista candidata à Junta de Freguesia de Vale da Senhora da Póvoa, pela Coligação "Todos por Penamacor ":

Eis o que nos propomos fazer para melhorar a nossa terra e a qualidade de vida da nossa gente:

01 - Intervir junto das entidades competentes para a criação de mecanismos de apoio à população mais idosa e colaborar com a instituição já existente;

*   02 - Criar serviços de apoio à população: atender receitas médicas, pagamentos de reformas, colaborar no preenchimento das declarações do IRS, instalação de multibanco, entre outras;

*   03 - Realizar melhoramentos nas instalações do Posto Médico;

*   04 - Criar uma zona de lazer na Lameira da Fonte (antiga lixeira), aproveitando a água do canal para fazer uma piscina natural, plantação de árvores e jardinagem do espaço;

*   05 - Melhorar as condições do largo das festas;

*   06 - Iluminar a Avenida da Igreja, ex-líbris da freguesia, respeitando as suas características;

*   07 - Realizar e melhorar arruamentos;

*   08 - Edificar um forno comunitário, aproveitando recursos;

*   09 - Abertura de sanitários públicos;

*   10 - Reaproveitar as salas do edifício escolar para dinamizar uma sala de convívio e de entretenimento, de apoio ao estudo e formação e constituição de um Museu Agrícola;

*   11 - Promover a recuperação e dinamização de tradições locais;

*   12 - Incentivar a população activa, nomeadamente jovens, para o empreendorismo, tirando partido da água do regadio para exploração da agricultura e criação de gado;

*   13 - Promover os produtos locais e artesanato com a participação nos festejos da Romaria de Nossa Senhora da Póvoa, através de standards.

*   14 - Conservar os caminhos rurais e florestais;

*   15 - Colaborar com as associações existentes de modo a elevar cada vez mais a freguesia; (…)

Com intervenção e colaboração poderemos melhorar  a Terra que todos temos no coração!

Viva o Vale da Senhora da Póvoa!

Bem Hajam

 

11 de Setembro de 2009

Penamacor - Autárquicas

Domingos Torrão (PS) procura terceiro mandato contra coligação de direita

Três candidaturas disputam o poder em Penamacor, onde Domingos Torrão chegou à presidência da Câmara em 2001, liderando uma lista de independentes que venceu com maioria e derrotou o PS.

Quatro anos depois, Domingos Torrão mudou de rumo e encabeçou a lista socialista. Até somou mais votos (56,45 por cento), vencendo a coligação "Todos por Penamacor" em que se juntaram PSD, CDS-PP e MPT. Este ano o autarca volta a avançar pelo PS e tenta conquistar o terceiro mandato consecutivo.

PSD/CDS-PP/MPT repetem a coligação, liderada pelo independente Vítor Gabriel, professor do ensino superior e actual vereador da oposição na autarquia.

Em 2005, a lista do PS e da coligação receberam mais de 90 por cento dos votos, tendo sido apresentada uma terceira lista, da CDU, que recebeu 3,4 por cento dos votos.

A CDU candidata-se este ano à autarquia com uma lista liderada por Ana Pires, dirigente do Sindicato de Professores da Região Centro.

Presidente actual: Domingos Torrão (PS)

Candidatos: Domingos Torrão (PS); Vítor Gabriel (PSD/CDS-PP/MPT) - "O principal problema é a diminuição de população. É necessária uma estratégia de desenvolvimento que passe pela requalificação do centro histórico" e Ana Pires (CDU).

População: 5632; Densidade populacional: 10,25; Nº Freguesias: 12; Nº Eleitores: 6369; Nº Licenciados: 253;

Indicativo económico: 0,029307

(Lusa - Diário de Notícias)

Sortelha - Cavaco Silva solidário com os habitantes das freguesias afectadas pelos incêndios


O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva visitou hoje, o concelho do Sabugal, e demonstrou solidariedade para com as populações vítimas do maior incêndio do ano, do país, que decorreu entre o dia 31 de Agosto ao dia 2 de Setembro.

Tive ocasião de observar o grau de destruição que atingiu o concelho do Sabugal, neste trajecto que fiz desde a A23 até Sortelha” disse o Presidente da República (PR), aos jornalistas junto às muralhas desta aldeia. Os “números são impressionantes”, referiu o chefe de estado face à totalidade de área ardida e aos prejuízos contabilizados pela Câmara Municipal do Sabugal (CMS).

A área ardida é de cerca de 12.000 hectares (olivais, floresta, pastagens, lameiros, vinhas), e não nos podemos esquecer que o Sabugal é um concelho do interior, e que as gentes daqui vivem da agricultura, e portanto os prejuízos foram enormes” salientou Cavaco Silva.

O PR dirigiu também uma “palavra de apreço” aos bombeiros e às populações que estiveram no combate a este “fogo terrível”, e elogiou a “resposta célere da CMS, das autoridades regionais (Acrisabugal, Cooperativa Agrícola e Associações Florestais) na tentativa de apoiar as populações e levá-las a pensar no futuro”. “ (...) Não nos podemos esquecer do mundo rural, não nos podemos esquecer do interior, por isso é preciso que as populações não abandonem estas terras, porque a agricultura é uma parte fundamental da subsistência, e quando ardem 12.000 hectares num concelho como este, temos que compreender o desânimo que pode apoderar-se das populações” acrescentou Cavaco Silva.

Como tal, o PR reiterou o seu apoio às populações afectadas, e disse que “a resposta que tem que ser dada é uma resposta solidária, e esta é a razão porque estou aqui (…). Quero que as gentes do Sabugal não se sintam esquecidas, nem que estão abandonadas, que podem ser apoiadas e que podem olhar para o futuro, têm que arregaçar as mangas e que terão apoios para continuar na sua terra” disse o chefe de estado.

Depois ter conhecimento dos números do prejuízo emitidos no comunicada realizado pela CMS, Cavaco Silva referiu que ficou “impressionado” e por isso é que decidiu “fazer hoje esta deslocação”.

O PR falou também com algumas das pessoas afectadas pelos fogos, e ouviu os representantes da Acrisabugal, da Cooperativa, das Associações florestais e presidentes de junta das freguesias fustigadas pelas chamas, que lhe relataram os números dos prejuízos e as acções que estão a desenvolver, nomeadamente, no apoio aos criadores e agricultores, vítimas deste incêndio de grandes proporções.

Cavaco Silva fez-se acompanhar pelo secretário de Estado da Protecção Civil, José Medeiros e pelo secretário de Estado da Agricultura, Luís Vieira, este último, disse que o “Governo tem uma posição solidária para com os produtores e agricultores que perderam os seus bens neste incêndio”. E acrescentou que, logo a seguir ao incêndio foi feito um levantamento dos prejuízos e realizado um despacho enviado à CMS, com as respectivas medidas, medidas essas de duas ordens. A primeira é a “reposição do potencial produtivo, equipamentos agrícolas, palheiros, olivais e colmeias. Tudo isto terá um apoio de 50 por cento a fundo perdido (por cada 100 euros, 50 porcento é apoiado)”. Em relação às florestas o secretário de Estado da Agricultura referiu que o Governo erigiu duas medidas, a primeira tem que ver com a “ preparação do terreno pós incêndio, e aqui os apoios são a 100 por cento a fundo perdido” e, a segunda com a “replantação da floresta (60 por cento a fundo perdido para as entidades colectivas e 50 por cento para entidades particulares)”. Em relação à segunda ordem, esta tem que ver com os apoios para a alimentação animal, devido ao facto de que, com o incêndio muitas ficaram destruídas, e que por sua vez colocam os agricultores em dificuldades acrescidas para a alimentação dos seus animais (5500 ovinos e caprinos e 500 bovinos, números apurados depois do incêndio). Como tal, e segundo Luís Viera, o “apoio que o Governo disponibilizou foi de 50 euros por cada cabeça de ovinos/caprinos e 100 euros por cada cabeça de bovinos”.

Face à questão colocado pelos jornalistas em relação à sua deslocação até ao concelho do Sabugal em período de pré-campanha eleitoral, o Presidente da República respondeu que foi uma “visita informal” e solidária.

(Jornal "Cinco Quinas")

Veja aqui o Vídeo RTP

Sabugal - Câmara do Sabugal distribui 62 toneladas de palha para alimentar animais

A Câmara Municipal do Sabugal já distribuiu mais de 62 mil quilos de palha para alimentação de animais nas zonas mais afectadas pelos incêndios da semana passada, disse hoje à agência Lusa fonte da autarquia.

Segundo o vereador Ernesto Costa, “entre terça-feira e hoje, foram distribuídos 62.850 quilogramas de palha, beneficiando 51 agricultores” que possuem cabras, ovelhas, vacas, burros e cavalos.

“Aqueles agricultores que estavam mais afectados, que não tinham pastagens nenhumas para os animais, já receberam a ajuda da Câmara”, garantiu o autarca.

Salientou que nova distribuição de palha está agendada, “em princípio, para sábado”, contemplando os restantes agricultores do concelho que também tiveram prejuízos com os fogos e têm dificuldades em reunir alimento para os animais, num número que não soube precisar.

Ernesto Costa referiu que a palha foi adquirida em Espanha, com a colaboração da AcriSabugal - Associação de Criadores de Ruminantes do Concelho do Sabugal, no âmbito de uma linha de apoio “de cerca de dez mil euros, disponibilizada pela Câmara Municipal para fazer face aos prejuízos, porque houve agricultores que ficaram sem pastagens”.

Contou que o alimento foi distribuído “para dez dias” com base em cálculos efectuados pelo consumo diário “de cada animal”.

A afectação de nova verba para aquisição de alimentação dos animais fica dependente “das condições meteorológicas” e da regeneração natural dos pastos, referiu.

Foram ajudados agricultores das freguesias de Sortelha, Casteleiro, Santo Estêvão, Águas Belas, Aldeia de Santo António, Quintas de S. Bartolomeu e Baraçal, entre outras.

Segundo a autarquia, os incêndios ocorridos no concelho, nos dias 30 e 31 de Agosto e 01 e 02 de Setembro, destruíram uma área de cerca de 12 mil hectares e causaram prejuízos avaliados “entre sete a dez milhões de euros”.

Um levantamento efectuado pelos serviços municipais com a colaboração das Juntas de Freguesia refere que arderam 600 hectares de olival, 200 de vinha, dois mil hectares de lameiro e de pastagens, dois mil hectares de floresta (carvalhos, castanheiros, freixos e pinheiros), 500 colmeias e sete mil hectares de terrenos incultos.

(Rádio Gaia FM)

Guarda“De cavalo para burro”

Cátia Cruz

Não posso deixar de expressar o meu profundo descontentamento ao verificar que existem autarcas na Beira Interior, que envergonham a espécie humana ao demonstrarem tamanho desrespeito pelos animais.

Deixo a notícia que saiu no Jornal Terras da Beira, edição de 10-09-2009.

 “O presidente da Câmara da Guarda, Joaquim Valente, afirmou esta semana que o canil municipal não foi criado para ser centro de adopção. As recentes orientações dadas para o funcionamento daquele espaço estão a ser alvo de polémica. No "hi5" de Joaquim Valente podem ler-se vários textos de pessoas a mostrarem a sua indignação sobre a situação do canil e a questionarem o horário de visitas. Há mesmo quem pergunte se a responsável pelo canil municipal vai ou não ser despedida e os motivos que levaram ao encerramento do hi5 do Canil da Guarda, considerado «o meio de comunicação que mais contribuía para o canil municipal da Guarda ser o mais famoso e bem sucedido canil do país».

O assunto foi discutido na passada Terça-feira, na reunião quinzenal do município. A vereadora social-democrata Ana Manso quis saber o que se passava, tendo Joaquim Valente justificado que «aquele espaço foi criado para ser canil municipal e não centro de adopção» e que chegou agora a altura de serem implementadas determinadas regras. «Não se pode confundir a componente de saúde pública com a de adopção», sustentou, salientando que «o canil visa garantir a saúde pública e implementar o princípio da adopção». Joaquim Valente informou ainda que já reuniu com associações de defesa de animais para serem criadas condições no exterior do canil. Isto faz parte dos objectivos da autarquia. O autarca admitiu que «a forma de comunicação interna teve algumas implicações», estando a decorrer processos disciplinares a funcionários.” 

Vergonhoso…

 Cátia Cruz

Quem é Cátia Cruz?

Cátia Cruz vive na Covilhã, é Licenciada em Biologia Aplicada e Gestora da Qualidade, Ambiente e Segurança,  filha de José Luís (fiscal de obras na Câmara da Covilhã) e neta da Ti Carlota que vive na Rua Direita, mesmo junto à Celeste em Vale da Senhora da Póvoa.

09 de Setembro de 2009

Vale da Sr.ª da Póvoa Campanha de recolha de vestuário para Moçambique
 

Realizou-se do dia 24 de Abril até 31 de Agosto de 2009, no Vale da Sr.ª da Póvoa, concelho de Penamacor, uma campanha de recolha de vestuário destinada a ser enviada para Inharrime, a 400 quilómetros de Maputo, capital de Moçambique.
 

Pretendo assim, dar conhecimento a todos os leitores deste Jornal e a todos os que ajudaram com a contribuição de algum vestuário, que esta acção conseguiu arrecadar 19.000 peças de vestuário.
Esta campanha de recolha de vestuário tem como destino Moçambique e desde o primeiro minuto tivemos o apoio total da Sra. Vereadora da Câmara Municipal de Penamacor (CMP) Dr.ª. Ilídia Cruchinho, que sempre se disponibilizou para ajudar com o transporte e envio da roupa recolhida, até ao seu destino. Entretanto, decorreu uma outra campanha numa aldeia do mesmo concelho e, como tal, juntámos a roupa recolhida por nós, ao vestuário da outra campanha, que se fez na Aldeia de João Pires. Assim sendo, em breve a roupa será enviada para Moçambique.
O grupo que fez a recolha de vestuário para esta campanha, no Vale da Senhora da Póvoa, foi composto por mim, Renato Silva, e por Susana Almeida. No passado dia 3 de Setembro, a CMP veio buscar a roupa angariada, e transportou-a até um barracão, onde já se encontrava o vestuário da outra campanha, para depois seguir para Moçambique.
Foram tiradas várias fotografias do momento da retirada do vestuário para camiões do município de Penamacor. Causas sociais como esta, também merecem ser conhecidas pela população, uma vez que foram várias as pessoas que contribuíram, nomeadamente do concelho do Sabugal e, até mesmo em Lisboa.
Muitas foram as pessoas que se questionaram sobre esta campanha, quantos donativos foram reunidos, que tipo de roupa foi doada, quantos contentores irão para África, a quem se destinam e se pensamos repetir esta iniciativa. Como tal deixo aqui as respostas a estas questões.
As pessoas doaram calças, saias, camisolas, roupa interior, casacos, calçado, material escolar e alguns brinquedos. Esta campanha reuniu muitos donativos em vestuário, acima das 19.000 peças, 50 pares de calçado e algum material escolar. Em relação às doações monetárias, não recebemos nenhuma, uma vez que quando se trabalha com dinheiro é necessário haver outro tipo de preocupações e existir sempre maior controlo de certificação, por isso mesmo não quisemos entrar por esse campo.
Para África irá seguir, pelas nossas contas, um contentor de grande porte, cheio de vestuário, material escolar entre outros bens que se destinam a pessoas carenciadas. No referido contentor irão seguir os objectos recolhidos da nossa campanha, e também os recolhidos na outra campanha, que se realizou na Aldeia de João Pires. Ficou decidido entre os organizadores das duas campanhas e a CMS que seria mais exequível, que os donativos angariados, seguissem no mesmo contentor, com destino à vila de Inharrime, que fica a 90 km de Inhambane, e a 400 quilómetros de Maputo, capital de Moçambique. Este material, irá seguir para esta localidade em breve, uma vez que existem sempre várias burocracias a tratar.
Voltaremos a repetir esta iniciativa de recolha de vestuário, mas neste caso, com destino diferente, para Luanda, capital de Angola, uma vez que este tipo de campanhas é sempre bem vinda.
Neste momento, temos já em curso uma campanha de recolha de tampas de garrafas (sumos, águas, etc.) para podermos doar uma cadeira de rodas a uma deficiente. Queremos assim deixar um agradecimento muito especial há Dr.ª. Ilídia Cruchinho vereadora da Cultura da CMP, que desde do primeiro minuto se mostrou disponível para ajudar no que fosse preciso. Queremos agradecer, também, à Junta de Freguesia do Vale da Senhora da Póvoa pelo espaço cedido, embora pudéssemos fazer melhor. E, ainda, agradecer à organizadora Andreia Martins, que geriu a campanha de recolha de vestuário na Aldeia de João Pires, que sempre demonstrou total apoio e agradecer a este Jornal que assim autorizou esta publicação.
A todos, muito obrigado!
Renato Silva
(Jornal "Cinco Quinas)

07 de Setembro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa - Autárquicas

António Manuel dos Santos Padez, candidato à Presidência da Junta de Freguesia de Vale da Senhora da Póvoa, pela coligação "Todos por Penamacor"  informa toda a população que no próximo dia 11 (sexta-feira), vai ser levado a efeito o seguinte:

Apresentação das listas da coligação "Todos por Penamacor" (PSD, CDS PP, e MPT), encabeçada por Vítor Gabriel, candidato à Presidência da Câmara da vila de Penamacor.

Vai esta coligação oferecer um jantar, por volta das 20H00, em Penamacor, no Pavilhão Municipal e desde já convida toda a população do concelho a estar presente.

Mais se informa que será facultado transporte gratuito a todas as pessoas que não disponham de viatura própria.

Agradecemos a vossa presença nesta apresentação e jantar.

(António Padez)

06 de Setembro de 2009

Sabugal - Feira Franca viajou até aos tempos de EL Rei D. Dinis

Largo do Castelo do Sabugal regressou ao passado

Quadros, porcelanas, panelas de ferro, utensílios agrícolas antigos, velharias, gira-discos, grafonolas, polaróides, mobiliário, tecidos e livros foram alguns dos artigos expostos pelos feirantes na Feira Franca do Sabugal, no dia 30 de Agosto.
 

Um dia abrasador e abafado, mas que não impediu que algumas dezenas de pessoas se deslocassem até ao Castelo do Sabugal, na reedição da feira franca da vila, que é agora cidade, que D. Dinis instituiu. O largo estava composto por algumas tendas dos feirantes que ali se deslocaram, com uma panóplia de artigos para todos os gostos. Artigos esses que fazem parte do imaginário de muita gente, e que para outros foi um reencontro com as tradições e com o passado.
Apesar de não se ouvirem os apregoares dos feirantes, como se fazia antigamente, quem ali se deslocou não foi defraudado, pois o facto de se regressar aos tempos do El rei D. Dinis, já foi por si só enriquecedor.
Como estamos em tempos de crise, poucos foram aqueles que abriram os cordões à bolsa para adquirirem algum objecto/artigo com tanta história para contar.
Segundo a proprietária da Casa do Castelo (organização), Natália Bispo “ a nível de quem nos visitou, todos os expositores já estão habituados a fazer feiras, mas saíram daqui satisfeitos, porque para além de terem gostado do espaço escolhido, conseguiram vender os seus artigos, e ficaram com vontade de voltar”. Já em relação à Feira Franca em si, o proprietário do Cyber Café “O Bardo” (organização), Joaquim Tomé salientou que “correu muito bem e foi bastante positivo porque mexeu com a cidade, pois o espaço escolhido para a realização da feira (Largo do Castelo) foi por si só apelativo”. Contudo, Joaquim Tomé acrescentou que “pretendemos (Casa do Castelo e “O Bardo”) realizar a Feira Franca uma vez por mês (no último domingo de cada mês), de modo a envolver os produtores particulares e associações do concelho, pois os produtores têm aqui a oportunidade de vender os excedentes das suas actividades agrícolas, bem como os seus produtos tradicionais e artesanais”.
Em suma, o objectivo foi cumprido e a feira franca organizada pela Casa do Castelo e pelo Cyber Café “O Bardo”, que contou com o apoio da Câmara Municipal e da Associação de Desenvolvimento do Sabugal, é uma experiência a repetir…todos os meses.

 (Jornal "Cinco Quinas")  
 

04 de Setembro de 2009

Sabugal - PJ deteve suspeito de crime de incêndio florestal no Sabugal

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem pela presumível autoria de um crime de incêndio florestal praticado quinta-feira em Cerdeira do Côa, Sabugal, foi hoje divulgado.

O detido, um servente, solteiro, de 47 anos, vai ser levado a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coacção tidas por adequadas.

O incêndio em causa consumiu uma área relativamente pequena de mato, dada a pronta intervenção de populares e dos bombeiros do Sabugal, mas colocou em perigo vários hectares de pinheiro bravo.

Neste caso, a PJ, através do Departamento de Investigação Criminal da Guarda, teve a colaboração da GNR.

Diário Digital / Lusa

Governo decide apoio de excepção para agricultores devido a incêndios

Face aos incêndios que se fizeram sentir no concelho do Sabugal, entre 30 de Agosto e 2 de Setembro de 2009, o Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas decidiu, com base num primeiro inventário realizado por técnicos no dia seguinte à extinção do fogo, criar um conjunto de medidas de apoio aos agricultores lesados.

Assim, por despacho que ainda hoje será assinado pelo Ministro Jaime Silva, haverá um apoio extraordinário para os agricultores afectados, destinado à alimentação animal, que será de 50 euros por cabeça de ovino e caprino e de 100 euros por cabeça de bovino.

O Governo vai conceder também ajudas à reposição do potencial produtivo (medida inscrita no PRODER – Programa de Desenvolvimento Rural), no máximo de apoio legalmente previsto, ou seja, 50% a fundo perdido. Este apoio permitirá reparar, por exemplo, situações de perda de olival, de vinhas, de animais mortos, de colmeias e também de equipamentos agrícolas, caso de motores de rega e tubagens.

Já no início da próxima semana, os técnicos da Direcção-Geral de Agricultura e Pescas do Centro (DRAP Centro) voltarão às freguesias afectadas para uma avaliação mais exaustiva dos prejuízos e para contactar os agricultores afectados, informá-los das ajudas criadas e ajudá-los na apresentação de candidaturas.

Com base na avaliação final, o Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, poderá ainda vir a estudar outros apoios, que se mostrem necessários face ao ocorrido.

O primeiro inventário realizado pelos técnicos da DRAP Centro no concelho do Sabugal, detectou prejuízos nas freguesias de Bendada, Casteleiro, Moita, Sortelha, Santo Estêvão, Aldeia de Santo António, Águas Belas, Baraçal, Quintas de S. Bartolomeu, Rapoula, Vila do Touro, Vale de Espinho, Quadrazais, Foios e Soito.

(Jornal "A Guarda")

Vidas afectadas pelas chamas

Fomos falar com algumas das vítimas do incêndio que fustigou o concelho, e a vida das pessoas que viram o fruto seu trabalho evaporar-se, com a passagem das chamas. A tristeza estava espelhada nos seus rostos.

Pessoas simples, cujo ganha-pão vem das lides agrícolas; tudo o que cultivam é para consumo próprio e dos seus animais. Ficam aqui os testemunhos de quem passou momentos de pânico e terror, e que assistiu sem nada poder fazer, à destruição de pastos, vinhas, oliveiras e à morte dos seus animais.

 

Sortelha - Ribeira da Nave

 

Germina Jesus

“Passámos momentos muito difíceis, o fogo andava muito depressa, o vento era muito e estava muito calor. Foi a minha irmã que me telefonou e me disse que o fogo já estava perto. Quando cheguei a primeira preocupação foi ir buscar as ovelhas. Os bombeiros não nos ajudaram, tivemos que ser nós. Só deu tempo para salvarmos os animais, mais nada. Depois foi tentar salvar as casas. O pasto, que é o alimento das ovelhas, foi todo com o fogo, agora não temos nada para lhes dar. Quem é que nos vai ajudar, como é que vamos dar de comer aos animais”.

 

Maria Esteves

 

“Tive que fugir com as vacas. As cabras para fugirem do fogo embrenharam-se para a serra, mas foram apanhadas por ele (fogo). Fiquei sem dois chibos, três cabras, e uma ainda se safou, mas está muito mal. Mas a minha preocupação era o meu “ninho” (casa), porque o meu marido estava para lá, para tentar que o fogo não chegasse ao feno. Arderam-me três palheiros, três carros de vaca e pasto, e agora o que é que eu vou dar aos animais? Mas o pior de tudo era se perdia o “ninho” por isso é que eu pedi a Nossa Senhora que o guardasse. Encontrei uns bombeiros que estavam noutra casa e disse-lhes para me irem ajudar, e eles disseram-se que a minha casa já estava arder e não me ajudaram, mas eu e o meu marido conseguimos salvá-la”.

 

Quinta da Vinha Redonda

 

Maria Patrocínio da Conceição Clara

 

Vimo-nos aflitos com o fogo, os bombeiros não nos acudiram, o que valeu foi o povo. Perdi cerca de 45 oliveiras, vinhas, couves, um pinhal…fiquei sem tudo. Agora não sei como é que vai ser. Ainda não fiz contas ao prejuízo. Tenho ali uma vizinha que perdeu uma casa de habitação, ardeu tudo o que estava lá dentro.

 

Mina da Bica

 

Irondina de Jesus Fernandes

 

“O meu homem ficou aqui sozinho para tentar salvar os animais e a casa, mas não conseguiu salvar as galinhas, nem os coelhos. Fiquei sem batatas, sem feno, sem azeite, feijões, que tinha para o ano inteiro, milho e aguardente que tinha guardado num anexo…ardeu tudo. Os bombeiros vieram depois de isto já estar tudo ardido. Uma filha minha ainda passou mal e desmaiou. O INEM levou-a para o hospital. Foi uma sorte o meu marido não ter morrido, sozinho com tanto fumo”.

 

Sortelha

 

Henrique Almeida

 

“Ardeu-me os tubos de rega todos, queimou-me a lenha (Henrique Almeida é vendedor de lenha), queimou-me o feno que eu tinha no Ribeiro dos Amigos e na Ribeira da Nave. Tudo o que ali havia ardeu tudo. Agora tenho que comprar os tubos para a rega, porque o feno fiquei sem ele, e a lenha também. No total arderam-me cerca de 50 tractores de lenha, é um prejuízo muito elevado para ser suportado. Também me ardeu um pinhal. Foram dois dias e três noites que andei de volta do fogo e não consegui salvar nada, e não tenho nada a agradecer aos bombeiros, porque eles não nos ajudaram.

 

Porcínia Clara (esposa)

 

“Temos uma casa onde guardamos o feno e batatas, o fogo andava ali, e foi o meu marido com um tractor que andou a lavrar para o fogo não chegar ali que a safou, porque os bombeiros não fizeram nada”

 

Relatos de pessoas que viram uma vida de trabalho destruída, e o seu sustento ser fustigado pelo maior incêndio dos últimos anos no concelho

(Jornal "Cinco Quinas")

Vale da Senhora da Póvoa - Autárquicas

A coligação "Todos por Penamacor" (PSD, CDS PP, e MPT) apresenta a Lista do candidato à Presidência da Junta de Freguesia do Vale da Senhora da Póvoa.

António Manuel dos Santos Padez é o candidato à Presidência da Junta de Freguesia, pela coligação, contando com os seguintes elementos para o efeito:

Presidente - António Manuel dos Santos Padez

Secretária - Ester Marques

Tesoureiro - Sílvio Bogas

Assembleia de Freguesia - António Pires, Carla Martins, José Tomé, António Lourenço, João Filipe,  Pedro Félix, Joaquim Robalo, Giany Jorge, Luís Robalo, Manuel Leomaro, Joaquim Nabais, João Silva (filho) e Fábio Cameira.

Brevemente será publicado o programa eleitoral e informações que acharmos por bem noticiar.

(António Padez)

03 de Setembro de 2009

Penamacor - Autárquicas

Torrão apresenta-se dia 12 em Penamacor

O Partido Socialista vai apresentar os seus candidatos aos órgãos autárquicos de Penamacor a 12 de Setembro. O eurodeputado e antigo ministro da Agricultura Capoulas Santos é uma das figuras socialistas esperadas na vila para a apresentação da candidatura de Domingos Torrão, que concorre pela terceira e última vez à presidência da autarquia penamacorense. Joaquim Morão, o presidente da Federação Distrital do PS, também deverá marcar presença.

Domingos Torrão é o cabeça de lista à câmara e Jorge Seguro à assembleia municipal. O PS concorre em todas as freguesias do concelho com listas próprias ou apoiando independentes.

CDU procura eleição de um representante em Penamacor

Ana Paula Pires repete a candidatura pela CDU à Câmara Municipal de Penamacor, concelho de onde é natural.

A CDU vai concorrer às eleições autárquicas no concelho de Penamacor com listas à câmara, assembleia municipal e à freguesia de Meimoa. A cabeça de lista à Câmara Municipal de Penamacor é Ana Paula Pires, que repete a candidatura de há quatro anos.

A educadora de infância de 49 anos é natural da vila de Penamacor e tem residência na Covilhã, onde já fez parte da assembleia municipal. Actualmente exerce em Coimbra, onde é também dirigente do Sindicato dos Professores da Região Centro. Mas mesmo à distância, assegura, “conheço a realidade do meu concelho”.

O envelhecimento da população a par da não fixação de jovens são dois dos problemas identificados por Ana Paula Pires, que lamenta a falta de perspectivas para os mais novos. A existência de uma agricultura pouco modernizada também preocupa a candidata comunista. Algumas destas políticas são responsabilidade do Governo, mas Ana Paula Pires diz que os autarcas “são a primeira linha nos concelhos” e por isso os eleitores também lhes devem pedir contas.

“Eu sou socialista e não me revejo nas políticas deste Governo, que não acho que seja socialista”.

A CDU conta com pouca expressão eleitoral no concelho, mas nos últimos anos tem registado subidas na votação. Em 2005 Ana Paula Pires alcançou os 3,4 por cento nas autárquicas e nas últimas europeias, em Junho deste ano, a CDU alcançou os 4,7 por cento.

Nas autárquicas de 2005 a CDU elegeu um representante para a Assembleia de Freguesia de Águas, onde não concorre desta vez por impossibilidade do autarca, justifica. Em vez disso avança com uma lista na freguesia de Meimoa, com Maria de Fátima Lopes.

Carlos Birra Pires será cabeça de lista à Assembleia Municipal de Penamacor e da lista à câmara fazem ainda parte Ana Cristina Serraninho, Serafim Marques, Carlos Lopes Birra Pires e Maria Prazeres Anjos Mendes.

Ana Paula Pires considera que um bom resultado será a eleição de um representante da CDU. Neste momento a candidatura está a trabalhar no programa eleitoral que será dado a conhecer à população aos fins-de-semana, já que muitos dos habitantes do concelho trabalham fora.

Oposição vence guerra do cartaz em Penamacor

Cartaz de Vítor Gabriel fica onde está

Para a Comissão Nacional de Eleições a instalação de cartazes não depende de autorização camarária e a lei não admite a reserva de espaços.

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) deu razão à Coligação Todos por Penamacor no caso da colocação de um cartaz de grandes dimensões junto à Câmara Municipal de Penamacor.

Os factos remontam a 22 de Julho quando a coligação entre o PSD, CDS-PP e Partido da Terra diz ter colocado no local a estrutura de suporte ao cartaz, que foi removida dois dias depois por funcionários camarários, de acordo com o relato

A coligação recolocou a estrutura dias depois e estas foram novamente removidas. Depois de ter sido novamente colocado - e já com o caso entregue à CNE - o cartaz acabou por ficar no local, onde ainda se mantém.

A Câmara Municipal de Penamacor alegou que o espaço tinha sido reservado pelo PS em carta datada de 10 de Julho e que a empresa responsável pela montagem do cartaz para a coligação estava a utilizar os tubos metálicos montados pelos socialistas.

Face à queixa apresentada pela candidatura liderada por Vítor Gabriel – e depois de ouvir os argumentos da autarquia - a CNE concluiu que a colocação de propaganda política é livre “não dependendo de licenciamento, autorização camarária ou prévia comunicação”, estando apenas sujeita aos locais onde é proibido “não se encontrando sujeita ao poder de decisão dos órgãos autárquicos”.

A CNE diz ainda que a remoção da propaganda política deve ser comunicada previamente à força política e com base em fundamentos.

“No caso em análise (…) não podia a Câmara Municipal ordenar a remoção das estruturas da Coligação”, diz o documento.

A CNE informa também que o regime legal da propaganda “não admite a reserva de espaços”.

Quanto à questão da utilização de estruturas já colocadas pelo PS, a CNE entende ser esta “uma situação de conflito que deverá ser dirimida pela via judicial”.

Em relação a este último ponto o presidente da Comissão Política Concelhia do PS de Penamacor garantiu ao Reconquista que o partido não apresentará queixa em tribunal, para não alimentar mais um conflito que considera desnecessário. Para Porfírio Saraiva o importante é não desviar atenções da discussão dos programas eleitorais, o que no seu entender aconteceria com o prolongamento do caso para a barra do tribunal.

O responsável concelhio pelo PS lembra ainda que a divergência é entre a coligação e os serviços camarários.

Por: José Furtado
(Jornal Reconquista)

Penamacor - A jóia da coroa volta a brilhar

Depois da recuperação da talha dourada da Igreja de Santo António, a Misericórdia de Penamacor quer parceiros para fazer obras no convento.

3 de Setembro de 2009 às 11:02h

A Igreja de Santo António em Penamacor está de regresso à época dourada. Sete anos depois da assinatura do protocolo para a sua recuperação, o monumento abriu portas depois de um restauro longo e complexo que o pároco de Penamacor, Manuel Toscano, apelida de “milagre”. A talha dourada que caracteriza o templo estava a definhar, o que obrigou a equipa de restauro a trabalhar com pinças.

A Junqueira 220 - a empresa de Lisboa responsável pelo restauro – deparou-se com um pouco de tudo: da madeira podre a térmitas, de pinturas sumidas a outras completamente perdidas. A pintura que ainda resistia também não estava melhor e isso verificou-se no inicio dos trabalhos de restauro puro e duro, que tiveram lugar entre Abril de 2005 e Julho de 2006.

“Nós tínhamos de ter um cuidado enorme para não caírem mais bocadinhos”, conta Carmen Almada em relação ao altar-mor, de onde no último sábado (29 de Agosto) o Bispo da Guarda celebrou missa num cenário agora bem diferente.

D. Manuel Felício foi um dos convidados de honra, a par do ministro dos Assuntos Parlamentares Augusto Santos Silva e do secretário de Estado da Educação, o penamacorense Valter Lemos. Foram eles que em 2002 estiveram na origem do acordo que permitiu a recuperação da igreja, o primeiro enquanto ministro da Cultura e o segundo como provedor da Misericórdia de Penamacor.

Augusto Santos Silva elogia a “grande qualidade” do restauro, que na sua opinião era “absolutamente indispensável e essencial visto que esta é uma das melhores obras de arte que o Interior tem”. Valter Lemos entra no campo dos adjectivos classificando a igreja de “ex-líbris” e o “monumento mais simbólico e representativo de Penamacor”.

O trabalho de restauro da talha dourada do altar-mor, nave central, coro e da sacristia durou cerca de 15 meses, mas entre este decorreram outros trabalhos de recuperação do telhado da igreja e de escavações arqueológicas.

A espera é para o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Penamacor um assunto que pertence ao passado. “O importante é que estamos aqui dentro de uma igreja que deve ser visitada por todos e que teve uma recuperação magnífica”, diz João Cunha.

Portas abertas ao culto e turismo

A recuperação da Igreja de Santo António é apenas o encerrar de um capítulo. Mesmo ao lado o convento dá sinais de necessidade de uma intervenção que o provedor da Misericórdia penamacorense diz ser “urgente”. A substituição de portas, janelas e o reboco são algumas das intervenções já identificadas e que tal como o restauro da igreja aguardam por parcerias, já que a Misericórdia diz não ter capacidade financeira para levar avante os trabalhos.

Outra preocupação de João Cunha é que a igreja agora recuperada não fique fechada, abrindo ao culto religioso e ao turismo. Neste último caso espera-se o apoio da câmara municipal, que não fecha a porta.

“Da minha parte e da câmara municipal há disponibilidade total para encararmos a melhor forma de em conjunto com a Santa Casa termos alguém que possa não só abrir a porta mas fazer uma explicação de todo o historial”, referiu o presidente Domingos Torrão na reabertura da igreja, que foi pequena face à curiosidade da população.

Veja aqui o vídeo

Por: José Furtado

(Jornal Reconquista)

02 de Setembro de 2009

Sabugal - Três dias de incêndio deixaram o concelho mais pobre e em cinzas

O maior incêndio dos últimos anos no concelho do Sabugal deixou marcas profundas na paisagem e na vida de todos os habitantes das freguesias afectadas pelo fogo, que começou na madrugada de domingo, dia 30, e só foi circunscrito ontem ao fim da tarde
 

Bendada, Casteleiro, Moita Jardim, Santo Estêvão, Sortelha, Aldeia de Santo António, Águas Belas, Quintas de S. Bartolomeu, Baraçal, Vila do Touro e Rapoula do Côa, são as freguesias que fazem parte da lista negra deste incêndio.

Momentos de pânico e de aflição foram vividos pelas populações destas freguesias quando se viram cercados pelas chamas indomáveis e “dantescas” que devastaram e destruíram tudo por onde passaram. Homens e mulheres lutaram até não terem mais forças, na tentativa de salvarem aquilo que podiam. Longas foram as duas noites sem “pregarem olho” a tentarem defender o que era seu. Cerca de mil bombeiros (entre eles mulheres, militares, sapadores, GIPS, GAUF) de vários pontos do país vieram em auxílio e ajudaram a travar a força das chamas mas, em muitos casos, foram impedidos de desempenhar o seu trabalho, devido à inacessibilidade de certos terrenos. O céu do concelho foi sobrevoado por vários aviões de ataque inicial, de aviões bombardeiros pesados e helicópteros bombardeiros pesados Kamov, que vieram em socorro das populações, pois só eles conseguiam chegar aos sítios de difícil acesso. A brisa trazia consigo um cheiro a queimado desnorteante. O horizonte estava carregado pela imensa nuvem de fumo e fogo e o ar estava abafado pelo calor e pelas chamas. Mais de 50 horas de luta infernal que fazem deste incêndio o maior dos últimos anos, no concelho e o maior até agora, este ano, no país.

 

Um cenário de destruição e devastação foi o que o fogo deixou para trás. A equipa de reportagem do Cinco Quinas foi fazer o rescaldo do incêndio, e a paisagem é desolante e negra, tudo aquilo que antes era verde e tinha vida sucumbiu com a passagem das chamas, sobrando só as cinzas. Ao passar nas principais freguesias afectadas (Sortelha, foi sem dúvida a mais lesada, com um total de área ardida de mais de 3.000 hectares, Moita Jardim e Santo Estêvão, Casteleiro, Vila do Touro e Baraçal) um grande manto cinza/negro cobre esta nossa região. Árvores queimadas, algumas delas centenárias, palheiros assolados, animais selvagens e domésticos (gado) queimados e pastos destruídos, tudo misturado com um forte cheiro a queimado. Em muitos sítios ainda se via restos de árvores e a terra a fumegar. Algumas aldeias ainda não possuem telefone, nem têm como comunicar, devido aos postes terem sido fustigados pelas chamas. A tristeza é a palavra para descrever o semblante dos homens e mulheres que viram o seu trabalho e sustento ser engolido pelo fogo indomável, já para não falar do prejuízo, que esse, com certeza, ascende a uns largos milhares de euros.

Falta agora calcular a área total queimada (talvez mais de 15.000 hectares) e encontrar soluções para aqueles que tudo perderam, e que agora não têm meios para recuperar. O presidente da Câmara Municipal do Sabugal, Manuel Rito Alves, em declarações à Rádio TSF referiu que depois de contabilizados os prejuízos, os quais está convicto que serão elevados, equaciona a hipótese de declarar o estatuto de calamidade pública para que os prejudicados do concelho venham a receber apoios públicos para fazer face à catástrofe.

 

Um inferno dantesco lavrou esta paisagem bucólica e única, e deixou um cenário negro, triste e desolador. Assim como aconteceu com a Fénix, um pássaro da mitologia grega e egípcia que quando morria entrava em autocombustão e passado algum tempo renascia das próprias cinzas, é o que este concelho destruído precisa de fazer…RENASCER.

(Jornal "Cinco Quinas)

Sabugal - Incêndios apagados, contam-se prejuízos

Com temperaturas mais baixas, os bombeiros fizeram, o rescaldo da maioria dos incêndios. Algumas populações que viram o lume à porta de casa estão ainda mal refeitas do susto, enquanto os autarcas fazem contas aos estragos.

o presidente da Junta de Freguesia de Sortelha, no Sabugal, adiantou que o incêndio que começou no sábado à noite em Ribeira da Nave causou "prejuízos elevados" e deixou os animais "sem alimento". "A área da freguesia ardeu toda", disse Luís Paulo, recordando que Sortelha é a segunda maior freguesia do concelho em área. "A probabilidade de causas naturais é muito baixa, já que eclodiram durante a noite", adiantou o comandante operacional distrital.

António Fonseca, que não dormia desde sábado, refere que as chamas que deflagraram em Ribeira da Nave e Quinta do Anascer consumiram uma "área muito grande" de pinhal, carvalhal e soutos e que resultaram da conjugação de vários factores. Além de acessos difíceis, vegetação muito densa e tempo quente e seco, "a detecção dos fogos foi tardia, impossibilitando maior eficácia na primeira intervenção", disse. Aqueles dois fogos mobilizaram durante dois dias perto de 500 homens, tendo ficado circunscritos ontem. A autarquia do Sabugal vai agora fazer um levantamento dos prejuízos e já pondera requerer a situação de calamidade.

(Jornal de Notícias)

AGOSTO

31 de Agosto de 2009

Sabugal - Câmara vai fazer levantamento da área ardida

O presidente da Câmara Municipal do Sabugal, Manuel Rito, disse hoje à agência Lusa que a autarquia irá fazer "um levantamento" da área destruída pelos incêndios florestais que estão a atingir o concelho.

Um incêndio de grandes proporções, que eclodiu no sábado à noite, em Ribeira da Nave, e que foi dado hoje como circunscrito pelas 12:12 de hoje, destruiu uma extensa área de pinhal e mato em redor das povoações de Sortelha, Urgueira, Aldeia de Santo António, Alagoas, Santo Estêvão, Moita, Terreiro das Bruxas e Casteleiro.

Naquele concelho também grassam incêndios em Quinta do Anascer (Casteleiro) e na zona de Vale de Espinho, ambos considerados "não circunscritos" pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda.

O autarca do Sabugal admitiu à Lusa que as chamas destruíram "uma área enorme", que ainda não foi contabilizada.

"A câmara municipal vai fazer um levantamento do que ardeu", disse Manuel Rito, admitindo a possibilidade de pedir ajuda ao Governo para minimizar os prejuízos verificados sobretudo ao nível da agricultura.

"Veremos. Ainda é cedo. Temos que analisar a situação com calma", afirmou, salientando que a autarquia também terá "que ver as situações caso a caso".
(Diário de Notícias)

 

Câmara do Sabugal admite pedir declaração de calamidade pública

O presidente da Câmara do Sabugal não afasta a hipótese de pedir ao Governo a declaração do estatuto de calamidade pública, devido à vaga de incêndios no concelho nos últimos dias.

Nos últimos dias, o concelho tem sido atingido por vários incêndios de grande dimensão.

Em declarações à TSF, o autarca Manuel Rito disse que os prejuízos ainda não foram totalmente contabilizados, mas mostrou-se convicto de que serão bastante elevados.

«Os prejuízos são essencialmente na agricultura», adiantou o autarca, acrescentando que a declaração do estatuto de calamidade pública será feita em função da avaliação dos prejuízos que «deverá estar concluída no final da semana».
 
Entretanto, por causa do calor, a Protecção civil decidiu prolongar o alerta amarelo de incêndios florestais, até ao final do dia de quarta-feira, em todos os distritos de Portugal continental.

(TSF)

Vale da Senhora da Póvoa

O incêndio que teve origem em Ribeira da Nave ontem às 00H51, junto a Sortelha, deflagrou em várias frentes. Começou por ter duas frentes até ter sido dominado. Ontem, às 14H35 o fogo foi reactivado e, desta vez, em três frentes, uma das quais chegou ao Terreiro das Bruxas.

00H10 - O incêndio já atingiu as traseiras da padaria do Terreiro das Bruxas e está a deslocar-se em direcção ao Vale da Senhora da Póvoa, segundo informações de pessoas do Vale que se encontram no local das operações dos Bombeiros. Neste momento chegaram equipas da RTP 1 e da SIC para fazerem a cobertura dos acontecimentos.

00:12  - Posto de Comando Operacional (PCO) situado no Marco Geodésico do Mosteiro Alto de Santo Estevão.

00H35 - O incêndio dirige-se para o Vale da Senhora da Póvoa, agora por dois lados. Pelo lado do Terreiro das Bruxas e pelo cume da Serra d'Opa, segundo informações de pessoas residentes no Vale.

01H26 - O incêndio desloca-se em direcção ao canal. Está na serra no local onde se pratica tiro aos pratos. Já se vêem as chamas e vão na direcção da Quinta dos Brocos. Estas são as últimas notícias enviadas por pessoas residentes no Vale.

Segundo a ANPC - Autoridade Nacional de Protecção Civil, o incêndio atingiu a zona de Vale da Senhora da Póvoa às 00H05, estando este a ser combatido por 46 bombeiros e 17 elementos da Equipa de Sapadores Florestais, apoiados por 18 viaturas e uma máquina de rasto. Encontram-se no local  o Comandante das Operações de Socorro (COS) - 2º Comandante Operacional DIstrital.

08H30 - O incêndio já se encontra mais calmo neste momento. O avião bombardeiro pesado "Canadair" regressou ao serviço e já está operacional. Há um enorme aparato de bombeiros no Vale. Bombeiros de diversas corporações do país, tais como, Castelo Branco, Estremoz, Vila Velha de Ródão, Lourinhã, etc. O incêndio atingiu a zona um pouco abaixo da divisão do distrito e chegou à "Revolta". No entanto já são visíveis nuvens de fumo, na Serra d'Opa, na encosta norte perto do Santuário da Senhora da Póvoa. Estas informações foram prestadas por pessoas residentes no Vale.

Informação detalhada da ANPC - Autoridade Nacional de Protecção Civil:

31/8  7:15 Accionados 2 Aviões Bombardeiros Pesados CANADAIR.
31/8  8:07 Accionado Helicóptero Bombardeiro Pesado Kamov.
31/8  9:06 Incêndio com 1 frente activa em zona de acessos dificieis. Combate a ser efectuado com material sapador.
31/8  9:30 2 Aviões Bombardeiros Pesados CANADAIR Espanhois a operar no local.
31/8 12:12 Incêndio circunscrito.

11H20 - O incêndio mencionado que lavra na encosta norte da Serra d'Opa, perto do Santuário da Senhora da Póvoa, está a deslocar-se para os "Três Povos", segundo informação de pessoas residentes no Vale.

Agora o Vale está sem comunicações telefónicas. Só funcionam os telemóveis.

Quinta do Anascer

Segundo a ANPC - Autoridade Nacional de Protecção Civil, está a decorrer um incêndio na Quinta do Anascer, que teve início às 09H15, estando a ser combatido por 76 bombeiros, 9 elementos da Equipa de Sapadores Florestais e mais 6 pessoas indistintas, apoiados por 28 viaturas, 1 helicóptero e 2 aviões, de ataque inicial. Encontram-se no local  o Comandante das Operações de Socorro (COS) 2º Comandante de Operações Distrital. Incêndio com duas frentes activas. Posto de Comando Operacional (PCO) situado junto à Barragem de Escarigo.

23:00 - Incêndio com duas frentes activas. Foi activado o Plano Municipal de Emergência. Estão a dirigir as operações o Comandante das Operações de Socorro (COS), e o Comandante do Corpo de Bombeiros de Belmonte. O Posto de Comando Operacional (PCO) está agora situado em Rebelhos. O incêndio está agora a ser combatido por 121 bombeiros, 13 elementos da Força Especial de Bombeiros e 19 elementos da Equipa de Sapadores Florestais, apoiados por 46 viaturas. Ainda não está circunscrito.

O vento mudou e as chamas estão agora na Serra d'Opa e dirigem-se para a zona do Vale da Senhora da Póvoa.

30 de Agosto de 2009

SORTELHA - Incêndio em mato

Hoje, às 00H51, deflagrou um incêndio em Ribeira da Nave, junto a Sortelha, no concelho do Sabugal. Neste momento, (11H00) o incêndio tem duas frentes activas e ainda não se encontra circunscrito. Está a ser combatido por 132 bombeiros dispondo de 37 veículos e 1 avião bombardeiro pesado. Estão no local o Comandante das Operações de Socorro (COS), Segundo Comandante Operacional Distrital e Posto de Comando Operacional (PCO) no Terreiro das Bruxas.

(ANPC - Autoridade Nacional de Protecção Civil)

Detalhes actualizados:

Data Hora Local Concelho Distrito Ponto Situação Tipo
30/8 0:51 RIBEIRA DA NAVE SABUGAL GUARDA Circunscrito Inc. em Mato
30/8 4:32 Incêndio com duas frentes activas.
30/8 4:52 Comandante das Operações de Socorro (COS) Comandante do Corpo de Bombeiros de Manteigas.
30/8 5:38 2º Comandante Operacional Distrital a caminho do local.
30/8 6:00 Accionados um Grupo de Reforço de Incêndios Florestais de Castelo Branco e um Grupo de Reforço de Incêndios Florestais de Évora.
30/8 6:00 Accionados dois Pelotões Militares
30/8 6:39 No local: 2º Comandante Operacional Distrital e Veículo de Planeamento, Comando e Comunicação.
30/8 7:17 Posto de Comando Operacional (PCO) Terreiro das Bruxas.
30/8 8:04 Accionado dois Aviões Bombardeiros Pesados Canadair.
30/8 10:13 Accionados dois Pelotões Militares.
30/8 11:40 Incêndio circunscrito às 11h14.
30/8 12:21 Incêndio em rescaldo às 12h06.

30/08 14:35 Reactivação do incêndio - Não circunscrito

Segundo informação dos Bombeiros Voluntários do Sabugal, este incêndio reactivou-se em três frentes. Depois do rescaldo às 12H06, o fogo tinha chegado à zona do Casteleiro. Ao reacender-se tomou a direcção do Terreiro das Bruxas e desloca-se para Santo Estêvão. Ainda não se encontra circunscrito e encontram-se 126 bombeiros a combater as chamas nas três frentes. O fogo propaga-se essencialmente entre a Moita e Sortelha.

30-08-2009 20:12
Incêndio com três frentes no Sabugal (Sortelha - Casteleiro - Moita - Santo Estêvão)
Um incêndio que tinha deflagrado no concelho do Sabugal cerca da uma da manhã, e que tinha sido dado como circunscrito pelo meio-dia, preocupa os bombeiros.
No local estão uma centena de bombeiros, com apoio de dois reforços de Castelo Branco e Évora, e militares do Exército.
Dois helicópteros Canadair ajudaram no combate às chamas, de manhã, fazendo frente a duas frentes de incêndio. Quando já se fazia o rescaldo deu-se o reacendimento de alguns focos, criando três novas frentes de fogo, que continuam a dar trabalho aos bombeiros.

(Jornal Nova Guarda)

21H59 - O Posto de Comando de Operações deslocou-se para a Serra de S. Cornélio.

22H15 - Segundo informações de pessoas no local, o incêndio já chegou perto das Bombas de Gasolina do Terreiro das Bruxas e não se encontram lá bombeiros neste momento. Alagoas já não tem electricidade devido ao incêndio.

22H41 - Segundo informações de pessoas no local, a Estrada Nacional 233 já foi cortada ao trânsito entre Sabugal e Terreiro das Bruxas. O incêndio já atravessou a estrada no local das Bombas de Gasolina do Terreiro das Bruxas. Já estão a surgir focos de incêndio a sul do Terreiro das Bruxas. O vento sopra agora para sul.

23:30  A Governadora Civil da Guarda já está a caminho do local.

27 de Agosto de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

FESTA S.TIAGO 2009
 
A Comissão de Festas de S.Tiago 2009 vem por este meio agradecer às pessoas envolvidas na limpeza da Igreja Matriz, enfeite e ornamentação dos andores.
Agradecer ao Rancho Folclórico de Vale da Srª da Póvoa o seu gracioso contributo.
Agradecer também a todos os que contribuíram com o seu donativo para que a Festa se realizasse.
Passamos de seguida a mencionar as receitas e despesas inerentes aos festejos:
 
                       Relatório de Contas      
Discriminação Receita Despesa Saldo
Donativos do peditório 6.079,00   6.079,00
Patrocínio da Junta de Freguesia 2.000,00   8.079,00
Receita do Bar 1.083,00   9.162,00
Duo Musical "Os Trovadores"   750,00 8.412,00
Duo Musical "Ana & Edgar"   750,00 7.662,00
Banda Filarmónica Lorvanense   2.000,00 5.662,00
Rancho Folclórico de Aranhas   500,00 5.162,00
Conjunto Musical "2ª Geração"   2.250,00 2.912,00
Despesas com Restaurante   500,00 2.412,00
Despesas com ornamentação da Igreja e andores   230,00 2.182,00
Despesas da Igreja - Licenças e outros   470,00 1.712,00
Saldo     1.712,00
       

 

Atendendo a que os "ANDORES" da Igreja Matriz estão a necessitar de manutenção, esta Comissão de Festas decidiu doar os lucros à Comissão Fabriqueira da Igreja a fim de mandar proceder a esses melhoramentos.
 
Mordomos para a Festa de Santiago - 2010
 
Quanto aos "novos"  mordomos de 2010 esta Comissão solicitou ao Padre César para mencionar na missa de 16 de Agosto os seguintes nomes :
Joaquim Gamas, João Leitão, João Pires, António Machado, António Nabais, António Reis, Joaquim Félix.
Provavelmente eles poderão ter convidado mais pessoas.
 
(Joaquim Luís Silva Martins - Presidente da Junta de Freguesia)
 

Penamacor - Assalto à Câmara

Tentaram arrombar cofre com rebarbadora

O Núcleo de Investigação Criminal da GNR continua a investigar a autoria do assalto registado durante o fim de semana, à Câmara de Penamacor. Desconhecidos introduziram-se no edifício através de uma janela do primeiro piso e dirigiram-se depois à Tesouraria, onde tentaram, sem êxito, abrir o cofre, utilizando uma rebarbadora. Sem conseguirem realizar o seu objectivo, acabaram por levar alguns trocos da máquina de café, causando alguns estragos nesse mesmo local. Os assaltantes terão abandonado o edifício através de uma porta lateral que serve de acesso a deficientes. Para se introduzirem no edifício, os assaltantes terão utilizado uma escada em ferro que se encontrava nas obras de construção do Centro Escolar, a alguns metros de distância da Câmara. Não se sabe ao certo em que noite se registou o assalto. Sabe-se, isso sim, que o alerta foi dado no domingo, de manhã, pelo funcionário que se deslocava à Câmara para içar a bandeira e dar corda ao relógio municipal. Apercebeu-se de que a porta lateral se encontrava entreaberta. Espreitou e rapidamente confirmou que algo de anormal se tinha passado.

(Jornal do Fundão)

Meimoa - Escavações arqueológicas em Setembro

Concluída mais uma campanha em Penamacor a equipa de arqueólogos concentra-se em Meimoa, onde no mês de Setembro começa a terceira campanha de escavações. Nesta aldeia da zona norte do concelho de Penamacor está a ser estudado um antigo lagar de azeite da época romana. Os trabalhos desenvolvidos anteriormente resultaram na abertura de duas áreas a norte e a sul, que agora deverão ser unidas.

Os materiais descobertos “atestam uma ocupação muito precoce por parte dos romanos”, diz a arqueóloga Silvina Silvério

Por: José Furtado

Penamacor - Ministro inaugura restauro do Santo António

As obras de restauro da Igreja de Santo António vão ser inauguradas este sábado, cerca das 17 horas. Considerada a jóia da coroa do património do concelho de Penamacor, a igreja distingue-se pela talha dourada que recuperou o brilho de outrora.

Para a inauguração é esperado o ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, que estará acompanhado de Valter Lemos. O secretário de Estado da Educação, natural da vila, era provedor da Santa Casa da Misericórdia quando o processo teve inicio.

A partir das 17 horas será celebrada missa, que é presidida pelo Bispo da Guarda, D. Manuel Felício. Depois Carmen Almada fará a explicação do processo de restauro. A cerimónia termina com o descerramento de uma lápide, discursos e lanche no Convento de Santo António.

(Jornal Reconquista)

Penamacor - Arqueologia

Escavações no Cimo de Vila começam de madrugada

Andar à procura de um alfinete no terreiro

Agosto é mês de arqueologia na zona histórica de Penamacor, onde há vestígios que vão dos alfinetes romanos com cabeça de dragão à grandeza da barbacã que protegeu a vila das invasões.

27 de Agosto de 2009 às 10:53h

O relógio que fica mesmo ali acaba de dar o sinal das 6 da manhã, mas junto ao Pelourinho já se trabalha com afinco. Tem sido assim nos últimos cinco verões em Penamacor, vila que amiúde revela algumas surpresas na arqueologia. Primeiro foram os esqueletos com sinais de autópsia. Agora são os muros da antiga barbacã, que os arqueólogos só conheciam da planta desenhada por Duarte D´Armas em 1509.

A pedra destes três muros não tem o aprumo que é visível na torre do relógio. São irregulares e fazem lembrar um qualquer muro numa qualquer quinta ao redor da vila. Mas esta característica é a prova que os muros terão sido construídos devido a uma emergência.

“Parece que resultam da pressa que eles tinham em construir isso”, explica a arqueóloga Silvina Silvério. No local aponta rochedos com marcas de cunhas, que poderão indiciar que na construção da barbacã foi utilizada a pedra que estava mais à mão. Foram ainda encontradas moedas castelhano-leonesas, que ajudam a enquadrar as construções na época.

A indicação é que as estruturas foram construídas no reinado de D. Fernando (1367 – 1383), mas com intervenções até ao reinado de D. João I (1385 – 1433), alvo de construções ou reconstruções. Daí a existência de três muros.

As construções poderão atingir os cinco metros de altura e são para deixar à vista, depois de serem consolidados. O segmento da barbacã que a equipa de Silvina Silvério está a estudar tem cerca de 20 metros de extensão dos cerca de 500 metros originais, que no relato da especialista começavam na torre do relógio e cobriam a parte norte da zona histórica de Penamacor, o chamado Cimo de Vila.

O trabalho desenvolvido pela equipa, financiada pela Câmara Municipal de Penamacor, não se resume ao mês que passam no pino do Verão nas escavações. Há um levantamento documental que fala sobre as estruturas e a relação do rei com o concelho. Documentação “que esclarece definitivamente que o castelo de Penamacor nunca pertenceu aos Templários, foi sempre régio”.

As escavações trazem ainda à luz do dia outros dados sobre o quotidiano de quem andou por Penamacor. “O espólio é muito bom porque apanhamos imenso material cerâmico sobretudo dos séculos XV e XVI, mas também artefactos mais antigos como bronzes romanos e porcelanas chinesas”.

A caixa dos tesouros

No Cimo da Vila os trabalhos acontecem há cinco anos e permitiram a descoberta de 38 esqueletos e inúmeros objectos de várias épocas que ainda hoje continuam a surpreender quem trabalha no local.

Da caixa onde vai guardando estes tesouros a arqueóloga Silvina Silvério retira um fecho em bronze, utilizado no fardamento militar romano. Olhando para este é possível distinguir a cabeça de um dragão. Apesar de a liga metálica ter a espessura de um fósforo, a peça está em bom estado de conservação.

“Ainda estamos numa fase preliminar dos trabalhos, mas temos muitos fechos de fardamento romano e de arreios de animais”, explica a arqueóloga. Estas descobertas sustentam a existência na zona de uma guarnição militar romana, associada à via para Braga e Mérida.

“Quem vem de passagem não deixa tantos vestígios e além disso o índice de ocupação romana aqui à volta é muito grande”, diz a arqueóloga. A presença de zonas férteis para a agricultura e o ouro das minas da Presa também contam.

Entre os objectos há ainda anéis romanos e uma moeda do ano 79 Antes de Cristo.

As peças encontradas deverão fazer parte do Museu Municipal de Penamacor, quando for concretizada a tão esperada ampliação. Mas nos últimos anos têm sido feitas exposições em Penamacor e até em Lisboa, para mostrar o trabalho feito nas escavações.

À semelhança de anos anteriores a equipa coordenada por Silvina Silvério conta também com a ajuda de jovens do concelho, alguns dos quais participam nos trabalhos desde as primeiras campanhas. E nem o facto de terem de estar no terreno por volta das seis da manhã e em época de férias é um contra. “Há sempre gente jovem que quer vir (…) eles empenham-se bastante e voltam todos os anos, o que dá uma certa satisfação”. É assim até perto das duas da tarde, hora em que o calor ganha na batalha com a história. Com ou sem barbacã.

Por: José Furtado

25 de Agosto de 2009

Sabugal - Carreira urbana no Sabugal

Já se encontra disponível uma carreira urbana no Sabugal, que efectua percursos dentro da Cidade. Esta é uma iniciativa da Viúva Monteiro e do Município local, que disponibilizam assim à população um meio de transporte que encurtará distâncias e facilitará a vida a todos quantos a utilizarem. Durante o mês de Agosto, o transporte será gratuito para todos os utentes.

A autarquia explica que “com o alargamento das zonas limítrofes da Cidade e o aparecimento de novos serviços ao cidadão, sejam eles públicos ou privados, a existência de uma carreira urbana para transporte de passageiros faz todo o sentido”. “Agora já é mais fácil chegar ao Centro de Saúde, às Escolas, aos super mercados e a muitos outros locais na Cidade do Sabugal”, adianta.

Caso a iniciativa obtenha sucesso, a empresa Viúva Monteiro pretende criar um passe urbano, que se intitulará “Passe Viuvinha” e que conferirá celeridade ao processo.

(Jornal "Nova Guarda")

Belmonte - Villa Romana da Quinta da Fórnea apresentada este mês

A Câmara Municipal de Belmonte vai dar a conhecer a Villa Romana da Quinta da Fórnea na tarde do próximo dia 29. Um importante núcleo arqueológico e mais uma oferta turística, que se vem juntar aos diferentes núcleos museológicos, de diferentes cronologias, que se encontram espalhados pelo Concelho.

Em 1997, aquando a construção da actual A23 foi registada a existência de vestígios cerâmicos romanos no local da Quinta da Fórnea, tornando-se necessária a realização de trabalhos arqueológicos. “Daí resultou o reconhecimento de um importante sítio arqueológico e a alteração do traçado rodoviário inicialmente previsto, salvaguardando-se assim este elemento patrimonial”, refere a autarquia.

Passados dez anos, o Município de Belmonte promove a execução de um projecto visando a continuidade dos trabalhos arqueológicos, bem como o restauro e valorização das estruturas identificadas na década anterior. É neste âmbito que é posto a descoberto a quase totalidade das estruturas ainda preservadas no subsolo, surgindo hoje a Quinta da Fórnea como uma das poucas explorações rurais romanas escavadas, praticamente em toda a extensão, em Portugal.

Grande exploração com muita história

Esta grande exploração rural (villa) localiza-se na parte oriental da Serra da Boa Esperança, numa zona de encosta suave voltada ao vale, junto de férteis solos para as práticas agrícolas, sendo constituída pelos alojamentos do proprietário ou do feitor (pars urbana), pelos alojamentos dos trabalhadores (pars rustica) e pelo conjunto de edifícios necessários à exploração como os celeiros, os lagares e adegas, os estábulos, as oficinas, os fornos de cozer pão, as pequenas unidades industriais e as lojas necessárias ao armazenamento de produtos e alfaias agrícolas (pars fructuaria ou frumentaria).

No caso particular da Fórnea, edificada a partir do século II d.C, destaca-se ainda a presença de umas latrinas e de balneários com prováveis alojamentos daqueles que deles cuidavam.

Embora não se trate de uma villa opulenta, com a total ausência de mosaicos, pisos ladrilhados ou colunas de mármore, manteve-se até ao século IV, data provável para o seu abandono, como um exemplo de uma arquitectura civil extremamente funcional, sobressaindo também aqui todo o engenho romano.

(Jornal "Nova Guarda")

 

22 de Agosto de 2009

Morreu Morais e Castro

O actor faleceu hoje aos 69 anos vítima de cancro, no Instituto Português de Oncologia, em Lisboa, onde se encontrava internado há um mês. O corpo estará em câmara ardente no Palácio das Galveias a partir das 20h00.

O actor e encenador Morais e Castro faleceu hoje à tarde vítima de cancro, no Instituto Português de Oncologia, em Lisboa, onde se encontrava internado há um mês, depois de um longo internamento na Casa do Artista, de que era dirigente.

José Morais e Castro, nascido em Lisboa a 30 de Setembro de 1939, era advogado, foi dirigente do Partido Comunista Português (PCP) e era casado com a também actriz Linda Silva.

O corpo do actor e advogado Morais e Castro estará a partir das 20h00 no Palácio Galveias, no Campo Pequeno, em Lisboa.

O funeral sairá do Palácio Galveias às 15h30 de amanhã para o cemitério do Alto de S. João, informou a actriz Manuela Maria, da Casa do Artista.

(Jornal "Expresso"

21 de Agosto de 2009

VALE DA SENHORA DA PÓVOA
FESTA DE S. TIAGO 2009

Santiago é o padroeiro desta aldeia. A festa em sua honra teve lugar nos dias 15 e 16 de Agosto.

Esta festa foi realizada pela primeira vez em Setembro de 1951. Para o efeito eram nomeados mordomos que tinham por função fazer peditórios e organizar os festejos.

Pela primeira vez, este ano, não houve mordomos e a 58ª Festa de Santiago foi organizada pela Junta de Freguesia,  recorrendo a donativos da população para que a tradição não se perdesse.


DIA 15 DE AGOSTO
09H00 - Abertura do Bar
18H00 - Os festejos abriram oficialmente  com a actuação do Grupo Coral do Rancho de Vale da Senhora da Póvoa. Havia pouca gente no Recinto das Festas. O dia estava muito quente e as pessoas refrescavam-se com cerveja no Bar. Outras ficaram por casa e outras foram para as piscinas existentes em localidades próximas, especialmente Belmonte. Mas, precisamente às 18H00 desatou a chover com alguma intensidade e as poucas pessoas presentes abrigaram-se no telheiro do Bar e daí assistiram ao espectáculo que, devido à chuva, não esteve nas melhores condições de acústica. Taparam as colunas de som com cobertores e o som ficou reduzido.

21H00 - ACTUAÇÃO DOS TROVADORES

À noite o tempo estava bom o que levou as pessoas ao Recinto das Festas. Desta vez havia bastante gente no local. Muita gente dançou ao som dos "Trovadores" que tiveram uma actuação de boa qualidade. E como já é habitual, o Bar não tinha mãos a medir no fornecimento de bebidas, especialmente cerveja.

Este ano não vi lá muitos emigrantes. Estiveram no Vale alguns tais como: Tó Rito (França), João Mugeiro (Suiça), João Gamas (Austrália) e outros cujos nomes não sei.
Seguem-se algumas imagens:

     

DIA 16 DE AGOSTO
 

A FILARMÓNICA BOA-VONTADE LORVANENSE chegou ao Vale, mas nada posso dizer sobre o assunto porque não me dei conta da sua chegada. Não ouvi música e, com muita pena minha, não me posso pronunciar sobre este assunto.
09H00 - ARRUADA - Banda terá desfilado por algumas ruas da aldeia, mas não presenciei.
10H00 - MISSA CANTADA PELA BANDA E GRUPO CORAL LITÚRGICO
11H00 - ACOMPANHAMENTO DA PROCISSÃO
 

17H00 - CONCERTO ESPECIAL DEDICADO - A Banda Filarmónica deliciou-nos com uma actuação muito boa. Posso dizer que nunca passou pelo Vale uma banda com este nível. Apesar de não haver muita gente a assistir, os presentes ouviram com atenção o óptimo som desta. O Bar ficou silencioso e houve sempre aplausos por parte do público no fim de cada peça. Este espectáculo terminou por volta das 18H30. A partir daqui, não assisti a mais nada. Não voltei ao Recinto das Festas por me encontrar muito cansado.

Veja os vídeos seguintes:

Festa de Santiago 2009 - Filarmonica Lorvanense 1

Festa de Santiago 2009 - Filarmonica Lorvanense 2

Festa de Santiago 2009 - Filarmonica Lorvanense 3

Festa de Santiago 2009 - Filarmonica Lorvanense 4

RANCHO FOLCLÓRICO DAS ARANHAS
ACTUAÇÃO DE ANA & EDGAR
GRUPO MUSICAL 2ª GERAÇÃO

(Américo Valente)

19 de Agosto de 2009

Motos juntam 500 na aldeia de Benquerença

O encontro promovido no concelho de Penamacor, no passado fim de semana, recebeu mais de 80 moto clubes de todo o país. O ambiente familiar é uma das mais-valias para os participantes.

A família motard voltou a encontrar-se nas margens da praia fluvial da aldeia de Benquerença, em Penamacor.  Ao quinto ano, o encontro motard organizado pelo Grupo Motard “Os Cágados” esgota o limite de inscrições e chama gente de todo o país.

Só os Tigres da Estrada, do Carregado, reuniram 52 motards, entre os quais Francisco Figueiredo, que voltou à Benquerença depois de uma primeira presença no encontro em 2007. Antes disso nem conhecia sequer a região, confessa em conversa com o Reconquista na esplanada da praia fluvial de Meimoa. Ao seu lado está Augusto Neves, do Moto Clube Tubarões do Cartaxo, que não se cansou de elogiar a organização e em especial o que esta colocou na mesa.

“Já vou há uns anos a Góis mas este ano optei por vir para aqui, porque lá já é tudo conhecido”, diz na comparação com o encontro que decorreu no mesmo fim-de-semana.

Cláudia Moreira também é uma estreante, representando os Ulfilanis de Fiães, Santa Maria da Feira. “Vim aconselhada por amigos que vêm cá anualmente”, diz a motard que destaca a boa comida e o convívio com as pessoas. “E é uma boa alternativa a Góis”, acrescenta um dos motards que assiste à conversa.

Entre portugueses e espanhóis há também quem se expresse em inglês, como Mike, um motard inglês de 64 anos que anda em duas rodas há 49 anos. “É uma vida”, diz o motard que viajou de propósito do Algarve. Para este adepto das duas rodas o carro “é um mal necessário para ir de um ponto ao outro quando está a chover” e nem as longas viagens o fazem trocar as duas pelas quatro rodas.

De acordo com a organização estiveram presentes mais de 80 moto clubes de todo o país num total de 500 participantes, quase tantos quanto os habitantes da aldeia. “Tínhamos um limite de 500 inscrições e atingimos esse limite”, diz Miguel Gil, do Grupo Motard “Os Cágados”.

A organização optou por ficar pelas 500 inscrições, mesmo havendo o interesse de mais pessoas, de modo a manter a qualidade do encontro.

Por: José Furtado

Sabugal - Feira Franca no Largo do Castelo do Sabugal
 A primeira edição acontece no dia 30 de Agosto, no Largo do Castelo

Vai decorrer no dia 30 de Agosto, domingo, no Largo do Castelo a primeira edição da Feira Franca no Sabugal. O visitante pode encontrar produtos de produção artesanal tais como enchidos, queijos e produtos agrícolas de produção local, sendo que nesta região Transcudana, se produzem as melhores carnes da Ibéria, bastando lembrar o cabrito e o queijo de cabra da Serra de Malcata o rio Côa com as suas águas puras permite a criação da afamada truta do Côa. Pode-se também encontrar na Feira Franca do Sabugal velharias e antiguidades oriundas de diversas colecções privadas e artefactos antigos do trabalho dos campos oriundos de particulares que os comerciam livremente.

Águas - Candidato agredido a murro sofreu fractura de maxilar

Caso de alegada agressão entre candidatos à Assembleia de Freguesia de Águas. Um dos protagonistas sofreu fractura do maxilar, teve de submeter-se a intervenção cirúrgica e ficou internado cinco dias nos HUC

DOIS candidatos às próximas eleições autárquicas no concelho de Penamacor envolveram-se a semana passada numa agressão de que terão resultado ferimentos graves num deles. Vítor Pombo, que concorre pela coligação “Todos por Penamacor” à Assembleia de Freguesia de Águas, acusa o presidente da Junta de Freguesia de Águas, Francisco Barreto, que volta a ser candidato (independente) ao cargo de o ter agredido a murro, provocando-lhe uma dupla fractura do maxilar inferior, que o obrigou a sujeitar-se a uma intervenção cirúrgica e a permanecer internado durante cinco dias nos Hospitais da Universidade de Coimbra. Vítor Pombo teve alta hospitalar na última terça-feira, encontrando-se agora na sua residência a recuperar dos ferimentos.

O episódio já marcou de forma extremamente negativa a pré -campanha para as autárquicas no concelho de Penamacor e registou-se no dia 13 de Agosto, pouco depois das 20 horas, num posto de abastecimento de combustíveis, situado junto à estrada nacional 233, que liga Penamacor a Castelo Branco, e de que é proprietário Francisco Barreto.

(Jornal do Fundão)

Autarca agride munícipe em Águas

O presidente da Junta de Freguesia de Águas, Penamacor, Francisco Barreto, está a ser acusado de agressão a um munícipe, mas argumenta que foi em "legítima defesa", num caso que está a marcar localmente a pré-campanha para as autárquicas.

Vítor Pombo, que integra a lista da coligação PSD/CDS-PP/MPT - "Todos por Penamacor" - à Assembleia de Freguesia de Águas, diz ter sido abordado no dia 13 de Agosto por Francisco Barreto, que lhe terá pedido o dinheiro pela compra de uma sepultura.

Pombo conta que questionou Francisco Barreto sobre "o porquê de tanta pressa" e que "a resposta dele foi um murro".

Vítor Pombo foi transportado para o Centro de Saúde de Penamacor, de onde seguiu para o Hospital de Castelo Branco e, posteriormente, para os Hospitais da Universidade de Coimbra, onde foi operado ao maxilar inferior.

Esta quarta-feira apresentou queixa na GNR de Penamacor.

Francisco Barreto, que é candidato independente pelo PS à Assembleia de Freguesia, assume que agrediu Vítor Pombo, mas diz que o fez em "legítima defesa", acusando o membro da lista da coligação "Todos por Penamacor" de se ter dirigido à sua propriedade, o que contraria a versão do agredido.

O autarca assegura ainda ter sido ele a informar a GNR da ocorrência, sendo o primeiro a apresentar queixa junto daquela força de segurança e chamado a ambulância para transportar Vítor Pombo.

Francisco Barreto considera, ainda, que o caso não é mais que uma tentativa "de denegrir" a sua "imagem política e profissional", tendo em conta a proximidade das eleições de 11 de Outubro.

(Jornal Reconquista)

15 de Agosto de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Maria do Carmo Mugeiro - Pinturas em faianças e azulejos

Maria do Carmo Mugeiro nasceu em Vale da Senhora da Póvoa em 1942, que nesta época se chamava Vale de Lobo. reside em Loures e "faço parte presentemente da nossa terra". São suas as palavras seguintes:

"Venho cá todos os meses porque, além de estar a reviver o meu passado, eu sinto uma paz que não tem explicação. Dedico-me neste momento à pintura manual de azulejos e faianças. É nesses momentos em que estou com o pincel na mão, que de facto me sinto em paz comigo e com toda a gente. Assim, traduzo essencialmente a parte temática das localidades e monumentos. Gosto muito de pintar igrejas, pois para mim há algo de muito especial nessas pedras que pinto. Gosto de pintar motivos da nossa terra,  e do nosso concelho.

Seguem-se algumas imagens de pinturas com "motivos" de Vale da Senhora da Póvoa:

          

                          

1 - Faiança pintada - Capela de Nossa Senhora da Póvoa

2 - Faiança pintada - Chafariz da Praça de Vale da Senhora da Póvoa

3 - Faiança pintada - S. Tiago - Padroeiro de Vale da Senhora da Póvoa

4 - Faiança pintada - Romaria à Senhora da Póvoa - Círio em carro de bois

(Américo Valente)

Entrevista com som

 


 

13 de Agosto de 2009

Vale faz a festa por S. Tiago

A Junta de Freguesia de Vale da Senhora da Póvoa organiza este ano as Festas de S. Tiago. Os festejos nasceram em 1951 e desde então têm sido organizados por um grupo de mordomos. Este ano tal não foi possível e por isso esta autarquia do concelho de Penamacor assumiu a organização.

As festas começam sábado, dia 15, com o Rancho Folclórico de Vale da Senhora da Póvoa às 18 horas e Trovadores às 21 horas.

A manhã de domingo é dedicada ao programa religioso, com missa cantada pela banda e grupo coral litúrgico (10 horas), seguida de procissão. Na aldeia estará a Filarmónica Boa Vontade Lorvanense.

A partir das 16 horas haverá animação musical com um concerto especial dedicado, Rancho Folclórico de Aranhas (17:00), Ana & Edgar (18:00) e Grupo Musical 2.ª Geração (22:00).

(Jornal Reconquista)

Folclore junta grupos em Pedrógão de S. Pedro

O folclore está de regresso à freguesia de Pedrógão de S. Pedro com o festival a acontecer este sábado, dia 15, no recinto de festas da aldeia do concelho de Penamacor.

Este ano a iniciativa do Rancho Folclórico de Pedrógão de S. Pedro acolhe o Grupo Coral Feminino “Brisas do Guadiana” (Moura), Grupo Folclórico de Vila Nova de Poiares, Rancho Folclórico “Rosas da Alegria” (Leiria) e o Grupo de Danças e Cantares de Vila Maior (S. Pedro do Sul). A estes juntam-se os vizinhos do Grupo de Cantares de Aldeia de Santa Margarida e o Rancho Folclórico de Monsanto, ambos do concelho de Idanha-a-Nova.

O festival começa pelas 20 horas e conta com a participação do rancho organizador.

(Jornal Reconquista)

O pequeno tesouro de Aldeia de João Pires

A antiga casa do barbeiro da aldeia é hoje um local de memórias à espera de uma visita. O pequeno museu não é muito divulgado mas nem por isso deixa de ter visitantes.

A placa junto ao café da aldeia aponta o caminho. A alguns metros de distância, junto à Igreja Matriz, surge a casa de pedra em que o portão deixa ver o poço com a nora. Este pátio é a primeira imagem que fica do espaço museológico de Aldeia de João Pires. À sua porta é provável que surja José Palma. Lisboeta de nascimento, o barbeiro casou com uma natural da aldeia e quando se lhe abriram as portas da reforma deixou a capital em direcção à pequena freguesia do concelho de Penamacor. “Eu ofereci-me para vir para cá de borla e estou cá há 12 anos”. Todas as tardes é ele que dá as boas vindas aos visitantes.

Ironicamente, a casa onde José Palma passa os dias foi em tempos a habitação do barbeiro da aldeia, salva da ruína na década de 1990. José Candeias foi até Portimão negociar com os herdeiros a compra do imóvel, que custou na altura 1500 contos, 7500 euros pela moeda europeia. Depois da aposentação, o professor encontrou no museu uma oportunidade para continuar a salvaguardar o património da aldeia.

Tudo começa há 28 anos, com a organização do Páscoa 81, um evento promovido nas 12 freguesias do concelho que culminou numa grande exposição e outras actividades na sede de concelho. Mas dois anos depois “verifiquei que muitos desses objectos tinham desaparecido”, lembra José Candeias.

Depois da aposentação das funções de professor – dos quais os últimos anos foram como coordenador concelhio da educação de adultos – José Candeias dedicou-se mais a fundo ao património e em 1995 é criado o museu local. A casa do antigo barbeiro foi recuperada com o apoio da associação Adraces, da Fábrica da Igreja e do povo da aldeia, cuja generosidade também permitiu o espólio.

Os cantos da casa

“Tudo quanto aqui está foi entregue gratuitamente”, diz José Candeias depois da visita pelos cantos da casa que considera “o verdadeiro museu da aldeia”.

A primeira porta que se abre é a da sala dos tempos sem tempo, onde é possível encontrar das pedras do pórtico da desaparecida capela de S. Lourenço a dois dos antigos relógios mecânicos da torre da aldeia. Ainda pelo rés-do-chão tem-se acesso ao pátio da casa, onde estão expostas algumas alfaias agrícolas, objectos utilizados em ofícios como o de ferreiro, uma antiga pia baptismal e até os engenhos utilizados para o transporte da pedra que no inicio do século XX permitiu a reconstrução da igreja.

A jóia da coroa fica no primeiro andar. A sala de arte sacra é o refúgio dos objectos religiosos que antes do museu se encontravam nas igrejas e capelas da aldeia e nem sempre conservados da melhor maneira. Em frente fica a sala dedicada à vida da aldeia. A maior sala do museu é uma lição viva do que era a casa tradicional, a agricultura, artesanato e até a banda, que nasceu faz agora um século.

Num dos cantos está a cozinha do povo, que devido à combinação entre famílias numerosas e casas pequenas comia do mesmo recipiente à hora da refeição, o chamado barranhão. Quem nunca passou por isso torce o nariz “mas para caber nas pequenas cozinhas era a única forma”.

O museu tem sido visitado por muita gente ao longo dos anos, mesmo não fazendo parte dos guias turísticos. José Candeias conta que chegou a solicitar à Associação de Municípios da Cova da Beira que o museu integrasse o roteiro mas até agora isso não aconteceu. Resta o passa palavra que tem trazido visitantes, que até chegam de Espanha. Mais do que esta casa ficam a conhecer uma aldeia que é ela própria um museu, mantendo as casas com balcões e o granito como paisagem.

Por: José Furtado

Cágados chamam motards à Benquerença

A Praia Fluvial “O Moinho”, em Benquerença, é mais uma vez o local de concentração para os participantes do encontro motard organizado pelo Grupo Motard “Os Cágados”, que acontece a partir de sexta-feira e durante todo o fim-de-semana.

No primeiros dia a organização traz até esta freguesia do concelho de Penamacor a música dos “In the Flesh” e “Tiro no Escuro”. Está ainda prevista a presença do programa “Motard FM” da Rádio Litoral Oeste de Óbidos.

No sábado a música fica a cargo dos “Country Dust” e “Rock´a Lady”, com striptease e o sorteio de uma scooter.

O encontro termina como habitualmente, com o passeio moto turístico.

A organização está na internet em www.cagadosmotard.com, onde é possível obter mais informações.

(Jornal Reconquista)
 

VALE DA SENHORA DA PÓVOA
FESTA DE S.TIAGO 2009

Santiago é o padroeiro desta aldeia. A festa em sua honra vai ter lugar nos próximos dias 15 e 16 de Agosto.

Esta festa foi realizada pela primeira vez em Setembro de 1951. Para o efeito eram nomeados mordomos que tinham por função fazer peditórios e organizar os festejos.

Pela primeira vez, este ano, não houve mordomos e a 58ª Festa de Santiago vai ser organizada pela Junta de Freguesia,  recorrendo a donativos da população para que a tradição não se perca. Na falta de verbas para pagamento aos artistas, esta autarquia suporta a diferença.


PROGRAMA:

DIA 15 DE AGOSTO
09H00 - ABERTURA DO BAR
18H00 - ACTUAÇÃO DO RANCHO FOLCLÓRICO DE VALE DA SRª DA PÓVOA
21H00 - ACTUAÇÃO DOS TROVADORES
 

DIA 16 DE AGOSTO
FILARMÓNICA BOA-VONTADE LORVANENSE
09H00 - ARRUADA
10H00 - MISSA CANTADA PELA BANDA E GRUPO CORAL LITÚRGICO
11H00 - ACOMPANHAMENTO DA PROCISSÃO
16H00 - CONCERTO ESPECIAL DEDICADO
17H00 - RANCHO FOLCLÓRICO DAS ARANHAS
18H00 - ACTUAÇÃO DE ANA & EDGAR
22H00 - GRUPO MUSICAL 2ª GERAÇÃO

(Américo Valente)

12 de Agosto de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Junta de Freguesia - ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS 2009 - António Reis

Como cabeça de Lista de uma das candidaturas, venho publicamente dizer, que a minha Lista está concluída desde finais de Maio. Dela fazem parte jovens desde os 19 anos até aos menos jovens com 76, desde Estudantes Universitários a Trabalhadores por Conta Própria; desde Militares a Profissionais de Saúde; desde Agricultores a Engenheiros; desde Operários a Juristas; enfim, ramo automóvel, construção civil, apoio à 3ª idade, etc... sendo certo que todos COM MUITA VONTADE DE TRABALHAR PARA O DESENVOLVIMENTO DA NOSSA TERRA E APOIO TOTAL E INCONDICIONAL A TODOS, DESIGNADAMENTE AOS IDOSOS.

PROGRAMA: - foi elaborado por nós há já algum tempo. Mas como é nosso princípio e sempre será, achámos por bem, ouvir também o povo, o que terminámos recentemente. Foi gratificante a forma como todos nos expuseram as suas ideias, sendo que a maioria coincidem com as nossas. Agora, resolvemos, solicitar a todos quantos queiram, que nos façam chegar as suas ideias, para o desenvolvimento da nossa terra e para o bem estar de todos os que aqui vivem, bem como o de todos  que duma forma ou doutra aqui se deslocam pelos mais diversos motivos. ESTÁ-SE BEM NO VALE, MAS TEMOS A CERTEZA, DE QUE É POSSÍVEL ESTAR AINDA MUITO MELHOR. TODOS, SOMOS POUCOS, PARA O CONSEGUIR. MAS VAMOS CONSEGUI-LO.
Importante: Só serão analisadas as ideias que forem enviadas para o e-mail seguinte: abogas@sapo.pt.

FICAMOS À ESPERA.
Boas férias e óptima festa de S. Tiago.

António Reis

11 de Agosto de 2009

Alerta amarelo em todos os distritos de Portugal

A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) accionou esta terça-feira o alerta amarelo de risco de incêndios florestais em todos os distritos de Portugal Continental devido ao tempo quente e seco.

Segundo a ANPC, o alerta amarelo, accionado até às 20:00 de sexta-feira, surge na sequência das informações do Instituto de Meteorologia relativamente à previsão de condições meteorológicas favoráveis de perigo de incêndios florestais e que apontam para tempo quente e seco.

Face a esta situação meteorológica é recomendado que não se façam queimadas, limpeza de terrenos, lançamento de foguetes ou outras queimadas que impliquem o uso do fogo em zonas florestais, de matos ou agrícolas, adianta a ANPC em comunicado.

De acordo com a Protecção Civil, as acções de fiscalização, vigilância e investigação por parte da GNR e da Polícia Judiciária já foram reforçadas.

Na mesma nota, a ANPC recorda ainda que o uso do fogo é punido por lei durante o Verão.

Para Castelo Branco a previsão do estado do tempo aponta para céu pouco nublado, com vento fraco e temperaturas em que a máxima anda pelos 35 graus, situação que se deverá manter até quinta-feira, de acordo com o Instituto de Meteorologia de Portugal.

(Jornal Reconquista)

Bombeiros do Sabugal celebraram mais um aniversário
Dado primeiro passo para construção do novo quartel
Os Bombeiros Voluntários do Sabugal celebraram no passado dia 8 mais um aniversário, o 114º. Ponto alto das comemorações foi a assinatura da escritura do terreno onde será construído o futuro quartel. A tarde deste sábado foi também preenchida com um programa aberto a toda a população, onde não faltaram os jogos tradicionais e um lanche convívio.

09 de Agosto de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Maria do Céu Lourenço completa amanhã 78 anos de idade

Maria do Céu Lourenço, nasceu no dia 10 de Agosto de 1931 em Vale de Lobo (actualmente Vale da Senhora da Póvoa), filha de José Capelo (Ti Zé Valente) e de Maria Lourenço (Ti Maria Amália).

Foi professora do Ensino Primário Elementar na Escola do sexo feminino de Vale da Senhora da Póvoa nos anos de 1957 - 1959, tendo leccionado as matérias da 1ª à 4ª classes às raparigas e da 3ª classe aos rapazes. Deu também aulas aos adultos em sua própria casa. Certamente estará na lembrança de muitos conterrâneos. Leccionou também noutras localidades.

Viúva de José Joaquim da Conceição Tomé (enfermeiro), também natural do Vale, falecido em Abrantes no dia 22 de Junho de 1989.

Mãe de Maria da Conceição Lourenço Tomé (Sãozita) e de Luís Miguel Lourenço Tomé, reside actualmente em Abrantes, cidade onde fixou residência desde os finais dos anos 60.

PARABÉNS A VOCÊ pelo seu 78º aniversário e esperamos ter a sua companhia na Festa de Santiago deste ano.

(Américo Valente)

 

07 de Agosto de 2009

71ª Volta a Portugal em Bicicleta

Hoje corre-se a 2.ª Etapa, entre Idanha-a-Nova e Guarda, numa extensão de 175 km. Saída de Idanha-a-Nova às 12:35 horas, chegada à Guarda, com a Meta instalada na Avenida Dr. Afonso Costa, junto ao Estádio Municipal, entre as 17:14 e as 17:28 horas.

A caminho da Guarda, a colorida caravana da 71.ª Volta a Portugal em Bicicleta passará por Medelim, Aldeia do Bispo, Penamacor (pela variante), Meimoa, Vale da Sr.ª da Póvoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estêvão, Sabugal, Rapoula do Côa, Cerdeira do Côa, Pinhel e Guarda Gare.

06 de Agosto de 2009

Penha Garcia Templária

De 11 a 13 de Agosto Penha Garcia regressa ao período dos templários, numa iniciativa que vai cativar milhares de visitantes. Durante os três dias haverá animação permanente. Reconquista mostra-lhe o programa.

Penha Garcia Templária é o desafio que um conjunto de entidades, lideradas pela Câmara de Idanha-a-Nova, nos apresentam de 11 a 13 de Agosto. Uma iniciativa que levará muitos visitantes àquela aldeia raiana e que nos transporta até ao período dos templários, às influências islâmicas e cristãs.

Armindo Jacinto, vice-presidente da autarquia de Idanha-a-Nova, sublinha a importância deste evento, o qual permitirá mostrar um pouco da história de Penha Garcia. “As Jornadas Etnográficas de Penha Garcia já se realizam há muito tempo e apresentam-se nesta edição com uma forte ligação aos Templários”, justifica. De resto, já há dois anos foi feita uma iniciativa semelhante, a qual durante vários dias e noites animou Penha Garcia.

Penha Garcia Templária apresentará uma espécie de feira alusiva ao período templário, onde também serão vendidos e promovidos os produtos regionais. A aldeia, com características únicas para este tipo de eventos, promete acolher os muitos visitantes esperados.

Conheça o programa

O início das actividades está agendado para as 18 horas de 11 de Agosto, com a abertura do mercado, a chegada de contrabandistas à aldeia e uma arruada musical pelas ruas e ruelas de Penha Garcia. Segue-se o cortejo régio e leitura da Carta de D. Dinis retirando o castelo à Ordem de Santiago e concedendo-o à Ordem do Templo. Como manda a tradição, haverá também tempo para uma boa refeição, com os “comeres de antanho com tempero mourisco e beberes suaves nas tabernas do burgo”.

O primeiro dia, prossegue com as cantigas de amigo, interpretadas por trovadores galaico-portugueses e com anúncio da adopção da língua vulgar como língua portuguesa nos termos de escrituração e em todos os documentos. Meia hora depois, pelas 21H00, será feita uma visita às tendas de mercadores, seguindo-se a apresentação de danças e bailias nos Terreiros do Mercado. A noite encerra com o encomendar das almas, ritos, superstições e bruxarias de fogo, na Lapa.

Na quarta-feira, a Jornadas iniciam-se também às 18 horas, com uma arruada musical e uma prova de destreza e perícia por parte de arqueiros. Segue-se a abertura do mercado (18H30), um torneio de armas de cortesia (19H), o cortejo Régio e recebimento da comitiva Sarracena do Reino de Granada (21H), os exercícios de falcoaria (22H) e a criação, por ordem de del-rei D. Dinis, dos corpos de Besteiros do Conto, com a entrega da Bestas aos vilões do concelho.

Um dos momentos altos do segundo dia, é o rapto das Freiras e seu resgate da Igreja para onde haviam sido enclausuradas pelos castelhanos (23H) e a festa sarracena com danças do ventre e a arte do encantador de serpentes (23H30).

O último dia das jornadas inicia-se com uma eucaristia (17H), seguindo-se a recepção dos Romeiros de Santiago de Compostela. Às 19 horas será feita a leitura do edital confirmando o Couto de Homiziados de Penha Garcia e o povoamento da raia para defesa do Reino. Será ainda feita a distribuição de terras a alguns foragidos à justiça.

É também na quinta-feira que D. Dinis confirma a autorização papal para a Ordem de Santiago eleger um provincial independente da Hispânia e anuncia a criação da Ordem de Cristo com os bens dos Templários (20H30).

A festa prossegue com a chegada do emissário do Rei de Leão, D. Afonso X, avô de D. Dinis, para ajustar os termos do Tratado de Alcanizes (21H), com o torneio de Armas em Homenagem a D. Afonso X, o Sábio (21H30), e o juízo Eclesiástico de heréticos e relapsos e seus castigos (22H).

As jornadas encerram com danças e folguedos na praça do burgo (22H30) e com a lavagem dos cestos e almotolias (23H).

Por: João Carrega

(Jornal Reconquista)
 

Penamacor - Escola Ribeiro Sanches elogiada no Parlamento

Um grupo de 17 professores do Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches de Penamacor esteve recentemente na Assembleia da República para uma visita que coincidiu com a apresentação do primeiro relatório sobre eficiência energética.

O relator do documento é o deputado socialista Jorge Seguro, natural de Penamacor, que deixou na sua intervenção um elogio à aposta que a escola fez num curso ligado às energias renováveis.

Para Jorge Seguro a Ribeiro Sanches “é um exemplo do que se pode fazer ao nível da sensibilização dos jovens e dos portugueses”, ao ter apostado num curso “que hoje é significado de emprego no interior do país”.

Na sua intervenção o deputado chamou ainda a atenção para a necessidade de Portugal trabalhar na eficiência energética, numa altura em que desperdiça 60 por cento da energia que consome.

(Jornal Reconquista)

 

Capeias animam aldeias do Sabugal 
A partir de hoje e até ao final do mês as aldeias do concelho vivem a festa dos touros.
 

Ao longo do mês de Agosto, muitas aldeias do concelho do Sabugal vivem a festa dos touros. Estão programadas as seguintes capeias: Lageosa da Raia (6); Ruivós (8); Aldeia da Ponte (9 – Tourada Portuguesa); Aldeia do Bispo (10); Seixo do Côa (10); Soito (11); Ozendo e Rebolosa (12); Nave (14); Aldeia da Ponte (15); Alfaiates, Forcalhos e Vale de Espinho (17); Foios (18); Vale das Éguas (20); Aldeia da Ponte (22 – Festival Ó Forcão Rapazes); Aldeia Velha (25).

02 de Agosto de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

A Associação dos Amigos do Vale da Senhora da Póvoa realizou ontem o passeio anual dos seus associados. O destino do passeio foi Fátima e Figueira da Foz.

Saíram às 07H30 do Vale e chegaram pelas 22 horas. O passeio decorreu em perfeita harmonia.

(Maria de Jesus Mendes)

A Associação dos Amigos do Vale da Senhora da Póvoa foi assaltada esta noite, mas o larápio ou larápios não furtaram mais que uma pequena quantia de dinheiro que se encontrava na caixa. Não houve mais nada furtado. O caso não seguiu para a polícia devido ao roubo ser irrisório.

(M.J.)

 

JULHO

31 de Julho de 2009

Penamacor - Oposição apresenta-se à sombra do cartaz

A candidatura de Vítor Gabriel colocou um cartaz à porta da câmara, que foi retirado pela autarquia e recolocado pela oposição, que apresentou os primeiros candidatos no local da polémica.

O candidato da Coligação Todos por Penamacor à câmara municipal do concelho raiano pretende levar à justiça “aqueles que durante anos tentaram esconder o lixo debaixo do tapete e viciar as regras do jogo”. Uma intenção que Vítor Gabriel pretende cumprir caso seja eleito a 11 de Outubro, no âmbito de uma coligação que junta PSD, CDS-PP e Partido da Terra.

A apresentação da candidatura aconteceu à sombra do cartaz que a coligação colocou em frente à Câmara Municipal de Penamacor e que nos últimos dias tem gerado uma guerra com a maioria socialista. O candidato e actual vereador da oposição diz que a retirada dos cartazes por parte da autarquia de maioria socialista “foi uma flagrante violação dos mais elementares princípios da democracia”, admitindo a apresentação de uma queixa-crime no Tribunal de Penamacor e na Comissão Nacional de Eleições.

A atitude da autarquia é também alvo de condenação por parte do líder da distrital do PSD, para quem o gesto mostra desnorte “e receio de caírem da cadeira do poder”, referindo-se aos socialistas.

Carlos São Martinho diz mesmo que no executivo liderado por Domingos Torrão grassa “a arrogância e despotismo”, enquanto elogia “a competência, rigor e sentido de democracia” do candidato Vítor Gabriel.

A reedição da coligação, que nas eleições de 2005 elegeu dois vereadores, “significa que o trabalho nos últimos quatro anos foi muito positivo na defesa dos interesses de Penamacor”.

Próspero dos Santos pede aos eleitores que meditem sobre o que se tem passado nos últimos anos “e que votem num mudança que vai ser frutuosa para todos os que vivem nesta terra”. Ligado ao concelho por laços familiares, o líder da distrital do CDS-PP diz que lhe custa “ver a queda de Penamacor com esta gestão socialista”.

As listas completas aos vários órgãos autárquicos vão ser apresentadas mais tarde, mas sabe-se já que Abel Martins não será o número dois à câmara por razões profissionais, já que o professor faz parte da direcção da escola a que pertence, em Viana do Castelo.

Daniel Lopes é o candidato com que a coligação se apresenta à Assembleia de Freguesia de Bemposta e o Reconquista sabe que o empresário António Manuel Gaspar vai liderar a lista à freguesia de Penamacor. Algumas das listas estão ainda a ser ultimadas, razão pela qual a coligação deixa para mais tarde a sua apresentação.

António Bento é o cabeça de lista à Assembleia Municipal de Penamacor, órgão onde nos últimos quatro anos tem sido um dos críticos mais ferozes da gestão socialista. O médico continua a questionar a maioria sobre a utilização de dinheiros “mal empregues e que não foram explicados”, exigindo saber “se estão no bolso de alguns ou se foram mal geridos”.

Incubadora para criar emprego

A criação de um centro de incubação de empresas é uma das primeiras ideias apresentadas por Vitor Gabriel para o concelho. Para o candidato “essa é uma iniciativa que pode contribuir para a criação de alguns postos de trabalho via fixação de novas empresas”, dizendo que tal tem acontecido noutros concelhos.

Aproveitar o património, os produtos locais e as pessoas para promover Penamacor é outra das propostas, tal como a requalificação da zona histórica de Penamacor – conhecida como Cimo de Vila - e da aldeia de Bemposta.

A perda de população é um dos problemas identificados no concelho pelo candidato da oposição, que está também preocupado com a dívida da autarquia, que segundo este atingiu níveis “excepcionalmente graves”.

Vítor Gabriel tem 38 anos e é professor do ensino superior. Nos últimos oito anos tem ocupado o cargo de vereador da oposição, tendo concorrido como cabeça de lista à câmara nas últimas eleições, em 2005.

Por: José Furtado
 

30 de Julho de 2009

Penamacor - Vítor Gabriel volta a encabeçar a lista que ainda está incompleta
O candidato à Assembleia Municipal é o médico António Bento. Francisco Abreu é o mandatário
 

Vítor Gabriel vai voltar a ocupar o primeiro lugar da lista da Coligação Todos por Penamacor, único movimento que constitui oposição neste Concelho, e que integra membros do PSD, CDS-PP, MPT e alguns independentes. Vítor Gabriel ocupa actualmente o cargo de vereador da oposição na autarquia penamacorense.

Para além do primeiro nome da lista que vai concorrer às próximas eleições autárquicas, nenhum outro foi avançado, já que "falta ser concretizado um acerto que poderá vir a alterar muita coisa", explicou o cabeça de lista.

Abel Martins, que ocupa também o cargo de vereador na Câmara, não vai integrar a lista. "Por motivos profissionais o número dois da lista não vai continuar, pelo que irá haver alterações a este nível".

Vítor Gabriel não quis avançar o nome que poderá vir a substituir Abel Martins.

Quanto ás juntas de Freguesia, o candidato avança que "já estão colocados quase todos os cabeças de lista às juntas, faltam muito poucas para encerrar as listas".

(Gazeta do Interior)

28 de Julho de 2009

Serra da Malcata será das primeiras a receber lince

Esta é a convicção do ministro do Ambiente português, que assinou em Penamacor um acordo com Espanha para a cedência dos primeiros animais a Portugal.

Vinte linces vão chegar a Portugal vindos de Espanha, graças a um acordo assinado esta terça-feira entre os ministérios do Ambiente dos dois países.

O documento rubricado pelos dois ministros em Penamacor, sede da Reserva Natural da Serra da Malcata, prevê a transferência de 14 machos e seis fêmeas para o Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico, situado em Silves, no Algarve.

Só depois é que a Serra da Malcata poderá receber os primeiros animais, provavelmente dentro de três anos, garantiu o ministro Francisco Nunes Correia, para quem a Malcata “será uma das primeiras regiões a considerar para a reintrodução real na natureza”.

Os primeiros animais chegam a Portugal só no mês de Setembro, quando as temperaturas baixarem, assegurou a ministra espanhola Elena Espinosa Mangana.

Para o presidente da Câmara Municipal de Penamacor, que recebeu os governantes no ex-Quartel da vila, a vinda do lince para a Malcata “vem complementar aquilo que nós temos previsto que é a construção de um de um centro interpretativo do lince na Serra da Malcata”, cujos terrenos estão a ser negociados depois de ter sido aprovada a candidatura ao financiamento.

Na foto: Os ministros de Espanha e Portugal chegaram a acordo.

Por: José Furtado
 

Penamacor - Disputa pelo melhor lugar para cartaz da campanha já meteu GNR

A Câmara Municipal de Penamacor (maioria socialista) e a candidatura da oposição para as autárquicas estão a protagonizar uma polémica na disputa pelo melhor local para os cartazes de propaganda eleitoral da vila.

O espaço fica mesmo em frente ao edifício da Câmara, ao lado do parque da feira, no centro da vila Penamacor, e que vários habitantes dizem ser o sitio "de maior visibilidade". No ano passado, foi o presidente, Domingos Torrão, quem lá pôs um 'outdoor' e o PS quer preservar o lugar.

Na última semana, a coligação Todos Por Penamacor (PSD/CDS-PP/MPT) tentou por duas vezes instalar as estruturas metálicas para um cartaz, mas por duas vezes foram retiradas pela Câmara - na segunda vez com a GNR chamada ao local.

"Vai ser apresentada uma queixa-crime no Tribunal de Penamacor e outra junto da Comissão Nacional de Eleições", disse Vítor Gabriel, cabeça de lista da coligação. "A colocação desta publicidade não depende de autorização da Câmara. Ou quem está no poder podia reservar locais logo após as eleições?", questiona.

António Cabanas, vice-presidente da Câmara de Penamacor (PS), tem um entendimento diferente. Remete para os regulamentos de colocação de publicidade da autarquia. Diz que a estrutura foi retirada porque "o PS já tinha pedido autorização para instalar um cartaz ali e noutros locais", enquanto da parte da coligação não houve nenhum pedido.

Vítor Gabriel, por seu turno, diz que, não sendo obrigatório, até enviou uma mensagem por correio electrónico para o presidente da Câmara, informando na quinta-feira que o cartaz ia ser colocado. "Eu só soube que era um cartaz da coligação à posteriori", responde António Cabanas.

(Jornal de Notícias)

Penamacor - Padre Manuel Toscano celebra Bodas de Ouro Sacerdotais 

Uma celebração Eucarística de Acção de Graças vai assinalar as Bodas de Ouro Sacerdotais do Padre Manuel Ribeiro Toscano, pároco de Penamacor. A efeméride está a ser preparada por uma equipa presidida por José Joaquim Martins, pároco de Aldeia do Bispo (Penamacor), terra natal do homenageado. As celebrações terão lugar em Aldeia do Bispo e Penamacor.
Envolvidos nas celebrações estarão também o padre António Gama, pároco de Capinha, e o padre António Carreto, natural de Aranhas, que foram ordenados sacerdotes no mesmo dia, por D. Domingos da Silva Gonçalves.
Coadjutor do pároco de Loriga, em 1959/60, Manuel Toscano passou a desempenhar as mesmas funções, em Penamacor, em Outubro de 1960, altura em que era pároco o padre António Baltazar da Ressurreição.
Por nomeação de D. António dos Santos exerceu o cargo de Vigário Paroquial de Meimão, onde reconstruiu a Igreja Paroquial, que se encontrava em grave decadência. Na mesma data exerceu idênticas funções em Meimoa e Benquerença.
Já como pároco de Benquerença, com a Direcção do Centro Paroquial, remodelou e ampliou as instalações do Centro, aproveitando uma parte do edifício para uma condigna Casa paroquial, com os dinheiros da Igreja.
Em 2007/2008 promoveu a realização, em Benquerença, de grandes obras de restauro da igreja paroquial, que orçaram os 150.000 euros.
Por duas vezes foi nomeado como responsável espiritual da paróquia de Salvador, tendo, na primeira, iniciado as obras de restauração da igreja e, na segunda, a Casa paroquial. Após o falecimento do Padre António Pinto Silva, tomou a seu cargo, juntamente com o padre Tarcisio Duarte, a assistência religiosa de aldeia do Bispo, Aldeia de João Pires, Aranhas e Salvador.

Pároco de Penamacor

Nomeado pároco de Penamacor, a actividade do Padre Manuel Toscano pode perspectivar-se na dimensão cultural, social, patrimonial e religiosa.
Na cultura, como professor de Língua Portuguesa, no Externato Nossa Senhora do Incenso e na Escola Ribeiro Sanches, onde ocupou diversos cargos, tendo sido um dos principais obreiros na construção da escola da Mata, na extensão do ensino para o 7º, 8º e 9º e secundário. Aí promoveu o desenvolvimento da Biblioteca. Pôs à disposição da Biblioteca Municipal os livros legados pelo Padre António Baltazar.
Durante mais de 20 anos editou o Jornal “O Concelho de Penamacor”. Licenciou-se em Filologia Românica pela Universidade de Coimbra. Colaborou na construção do Salão Paroquial e fez um convénio com a Câmara Municipal para a sua remodelação, que ainda não está concluída.
No campo social, como administrador do Instituto Social Cristão Pina Ferraz, fundado pela benemérita do concelho, Dª Carlota Pina Ferraz, meteu mãos à obra na ampliação das instalações e sua modernização, em que se gastaram mais de 600 mil euros e que reúne das melhores condições em obras do género, humana e fisicamente, com campo de jogos e piscina. Na valorização património, a título de exemplo, só na área florestal conseguiu uma melhoria de rendas de 30 mil para 120 mil euros. A Fundação assiste 30 crianças e jovens. Criou uma urbanização para mais de 20 vivendas.
Membro da Mesa da Santa Casa da Misericórdia de Penamacor participou na remodelação das instalações, renovação dos templos, criação e acompanhamento de centro de Dia, Infantário, Creche e ATL.
Em relação ao património religioso da paróquia de Penamacor, foram investidos, nos últimos 15 anos, mais de 500 mil euros, na reconstrução da Casa Paroquial, Igreja Paroquial, Casa, Capela e Recinto de Nossa Senhora do Incenso e Nossa Senhora do Bom Sucesso. Últimamente dotou a Igreja paroquial e a capela de Nossa Senhora do Incenso com vitrais e tratamento de altares e imagens. Está programada para breve a substituição da bancada e a introdução de aquecimento na Igreja Paroquial.
A vida religiosa da paróquia de Penamacor tem sido uma preocupação constante do padre Manuel Toscano que vê no envelhecimento da população, no afastamento dos jovens e na descaracterização das famílias o principal obstáculo á missão.
Tem especial cuidado com a catequese, a dinamização das associações, a acção sócio caritativa, a presença nas actividades na paróquia, o atendimento e diálogo com todos, o aproveitamento das devoções tradicionais, particularmente a devoção a Nossa Senhora do Incenso, a oferta dos serviços religiosos gratuitos, a celebração diária da eucaristia, preparação para o matrimónio, profissão de fé e crisma.
 

(Jornal "A Guarda")

23 de Julho de 2009

Ladoeiro - Melancia de parar o trânsito

No Ladoeiro houve boas razões para parar e encher o porta-bagagens.

Vender melancia à beira da estrada é quase uma tradição portuguesa dos meses de Verão. No Ladoeiro as bermas comprovam-no, mas no último fim-de-semana a venda foi maior que o costume. A razão é o Festival da Melancia.

João Pires dos Santos ia a caminho de Castelo Branco e não perdeu a oportunidade. Parou à beira da estrada que atravessa esta freguesia do concelho de Idanha-a-Nova e perante o olhar da GNR carregou o porta-bagagens com 30 quilos de fruto, seguindo viagem. Antes de colocar a chave na ignição ainda elogiou a qualidade da melancia do Ladoeiro, que diz valer a pena. A fama vem de longe.

“Há 20 ou 30 anos forneciam melancia daqui do Ladoeiro para toda a beira”, diz o albicastrense que realça o facto de a melancia ser cultivada fora de estufas e sem grandes artifícios. Apesar disso lamenta que não consiga encontrá-la em supermercados, aproveitando por isso a compra ao produtor.

A comercialização da melancia do Ladoeiro é o calcanhar de Aquiles do produto, assume o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova. Álvaro Rocha exorta por isso os produtores a unirem-se “para que consigam contratar técnicos, mas sobretudo vendedores que no exterior possam dar vazão à quantidade de produto”.

Adelaide Lopes tem muita para vender mas o negócio “está um bocadinho fraco”. Esta produtora do Ladoeiro leva 25 anos de cultivo da melancia “produzida toda na terra e sem plástico”, referindo-se às estufas. A produção é vendida na quinta e para alguns comerciantes em armazéns. Na feira o quilo está a 25 cêntimos, o que na sua opinião “é um bocado baixo para o trabalho que dá e o que se investe, mas é preciso haver escoamento”.

Este ano nota também que os bolsos dos clientes estão mais vazios e os que têm algum preferiram gastá-lo ali ao lado, nas bancas de produtos tradicionais e artesanato. Mas também é verdade que nem todos visitam as outras bancas, limitando-se a parar para abastecer de melancia como fez João Pires dos Santos.

Álvaro Rocha não é da opinião que a crise tenha chegado à melancia. Na opinião do presidente o que aconteceu foi apenas um desencontro de datas, já que a melancia do Ladoeiro começou a ficar no ponto antes de Agosto, mês em que a procura é maior. Entre a teoria e a prática vão apenas alguns dias para saber se afinal é mesmo assim.

Feita a reportagem a máquina fotográfica vai para a mochila, a carteira sai do bolso e venham de lá 10 quilos de melancia. E não é só publicidade: a melancia é mesmo boa.

Por: José Furtado
 

Penamacor - Tanque muda de morada

O tanque de granito que durante anos esteve no Jardim da República de Penamacor vai ser recolocado em frente aos sanitários públicos, junto à biblioteca municipal e à paragem de autocarros.

O velho tanque foi retirado do jardim no âmbito das obras de requalificação, inauguradas recentemente. No seu lugar foi colocado um memorial.

A nova morada do tanque vai ser alvo de obras de requalificação, anuncia a autarquia no último boletim municipal.

Por: José Furtado

Penamacor - Nova avenida abre ao trânsito

A via estruturante sul de Penamacor já abriu ao trânsito. A nova via liga a Sr.ª dos Caminhos à Escola Ribeiro Sanches, tendo duas faixas em cada sentido com separador central. O acesso faz-se a partir de rotundas. Com a obra pretende-se criar uma nova zona para urbanização, paralela à variante a Penamacor.

Com o fim destas obras é também retomada a circulação entre o Lar D. Bárbara e a posto de abastecimento de combustíveis, junto à saída para Castelo Branco.

Por: José Furtado
 

22 de Julho de 2009

Sabugal - 66 bombeiros combatem fogo

Um incêndio em Matança, concelho do Sabugal, distrito da Guarda, deflagrou hoje às 19h23, mantendo-se até ao momento não circunscrito, de acordo com informação disponibilizada no portal da Autoridade Nacional da Protecção Civil

 No local, estão 66 Bombeiros com 16 veículos, quatro equipas da Afocelca, unidade de prevenção e combate a incêndios, com 19 elementos, uma equipa de Sapadores Florestais e um helicóptero bombardeiro ligeiro da Afocelca, de acordo com informações da Protecção Civil.

Lusa/SOL

Penamacor - Sede da Casa do Benfica em Penamacor assaltada

A sede da Casa do Benfica em Penamacor foi assaltada na noite de terça para quarta-feira, com os larápios a levarem material informático e desportivo "no valor de 3 mil euros".

Os autores do furto terão arrombado a porta principal e a GNR de Penamacor já tomou conta da ocorrência, no sentido de apanhar os ladrões e recuperar o material.

(Jornal do Fundão)

21 de Julho de 2009

Incêndios voltaram em força à Guarda

Os distritos de Aveiro e Guarda continuam a ser dos mais fustigados pelas chamas, apesar da descida das temperaturas e do aumento da humidade relativa, que ditaram a descida do nível de alerta dos bombeiros. Só ontem à noite os fogos na Guarda e em Viseu foram dados como extintos. Todo o País está hoje com risco de incêndio elevado. No terreno, a Polícia Judiciária anunciou a detenção de mais um incendiário

As chamas voltaram em força ao distrito da Guarda com vários incêndios a consumirem áreas de pinhal e mato. Ontem, o distrito foi fustigado pelo fogo em Sortelha, Sabugal e Quinta do Campo, Pinhel. Em Sortelha, as chamas ficaram circunscritas cerca das 16H00 com o empenho de dois Canadair. Em Pinhel, o fogo foi dado como circunscrito ao final da tarde depois de ter consumido uma vasta área de mato. Ao lado, no concelho de Trancoso, só à noite foi circunscrito o fogo de Alto da Broca onde estavam envolvidos três meios aéreos. Em Viseu, o concelho de Castro Daire foi fustigado por vários focos de incêndios. Depois de Bustelo e Almofala, as preocupações voltavam-se ao final da tarde para Covelo do Paiva. O incêndio foi extinto à noite.

Entretanto, a PJ anunciou a detenção de um homem, de 58 anos, suspeito de ser o autor do fogo que no sábado consumiu uma "parte considerável de um eucaliptal em Oliveira de Frades", anunciou a PJ. Esta é a segunda detenção, este mês, depois de um outro jovem, de 21 anos, ter sido detido pelo mesmo crime em Porto de Mós.

Para hoje, o Instituto de Meteorologia prevê um aumento da nebulosidade e descida da temperatura máxima, com a excepção do Sul do País, situação que levou a Protecção Civil a manter o alerta amarelo nos distritos de Guarda, Castelo Branco, Santarém, Évora, Portalegre, Beja e Faro.

19 de Julho de 2009

Penamacor

Energias renováveis com primeiros finalistas no distrito de Castelo Branco

Dez alunos do Curso de Energias Renováveis da Escola EB 2/3 Ribeiro Sanches de Penamacor tornaram-se, sexta-feira, os primeiros a concluírem um curso do género em escolas públicas no distrito de Castelo Branco.

Entre os finalistas há alguns jovens de concelhos vizinhos, como Idanha-a-Nova, Covilhã ou Fundão, o que viabilizou as turmas num concelho desertificado como Penamacor.

A grande preocupação local é que, com a aprovação de formação do género noutras escolas da região, nomeadamente nas cidades, se verifique o fim destes cursos na vila.

"Para viver só com os alunos do concelho são poucos e será difícil Penamacor rivalizar com uma cidade", alertou Helena Pinto, presidente do Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches.

A escola tem actualmente três turmas neste curso, duas em sistemas solares e uma em energia eólica, que concluiu o curso que dá equivalência ao 12.º ano.

"Alguns destes alunos, se não fosse a via do ensino profissional, talvez não tivessem o 12.º ano", sublinhou, por seu turno, António Paralta, responsável pelo ensino profissional na escola de Penamacor.

Ao longo das 3.100 horas de formação, os alunos que agora concluíram o curso contactaram com empresas do Porto, Viseu, Sabugal e Castelo Branco.

Segundo António Paralta, a EDP e a espanhola Iberdrola já mostraram interesse em receber alguns dos alunos, que desde há dois anos organizam na escola uma feira de energias renováveis para contactarem com as empresas do sector.

No próximo ano lectivo a formação abarcará 40 alunos.

(Jornal do Fundão)

16 de Julho de 2009

Penamacor - Jardim da República reabre com outra cara

Os portões do Jardim da República, de Penamacor, voltaram a abrir mas para lá dos muros são muitas as mudanças. Do velho jardim sobra pouco mais que as árvores, os bancos de pedra, o parque infantil e o monumento a Jacinto Cândido. De resto quase tudo é novo a começar pelo piso que veio substituir a terra batida.

Relva não há e os canteiros também foram redesenhados, estando mais altos que os antigos e libertando espaço entre o portão e o tanque com repuxo. Que também deixou o jardim, sendo substituído pelo “Memorial em homenagem às terras e às gentes do concelho de Penamacor”, da autoria do escultor A. Sáxeo, o nome artístico de Costa Martins. O monumento combina o granito com o aço e o vidro, saltando à vista a luz azul que deixa transparecer quando chega a noite.

A antiga geladaria foi também requalificada mas para já está de portas fechadas.

Esta transformação de um dos espaços mais emblemáticos de Penamacor não é consensual e Domingos Torrão assume que poderá provocar “alguns engulhos” entre os penamacorenses.

“Quem tem poder de decisão decide e mesmo que decida mal mas é preferível decidir que andarmos sempre a dizer mal uns dos outros”, afirmou o presidente da Câmara Municipal.

Por: José Furtado
(Jornal Reconquista)

Festival da Melancia no Ladoeiro

A localidade do Ladoeiro, no concelho de Idanha-a-Nova volta a ser palco, dias 18 e 19 de Julho, do Festival da Melancia, uma organização da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, com os apoios da Junta de Freguesia do Ladoeiro, comissões de festas de Santo Isidro e Santa Catarina de Sena, contando ainda com a colaboração dos produtores de melancia do concelho e coleccionadores de tractores antigos.

Melancia, sumos, compotas, escultura em melancia, desportos radicais, produtos regionais, exposições, concurso, animação cultural, tasquinhas são alguns dos ingredientes deste certame que já se tornou uma referência na região.

A inauguração está marcada para as 15H00.

(Jornal Reconquista)

Ministro na Malcata para pôr lince no papel

Penamacor vai receber a cerimónia de assinatura do protocolo com Espanha, mas a vinda de animais para a Malcata ainda não é uma certeza.

O ministro do Ambiente vai estar em Penamacor a 28 de Julho para assinar um protocolo que visa a cedência de exemplares do lince ibérico para a sua reprodução em cativeiro. O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara Municipal de Penamacor na abertura da Facep, a Feira das Actividades Económicas que decorreu no fim-de-semana.

Porém esta presença não significa que o lince virá para a Malcata, apurou o Reconquista junto do Ministério do Ambiente. A escolha de Penamacor para esta cerimónia deve-se apenas ao significado do local, já que o concelho raiano alberga parte do território da Reserva Natural da Serra da Malcata, criada no inicio da década de 1980 depois de uma campanha nacional em prol da conservação do lince.

Os exemplares a ceder da parte de Espanha, para a reprodução em cativeiro, terão como destino o Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico, inaugurado em Maio em Silves, no Algarve. Quanto ao desejado centro de aclimatação este ainda não está previsto para a Malcata.

“O nosso objectivo é que aquele espaço seja aberto e reconhecido por uma raça que está em vias de extinção”, diz Domingos Torrão referindo-se à Reserva da Malcata, cuja área é partilhada com o município vizinho do Sabugal.

O acordo a assinar em Penamacor terá Espanha como outorgante, razão pela qual é esperada Elena Espinosa, ministra do Ambiente de Espanha. Algo que ainda não é oficial.

Enquanto não há garantias de reintrodução do lince na Serra da Malcata a Câmara Municipal de Penamacor joga em outras frentes e viu aprovada a candidatura para a criação de um centro de interpretação do animal. Já antes tinha registado a marca “Terras do Lince”, com a qual promove produtos tradicionais como o queijo, mel ou azeite.

Ministério negoceia com Espanha

O secretário de Estado do Ambiente deslocou-se à localidade espanhola de Plasência em Junho para ultimar o acordo ibérico que permite acolher os primeiros animais "provavelmente em Setembro". Os linces ficarão no Centro Nacional de Reprodução, situado em Silves, no Algarve.

Em declarações à Agência Lusa, Humberto Rosa disse estarem "acertados todos os pormenores" do acordo.

Este prevê que em três anos Portugal prepare um habitat para receber o lince na natureza. Quanto a locais continua tudo em aberto.

"Ainda estamos a estudar os locais, mas posso dizer que estamos a avaliar as zonas da reserva da Malcata, do Vale do Guadiana e a zona de Barrancos", reiterou o secretário de Estado do Ambiente.

(Jornal Reconquista)

Covilhã

Faleceu o cónego Geraldes

Câmara da Covilhã decretou três dias de luto municipal.

O cónego José Geraldes, director do jornal Notícias da Covilhã, faleceu na madrugada desta quarta-feira aos 71 anos.

José de Almeida Geraldes encontrava-se internado nos Hospitais da Universidade de Coimbra, há cerca de duas semanas.

Natural de Casegas, concelho da Covilhã, José Geraldes era arcipreste da Covilhã, tendo sido professor de Jornalismo na Universidade da Beira Interior, entre outras funções.

A Câmara Municipal da Covilhã, que em 2008 homenageou José Geraldes com a medalha de ouro de mérito municipal, anunciou quarta-feira a colocação da bandeira a meia haste durante três dias, em sinal de luto municipal.

À família enlutada e à equipa do Notícias da Covilhã sentidas condolências.

(Jornal Reconquista)

Faleceu ontem de madrugada em Coimbra, vítima  de doença prolongada, o Cónego Dr. José Almeida Geraldes. Homem culto, inteligente, com um coração grande, muito grande. Foi Professor de Comunicação na UBI e era Director do Notícias da Covilhã.

O Funeral é às  16 horas na Igreja da Conceição, na Covilhã, com missa de corpo presente à 15:30. Segue depois para Casegas, sua Terra Natal, onde será sepultado às 18 horas.

(Maria Vaz)

Vale da Senhora da Póvoa

Inauguração da Central Meleira

No passado dia 10 de Julho, dia da abertura da Feira das Actividades Económicas de Penamacor, a Câmara decidiu privilegiar o sector empresarial com uma espécie de visita guiada por tês novos projectos de investimento.

Enquanto no Terreiro de Santo António se ultimavam os preparativos para a abertura da Feira, o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, Fernando Serrasqueiro, acompanhado de numerosa comitiva socialista, inaugurou a Central Meleira da Meimoacoop, no Vale da Senhora da Póvoa.

A Meimoacoop - organismo cooperativo que transforma actualmente 400 mil litros de leite por ano, desempenhando um papel fundamental junto dos produtores de leite - vai agora beneficiar centena e meia de apicultores, nos concelhos de Penamacor, Sabugal e Belmonte, número que, segundo o presidente da direcção, Domingos Bento, poderá duplicar dadas as intenções de investimento em novos apiários. A nova unidade produtiva absorveu um investimento de 250 mil euros, estando equipada com tecnologia de ponta, cumprindo todas as regras de higiene e segurança alimentar.

Criará quatro postos de trabalho directos e bastantes mais de forma indirecta, num sector que tem agora condições para funcionar de forma organizada e sustentada. Aproveitando a presença do Secretário de Estado, Domingos Bento deu conta das dificuldades com que se confrontou a cooperativa ao longo do processo de licenciamento: "Foi necessário mover barreiras para vencer a enorme burocracia que envolve o licenciamento destas pequenas unidades industriais", esclareceu, considerando que a burocracia e os custos da maioria dos requisitos exigidos não são compatíveis com a dimensão deste tipo de investimentos.

A Central Meleira vai lançar no mercado duas marcas de mel. O "Terras do Lince" e "Meimoacoop - Serra da Malcata", que já estão, aliás, a ser comercializados por uma cooperativa de consumidores.

O mel é um produto de excelência da região, mas como sublinhou o Secretário de Estado, não basta ter bons produtos tradicionais. É fundamental que os produtores se organizem para os produtos entrarem nos circuitos comerciais, em condições de qualidade e segurança alimentar.

Fernando Serrasqueiro referiu o exemplo da Câmara de Penamacor no apoio à promoção dos produtos tradicionais, sublinhando que, em tempo de crise, é fundamental que as Câmaras convertam as suas prioridades, valorizando o emprego

15 de Julho de 2009

Penamacor - Feira de Actividades Económicas (FACEP)

Decorreu nos dias 10 a 12 de Julho em Penamacor a já tradicional Feira das Actividades Económicas (Facep), tal como veio sendo aqui anunciado nos últimos dias.

Eis algumas imagens do evento elaboradas pela "Localvisão" destacando-se as entrevistas feitas ao Presidente da Câmara de Penamacor, Domingos Torrão,  e à vereadora da Cultura, Drª Ilídia Cruchinho.

Clique aqui para ver o vídeo

VALE DA SENHORA DA PÓVOA
FESTA DE S.TIAGO 2009

PROGRAMA:

DIA 15 DE AGOSTO
09H00 - ABERTURA DO BAR
18H00 - ACTUAÇÃO DO RANCHO FOLCLÓRICO DE VALE DA SRª DA PÓVOA
21H00 - ACTUAÇÃO DOS TROVADORES
 

DIA 16 DE AGOSTO
FILARMÓNICA BOA-VONTADE LORVANENSE
09H00 - ARRUADA
10H00 - MISSA CANTADA PELA BANDA E GRUPO CORAL LITÚRGICO
11H00 - ACOMPANHAMENTO DA PROCISSÃO
16H00 - CONCERTO ESPECIAL DEDICADO
17H00 - RANCHO FOLCLÓRICO DAS ARANHAS
18H00 - ACTUAÇÃO DE ANA & EDGAR
22H00 - GRUPO MUSICAL 2ª GERAÇÃO

(Joaquim Martins - Presidente da Junta de Freguesia)

Volta a Portugal em Bicicleta

Todo o percurso da Volta

Ródão, Castelo Branco, Idanha, Penamacor, Sabugal, Pinhel, Guarda, Fundão, Covilhã, Belmonte, Manteigas, Gouveia, Trancoso e Seia são os concelhos da região percorridos

HÁ ALGUMAS semanas o JF levantou uma pontinha do véu relativamente ao percurso da edição deste ano da Volta a Portugal em Bicicleta e agora apresentamos o itinerário mais detalhado, para que os amantes do ciclismo da região comecem a preparar também a sua “prova”.

Como se sabe, os mais fanáticos acompanham mais do que uma etapa e para isso é importante conhecer todos os locais de passagem. Pois bem, a prova, que decorre entre 5 e 16 de Agosto, foi oficialmente apresentada em Lisboa, que será o local de partida. É lá que se realiza o prólogo do primeiro dia. No dia seguinte (6 de Agosto), na primeira etapa em linha (228 Km), o pelotão arranca das Caldas da Rainha e tem a meta instalada em Castelo Branco (Av. das Palmeiras). A entrada na região faz-se por Vila Velha de Ródão.

Segunda etapa. A ligação entre Idanha-a-Nova e Guarda (175 Km) inicia-se na Av. Joaquim Morão, em Idanha. Seguem-se passagens por Medelim, Aldeia do Bispo, Penamacor, Meimoa, Vale da Sr.ª da Póvoa, Terreiro das Bruxas, Santo Estêvão, Sabugal, Rapoula do Côa, Cerdeira do Côa, Pinhel, Carvalhal e Guarda, com a meta colocada junto do Estádio Municipal.

Terceira etapa. São 164 Km entre Fundão e Gouveia. Início junto ao Pavilhão Multiusos fundanense, em direcção a Aldeia de Joanes, Telhado, Barco, Coutada, Peso, Vales do Rio, Dominguizo, Parque Industrial do Tortosendo, Souto Alto, Peroviseu, Capinha, Caria, Belmonte, Ginjal, Vale Formoso, Valhelhas, Vale de Amoreira, Sameiro, Manteigas, Penhas Douradas, S. Paio e Gouveia, com o final em ligeira subida junto a Estádio Municipal do Farvão.

Quarta etapa. A partida é dada no Campo da Feira em Trancoso (distrito da Guarda) e o pelotão fecha a primeira passagem pela Beira Interior, cortando a meta no alto da Senhora da Graça (158 Km depois).

Nas etapas seguintes, os ciclistas vão circular pela região norte – Felgueiras-Fafe (184 Km), Barcelos-Santo Tirso (174 Km), Póvoa de Varzim-S. João da Madeira (161 Km) e Gondomar-Aveiro (166 Km) – mas regressam no dia 15 de Agosto para a nona etapa, entre Oliveira do Bairro e o alto da Torre. A abordagem à Serra da Estrela é feita por S. Romão, seguindo-se passagens em Seia, Aldeia da Serra, Sabugueiro, Barragem da Lagoa Comprida e Torre, onde se decidirá muita coisa.

A volta fecha no dia seguinte, com um contra-relógio em Viseu (30 Km).

(Jornal do Fundão)

 

11 de Julho de 2009

Lince Ibérico mais perto de Penamacor

O ministro do Ambiente vai estar em Penamacor a 28 de Julho para assinar um protocolo que visa a instalação de um centro de aclimatação do lince ibérico na Reserva Natural da Serra da Malcata.

A novidade foi avançada pelo presidente da Câmara Municipal de Penamacor na inauguração da Feira das Actividades Económicas, que decorre até domingo.

Este é o cumprir de um compromisso assumido aquando da decisão de instalar em Silves, no Algarve, o Centro de Reprodução do Lince Ibérico, referiu Domingos Torrão.

A escolha do Algarve para o centro de reprodução foi polémica e originou o protesto das autarquias de Penamacor e do Sabugal, que partilham o território da Malcata.

A estrutura algarvia foi inaugurada em Maio deste ano. Na altura quando questionado pelo Reconquista o ministro do Ambiente justificou a escolha do Algarve com o facto de a construção ter sido suportada pela empresa Águas do Algarve, como medida de compensação pela construção de uma barragem.

Na mesma altura Francisco Nunes Correia afirmou que a Malcata seria uma das primeiras contempladas com animais, reconhecendo a ligação histórica desta serra ao animal. Mas sem assumir um compromisso.

Dois meses depois o ministro vem a Penamacor assinar um protocolo com Espanha, que deixa o presidente da câmara de Penamacor esperançado.

“Nós não queremos que o lince nos fuja, nós queremos que o lince seja uma mais-valia para Penamacor”, diz Domingos Torrão.

Por: José Furtado
(Jornal Reconquista)

10 de Julho de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

15H30 - Vai ser hoje, finalmente, inaugurada a Central Meleira da Meimoacoop em Vale da Senhora da Póvoa, sendo o Governo representado pelo Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, Fernando Sarrasqueiro.

16H00 - A comitiva segue para a Benquerença a fim de visitar uma cunicultura (criação de coelhos) que já se encontra em funcionamento desde 2008

17H30 - Segue-se a inauguração da salsicharia Vale do Alcaide em Penamacor.

18H30 - Abertura oficial da Facep em Penamacor.

Maria do Carmo Mugeiro (Carmen) vai estar presente para mostrar os seus trabalhos. Se tiverem oportunidade, não deixem de ver as peças de faiança pintadas com os motivos da nossa terra, pequenas maravilhas da Beira Baixa.

(Joaquim Martins - Presidente da Junta de Freguesia)

Salsicharia de Penamacor com produto gourmet
Enchidos poderão entrar no mercado inglês, espanhol e até do Brasil. As lojas nacionais gourmet são, para já, o destino a valorizar
 

Ser empresário nos tempos que correm não é tarefa fácil. Os empresários queixam-se de vários tipos de barreiras que se impõem como entrave ao investimento e iniciativa privadas: a burocracia. Que o diga Humberto Teixeira, proprietário das terras Quinta Vale do Alcaide, em Penamacor."Se não fosse tanta burocracia existente neste País, teria condições para já ter arrancado com a produção há cerca de um ano", revela.

A salsicharia Vale do Alcaide prepara-se para ser inaugurada no próximo dia 10, no âmbito de mais uma edição da Feira das Actividades Económicas de Penamacor (FACEP), mas tem desde há dois anos, muita história. "Os fiscalizadores que vêm a localidades como Penamacor fazer as vistorias, muitas vezes estão tão habituados às regras da União Europeia, para grandes empresas e fábricas, que chegam às pequenas empresas e não sabem como actuar", conta pela experiência por que passou, Humberto Teixeira. O primeiro impulso é "chumbar quase tudo, por vezes sem necessidade, e isto atrasa todo o processo", acrescenta.

(Jornal "Gazeta do Interior")

Cunicultura de Benquerença luta pelo equilíbrio das contas
Em funcionamento há cerca de dois anos, a cunicultura localizada na Freguesia de Benquerença, no Concelho de Penamacor, vai ter a sua abertura oficial no próximo sábado.
 

O proprietário Álvaro Leitão conta que o mercado "está desequilibrado. "Há mais procura que oferta desta matéria-prima (coelhos), mas como os factores de produção aumentaram significativamente, tendo-se o preço do produto mantido, há um claro desequilíbrio", queixa-se o jovem empresário, que criou há dois anos, recém-saído do Ensino Superior, o seu próprio emprego. "Com estas condições, a sobrecarga cai sempre em cima do produtor, que não consegue fazer face ao consequente prejuízo", revela.

(Jornal "Gazeta do Interior")

09 de Julho de 2009

Feira de Penamacor com inaugurações e música

A visita a três empresas e a reabertura do Jardim da República marcam o primeiro de três dias da Facep. Fernando Serrasqueiro inaugura a feira e Marco Paulo o palco.

Em tempo de crise o mel, o coelho e o enchido geram emprego e novas oportunidades de negócio em Penamacor. A inauguração de duas empresas e a visita a uma outra vai marcar a abertura da Feira das Actividades Económicas de Penamacor - a Facep - onde estará o secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor. A inauguração é esta sexta-feira.

Fernando Serrasqueiro começa o périplo na freguesia de Vale da Sr.ª da Póvoa, onde a cooperativa agrícola Meimoacoop ergueu uma central para mel, obra lançada no último mês de Dezembro.

O investimento permite aos pequenos produtores escoar o mel, um dos produtos do concelho que chega a todo o mundo. Situada a poucos metros do centro da aldeia, a central deverá começar a funcionar ainda este mês logo que estiver operacional a conduta de água, assegura Domingos Torrão.

O presidente da Câmara Municipal de Penamacor considera que com a central é preciso desenvolver os meios de comércio do produto e que assim “o rendimento das gentes aumentaria”.

Do Vale da Sr.ª da Póvoa a comitiva ruma a Benquerença, para uma visita a uma cunicultura que já se encontra a funcionar desde 2008. A viagem termina em Penamacor com a inauguração de uma salsicharia tradicional. A empresa fica instalada no antigo matadouro camarário, junto aos Bombeiros Voluntários de Penamacor, sendo o resultado do aproveitamento do Penamacor Finicia, um fundo financeiro para as pequenas e médias empresas desenvolvido no Gabinete de Apoio ao Desenvolvimento Local da câmara de Penamacor. O edifício da salsicharia continua a ser propriedade da autarquia, mas a gestão será do privado.

Tudo somado dá cerca de uma dezena de postos de trabalho, coisa pouca noutros lados mas não em Penamacor. Alguns dos produtos vão ainda ostentar a marca Terras do Lince, criada pela autarquia e que já é divulgada através do mel, azeite, queijo e bolos tradicionais. Outros se podem seguir “desde que a qualidade seja assegurada, da nossa parte haverá sempre essa disponibilidade”, diz Domingos Torrão.

Três dias de feira

A Facep conta este ano com cerca de 120 expositores, mas menos espaço. As obras no Jardim da República e a requalificação do antigo quartel não permitem a instalação de stands, que vão ter de ocupar o Terreiro de Santo António e as ruas em redor deste e da câmara municipal.

A feira custará aos cofres da autarquia cerca de 85 mil euros e em época de vacas magras o cartaz terá apenas dois nomes conhecidos do grande público: Marco Paulo e os Santamaria.

O cantor de “Eu tenho dois amores” actua na noite desta sexta-feira e os Santamaria encerram a feira no domingo. O resto da animação musical fica a cargo “Raízes do Minho” e da “Banda Top 5”, que actuam no sábado. Os concertos começam às 22 horas.

Na tarde de domingo mantêm-se a aposta na prata da casa mas em vez do desfile etnográfico dos anos anteriores a Facep assiste ao Festival de Danças e Cantares, com grupos folclóricos e etnográficos do concelho.

Tal como em anos anteriores o comércio tem carta branca para abrir até mais tarde, em especial os cafés que vão poder funcionar até às quatro da madrugada.

Por: José Furtado
 

06 de Julho de 2009

Serrasqueiro abre feira de Penamacor

O secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor vai inaugurar a Facep - Feira das Actividades Económicas de Penamacor, que abre portas na próxima sexta-feira.

Fernando Serrasqueiro inaugura antes da feira três investimentos ligados ao sector agro-alimentar. Em Vale da Sr.ª da Póvoa será inaugurada a central de mel da Meimoacoop, na Benquerença procederá à abertura de uma criação de coelhos e em Penamacor é inaugurada a salsicharia Vale do Alcaide.

Na mesma tarde será ainda inaugurado o “Memorial em homenagem às terras e às gentes do concelho de Penamacor”, integrado nas obras de requalificação do Jardim da República.

(Jornal Reconquista)

05 de Julho de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

O Grupo de Jovens da Paróquia de Vale da Senhora da Póvoa esteve hoje presente no Convívio de Jovens das Paróquias do Sr. Padre César Nascimento.

Este convívio teve lugar na freguesia do Meimão, e teve o seu início pelas 11H00

Às 12H00 foi celebrada a missa dominical.

Às 13H00 teve lugar o almoço, oferecido pela Junta de Freguesia do Meimão em colaboração com os pais dos jovens.

Terminado o convívio no Meimão, o Grupo de Jovens do Vale e respectivos pais, continuaram a conviver na Meimoa, na Praia Fluvial.

04 de Julho de 2009

Penamacor - Polícia Judiciária detém suspeito de atear 14 incêndios

A Polícia Judiciária anunciou a detenção, após colaboração com a GNR de Penamacor, de um jovem, de 21 anos, suspeito de atear 14 fogos florestais no concelho de Penamacor. "O arguido agiu por motivos fúteis, sendo que relativamente a alguns dos incêndios, depois de os ter ateado, dava deles notícia aos bombeiros", diz a PJ.

(Diário de Notícias)

02 de Julho de 2009

Penamacor - Marca Terra do Lince pode potenciar produtos locais

A Feira das Actividades Económicas de Penamacor quer fazer com que os produtos locais sejam passaporte à produção e comercialização
O cenário da edição deste ano da Feira das Actividades Económicas de Penamacor (FACEP) vai ser o Terreiro de Santo António, onde ficarão concentrados os 120 expositores, fazendo do local uma mostra dos produtos locais. De 10 a 12 de Julho a vila reúne o que de melhor se produz no Concelho, como o mel, os enchidos, o queijo, o azeite, a doçaria tradicional aliadas às actividades económicas que geram emprego. Para a abertura do certame, que contará com a presença de um membro do Governo ainda a confirmar, estão marcadas três inaugurações que espelham a vontade do município em gerar riqueza, criar postos e trabalho e criar unidades locais de produção, explica a autarquia. Na Freguesia do Vale da Senhora da Póvoa é inaugurada a Central Meleira da Meimoacoop, na Benquerença, a Cunicultura Álvaro Luís Gil Leitão. e em Penamacor, a salsicharia Vale do Alcaide. No sentido de dar dinamismo ao incentivo à produção dos produtos que pretendem vir a comercializar a marca Terras do Lince. O presidente da Câmara continua apostado em levar o nome de Penamacor, ao País e ao Mundo utilizando para isso os produtos da terra e feitos por quem sabe. Os saberes aliados aos sabores genuínos podem ser a "tábua de salvação" para o Concelho desertificado.
 
(Gazeta do Interior)

 

01 de Julho de 2009

Faleceu hoje em Lisboa, pelas 15H00, no Hospital Militar Principal, o Sr. Carlos Alberto Adelino Gomes, de 54 anos de idade, ex-militar da G.N.R. natural de Santo Estêvão, no concelho do Sabugal.

Era filho de João Adelino, natural de Vale da Senhora da Póvoa,  e de Joaquina Gomes, natural de Santo Estêvão, casado com a Srª. Ana Olívia Mendes Mugeiro natural de Vale da Senhora da Póvoa e pai de Maria Edite Mugeiro Gomes.

O corpo encontra-se em Lisboa no Hospital Militar Principal e vai ser trasladado amanhã, pelas 10H00, para a Casa Mortuária do Vale da Senhora da Póvoa, onde chegará pelas 13H00.

O funeral será realizado amanhã às 17H30 no cemitério de Vale da Senhora da Póvoa, pela "Funerária Baltazar" do sabugal.

À família enlutada apresentamos os nossos sentidos pêsames.

Penamacor - Torrão garante que não é arguido nem declarante

Passagem da Judiciária pela Câmara dominou atenções. Presidente e oposição desafiaram-se, mutuamente, a recorrerem a Tribunal para provarem insinuações

A TROCA de acusações entre o presidente da Câmara e a oposição voltou a marcar a Assembleia Municipal de Penamacor, realizada dia 25 de Junho, ou não houvesse eleições à vista. A recente deslocação da Polícia Judiciária à Câmara foi, como se previa, um dos temas dominantes, com os membros da coligação “Todos por Penamacor” a solicitar esclarecimentos adicionais a Domingos Torrão. O mote foi dado por António Bento, que acusou o presidente da Câmara de ter dado “uma desculpa esfarrapada”, ao dizer que a investigação em curso diz respeito a factos referentes a 2001. “Ninguém acredita na sua versão”, afirmou António Bento, fazendo saber que “estaremos muito atentos ao desenrolar dos próximos acontecimentos”, e expressando o desejo de que a Judiciária e o Ministério Público “ajudem a clarificar algumas das situações denunciadas pela oposição na Assembleia”. No mesmo sentido, foi a intervenção de Francisco Abreu, que dirigiu, também, duras críticas à gestão da maioria PS.

Dias Lopes, do PS, optou por fazer uma espécie de balanço, falando da “obra feita”, (incluindo projectos da responsabilidade da administração central), mas também de algumas obras que continuam por concretizar. Acusou a oposição de ser “pirrónica”, parecendo “lobos famintos pelo poder”. Nesta Assembleia, o presidente da Câmara, Domingos Torrão repetiu que a investigação diz respeito a 2001, que “não fui ouvido”, “não sou arguido, nem declarante” e que a investigação foi motivada por uma carta anónima. “Orgulho-me de tentar fazer o melhor e não admito que se transforme o salão nobre numa audiência de Tribunal”, afirmou Torrão desafiando a oposição a provar em Tribunal “as irregularidades”, que diz existirem. O mesmo fez a oposição. Acusou Torrão de insinuar que autoria da carta anónima que deu origem à investigação foi da oposição, aconselhando-o a recorrer a Tribunal. “Nós assinamos o que denunciamos e não fazemos cartas anónimas”, garantiu António Bento.

Por: Lúcia Reis
 

JUNHO

30 de Junho de 2009

Novas Empresas em Penamacor

A inauguração de três novas empresas, vai este ano marcar a abertura da Feira de Actividades Económicas de Penamacor.

O certame que vai realizar-se no terreiro de Santo António de 10 a 12 de Julho, deverá ser inaugurado por um membro do governo e logo no primeiro dia, ficará marcado pela abertura de uma Salsicharia Tradicional, uma Cunicultura e a Central Meleira do Vale Sra da Póvoa. Ao todo serão criados cerca de doze postos de trabalho anunciou Domingos Torrão presidente da Câmara de Penamacor.

A FACEP 2009 está orçada em 85 mil euros  e deverá reunir cerca de 120 expositores.

Por: Dulce Gabriel
(Jornal do Fundão)

25 de Junho de 2009

Uma romaria diferente à Sr.ª da Póvoa

Missa, arraial e lanche reforçado. Tudo com a bênção de Nossa Senhora da Póvoa. Foi assim a tarde de sábado, dia 20, num dos santuários mais conhecidos de Penamacor.

Os protagonistas da festa foram cerca de 600 idosos do concelho, que participaram no primeiro Convívio Primaveril de Idosos. A iniciativa da Câmara Municipal de Penamacor “surge de uma vontade expressa pelos nossos idosos de virem à Sr.ª da Póvoa”, refere Ilídia Cruchinho, vereadora da autarquia penamacorense. Algo difícil de cumprir no inverno, devido ao tempo instável.

Este encontro primaveril não implica o fim da reunião de Outubro, até porque esse é o mês do idoso.

Vindos do lar e centros de dia de todo o concelho, os convidados foram ocupando as sombras junto à igreja da Sr.ª da Póvoa, num dia em que o termómetro voltou a ultrapassar os 30 graus. A missa foi celebrada pelos padres Manuel Toscano e César Nascimento.

Depois houve animação, com o Rancho Folclórico de Pedrógão de S. Pedro e lanche partilhado.

A organização de convívios entre os idosos é uma das iniciativas promovidas pela autarquia, que tem ainda programas para apoio à compra de medicamentos e recuperação de habitações degradadas. Neste último a dificuldade passa pelo facto de algumas pessoas não terem possibilidade de financiar parte das obras, já que o apoio camarário é de 50 por cento.

“No entanto temos apoiado várias pessoas a nível de pequenas reparações”, garante a autarca.

Por: José Furtado
(Jornal Reconquista)

 

23 de Junho de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Festas

Em Vale de Lobo existia apenas uma festa anual. A Festa de Nossa Senhora da Póvoa que há cem nos durava oito dias. O tempo foi passando e esta festa passou gradualmente a ter menos dias de duração. Hoje, como se sabe, são apenas dois dias. Para se ter uma ideia de como era esta romaria, é bom consultar o capítulo "Na Romaria da Senhora da Póvoa" que nos dá uma ideia de como era em 1890, ainda no tempo da Monarquia.

Em 1951 foi criada uma nova Festa anual; A Festa de Santiago que começou por ser normalmente em Setembro. Era apenas um dia, mas era cheia de alegria pois não havia ainda meios de informação e entretenimento como hoje. Esta festa compunha-se de missa celebrada por vários sacerdotes, três ou mais, sempre com banda de música. A animação era feita pela banda de música e por acordeonistas, tais como os já falecidos Gomes e Manuel Silva. Creio que o Ângelo Silva também chegou a ser animador nesta festa. Havia também os vendedores de doçarias e outros artigos. Mais tarde, já nos anos 60 ou 70 a data da festa foi alterada para o mês de Agosto em virtude de a emigração ter já atingido um ponto alto e os conterrâneos virem do estrangeiro passar férias nesse mês. Para se ter uma ideia da evolução desta festa, pode consultar-se o capítulo "Festa de Santiago"

A partir dos anos 70, foram organizados esporadicamente alguns convívios (piqueniques) em Lisboa, normalmente levados a efeito pelos mordomos da Festa de Santiago com o fim de angariarem fundos para a mesma. Ficou registado neste site em notícia do dia 25 de Junho de 2006 o último piquenique realizado.

Em 2008 começaram os convívios dos naturais de Vale da Senhora da Póvoa, descendentes e amigos, com carácter anual, festa esta a que chamei "Festa de Nós" e espero que tenha continuidade. Pretendi que esta festa fosse realizada normalmente na zona de Lisboa, em Junho, no solstício de Verão ou no sábado mais perto desta data (21 de Junho), uma vez que a maioria das pessoas do Vale vive nesta região. Estes convívios já estão documentados no capítulo "Convívios". Sou de opinião que esta festa não seja misturada com a Festa da Senhora da Póvoa, ou com qualquer outra.

A Festa dos Antónios, também com carácter regular anual, que merece destaque. Pelo menos já decorre com regularidade desde 2002, mas já existia anteriormente.

À falta de informações mais precisas, limitei-me a fazer uma breve síntese destas festas, presentes na minha memória.

(Américo Valente)

 Vale da Senhora da Póvoa

Idosos do Concelho de Penamacor em convívio no Santuário de Nossa Senhora da Póvoa

No passado dia 20 de Junho, o Município de Penamacor levou a efeito um convívio de idosos no Santuário de Nossa Senhora da Póvoa

Às 15H00 já se encontravam no santuário de Nossa Senhora da Póvoa cerca de 800 idosos do concelho de Penamacor, a fim de participarem neste convívio a eles dedicado, promovido pela Câmara Municipal, que disponibilizou o transporte aos idosos das aldeias do concelho.

15H00 - Missa campal celebrada pelos sacerdotes Manuel Toscano de Penamacor e César Nascimento, pároco de Vale da Senhora da Póvoa, apoiados pelo Grupo Coral desta localidade. Terminada a missa, todos os presentes cantaram em uníssono a "Senhora da Póvoa" acompanhados instrumentalmente por um adufe e um bombo.

6H00 - As pessoas reuniram-se a fim de se deleitarem com um lanche partilhado. Cada aldeia tinha mesas próprias e partilharam entre si o farnel que levaram para o evento.

17H00 - Actuação do Rancho Folclórico do Pedrógão de S. Pedro, que foi do agrado geral.

18H00 - Lanche reforçado oferecido pelo Município, composto de "arroz à Valenciana" e salada de frutas como sobremesa.

A festa terminou com um bailarico ao som de um acordeão, uma concertina tocada pela vereadora da Cultura, Drª Ilidia Cruchinho e por um bandolim tocado por António Cabanas, vice presidente da C.M.P. além de elementos do Grupo Folclórico já mencionado.

Algumas fotos do convívio:

 

     

     

     

 21H00 - Terminou a festa e as pessoas regressaram às suas aldeias, transportadas nos autocarros disponibilizados pelo Municipio

Estas informações foram prestadas por Maria de Jesus Mendes Adelino e por Joaquim Martins, presidente da Junta de Freguesia

(Américo Valente)

Convivio dos Idosos do Concelho de Penamacor - video

 

22 de Junho de 2009

Meimoa a dançar e pedalar

A freguesia de Meimoa vai celebrar no último fim-de-semana do mês a Comenda da Ordem de Avis, com música e uma prova desportiva.

Na noite de 27 de Junho a praia fluvial da aldeia recebe o Festival da Comenda, que contará com a participação dos grupos Narcisos de Manteigas, Rancho Folclórico de Cebolais, Grupo de Cantares do Meimão, Grupo de Cantares da Meimoa e a Orquestra de Harmónicas de Ponte de Sôr.

Na manhã seguinte realiza-se o Bike da Comenda, um passeio de bicicleta todo o terreno com partida em Meimoa e passagens por Benquerença e Vale da Sr.ª da Póvoa.

Por 70 euros será possível participar e depois levar a bicicleta e o capacete para casa, para além de a inscrição dar direito ao almoço e outras ofertas.

As inscrições são limitadas e podem ser feitas através da página da internet da Câmara Municipal de Penamacor, em www.cm-penamacor.pt/bcomenda/01.html.

Estas iniciativas são organizadas pela Associação, Cultural, Desportiva e Recreativa Amigos da Meimoa, Junta de Freguesia de Meimoa, Centro de Dia de S. Domingos e Grupo de Cantares de Meimoa.

(Jornal "Reconquista"

18 de Junho de 2009

Penamacor - Marco Paulo e Santamaria confirmados na FACEP

 
Penamacor recebe de 10 a 12 de Julho a sexta edição da Feira das Actividades Económicas, um certame que pretende ser uma mostra do melhor que há no Concelho
 

Pelo sexto ano, e sempre alternado com um outro evento cultural, a Kulturlândia, este ano a Feira das Actividades Económicas de Penamacor conta no seu cartaz de espectáculos com a presença do artista Marco Paulo, que traz a Penamacor o seu último trabalho De Corpo e Alma e o grupo Santamaria.

Jaime Pires

(Gazeta do Interior)

17 de Junho de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Convívio dos idosos do concelho de Penamacor

No próximo dia 20 do mês corrente, vai ser levado a efeito o convívio de idosos do concelho de Penamacor, no Santuário de Nossa Senhora da Póvoa.

Este convívio esteve marcado para o dia 12 de Outubro de 2008, mas, o local de convívio teve de ser alterado por motivo das chuvas torrenciais que se abateram no concelho, e o evento foi realizado no Pavilhão Polidesportivo de Penamacor, por oferecer melhores condições.

Como o prometido é devido, a Câmara Municipal de Penamacor resolveu levar a efeito este ano, este convívio no recinto do Santuário de Nossa Senhora da Póvoa.

Programa:

15H00 - Missa Campal

16H00 - Arraial popular, com a actuação do Rancho Folclórico do Pedrógão de S. Pedro

18H30 - Lanche reforçado

 

16 de Junho de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Convívio dos "Antónios"

No dia 13 de Junho, dia de Santo António, os "Antónios" do Vale da Senhora da Póvoa, organizaram mais um convívio, como já vem sendo tradição, e teve lugar no recinto das Festas desta localidade.

Estiveram presentes cerca de 80 pessoas, com idades compreendidas entre os 2,5 meses e os 82 anos.

O som esteve a cargo de António Nabais, que disponibilizou uma aparelhagem para o efeito.

A festa começou às 09H00 com as tradicionais entradas que serviram de pequeno almoço. De seguida, as esposas dos Antónios começaram os preparativos para o almoço que teve o seu início às 12H00 com uma bela sardinhada.

Pelas 13H15, foi a vez de saborearem um apetitoso ensopado de borrego, seguido de sobremesas diversas, café e digestivos.

Para surpresa, o convívio foi abrilhantado por dois acordeonistas, que além de animarem o pessoal, percorreram, também, as ruas da aldeia.

Pelas 18H00 teve lugar a missa dos "Antónios" em simultâneo com a da comunidade.

Pelas 19H30 teve lugar o jantar, constituído por Caldo Verde, entremeadas, borrego assado na brasa  e sobremesas diversas.

Neste dia, pelas 23H00 foram cantados os "Parabéns a Você", a António Cameira Cheicho, que completou o seu 61º aniversário de nascimento, onde não faltou o bolo e o champanhe, oferecido pelo aniversariante.

Seguiu-se o bailarico e a convivência entre os participantes, tendo terminado por volta das 24H00.

No dia 14 de Junho, a festa continuou com mais um almoço de "Borrego assado na brasa" e Entremeada, seguido de sobremesas diversas, café e digestivos.

Voltou a haver bailarico ao som da aparelhagem do António Nabais.

Para terminar o festejo, foi servida mais uma sardinhada pelas 18H30.

E assim terminou este magnífico convívio.

Algumas fotos:

     

     

Os mordomos que levaram a efeito este convívio agradecem a participação e presença a todas as pessoas envolvidas.

(Informações prestadas por Maria de Jesus Mendes Adelino e Teresa Silva Cheicho)

13 de Junho de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Convívio dos "Antónios"

Vai hoje ser levado a efeito o Convívio dos "Antónios" de Vale da Senhora da Póvoa. Haverá um almoço e um lanche reforçado no recinto das Festas, seguido de Missa às 18H00.

Antónios! Tenham um óptimo dia.

12 de Junho de 2009

Penamacor - Jovens recordam tempos de D. Sancho

Um grupo de jovens que frequentam a Biblioteca Municipal de Penamacor não quis deixar passar em branco o ambiente que se tem vivido no município, no âmbito das comemorações dos 800 anos do Foral e, decidiram contribuir com um peça de teatro que apresentaram no domingo, na Biblioteca.

A Lenda da Cova da Moura é o nome da peça, cujo tema passa por demonstrar em que condições viviam as crianças penamacorenses, à época de D. Sancho.

A dramaturgia, cenografia e encenação ficou a cargo de Joaquim Nabais.

A peça será ainda apresentada no Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches e, talvez, noutras freguesias do Concelho.

(Jornal "Gazeta do Interior")

Divisão da Câmara de Penamacor assaltada

A Divisão de Obras e Serviços Urbanísticos da Câmara de Penamacor foi assaltada na semana passada.

Os funcionários encontram-se ainda a verificar o que terá sido levado, mas segundo o comandante do destacamento da GNR de Penamacor, sargento Pinto, "pouca coisa foi levada, estava apenas tudo muito remexido".

(Jornal "Gazeta do Interior")

09 de Junho de 2009

Grande carpa pescada na Barragem da Meimoa

A sorte grande saiu a Álvaro Lélé depois de lançar o anzol ao espelho de água da barragem de Meimoa, em Penamacor. Este habitante da freguesia de Benquerença pescou uma carpa de tamanho pouco vulgar. A pesagem revelou 10 quilos de peixe, distribuídos por 68 centímetros de comprimento, de acordo com o pescador.

O fenómeno foi de tal ordem que Álvaro Lélé contactou o Reconquista às primeiras horas da manhã, ainda o peixe estava fresco.

Álvaro Lélé pesca há mais de 30 anos, gosto que começou a ganhar forma estava ele emigrado em França. Hoje em dia é assim que passa os seus tempos livres e o prazer é tal que nem faz questão de ficar com todo o trabalho da sua paciência, dando-o aos habitantes da aldeia.

(Jornal "Reconquista")

 

08 de Junho de 2009

Penamacor - Feira Medieval

No passado dia 31 de Maio, teve lugar em Penamacor a Feira Medieval. Penamacor recuou no tempo 800 anos e reviveu o Foral que foi dado a esta vila por D. Sancho I, no ano de 1209.

Considerada o ponto alto das comemorações da atribuição do foral, a feira medieval juntou cerca de 500 figurantes e foi o culminar de meses de trabalho.

 

 


 

 

Vale da Senhora da Póvoa

Um reencontro que Vale a pena

No fim-de-semana da festa da Senhora da Póvoa, dia 30 de Maio,  um grupo de naturais da aldeia juntou duas centenas de pessoas ao almoço. A internet foi o ponto de partida para muitos reencontros.

Na aldeia de Vale da Senhora da Póvoa os milagres não ficam apenas pela santa que dá nome à terra. A internet também faz das suas e foi graças a ela que muitos dos seus naturais tiveram oportunidade de se juntar pela segunda vez. O almoço convívio dos naturais do Vale teve a sua estreia no ano passado na Lourinhã e este ano ficou por Meimoa, bem mais perto da aldeia natal. Apareceu muita gente a viver na zona de Lisboa, mas houve quem fizesse a viagem de Andorra.

A festa da padroeira foi aliás um motivo para reunir cerca de 200 pessoas e assim “uns aproveitaram a festa para vir ao convívio, outros aproveitaram o convívio para ir à festa”, conta Américo Valente. Foi dele a ideia de criar o sítio http://senhorapovoa.com.sapo.pt que começou a receber comentários e a fazer a ponte entre pessoas que há muito não tinham contacto. Maria Amélia Cameira – mais conhecida como Mélita – é apenas um exemplo

“Eu não via o meu primo Jorge Cameira há 40 anos e vi-o no ano passado”, conta ao Reconquista. Hoje não só retomaram o contacto como estiveram lado a lado na organização do almoço.

“Estes convívios servem precisamente para isso, para estarem junto, com gente da terra” diz esta natural do Vale, que vive em Lisboa mas regressa à aldeia amiúde, para ver os pais.

Muitos dos que estiveram na Meimoa têm em comum não apenas a aldeia mas também o facto de se terem cruzado com a família Lopes Dias.

José e Jaime Lopes Dias já desapareceram fisicamente mas continuam a ter uma marca vincada entre as gentes da sua aldeia. O primeiro como director da escola de enfermagem, hoje Escola Superior de Saúde do Politécnico de Castelo Branco. O segundo como vereador da Câmara Municipal de Lisboa, entre outras funções.

“Tanto um como o outro tiveram um papel preponderante nas pessoas, porque deram a mão para irem para a cidade”, conta Américo Valente.

Não é por acaso que o Vale é terra de enfermeiros. José Lopes Dias conseguiu cativar muita gente para a profissão, lembra Joaquim Martins. O presidente da junta de freguesia é caso disso. “A ele devo a profissão que exerci durante 33 anos”.

Jaime Lopes Dias está perpetuado na memória de muita gente, mas também nas ruas da freguesia. Um busto que o representa foi colocado no largo que tem o seu nome, faltando apenas a inauguração.

O respeito da aldeia pelos Lopes Dias é recíproco e diversos familiares marcaram presença no almoço. João Meireles é amigo e casou com a neta mais velha de Jaime Lopes Dias. “Era um cidadão do mundo, não era um homem que se resumia ao Vale da Sr.ª da Póvoa”, diz, sublinhando que fez muito pela gente da sua terra mas também de Idanha-a-Nova e de Castelo Branco.

Ana Palmeiro, neta de Jaime Lopes Dias, veio de propósito de Lisboa para apoiar o encontro dos naturais da aldeia. “É uma iniciativa de acarinhar e um pouco na perspectiva daquilo que o meu avô fez, não só como homem de letras mas também como homem de humanidade”.

Ainda este ano a família espera comemorar os 119 anos de Jaime Lopes Dias, que se fosse vivo apagaria as velas a 25 de Outubro.

Entrevistas com som:

Por: José Furtado
 

Vale da Senhora da Póvoa

A Festa de Santiago terá lugar nos dias 15 e 16 de Agosto e, uma vez que não há mordomos para o efeito, a mesma será custeada pela Junta de Freguesia, segundo informação do Presidente da Junta.

Brevemente será publicado o programa da festa.

(Américo Valente)

 

03 de Junho de 2009

Romaria da Senhora da Póvoa

Nos dias 31 de Maio e 1 de Junho, teve lugar a tradicional Romaria da Senhora da Póvoa

A Romaria da Srª da Póvoa, é uma das tradições mais marcantes do Concelho de Penamacor, que não perco desde há alguns anos, e é com muito prazer que assisto ao convívio das várias gerações, de todas as condições sociais, sejam do campo ou da cidade, que interagem nesta festa, tendo um ponto em comum “a Senhora da Póvoa”.

As movimentações da romaria da Nossa Senhora da Póvoa começam bem cedo, com os trabalhos dos feirantes na montagem das suas tendas, instaladas na estrada envolvente do Santuário, onde se pode comprar quase tudo, desde os tradicionais adufes, aos artigos “made in China (pena que não vi nenhum stand com os produtos da nossa terra)  e a chegada dos primeiros peregrinos que querem reservar para as suas famílias e amigos, as melhores sombras para o tradicional “piquenique”.

Agradeço à Srª da Póvoa que me proporcionou mais uma vez estes momentos de prazer e emoção, que todos os anos procuro nesta terra que adoptei como minha.    

José Ferreira                                                                   

 

MAIO

31 de Maio de 2009

Faleceu hoje, no Hospital da Covilhã, Amélia de Jesus, de 86 (?) anos de idade, viúva do falecido Joaquim Rosalino.

O funeral realiza-se amanhã às 08H00 no Cemitério de Vale da Senhora da Póvoa.

À família enlutada endereçamos os nossos sentidos pêsames.

 

30 de Maio de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

O tão esperado segundo convívio dos naturais de Vale da Senhora da Póvoa, descendentes e Amigos, ocorreu hoje no Restaurante "Tear" na Meimoa. Estiveram presentes 198 pessoas, como já é sabido através da lista que esteve sempre publicada.

Apenas se lamenta a exiguidade do espaço, mas, a convivência entre as pessoas foi óptima. Brevemente será publicada a informação detalhada deste evento, no capítulo "Convívios". Aguarda-se que os organizadores facultem os dados pormenorizados.

Discurso do Presidente da Junta de Freguesia, Joaquim Luís da Silva Martins:

Caríssimos amigos e conterrâneos;

Antes de mais, na qualidade de Presidente da Junta de Freguesia, saúdo todos os presentes e agradeço a vossa presença neste novo, emocionado e salutar segundo convívio dos naturais e amigos da nossa terra.

Em segundo lugar, tal como fiz no primeiro convívio, não posso deixar de testemunhar a recordação e daqui saudar os nossos conterrâneos/amigos que se encontram migrados no país e nos quatro cantos do mundo.

Aproveito esta ocasião para, certamente, em nome de todos os presentes, lhes reiterar os nossos desejos de óptima saúde e prosperidade e apelar-lhes para que nunca se esqueçam do nosso torrão natal.

Pese embora a velocidade galopante da vida na actualidade, que faz com que, por vezes, nos esqueçamos de muitas coisas importantes, nós continuamos a não nos esquecermos deles, como estou ciente que eles não se esquecem de nós!

Caríssimos:

Passou um ano desde o nosso primeiro Convívio, o qual possibilitou o reencontro físico de alguns de nós e serviu para revivermos de modo espontâneo emoções sentidas há muitos anos.

O nosso primeiro Convívio constituiu um marco no regresso ao nosso passado e um despertar de recordações e sentimentos, até então algo adormecidos. Recordámos velhas histórias da nossa infância e juventude, felizes e descuidadas, e mais um sem número de saudosas vivências dessa época.

Infelizmente, mesmo que quiséssemos, fisicamente nunca mais nos poderemos reunir todos os que marcámos presença no primeiro Convívio. A lei da vida não no-lo permitiu, mas, por muito dura que seja essa realidade, nada nos impede de recordar e estar em pensamento com quem quisermos...

Felizmente, a larga maioria está aqui novamente presente, em conjunto com mais um largo número de amigos que não puderam estar presentes no nosso primeiro Convívio!

Pegando nas palavras da "Melita", escritas no site do Américo, o objectivo primeiro destes nossos Almoços/Convívios, é ... a vontade de estarmos todos juntos e reavivar esta chama de amizade que nos une à nossa linda Aldeia.

Subscrevo inteiramente estas suas palavras e acrescento, somente, que a dita chama de amizade, para além de nos unir à nossa linda Aldeia, UNE-NOS A TODOS NÓS, enquanto membros de uma comunidade de afectos e vivências!

Efectivamente, só nos juntámos mais uma vez porque queremos estar juntos, queremos conviver conjuntamente, recordando percursos antigos e emoções então vividas. Queremos fortalecer as nossas amizades, criadas há muitos anos, quando éramos muitos e bons, quando a nossa terra, como tantas outras, não se debatia com um despovoamento tão grande como se debate hoje.

O Vale tinha então cerca de 1000 habitantes, ou seja, sensivelmente o triplo dos actuais.

Como sabemos, o desenvolvimento económico verificado nas últimas décadas, veio estimular o abandono dos campos e a acentuar o despovoamento das nossas terras, que teve o seu início com vaga de emigração verificada nas décadas de 60 e 70 do século XX.

A nossa terra debate-se, desde há muitos anos, com os designados problemas da interioridade.

A meu ver, na nossa zona, esses problemas só poderão ser combatidos eficazmente, através de uma maior promoção dos nossos produtos artesanais de elevada qualidade, como o queijo, o azeite e o mel, e com a valorização do património histórico, como sejam os castelos da zona raiana, religioso, cujo expoente máximo é, como é óbvio, o Santuário da Senhora da Póvoa, e natural, destacando-se neste aspecto a Serra da Malcata e a albufeira da barragem da Meimoa.

A melaria que a Meimoacoop está a construir na nossa terra, a inaugurar brevemente, onde técnicos especializados irão realizar análises, receitar medicamentos para as abelhas e receber o mel produzido na zona controlada dos concelhos de Penamacor, Sabugal e Belmonte e proceder à certificação do mel, constitui uma estratégia activa de promoção das nossas coisas boas.

Projectos desta natureza podem contribuir profundamente para a reanimação das nossas aldeias e para combater o retrato negro e pessimista como é visto o tema da Interioridade.

Por falar em mel, a Junta de Freguesia decidiu oferecer a todos os presentes um frasco desse tão doce e tão benéfico produto para a saúde, da marca "Terras do Lince", criada pelo nosso município, para servir de recordação deste nosso tão genuíno e salutar convívio.

Creio já ter esgotado o tempo que me foi deferido e a vossa paciência para me ouvirem, por isso e para concluir, quero:

Agradecer sentidamente à Melita, ao Zé Jorge e ao Américo pela iniciativa, pelo esforço e pela dedicação que colocaram na organização deste nosso segundo Convívio, e à gerência do Tear pela qualidade dos serviços até agora prestados;

Agradecer ao senhor padre César pela honra que nos deu com a sua presença;

Manifestar o meu desejo para que o nosso terceiro Convívio venha a ser uma realidade;

Desejar-vos a todos uma feliz festa de Nossa Senhora da Póvoa e muita alegria no desvão da Serra d'Opa;

Finalmente, para os que vivem fora, uma boa viagem de regresso às vossas terras adoptivas.

VIVA O VALE E TODOS OS SEUS FILHOS E AMIGOS!

Bem hajam pela vossa amizade e pela vossa paciência!

29 de Maio de 2009

Penamacor - Dia do Concelho no ex-Quartel

O Dia do Concelho de Penamacor comemora-se na próxima segunda-feira, 1 de Junho, com uma sessão solene marcada para as 10 horas. A cerimónia muda-se este ano dos Paços do Concelho para o antigo quartel, cuja requalificação foi inaugurada há um mês.

Durante a manhã decorrem também actividades inseridas no Dia da Criança, que terão lugar no espaço exterior da Biblioteca Municipal de Penamacor.

À noite, cerca das 21h30, a Academia de Música e Dança do Fundão dará um concerto na esplanada do antigo quartel, aberto a toda a população.

Jornal "Reconquista"

Feira medieval com centenas de figurantes

Cerca de 450 figurantes esperam os visitantes no próximo domingo em Penamacor, para a feira medieval que é um dos pontos altos das comemorações dos 800 anos do concelho. O evento tem início pelas 10 horas, com uma missa na Igreja Matriz, após a qual será lida a carta de foral no Terreiro de Santo António. O cortejo parte desta zona da vila em direcção à zona histórica. É aqui que ao longo do dia haverá música, danças e outras actividades, com destaque para o assalto ao castelo, marcado para as 17h30.

A organização junta a Câmara Municipal de Penamacor e o Agrupamento de Escolas Ribeiro Sanches. A maioria dos figurantes são desta última, que recrutou cerca de 300 alunos de todos os anos, envolvendo ainda pais, auxiliares e professores.

A montagem leva mais de uma semana, mas o trabalho de bastidores tem vários meses, explica António Tomás, professor da escola penamacorense. Fazer um levantamento da roupa ou da música da época foi apenas uma pequena parte de toda a preparação.

O mercado medieval vai ter alquimistas, cambistas, bordadeiras, esparteiros, tecelãs, oleiros, sapateiros, serradores, tanoeiros e outros ofícios, não faltando “cousas de beber, de comer e de bem parecer” refere o programa. A festa só termina perto da meia-noite.

Por: José Furtado
Jornal "Reconquista"

Vale da Sr.ª da Póvoa convive na Meimoa

Os naturais da freguesia penamacorense de Vale da Sr.ª da Póvoa marcaram para sábado, dia 30, um convívio que acontece pelo segundo ano. O encontro junta descendentes e amigos desta aldeia, que vão estar no restaurante "O Tear" na freguesia vizinha de Meimoa.

(Jornal "Reconquista"

28 de Maio de 2009

Terreiro das Bruxas

O Café "Duas Beiras" no Terreiro das Bruxas, foi esta madrugada assaltado. Os amigos do alheio levaram tabaco e dinheiro, O furto rendeu aos assaltantes cerca de mil e quinhentos euros, segundo informação do proprietário do estabelecimento.

Penamacor

Feira Medieval promete ser o ponto alto das comemorações - 31 de Maio

O município de Penamacor comemora, no próximo dia 1 de Junho, segunda-feira, o Dia do Concelho e, para marcar a data, estão já agendadas algumas festividades.
 

A sessão solene comemorativa terá lugar pelas 10 horas, na sala polivalente das novas instalações do ex-Quartel, já recuperado e recentemente inaugurado.

Nesta sessão serão entregues algumas medalhas comemorativas dos 800 anos do Concelho, que este ano serão atribuídas a cada uma das associações do município, bem como à Comissão de Honra das comemorações dos 800 anos do município.

De salientar que o escultor albicastrense José Simão é o autor destas medalhas comemorativas.

Depois segue-se um momento musical promovido pela Academia de Música e Dança do Fundão que, recorde-se, desenvolve trabalho com os alunos de Penamacor.

Neste dia será também inaugurado o Memorial alusivo aos 800 anos.

(Jornal "Gazeta do Interior")

 
Penamacor- Hotel apresentou candidatura e espera por aprovação
 
O processo do Hotel de Penamacor sofreu, nos últimos dias, alguns desenvolvimentos. Depois de muito tempo de espera para candidatar o projecto, há muito efectuado, ao Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN), abriu, recentemente, o concurso e o projecto foi apresentado.
Está agora em fase de apreciação e espera pela sua aprovação. A empresa Malcatur é quem esteve encarregue de todo o processo.
 
(Jornal "Gazeta do Interior")
 

Sabugal - Terreiro das Bruxas
Polícia Judiciária deteve autor de homicídio na forma tentada

A Polícia Judiciária (PJ) da Guarda identificou e deteve um indivíduo de 32 anos, pela presumível autoria de um crime de homicídio na forma tentada, com recurso a uma arma branca, praticado no sábado na localidade de Terreiro das Bruxas, no concelho do Sabugal.
Segundo a PJ, os factos ocorreram no interior de um café e a vítima, um homem de 70 anos, teve necessidade de receber tratamento hospitalar devido aos ferimentos que sofreu.
“Na sequência das diligências levadas a efeito pela PJ, com a colaboração da GNR, foi possível localizar e apreender a arma do crime, bem como outros elementos de prova”, refere o Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda em comunicado.
O detido foi presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação de eventuais medidas de coacção.
(Jornal "Guarda")

24 de Maio de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Informa-se toda a população do Vale da Senhora da Póvoa e visitantes deste site que o Grupo de Jovens da Paróquia do Vale da Senhora da Póvoa  fez a compra de 100 T-Shirts com a imagem da Senhora da Póvoa e que neste momento convém que sejam vendidas uma vez que foi gasto dinheiro.

A pessoa encarregada por esta venda é Renato Silva sendo a ele que se poderão dirigir para encomendar a sua T-Shirt tanto por telemóvel: 926091964 ou pelo livro de mensagens do Sr. Américo onde deve de indicar o seu nome e tamanho como também as quantidades pretendidas.

Também se informa de que a Melita vai disponibilizar ajuda para a venda das mesmas no II Almoço/Convívio dos Naturais do Vale da Senhora da Póvoa. Por isso, quem estiver interessado, pode desde de já encomendar a sua, uma vez que a mesma ficará desde logo reservada.

 O preço  da T-Shirt é 5 euros.

 Existem todos os tamanhos de vestuário normal.

Obrigado!

 

23 de Maio de 2009

Aldeia de João Pires

Um contentor para ajudar Moçambique

Uma jovem do concelho de Penamacor está a promover um projecto de solidariedade para ajudar uma aldeia da província moçambicana de Inhambane. Andreia Martins esteve em Moçambique entre Novembro de 2007 e Março de 2008 como voluntária da organização não governamental espanhola Red Deporte y Cooperación. Uma experiência que a marcou, ao ponto de querer continuar a ajudar a população local mesmo que esteja agora a milhares de quilómetros.

A ideia é arranjar um contentor e através dele enviar donativos em géneros. Coisas simples como livros, material escolar, roupa, calçado ou alfaias agrícolas. Neste último caso a opção é dar meios para que os habitantes locais possam cultivar a terra e assim atenuar as carências alimentares por meios próprios, em vez de estarem dependentes da ajuda alimentar que nem sempre chega ao destino.

A jovem de Aldeia de João Pires já conseguiu um espaço cedido pela junta de freguesia de origem, onde se encontra a trabalhar no projecto aos domingos. A missão começou por ser pessoal, mas espera que siga o efeito bola de neve e chame voluntários. Estes vão ser necessários para a selecção dos donativos.

Em Moçambique trabalhou com instituições que acolhiam crianças órfãs, cuja vontade de aprender esbarrava nas dificuldades. “Há crianças de seis anos que são capazes de trabalhar o dia inteiro para ter um lápis”, recorda a jovem que a poucos metros desta realidade via outras crianças terem acesso a material escolar sem dificuldades.

Estas e outras histórias estão reunidas num diário onde guardou as memórias dos meses de voluntariado em Moçambique. Situações que davam um livro.

Andreia Martins quer enviar o contentor com pelo menos dois voluntários, para dar garantias que as doações chegam ao seu destino. E aproveita para pedir ajuda a alguém que saiba lidar com este tipo de burocracia. Para já conta com o apoio da Biblioteca Municipal de Penamacor que poderá vir a colaborar no projecto. E está já marcado um jantar para conseguir angariar apoios, a realizar a 10 de Junho. Quem quiser colaborar com o projecto pode contactar a jovem através do 96 887 41 15.

22 de Maio de 2009

Recursos hídricos registados “à lupa”

SAI CARO NÃO REGISTAR POÇOS E CHARCAS

O prazo foi alargado, mas as coimas são muito pesadas para quem não proceder ao licenciamento dos recursos hídricos, uma medida que, para muitos, apenas vem anteceder a criação de mais um imposto.

Os proprietários de poços, noras, furos, minas, charcos, barragens ou açudes, para consumo humano, rega ou actividade industrial, têm obrigatoriamente de proceder ao respectivo registo, um período de licenciamento que decorre até 31 de Maio de 2010. A mesma regularização deve ser feita em relação às fossas sépticas.

Apesar das filas à porta dos serviços competentes e da falta de informação, os proprietários ou arrendatários de recursos hídricos ainda têm um ano para regularizar estas situações. Refira-se, contudo, que os proprietários de furos cujos alvarás ainda estão em vigor, só deverão preocupar-se em revalidar esta autorização quando a sua data expirar.

O tema forte dos últimos dias tem sido aquilo a que popularmente já se chama “lei dos poços”, que, para muitos é vista como “um mau presságio, vindo apenas a anteceder a criação de mais um imposto”.

Reconquista foi saber o que diz a lei e o que é preciso fazer para licenciar estes recursos.

A imposição deste licenciamento parte do Decreto-Lei nº 226A/2007, de 31 de Maio, a Lei da Água, que transpõe para o direito nacional a Directiva nº 2000/60/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 23 de Outubro. A Lei da Água define que “todos os proprietários e arrendatários de utilizações dos recursos hídricos, que à data da entrada deste decreto-lei não disponham de título que permita essa utilização, têm que pedir as devidas autorizações. O pedido é obrigatório”.

A lei está em vigor há dois anos, mas a sua fraca divulgação e o seu total desconhecimento por parte da população, levou a que o prazo destes licenciamentos fosse prorrogado por mais um ano, o que o Conselho de Ministros justifica com “o facto das Administrações de Região Hidrográfica terem entrado em funções em Outubro de 2008, o que não permitiu desenvolver ainda uma campanha alargada de divulgação dessa obrigação, de forma a assegurar o maior número possível de adesões, permitindo, assim, atingir o objectivo de dispor de um inventário tão completo quanto possível das utilizações dos recursos hídricos e diminuindo o risco de sanções sobre os utilizadores não titulados”.

O objectivo é “fazer uma espécie de mapa de todos os recursos hídricos que existem no país”, desde “poços, noras, furos, minas, charcas, barragens, açudes ou descargas de águas residuais, assim como as fossas. Tudo tem de estar registado”. A Directiva Europeia estabelece também que, “Portugal tem que fazer uma lista de tudo o que existe debaixo da terra e a forma como esses recursos hídricos estão a ser utilizados”.

O processo de licenciamento é gratuito e, segundo os serviços, bastante simplificado, resumindo-se a um requerimento, se bem que junto devem constar as características da captação, localização, exploração e o relatório de peritagem técnica da captação, efectuada por um técnico com formação na área da hidrogeologia (no caso de se tratarem de captações posteriores a 2007).

Após apreciação, será emitido o respectivo título de acordo com a legislação (Licença ou Autorização), pelos serviços da Administração da Região Hidrográfica do Tejo, IP (ARH do Tejo), que tem sob a sua jurisdição também o distrito de Castelo Branco.

Se chegados a Maio de 2010 e ainda houver situações por regularizar, os seus proprietários incorrem numa contra-ordenação muito grave, sendo que a coima para particulares pode ir de 25 mil a 37.500 euros e, no caso de pessoas colectivas, de 60 mil a 2,5 milhões de euros.

Por: Lídia Barata

O que fazer e onde

O licenciamento e a regularização da utilização dos recursos hídricos são feitos, em Castelo Branco, nos serviços da Administração da Região Hidrográfica do Tejo, IP (ARH do Tejo), na Rua de São João.

Contudo, a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) celebrou um protocolo com o Ministério do Ambiente que permite às organizações de agricultores colaborarem também nesta tarefa de regularizar as utilizações de recursos hídricos não tituladas.

No concelho de Idanha-a-Nova, o presidente da Câmara Municipal já fez saber que “esta é também uma questão de segurança”. Álvaro Rocha adianta que vai propor à Segurança Social recrutar algumas das pessoas que já terminaram o seu período de desemprego e, com uma comparticipação de ambas as instituições, colocá-las nas freguesias, no sentido de ajudarem a fazer este levantamento e licenciamento, com o apoio dos serviços técnicos da autarquia, uma tarefa que reconhece não ser fácil, sobretudo para os agricultores e pessoas mas idosas.

Para fazer o registo é necessário o preenchimento de um formulário próprio, cedido pela ARH do Tejo, onde consta a identificação de quem faz o pedido (proprietário ou arrendatário) de emissão do título de utilização dos recursos hídricos para captação de água subterrânea. Mas nele constam igualmente as características da captação, nomeadamente localização que deve ser acompanhada de uma carta militar ou uma planta de localização (que pode ser obtida nos serviços técnicos da Câmara), um P3, ou ainda uma fotografia aérea obtida na Internet (www.google.pt/earth; http://maps.google.pt/maps ou em http://mapas.sapo.pt), documento que deve constar em anexo. Neste requerimento também se pergunta a finalidade da utilização, se para consumo humano, para rega, actividade industrial, pecuária, actividade de recreio ou de lazer ou outra, bem como se destina a uso particular ou colectivo, esmiuçando depois cada um destes itens. Do formulário consta também o tipo de captação (furo vertical, poço, furo horizontal, mina, galeria ou outro); qual a sua profundidade; diâmetro máximo; comprimento; ano de execução; regime de exploração; volume médio anual; mês de maior consumo; volume máximo mensal para o mês de maior consumo; que tipo de equipamento de extracção é usado (manual, combustíveis fósseis ou eléctrico e, neste caso, que potência é usada); qual o caudal da exploração; a percentagem do rendimento; e a profundidade de instalação.

A par do preenchimento deste requerimento que os serviços qualificam de “simples”, devem ser ainda anexados, o Cartão de Cidadão (ou Bilhete de Identidade e Contribuinte), uma declaração da entidade gestora respectiva da impossibilidade de integração na rede pública de água (quando a finalidade da utilização é o consumo humano), a representação gráfica (já referidos na localização), relatório de execução dos trabalhos de pesquisa (se disponível) e uma declaração de utilização dos recursos hídricos de vários utilizadores (se aplicável).

Por: Lídia Barata
 

21 de Maio de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

2º Convívio dos Naturais de Vale da Senhora da Póvoa, descendentes e amigos.

Este Convívio, como já é sabido, terá lugar no próximo dia 30 de Maio, às 12H30, no Restaurante "Tear", na Meimoa, de acordo com a Nota da Organização que se segue:

A Organização do Almoço/Convívio informa todos os inscritos para o mesmo, que a hora de inicio da refeição será ao meio dia e meio (12 Horas-30 minutos) para que o lanche possa ser servido mais tarde a horas a combinar!!! Solicitamos também que as pessoas que possam disponibilizar lugares nos respectivos carros para quem não o possui, o façam dentro da solidariedade que as gentes da minha terra SEMPRE têm demonstrado!! Peço que divulguem esta informação às pessoas que não têm acesso a este site!!! Mais uma vez OBRIGADA Américo por teres disponibilizado este espaço para que toda a informação fosse difundida!!!

Aproveita, também, para informar o seguinte:

A convite expresso da Junta de Freguesia do Vale da Senhora da Póvoa, na pessoa do seu Presidente, Joaquim Martins, informa-se que estará presente no Almoço/Convívio do dia 30 de Maio, o Sr. Padre César!!! A todos os inscritos, esta Organização está muitíssimo agradecida!!!

Penamacor - Polícia Judiciária investiga Câmara

Chegada da Judiciária apanhou de surpresa eleitos e trabalhadores. Investigadores vedaram acesso aos gabinetes do presidente e principais colaboradores

A PACATEZ da vila de Penamacor foi sacudida, a semana passada, com a chegada da Polícia Judiciária à Câmara Municipal. Uma equipa, constituída por cinco elementos, apresentou-se no edifício, quinta-feira de manhã, dia 14, apanhando de surpresa os membros do executivo e os trabalhadores da autarquia. E se surpreendidos já estavam, mais intrigados ficaram quando os investigadores vedaram o acesso aos gabinetes do presidente Domingos Torrão, do vice-presidente, António Cabanas e seus principais colaboradores, no primeiro piso do edifício.

Passaram o resto do dia na Câmara e voltaram no dia seguinte, mas por menos tempo. Informação não confirmada dá conta que os elementos da Polícia Judiciária terão inclusivamente levado um computador, supostamente utilizado pela secretária do presidente.

Nos dias que se seguiram à presença da Judiciária não se falava de outra coisa na vila de Penamacor, onde, de resto, a convivência político-partidária tem sido marcada por profundas divergências. As guerras repetem-se há dois mandatos consecutivos, chegando a atingir proporções que em nada dignificam os órgãos autárquicos.

Não são conhecidas para já as verdadeiras razões que motivaram esta investigação à Câmara de Penamacor. Há anos que a oposição lança suspeitas sobre a falta de transparência em processos como o do famigerado hotel, que ainda não foi criado, a adjudicação de obras e até mesmo sobre alegados favorecimentos. É vasto o rol de situações que a oposição tem denunciado junto da Inspecção-Geral da Administração Local por configurarem alegadas irregularidades. “Ao longo destes dois mandatos temos apresentado dezenas de situações que consideramos irregulares, mas apesar disso nada se resolvia”, disse ao JF o vereador da oposição Vítor Gabriel.

A investigação poderá ter sido desencadeada por iniciativa da Inspecção-Geral da Administração Local ou do próprio Ministério Público, que, recorde-se, mandou extrair certidões na sequência de um julgamento em que foi condenado um habitante da Meimoa, acusado de difamar o presidente da Câmara. Nesse julgamento, os depoimentos de eleitos da oposição, que integravam o rol de testemunhas, poderão ter servido para adensar as suspeitas.

O JF efectuou várias tentativas para colher uma reacção do presidente da Câmara de Penamacor, mas todas as tentativas (telefone fixo e telemóvel) saíram goradas. Do lado de lá da linha, o telefonista de serviço disse, em horas diferentes, ao JF que Domingos Torrão, António Cabanas e Ilídia Cruchinho não se encontravam na Câmara. Infrutíferas foram também as tentativas junto da Judiciária de Coimbra para confirmar a investigação.

Por: Lúcia Reis
(Jornal do Fundão)

 

18 de Maio de 2009

Meimoacoop abre central meleira para divulgar Malcata
 
O mel produzido será comercializado com a desginação de duas marcas, a Terras do Lince e a da Serra da Malcata
 

No final do mês abre a melaria da Meimoacoop - Cooperativa Agrícola e de Desenvolvimento Rural, com sede na aldeia da Meimoa, em Penamacor.

A construção da central meleira no Vale da Senhora da Póvoa, num terreno com seis hectares de área adquirido pela cooperativa e anunciado a 12 de Dezembro, está praticamente concluída e a abertura acontecerá dentro do calendário previsto pelo presidente da Meimoacoop, Domingos Bento. A certificação do mel está garantida, numa fileira que se inicia aquando da sua extracção até ao ponto de venda e que cumpre todos os requisitos legais. A Meimoacoop terá produção própria através de 500 colmeias e o resto será fornecido por apicultores individuais a quem a cooperativa pode fornecer apoio técnico, na zona controlada de Penamacor, Sabugal e Belmonte. Domingos Bento recorda o percurso da Meimoacoop, para afirmar que "as carências que existiam era na parte apícola", de onde resulta que "há cerca de dois anos foi criada uma secção apícola dentro da cooperativa, para agarrar a fileira do produto, desde o início até à sua comercialização".

(Jornal "A Gazeta do Interior")

 
Penamacor - Ninguém fica por estudar por falta de apoios
 
Penamacor é dos poucos concelhos que atribui bolsas de estudo para jovens carenciados que frequentem o Ensino Superior. O valor do apoio pode chegar aos 120 euros mensais
 

O Concelho de Penamacor está dotado de um Agrupamento de Escolas, denominado Ribeiro Sanches, que envolve todos os ciclos de Ensino, desde o pré-escolar até ao ensino secundário (1º ciclo, 2 e 3º ciclos e secundário).

A vila tem ainda um jardim-de-infância particular, gerido pela Santa Casa da Misericórdia. Os restantes nove jardins-de-infância do município, com cerca de 80 crianças, localizam-se nas Águas, Aldeia do Bispo, Benquerença, Meimão, Meimoa, Penamacor, Salvador e Vale da Senhora da Póvoa. As escolas do 1º ciclo, com cerca de 180 crianças ao todo, funcionam na Benquerença, Aldeia do Bispo, Penamacor, Águas, Pedrógão de São Pedro e Salvador.

Os restantes ciclos de ensino operam na sede do Agrupamento de Escolas, em Penamacor.

Para o pré-escolar e 1º ciclo, ciclos sobre os quais a Câmara tem maiores competências atribuídas, são fornecidos apoios às famílias. A autarquia assegura gratuitamente o prolongamento de horário das instituições escolares, das 15h30 às 17h30, assim como assegura gratuitamente o fornecimento das refeições e transportes escolares, para as crianças deslocadas e outras com necessidades económicas.

(Jornal "A Gazeta do Interior")

15 de Maio de 2009

Penamacor - História com colóquio na câmara municipal

O Salão Nobre dos Paços do Concelho de Penamacor abre as portas no sábado a mais uma conferência no âmbito dos 800 anos do foral. “Dos Descobrimentos à queda do antigo regime” é o tema do próximo encontro.

Os trabalhos começam pelas 10 horas com “Penamacor na expansão ultramarina”, com Joaquim Candeias da Silva, da Academia Portuguesa de História. (Ver foto).

Moutinho Borges, conservador do Museu da Ordem Hospitaleira de S. João de Deus, falará sobre a história e memória do Real Hospital Militar de Penamacor.

Depois do almoço os trabalhos são retomados com Maria Antonieta Garcia, da Universidade da Beira Interior, a falar de Ribeiro Sanches.

Os trabalhos encerram com uma abordagem da Igreja do Convento de Santo António, por Ana Rita Canavarro, do Centro de Interpretação da Fundação Batalha de Aljubarrota. A organização preparou uma visita guiada a este monumento.

O Dr. Joaquim Candeias da Silva esteve na Festa da Senhora da Póvoa de 2008, e escreveu um artigo sobre a mesma, mas ainda não foi publicado.

Casteleiro - Novo empreendimento cria 30 empregos

A Casa da Esquila, um novo projecto da área da hotelaria, deverá criar cerca de 30 novos postos de trabalho na freguesia de Casteleiro, no concelho do Sabugal. O projecto da empresa Esquila Real recebeu aprovação das autoridades competentes, estando o arranque das obras previsto para o final deste mês de Maio, anuncia a empresa.

A freguesia onde vai ficar instalado o novo empreendimento fica a 25 quilómetros de Penamacor e a apenas seis da freguesia de Vale da Sr.ª da Póvoa, que faz fronteira com o concelho do Sabugal.

De acordo com os promotores, a Casa da Esquila terá dois restaurantes com capacidade total para 300 pessoas, uma piscina coberta e aquecida, um parque infantil, parque de estacionamento para 150 viaturas e um espaço multiusos.

(Jornal Reconquista)

11 de Maio de 2009

Caros conterrâneos e amigos!!!
Dado o já elevado número de inscrições para o nosso Almoço/Convívio, e sendo a lotação do TEAR de 200 pessoas, e para que tudo corra muito bem, agradeço que quem ainda quiser inscrever-se, o faça até ao dia 20 de Maio inclusivé!!! Agradeço também às pessoas que se encontram em "standby" digam à organização, a sua comparência ou não!!! Como devem calcular sentimo-nos muito orgulhosos do enorme grupo de pessoas que estão inscritas, gostaríamos que fossem o dobro ou o triplo...mas a lotação do restaurante não o permite...ficará para uma próxima vez, talvez numa tenda gigante a montar na Senhora da Póvoa...porque não??? Agradeço a todos os que de uma forma ou outra têm colaborado neste projecto!!! BEM HAJAM!!!

(Maria Amélia Cameira)

09 de Maio de 2009

Faleceu hoje, pelas 08H00, na sua residência em Teixoso, Maria Teresa de Jesus Melo, de 67 anos de idade, natural de Vale da Senhora da Póvoa, esposa de José Luís Amaral Rodrigues.

O corpo vai permanecer na sua residência em Teixoso e seguirá amanhã directamente para o cemitério de Vale da senhora da Póvoa às 16 horas.

O funeral será amanhã por volta das 16H30 no cemitério de Vale da Senhora da Póvoa

À família enlutada endereçamos os nossos sentidos pêsames.

06 de Maio de 2009

Soalheira - Mais de 20 mil queijos vendidos em três dias

Organização diz que certame ultrapassou expectativas com maior número de expositores (38) e de visitantes, mais negócio e também mais espectáculos.

Mais visitantes, maior número de expositores e de espectáculos confirmaram a edição deste ano da Feira do Queijo da Soalheira como uma “boa” oportunidade de negócio e de afirmação daquele que é um produto regional de excelência. Os promotores da iniciativa falam em cerca de “trinta mil visitantes” e num número record de cerca de 20 mil queijos vendidos, ao preço médio de sete euros e meio cada.

“Mandámos fazer 20 mil sacos para as queijarias e ficaram esgotados sábado ao meio dia. A feira deste ano superou as expectativas, com 38 expositores, e dez queijarias” disse ao JF Ivan Rocha, da Associação de Queijeiros, sublinhando que continua a haver queijeiros que não estão devidamente equipados para participarem neste tipo de iniciativas, de acordo com as novas regras. Quem sabe diz que a qualidade do queijo está a ressentir-se com regras tão apertadas.”

Sobre a oportunidade e importância desta Feira do Queijo, o tom é unânime. “Esta feira é importante e poderá ser um embrião para revitalizar a economia”, disse ao JF, João Ferreira, empresário do sector dos transportes, opinião, aliás, partilhada por outros naturais da freguesia. Neste certame dedicado ao queijo produzido na região, as demonstrações funcionaram com atracções principais. Sob o sol escaldante de domingo à tarde, foram muitos os visitantes que pararam frente à francela gigante instalada no pavilhão da Associação de Queijeiros da Soalheira para acompanhar os vários passos do fabrico do queijo de ovelha, que, não gosta de mãos quentes porque, explicou António José, “escaldam a cara ao queijo”. A experiência é meio caminho andado, num processo que quanto mais demorado for melhor. A alguns metros de distância, a atracção era a tosquia. Tarefa difícil, que implica mãos hábeis e imobilização do animal. João Almeida, o tosquiador de serviço veio da Lardosa, onde aprendeu o ofício que caiu em desuso com a tosquia mecânica.

NOTA

“É importante alargar esta feira à participação de maior número de queijarias do concelho do Fundão”, disse ao JF o presidente da Associação de Queijeiros, defendendo também o reforço do número de expositores para uma feira que deixou este ano de fora alguns interessados por manifesta falta de espaço. “Havia algumas empresas que queriam estar presentes e que tivemos de recusar por falta de stands”. Entre os aspectos a melhorar, Ivan Rocha salienta também a necessidade de o espaço físico da feira ser alargado.

Por: Lúcia Reis
 

03 de Maio de 2009

Faleceu hoje, na sua residência, pelas 18H15, em Vale da Senhora da Póvoa, a Srª. Maria da Piedade Lourenço, com 95 anos de idade, mãe de Matilde Mugeiro e irmãos.

O corpo encontra-se na Casa Mortuária do Vale da Senhora da Póvoa, desde as 19H15.

O funeral terá lugar amanhã às 17H30 no cemitério de Vale da Senhora da Póvoa.

À família enlutada endereçamos os nossos sentidos pêsames.

02 de Maio de 2009

Faleceu hoje, pelas 12H00, no Hospital de Castelo Branco, onde se encontrava internada desde 29 de Abril, a Srª. Teresa Soares Gomes, com 75 de idade, esposa de António Carlos  (Pacho), mãe de Maria Teresa Gomes Carlos Serra.

O corpo encontra-se na Casa Mortuária de Vale da Senhora da Póvoa desde as 18H30

O funeral será realizado amanhã, às 16H30, no Cemitério de Vale da Senhora da Póvoa.

À família enlutada endereçamos os nossos sentidos pêsames.

ABRIL

30 de Abril de 2009

Queijo e muito mais na Soalheira

Animação de rua, tasquinhas, artesanato e muito queijo é o que promete a organização da Feira do Queijo de Soalheira, que decorre de 1 a 3 de Maio nesta localidade do concelho do Fundão.

O evento abre portas na tarde do Dia do Trabalhador, com a arruada dos Bombos da Soalheira. Na primeira noite, pelas 21 horas, sobe ao palco o grupo de Adufeiras do Paul, que apresenta o projecto “Cantos da Terra”.

Logo a seguir Luís Antunes apresenta o espectáculo “20 anos de Canções”.

O segundo dia começa com as jornadas do queijo (10h30). Durante a tarde actuam o Rancho Folclórico de Soalheira (17h30) e à noite (22 horas) o grupo de percussão Tocándar.

O terceiro e último dia começa pelas 10h30 com uma formação sobre ordenha e demonstração de tosquia manual. Da parte da tarde aprende-se a confeccionar queijo e travia. Os Bombos da Soalheira, a animação de rua Ovelha Negra e a actuação da banda ADN, da Soalheira, completam o programa.

A organização preparou ainda um programa turístico para os três dias, com visitas a Castelo Novo e a uma queijaria tradicional, entre outros pontos de interesse. As marcações podem ser feitas junto da empresa municipal Fundão Turismo, pelos telefones 275 779 040 e 275 776 503; pelos endereços de correio electrónico geral@fundaoturismo.pt e produtosturisticos@fundaoturismo.pt e ainda pela página www.fundaoturismo.pt.

 

Penamacor - ”Novo” quartel inaugurado no dia da liberdade

O exterior e parte de um dos edifícios mais conhecidos de Penamacor foram remodelados por completo. A ampliação do museu é o próximo passo.

Diz quem o conheceu que não parece o mesmo. E na prática não é. O ex-Quartel de Penamacor, que agora tenta impor a designação de Convento de Santo Estêvão, está de cara lavada e preparado para receber novos inquilinos.

O exterior já não guardava segredos e nos últimos meses tornou-se em ponto de encontro dos penamacorenses, graças ao café e ao restaurante que entraram em funcionamento.

O interior era ainda uma incógnita, desfeita na inauguração a 25 de Abril. Do velho quartel ficaram apenas as salas onde funcionou em tempos a junta de freguesia, modernizando-se os espaços mas mantendo-se as divisões. Conservou-se assim uma sala onde saltam à vista os azulejos e um painel com a figura de D. Nuno Álvares Pereira, feito santo no dia seguinte à inauguração.

Quanto ao espaço por cima da antiga biblioteca, hoje repartição de Finanças, foi completamente remodelado, contando com um salão que serviu de auditório para a apresentação de um trabalho de Moutinho Borges. O investigador tem dedicado muito do seu tempo a estudar o passado do edifício, cuja história vai muito para além da época em que esteve ligado à ditadura de Salazar e Caetano. Até 1790 foi hospital militar e em tempos mais recuados convento, designação que os responsáveis tentam agora recuperar.

Em relação à antiga Companhia Disciplinar, que vigorou durante parte do século XX, Moutinho Borges desfaz o equívoco de quem se refere a ela como uma prisão no sentido tradicional do termo.

“Nunca foi uma cadeia, era um presídio militar e todos os que se revelavam contra o governo de então eram aqui colocados”, esclarece.

As obras foram inauguradas pelo secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e das Florestas. Ascenso Simões diz que o edifício é uma referência da história militar, mas também do antigo regime ditatorial e da resistência a este. Quanto à nova vida “o que importa é que tenhamos memória e possamos adaptar o edifício às novas realidades”, entende o governante.

A recuperação custou um milhão e 300 mil euros e destina-se à instalação do departamento de obras da autarquia, da escola de música e do arquivo municipal. Este último ficará no edifício a título provisório, até que esteja pronta a casa definitiva, no antigo posto da GNR junto ao colégio.

O presidente da Câmara Municipal de Penamacor diz que a autarquia já se encontra a trabalhar na segunda fase da obra, que tem como objectivo a ampliação do Museu Municipal de Penamacor, que há anos rebenta pelas costuras.

“Esperamos que brevemente possamos deitar mãos à obra, porque há muitas peças que estão em locais menos dignos e próprios”, assume Domingos Torrão.

Por: José Furtado
 

28 de Abril de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Faleceu hoje, pelas 10H45, em Vale da Senhora da Póvoa, o Sr. Porfírio Mugeiro Bogas, de 85 anos de idade.

O corpo encontra-se na Casa Mortuária desta povoação desde as 17H10.

O funeral terá lugar amanhã, pelas 18H30, no cemitério de Vale da Senhora da Póvoa.

À família enlutada endereçamos os nossos sentidos pêsames.

 

No Domingo, dia 19 de Abril pelas 15H30 deslocou-se ao Vale da Senhora da Póvoa,  o Sr. Bispo da Guarda D. Manuel Felício, a fim de celebrar missa no Santuário da Senhora da Póvoa e fazer a bênção do novo altar e  ambão.

No final houve um beberete, como já vai sendo hábito em ocasiões festivas.

Brevemente poderão ver esta notícia mais detalhada, com fotos alusivas. no Capítulo "Santuário da Senhora da Póvoa"

 

26 de Abril de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Hoje, Domingo dia 26, teve lugar um Convívio no Largo das Festas de S. Tiago, organizado e oferecido pela Associação de Caça e respectivos caçadores, conforme tinha sido anunciado no dia 24 no Livro de Visitas, por António Reis.

Estiveram presentes cerca de 200 pessoas a saborear o ENSOPADO DE JAVALI, acompanhado de batata cozida ou arroz solto.
 

Faleceu esta manhã, pelas 10H45 no Hospital da Covilhã onde tinha sido internado ontem, José Manuel Mugeiro Baptista (Zé Gordo), filho de José Joaquim Baptista e de Maria da Conceição, pai de Tânia Batista.

O corpo encontra-se na Casa Mortuária de Vale da Senhora da Póvoa, desde as 15H50.

O funeral terá lugar amanhã às 17 horas no cemitério de Vale da senhora da Póvoa.

À família enlutada, os nossos sentidos pêsames.

Nuno Álvares Pereira: "Um português nobre e ilustre", diz Cavaco Silva

26 de Abril de 2009, 10:25
 

Para marcar a canonização de Nuno Álvares Pereira, Cavaco Silva gravou uma mensagem em vídeo onde presta homenagem a "um português nobre e ilustre".

A cerimónia de canonização de Nuno Álvares Pereira realizou-se esta manhã no Vaticano.

"Congratulo-me pela canonização de Nuno Álvares Pereira e estou certo de que este gesto ficará inscrito na nossa memória colectiva e será motivo de orgulho e de alegria para todos os que amam o nosso País e a sua história.", conclui o Presidente da República.

Video da mensagem do Presidente da República

História de Portugal - Nuno Álvares Pereira

24 de Abril de 2009

Benquerença quer Parque de Campismo
 
O Parque será construído nos seis hectares de terreno da Praia Fluvial. O projecto está avaliado em um milhão e meio de euros
 
A Junta de Freguesia de Benquerença está a aguardar os resultados de uma candidatura que apresentou, em Dezembro passado, ao Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE), para a construção de um Parque de Campismo, na zona da Praia Fluvial, denominado por O Moinho da Benquerença, que é já utilizado como Parque de Auto Caravanismo.

(Gazeta do Interior)

Penamacor - Recordações da Companhia Disciplinar

O actor e encenador Hélder Costa foi um dos presos políticos que passou pelo quartel de Penamacor. Quase 50 anos depois a experiência é recordada com algum humor à mistura, como o dia em que os presos foram ao cinema.

O 13 de Maio de 1962 ficou gravado na memória de Hélder Costa. Enquanto o país estava de olhos postos em Fátima, ele rumava ao desconhecido em Penamacor. A viagem foi tendo-a como segura à medida que desafiava a ditadura. Enquanto universitário assinou um documento que reclamava a liberdade feminina e como dirigente de um conselho de repúblicas conseguiu impor uma moção que exigia a Salazar a libertação dos colegas presos pela PIDE, a polícia política do antigo regime.

A polémica estava garantida antes mesmo de o texto chegar ao conhecimento dos destinatários. Durante a discussão alguns estudantes que apoiavam o regime opuseram-se ao texto aprovado pelo conselho. “E é evidente que eu fui denunciado por esses tipos à PIDE”, diz Hélder Costa. A agressão ao reitor também não ajudou.

Foi interrogado pela PIDE e esperou durante algum tempo pelo desterro. A espera foi tanta que chegou mesmo a questionar porque não ia para Peniche, como outros presos políticos. Hoje o fundador da companhia de teatro “A Barraca” sabe que o seu caso serviu de exemplo para atemorizar outros da sua idade, até porque era conhecido na academia.

Assim que chegou a Penamacor foi chamado ao comandante “para ouvir para termos juízo”. Os avisos de pouco serviram. Logo na primeira alvorada ele e os outros foram acordados à chibatada por um cabo. Hélder Costa conta que deixou-se estar na cama. O militar praguejou, mas virou costas.

Horas depois acontece a primeira aula de conduta militar, com um alferes da PIDE acompanhado do cabo da chibata. Perante a lição de moral que estavam a receber contou a situação, o que motivou o alvoroço entre os restantes. Resultado: foi chamado ao comandante, acusado de agitação e proibido de ir às aulas de conduta militar, higiene e religião.

A Companhia Disciplinar de Penamacor não era uma prisão como as outras. Os presos políticos conviviam com presos de delito comum e até podiam sair, desde que respeitassem algumas regras. “Houve momentos de violência, chatos, mas depois consegui ter uma boa relação com os ladrões”, conta Hélder Costa. A conversa por telefone é pontuada por algumas gargalhadas, ao recordar situações que viveu no meio dos verdadeiros presos.

O actor e encenador conta que aprendeu a roubar carteiras e a fazer chaves falsas. Em troca dava aulas de política aos ladrões. Ao mesmo tempo ia ganhando a confiança dos militares, com quem chegou a jogar poker.

O prestígio granjeado entre os ladrões era tal que quando se soube que viria a Penamacor um filme com a actriz espanhola Sarita Montiel eles lhe pediram para interceder junto dos oficiais. Conseguiu e desta forma “a malandragem foi toda ao cinema”.

No fim da sessão um dos ladrões virou-se para ele e disse que não cedeu à tentação de deitar a mão a uma carteira alheia, cujo recheio saltava à vista do meliante.

Hélder Costa recorda ainda que foi júri de uma espécie de concurso para ver quem era o melhor ladrão. Cada um dos participantes puxou pelos galões de gatunagem, mas o vencedor arrebatou a vitória dizendo que se fosse necessário… até sabia trabalhar. “Tinha que ganhar, é evidente!”

Entre os detidos havia momentos de violência, mas ao mesmo tempo uma grande solidariedade e até uma certa ética. Ao ponto de Hélder Costa emprestar dinheiro aos ladrões e estes o devolverem. É por estas e outras razões que hoje diz que a sua passagem por Penamacor “serviu-me para aprender muita coisa sobre o comportamento humano”.

Nunca mais voltou a Penamacor, apesar de há alguns anos ter estado no concelho com “A Barraca”, a apresentar uma peça na Semana Cultural de Benquerença. O regresso não é de excluir, tendo em conta que a cultura é uma das utilizações do espaço agora renovado.

Por: José Furtado

Penamacor - Desertor por decreto

João Luís Sousa militou em movimentos estudantis a partir de 1962 e chegou a Penamacor quatro anos depois. Na Companhia Disciplinar cumpriu serviço militar como soldado raso. Os tempos que se viviam eram como a analogia do copo meio cheio ou meio vazio. Em Penamacor diz que “havia ali uma tropa que não era tropa”, que era “uma meia prisão” e que tinha gente “meia condenada”.

Como preso político tinha o privilégio de sair à rua, ainda que confinado a uma certa área e devidamente fardado. Mas de vez em quando passava dos limites impostos.

Havia algum convívio com a população, mas coisa pouca. O facto de viver entre presos de delito comum era motivo para ser olhado de lado por quem vivia na vila. Para um jovem atento aos encantos do sexo oposto a frustração era mais que muita. “As moçoilas da altura não ligavam a essa gente”, conta João Luís Sousa.

Com o tempo foi ganhando amizades e a compreensão de quem sabia distinguir as coisas. “Ainda me lembro que na tasquinha se podia ficar a dever”, relata.

Certo dia apresentou um requerimento ao então ministro da Guerra para ir fazer uns exames ao Porto. O despacho saiu em Diário do Governo e o comandante não teve outra hipótese a não ser acatar. Não sem antes dizer: “eu tenho a certeza que não te ponho mais a vista em cima”. Acertou em cheio. Assim que se apanhou em liberdade, João tratou de sair do país e exilou-se na Bélgica.

Depois do 25 de Abril voltou uma única vez a Penamacor, mas espera regressar em breve para ver como ficou aquele que na vila é conhecido como o ex-quartel.

Por: José Furtado
 

23 de Abril de 2009

Arlindo de Carvalho no auditório da Rádio SIM

Hoje, pelas 15 horas, esteve durante uma hora a actuar no Auditório da Rádio "Sim", uma estação emissora pertencente à Rádio Renascença, o já nosso conhecido Arlindo de Carvalho. Este concerto foi transmitido em directo, através de todos os emissores desta estação radiofónica..

O auditório esteve completamente lotado, e pudemos ouvir ao vivo muitas das canções já conhecidas e outras ainda não conhecidas.

As mais conhecidas já foram amplamente divulgadas neste site.

Eu, e o Professor António Serrano estivemos presentes e deleitámo-nos a ouvir a poderosa voz deste cantor, e sobretudo compositor, que nos legou muita música popular, sobretudo beirã.

No final do espectáculo, Arlindo Carvalho brindou-nos com um CD.

Eis algumas fotos deste concerto:

       

22 de Abril de 2009

25 de Abril - A liberdade saiu à rua na derradeira noite do medo

Em 1974, Portugal acordou numa manhã de Abril e soube que nessa noite, enquanto dormia, a história estava a mudar nas ruas de Lisboa. No sábado cumprem-se 35 anos sobre o dia em que o Estado Novo caiu às mãos do movimento dos capitães. A Beira exultou. Recordamos esse dia

Eis o despertar da História, numa nova alvorada, agora que esta estranha obscuridade se perdeu algures na noite, nessa derradeira vil noite dos tempos amordaçados, das vozes caladas, do medo encarnado nas sombras, nos passos, nos olhares; do medo transvestido em sussurro, em traços azuis nas páginas dos jornais, nas celas das prisões da mordaça. Na aurora do amanhã que se anuncia, a liberdade saiu à rua numa madrugada de Abril. Com ela, a esperança!

O acordar para um Portugal que era o mesmo Portugal de ontem, mas que, efusivamente, não já não era sentido como tal. Porque nessa madrugada enquanto o medo andava ainda à solta, de garras afiadas, ouvidos predadores da palavra livre, esbaforindo o hálito bafiento da denúncia, quando o país dormitava sobre os seus sonhos e pesadelos, a liberdade perdeu o medo, destrancou a porta, largou o batente, suave, para não desassossegar ninguém, para não sobressaltar o medo vigilante, e saiu à rua. Numa madrugada assim. Numa noite ainda cerrada, onde o medo passearia livre e impune pela última vez. De mansinho, a descoberto, dirigiu-se em colunas ao Terreiro do Paço. Portugal era o mesmo, mas começava a deixar de o ser. Numa madrugada de Abril, o sonho de alguns estava a cumprir-se, lá fora, na rua, nas mãos de uns incógnitos capitães. De mansinho.

E, no entanto, naquela manhã de 25 de Abril de 1974, Portugal acordou. Era o mesmo, mas já não era. Saiu à rua para ver o rumo que a liberdade tinha tomado por essas ruas de Lisboa. Lisboa era a mesma e não era. Depois à velocidade do vento das boas novas, a liberdade meteu-se por entre as ruas, os becos, as quelhas de todas as cidades, vilas e aldeias de Portugal. A liberdade saiu de mansinho nessa madrugada, pouco depois da meia noite, na balada de “Grândola, Vila Morena”. Ao final do dia, sôfrega, tinha varrido o país. Este, definitivamente já não era o Portugal que ontem adormeceu.

Abril é sinónimo de liberdade. Há 35 anos.

Por esta Beira, a manhã nasceu ao sabor do fervor do rádio. Algo estava diferente. A Beira era a mesma, e não era. Nas ruas das principais vilas e cidades da Beira Interior, a esperança foi crescendo à medida que, da longínqua Lisboa iam chegando as novas que consolidavam o triunfo da revolução que punha fim a uma ditadura de 40 anos, a mais longa do século XX europeu.

As páginas amarelecidas pelo tempo, o papel gasto pelo toque que voltou estas páginas centenas de vezes trazem, 35 anos depois, o relato repleto de emoção que fez desta uma das edições históricas do Jornal do Fundão. O papel de jornal guardou-nos estes pedaços de memória, frémitos de um dia que marcou a vivência colectiva de uma geração. As frontarias dos edifícios dos paços dos concelhos seriam invadidos por milhares de pessoas que celebraram o dia que ficaria escrito nos livros de história como o Dia da Liberdade.

É verdade que horas antes, a coberto do manto da noite, o medo passeava. É verdade que a liberdade também pisou a rua nessa noite. Os dois conviveram lado a lado. Até ser dia.

Aí, Portugal já não era o mesmo.

(Jornal do Fundão)

21 de Abril de 2009

De: Américo Valente [mailto:valentone@sapo.pt]
Enviada: sexta-feira, 10 de Abril de 2009 12:22
Para: info@portaldocidadao.pt
Cc: Joaquim Luis Silva Martins
Assunto: Correcção de nome de localidade - Certidões de recenseamento

Exmos. Senhores

Chegou ao meu conhecimento, através do Presidente da Junta de Freguesia de Vale da Senhora da Póvoa, que as certidões dos cartões de cidadão, ou de eleitor, estão a ser passadas da seguinte forma incorrecta:

 As pessoas que nasceram antes de Agosto de 1957, têm mencionado na localidade Vale de Lobos, concelho de Penamacor.

As pessoas que nasceram depois daquela data (1957) já têm mencionado Vale da Senhora da Póvoa, concelho de Penamacor. Esta é desde 2 de Agosto de 1957, a localidade correcta.

No entanto, a localidade Vale de Lobos, está incorrecta.

O nome correcto é VALE DE LOBO.

Com a finalidade de procederem à correcção, informo que devem consultar O Diário do Governo I Série número 172 de 2 de Agosto de 1957, Decreto nº 41210 do Ministério do Interior - Direcção Geral de Administração Política e Civil, onde poderá ler-se o seguinte:

 Decreto nº 41210 

Atendendo ao que representou a Junta de Freguesia de Vale de Lobo, concelho de Penamacor, no sentido de o nome daquela freguesia ser substituído pelo de Vale da Senhora da Póvoa;

Considerando que existem muitas outras localidades com a designação de Vale de Lobo, o que terá dado origem a demoras e extravio de correspondência;

Tendo em vista os pareceres concordantes da Junta Províncial da Beira Baixa e do governador civil do distrito de Castelo Branco;

Nos termos do artigo 12º, do Código Administrativo;

Usando da faculdade conferida pelo nº  8º. do artigo 100º. da Constituição , o Governo decreta e eu promulgo o seguinte:

Artigo único. A freguesia de Vale de Lobo, concelho de Penamacor, passa a denominar-se Vale da Senhora da Póvoa.

Publique-se e cumpra-se como nele se contém.

Paços do Governo da República, 2 de Agosto de 1957

Francisco Higino Craveiro Lopes - António de Oliveira Salazar - Joaquim Trigo de Negreiros.

Espero que este email contribua para a correcção do nome Vale de Lobos para Vale de Lobo.

Grato pela atenção dispensada, sou

De V.Exas.

Atenciosamente

Américo Valente

Exmo. Sr. Américo Valente,

Antes de mais, obrigada pelo seu contacto.

Os endereços das caixas de correio electrónico do Portal do Cidadão e da Loja do Cidadão (info@portaldocidadao.pt)  devem ser usados, fundamentalmente, para o envio de mensagens relacionadas com a estrutura e navegabilidade dos sites ou com dúvidas que possam surgir acerca do funcionamento da loja ou atendimento.

Agradecemos o alerta enviado, o qual será reencaminhado para as entidades competentes que procederão às verificações e correcções necessárias

Sempre que encontre outras situações que entenda serem importantes para a melhoria do serviço que prestamos, tome a liberdade de nos contactar. Uma vez que só com a contribuição de todos poderemos prestar um serviço cada vez melhor.

Pedimos desculpa pela demora e esperamos ter sido úteis.

Com os nossos melhores cumprimentos,

A Equipa do Portal do Cidadão

 

19 de Abril de 2009

Meimão com passeio da Liberdade

A aldeia de Meimão, em Penamacor, é o ponto de partida para um passeio de bicicleta todo-o-terreno, a realizar no feriado de 25 de Abril. O evento é uma organização conjunta dos Trepa Serras e da Junta de Freguesia de Meimão.

O objectivo deste terceiro passeio é subir ao ponto mais alto da Serra da Malcata e apreciar a paisagem desta área protegida dos concelhos de Penamacor e do Sabugal.

A organização definiu dois percursos, com 20 e 50 quilómetros de extensão.

As inscrições terminam este sábado (18 de Abril) e podem ser feitas através da página do Trepa Serras na internet, em www.ostrepaserras.fregmeimao.com.

O secretariado abre às sete e meia da manhã do dia da prova e a partida acontece pelas nove horas.

 

17 de Abril de 2009

Arlindo Carvalho no auditório da Rádio Sim

A Rádio Sim, "uma rádio de hoje com música do seu tempo", é a mais recente aposta do Grupo Renascença. Com uma programação virada para os maiores de 50 anos, mas de agrado geral, a Rádio Sim está a anunciar a presença do nosso querido e conhecido professor, poeta, músico e cantor, beirão de nascença e de coração, Arlindo de Carvalho.
O encontro com os seus admiradores, em que me incluo, vai ter no lugar no Auditório da Rádio Sim, na Rua Ivens, ao Chiado, em Lisboa, às 15 horas do próximo dia 23 de Abril, quinta feira, com entrada livre.
Depois do sucesso que foi o convívio com António Calvário, estou convencido que Arlindo de Carvalho terá também uma entusiasmada plateia a ouvi-lo e a aplaudi-lo. 
A Rádio Sim é ouvida em AM e FM, por quase todo o País, e também via internet. Na Grande Lisboa pode ser sintonizada em 102.2
(António A. Serrano)
 

16 de Abril de 2009

Salvador - Ganhou um milhão com quatro euros

As economias de Rui “Pelintra” nem sempre lhe permitiam jogar. Agora ganhou e quer comprar uma concertina

COMPRAR uma concertina. Será este o primeiro investimento de Rui Vaz  Gaudêncio, o pastor de 44 anos, natural da pequena localidade de Salvador, concelho de Penamacor, que na sexta-feira ganhou o segundo prémio do Euromilhões no valor de um milhão, setenta e sete mil, novecentos e vinte e dois euros e oitenta e nove cêntimos.

Uma quantia que Rui Gaudêncio – que além de pastor faz o que que lhe pedirem, pois não tem profissão certa – nunca pensou ter. Aliás, quando percebeu que acertara em parte dos números da chave vencedora, Rui Gaudêncio pensou que o prémio não ultrapassaria os mil contos. Mesmo assim a notícia depressa se espalhou pela aldeia. Rui Vaz Gaudêncio não se importou e na segunda-feira em vez de ir reclamar o prémio foi com o irmão e amigos para a Senhora do Incenso. “Não fomos agradecer, fomos só pelo convívio. Vamos todos os anos”, refere José António Filipe, irmão de Rui Gaudêncio, que na segunda-feira teve de atrasar o regresso dos dois à aldeia para tentar passar a ideia de que o irmão já teria saído do País. “Os jornalistas estão a fazer muito barulho à volta do assunto. Começamos a ter medo. As pessoas ainda vão pensar que tem mais dinheiro do que na realidade lhe saiu”, justifica, enquanto garante que o irmão não dará mais entrevistas e recusa ele próprio ser fotografado.

“Ainda não temos o dinheiro e ele nem sequer vai vir para cá. Com certeza vai directamente para o banco, mas mesmo assim temos receio”, justifica José António Filipe, assumindo que toda a família tem raízes humildes e que o recém-premiado nem sequer possui conta aberta no banco. Uma situação que irá mudar, tal como o nome pelo qual Rui Gaudêncio era tratado na aldeia. Em 24 horas em vez de “Rui Pelintra” (alcunha que herdara do pai e pela qual sempre foi conhecido) já todos o tratam por “Rui Milionário”.

Na segunda-feira, no Café Justino, local onde o novo milionário fez a sua aposta de quatro euros, eram muitos os que comentavam a sorte de Rui Gaudêncio. “O dinheiro foi pouco para aquilo que ele merece. São pobres, mas gente boa. Agora têm é de ter cuidado”, dizia António Morais.

Conselhos que já tinham sido repetidos pelos proprietários do café. “Ele veio cá ver quanto ganhou e o meu filho percebeu logo que estava perante este prémio. Tirou uma fotocópia ao boletim (para o Rui mostrar aos amigos) e disse-lhe para guardar o original com alguém de inteira confiança e num lugar difícil de descobrir”, revela Maria da Piedade.

(Jornal do Fundão)

14 de Abril de 2009

Penamacor - O 2º Prémio do Euromilhões veio para o concelho

No passado dia 10 de Abril de 2009 (Sexta - Feira) , na aldeia de Salvador - Penamacor, o Senhor Rui Gaudêncio natural desta  Freguesia foi o único vencedor em Portugal do 2º prémio do EURO MILHÕES, tendo arrecadado a bonita soma de .€ 1.077.922,89.. Em toda a Europa foram 4 os afortunados com este prémio.

 Mais se conseguiu apurar de fontes seguras, que o Senhor Rui Gaudêncio é uma pessoa pacata e pobre. A população nem queria acreditar quando soube no dia seguinte que o Sr. Rui teria ganho tanto dinheiro (comentam alguns moradores do Salvador).

Cabe agora a este gerir esta grande fortuna. Fica histórico pois nunca no concelho de Penamacor alguém ganhou tão avultada quantia em jogos da Santa Casa da Misericórdia.

 (Sara cavalheiro).

 

10 de Abril de 2009

Vale da Senhora da Póvoa canta hoje os "Martírios"

Hoje, pelas 21 horas, as pessoas do Vale vão cantar "Os Martírios" pelas ruas da aldeia, cumprindo assim a velha tradição.

(Ver notícia detalhada no Capítulo "Grupo de Jovens da Paróquia do Vale - Notícias")

09 de Abril de 2009

Penamacor - Sr.ª do Incenso é na segunda-feira

O concelho de Penamacor vive na próxima segunda-feira o seu feriado municipal. A Sr.ª do Incenso é comemorada como habitualmente na segunda-feira a seguir à Páscoa, juntando muitos penamacorenses e outros romeiros no recinto religioso, situado a poucos quilómetros da vila, na estrada que liga Penamacor ao Fundão.

As celebrações religiosas têm o seu ponto alto com a missa campal, que está marcada para as 13 horas, apurou o Reconquista junto da paróquia.

Por: José Furtado
 

06 de Abril de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Nos próximos dias 9 e 11 de Abril, vai ser exibido no Salão da Casa do Povo, às 21H30, o filme "Jesus de Nazaré".

Filme produzido em 1977 nos EUA, por Franco Zeffirelli. Filme realizado segundo os evangelhos canónicos.

 

03 de Abril de 2009

Toda a cultura vai dar a Benquerença

A Semana Cultural de Benquerença comemora dez anos e continua a apostar na variedade.

O Grupo de Teatro Váatão, de Castelo Branco, sobe ao palco da Casa do Povo de Benquerença na noite do próximo domingo, no arranque da Semana Cultural desta freguesia do concelho de Penamacor.

Aquele que se assumiu nos últimos anos como o evento cultural mais significativo do concelho comemora este ano o seu décimo aniversário, apostando mais uma vez num programa variado, mas com o teatro à cabeça. A companhia albicastrense apresenta no domingo “A Casa de Penhores”, que sobe ao palco pelas 21 horas.

A Semana Cultural é inaugurada durante a tarde, pelas 16 horas, com uma arruada pelo Rancho de Alpedrinha.

Nas noites seguintes haverá espectáculos sempre às 21 horas. O Quadro Vivo do Linho – um grupo etnográfico da aldeia – apresenta-se na segunda-feira, dia 6. O grupo de flamenco e sevilhanas “El Camino” é a proposta para terça-feira e na quarta-feira regressa o teatro, com a peça “Os Idiotas”, pelo Teatro Azul.

A noite de quinta-feira, dia 9, tem fados, com António Pinto Basto. As noites na Casa do Povo terminam no dia 10 com o humor dos Commédia à Lá Carte, o trio constituído por Carlos Cunha, César Mourão e Ricardo Peres.

Mas o evento organizado pela Associação Desportiva, Cultural e Recreativa de Benquerença só chega ao fim a 11 de Abril, com a burricada e uma feijoada na Senhora da Quebrada.

Durante toda a semana estarão patentes exposições de bordados de Angelina Esteves, joalharia de Rui Machado e trabalhos de Amélia Gil.

 

Vale da Senhora da Póvoa

O Grupo de Jovens lamenta informar que o Peddy-paper não se realizará no dia 9 de Abril, como estava previsto, passando este para o dia 25 de Abril de 2009 às 15 horas.

(Ver informação detalhada no capítulo "Grupo de Jovens da Paróquia - Informações")

Rádio de Monsanto em destaque na SIC

A Rádio Clube de Monsanto esteve em destaque no programa “Nós Por Cá”, da responsabilidade de Conceição Lino. Este programa deu destaque aos 23 anos da emissora da Aldeia Mais Portuguesa de Portugal.

Numa nota enviada à nossa redacção, o director Joaquim Fonseca diz que falou do verdadeiro sucesso popular nas Beiras e Alentejo e agora também junto das comunidades portuguesas espalhadas por todo o mundo, graças à emissão on-line.

O cantor Luís Represas, presente em directo nos estúdios da televisão de Carnaxide, valorizou o papel da RCM e das rádios locais, em geral, na defesa e promoção da música e dos artistas portugueses.

Recorde-se que em recente inquérito na Internet e num universo de mais de meio milhar de votantes o sítio www.radiomonsanto.pt foi classificado como Muito Bom por 72 por cento dos participantes.

Desde o ano de 2006 o referido sítio já recebeu para cima de 270.000 visitas de cibernautas de todos os continentes.

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social renovou no dia 25 de Fevereiro, por mais dez anos, a licença para o exercício da actividade de radiodifusão sonora de que é titular o operador Monsantorádio, para o concelho de Idanha-a-Nova, na frequência dos 98.7 MHz, com a denominação de “Rádio Clube de Monsanto”.

(Jornal "Reconquista")

02 de Abril de 2009

Penamacor - Alunos mudam-se para o antigo colégio

O antigo Externato de Nossa Senhora do Incenso vai receber os alunos do 1.º Ciclo de Penamacor durante as obras de transformação da escola primária no Centro Educativo de Penamacor.

O processo arrastou-se mas agora com a aprovação por unanimidade da abertura de procedimento para ajuste directo da empreitada, as obras do futuro Centro Educativo de Penamacor vão mesmo arrancar.

Com um valor de um milhão e 700 mil euros, trata-se de uma possibilidade aberta pelo Governo para obras na área da educação e das novas tecnologias até 5 milhões de euros.

As obras estão previstas arrancar em Abril ou Maio, dado que há prazos que terão que ser cumpridos. No decorrer dos trabalhos, que se vão prolongar ao longo deste ano lectivo e do próximo, os alunos do 1.º ciclo serão transferidos para salas do antigo Externato Nossa Senhora do Incenso. Esta foi a solução encontrada pela autarquia, dada a proximidade à actual escola.

O Centro Educativo de Penamacor vai concentrar na sede de concelho todos os alunos do 1.º ciclo, encerrando por completo as escolas existentes nas aldeias do concelho.

As obras visam proporcionar um melhor processo de ensino e aprendizagem aos alunos, onde está previsto o alargamento do parque escolar e a requalificação das salas já existentes.

Ilídia Cruchinho, a vereadora responsável pelo Ensino na autarquia de Penamacor, lembra que vai mudar toda a capacidade de resposta da actual escola, com uma requalificação que passa por dotar o estabelecimento de ensino com uma biblioteca mais apetrechada, remodelação das salas de aula e áreas exteriores de recreio, sala de informática mais adequadas, uma cantina com refeitório, um mini auditório e um ginásio para a prática desportiva e actividades de enriquecimento curricular.

Está ainda previsto a construção de um polidesportivo ao ar livre para a realização das actividades escolares.

O espaço físico existente há muito que reclama por obras, uma vez que nos últimos anos tem recebido os alunos das escolas que o Ministério da Educação sinaliza para encerrar.

Todo este processo levou tempo demais, admite Domingos Torrão, presidente da Câmara Municipal de Penamacor, que acaba de lançar o concurso através de ajuste directo para que se possa adjudicar a obra financiada a 75 por cento.

Numa primeira fase o Centro Educativo vai concentrar os alunos do 1.º Ciclo, apesar de ficar preparado com salas de aula para o pré-escolar, enquanto for possível estas crianças vão continuar nas suas aldeias, justificado pelo critério de proximidade.

Que fazer com as escolas ?

Depois de construído coloca-se a questão sobre o futuro a dar às actuais escolas do 1.º Ciclo existentes nas aldeias. Apesar de ainda não ser conhecido o destino a dar a estes equipamentos, a vereadora Ilídia Cruchinho deixa algumas sugestões que passam por entregar os mesmos quer a associações ou colectividades culturais e recreativas que existem em quase todas as freguesias e alguns casos que ainda não têm sedes, quer para projectos de desenvolvimento dos próprios territórios, dando o exemplo da área do turismo.

Por: Jaime Pires
 

Penamacor - Professores viram costas a Valter Lemos

Um grupo de professores da Escola Ribeiro Sanches ausentou-se da sala de professores aquando da visita do secretário de Estado Valter Lemos àquele espaço. Com este gesto os docentes quiseram manifestar o seu descontentamento pela política educativa do actual Governo, envergando ainda roupa preta como sinal de luto.

Mónica Ramoa, uma das professoras que aderiu ao protesto, acusa o secretário de Estado da Educação “de ter dito coisas muito más a nosso respeito e muito injustas”.

O descontentamento não é de agora. “Estamos numa escola em que, unanimemente, os professores rejeitaram o modelo de avaliação, o estatuto da carreira docente e onde houve uma adesão à greve de 94 por cento”, recorda a professora.

Confrontado com o protesto, Valter Lemos diz que não deu conta e que tal lhe é “absolutamente indiferente”. Face à insistência dos jornalistas deixou no ar a pergunta: “mas acha que isso merece algum comentário?”.

Helena Pinto, a presidente do agrupamento de escolas, revê-se em algum do descontentamento dos colegas, mas diz que enquanto responsável pelo órgão de gestão tem de ser o fiel da balança.

Quanto ao gesto não ficou surpreendida, tendo em conta as pessoas com quem trabalha. “Se fosse uma coisa com falta de educação ficaria, mas não foi isso que aconteceu”.

Por: José Furtado
 

Penamacor - Escola desenvolve telha solar

Menos impacto ambiental, mais superfície de captação e menor peso nos telhados. Estas são algumas das vantagens atribuídas à telha solar, um projecto que está a ser desenvolvido na Escola Ribeiro Sanches, no âmbito de uma colaboração com o Centro de Inovação Empresarial da Covilhã (BIC).

Luís Almeida acompanha os alunos no âmbito desta iniciativa, integrada no Projecto Nacional Educação para o Empreendedorismo. A ideia da telha tem um ano e nasceu com a intenção de aproveitar os desperdícios das células fotovoltaicas utilizadas nos painéis solares. Daí passaram a uma segunda fase, com a aplicação de um filme fotovoltaico na telha “em que o próprio telhado é o painel”, explica o responsável.

Os projectos de empreendedorismo como o da telha solar foram mostrados recentemente na Exponor, no Porto. Em Maio seguem para o Expo Salão, na Batalha.

Por: José Furtado
 

Penamacor - Bombeiros promovem passeio

Os Bombeiros Voluntários de Penamacor vão promover a 18 de Abril o seu 12.º passeio pedestre. A iniciativa irá decorrer entre Penamacor e a aldeia de Bemposta, na zona sul do concelho. Nesta será servido um almoço aos participantes.

A organização abriu inscrições através do 277 394 122, do endereço de correio electrónico bvpncdesporto@gmail.com ou directamente na central de rádios dos Bombeiros Voluntários de Penamacor.

 

Tecnologia finlandesa mostra-se em Penamacor

Uma empresa de Castelo Branco está a servir de porta de entrada em Portugal para uma nova tecnologia na produção de energia.

A Feira das Energias Renováveis organizada em Penamacor foi também uma montra para dar a conhecer o que se faz lá fora. A Ambistore, uma empresa de Castelo Branco que se dedica a instalações mecânicas e eléctricas, levou até à vila raiana dois técnicos da My Power, uma empresa finlandesa que trabalha com energias renováveis.

A colaboração entre as duas empresas irá introduzir em Portugal, através de Castelo Branco, uma nova geração de moinhos eólicos com capacidade de produzir energia “mesmo com baixas velocidades de vento”, explica Luís Tereso, sócio gerente da Ambistore.

Esta turbina eólica de pequena escala – como é designada - é capaz de produzir energia suficiente para o consumo caseiro. “O que faz numa habitação é que pode fornecer mais do que as necessidades de energia”, garante Mikael Seppala, da My Power.

À excepção do aquecimento, o vento pode suprir as necessidades ao nível da iluminação e até do funcionamento de alguns electrodomésticos, garante o responsável finlandês.

Quanto ao investimento, o preço depende da perspectiva. “Digamos que é mais do que um ordenado mas menos que um orçamento de Estado”, diz Mikael Seppala. Ironias à parte, calcula que com a ajuda governamental pode amortizar-se em cinco a sete anos.

A Ambistore esteve em Penamacor no âmbito da parceria que tem com a Escola Ribeiro Sanches, uma união que vai permitir que alguns alunos do curso profissional façam na empresa a sua formação em contexto de trabalho.

“Temos tido outras iniciativas com outras instituições, com bons frutos para ambos os lados”, diz Luís Tereso. Por lá passou recentemente André Roberto, o formando do Curso Técnico de Refrigeração e Climatização do Centro de Formação Profissional de Castelo Branco, que ganhou há poucas semanas uma medalha de ouro no Campeonato Nacional das Profissões.

As energias renováveis são encaradas como uma das áreas de futuro, não só ao nível da preservação do ambiente mas também da economia e do emprego. A necessidade de recursos humanos continua a ser muita. Numa época em que se fala tanto de desemprego, Luís Tereso contrapõe com a falta de mão-de-obra especializada, assumindo que enquanto empresa “temos algumas dificuldades de contratar pessoas em algumas áreas”.

Por: José Furtado
 

Aldeia Histórica de Sortelha

Idosas fazem objectos de bracejo que vendem aos turistas

Encarnação de Jesus, 89 anos, e Felismina Mendes, 86, residem na Aldeia Histórica de Sortelha, no concelho do Sabugal, onde, diariamente, fazem objectos de bracejo que vendem aos turistas que por ali passam.
A partir daquela planta manuseada de forma entrelaçada, com a utilização de uma agulha e de ráfia, as artesãs produzem artigos domésticos ou de decoração, como guarda-jóias, pequenas cestas com asa ou cestos para a fruta.
As duas mulheres, já viúvas, residem no interior do perímetro amuralhado de Sortelha, onde vivem mais seis pessoas, e aprenderam a arte de trabalhar o bracejo “há muitos anos”. “Aprendi para trabalhar e para ganhar alguma coisa”, justificou Encarnação de Jesus, referindo que os objectos que faz são todos vendidos “aos turistas”.
Admite que trabalhar ao vivo nas ruas da aldeia onde vive “é uma forma de passar o tempo” e que o bracejo que utiliza é cortado nos arredores da povoação. “Em Junho é que se apanha melhor. Este ano não choveu e não há bracejo”, lamentou.
A outra artesã, Felismina Mendes, refere que já vendeu “muitas” cestinhas aos turistas mas a crise também já chegou ao sector, indicando que “agora há poucos”. Recordou que em tempos idos, “fazia travessas grandes e vendia-se tudo. Agora não querem e fazemos estas coisas mais pequenas para passar o tempo”, justificou, referindo que gosta “mais de estar entretida do que a ouvir as chochices dos velhos” que estão no Centro de Dia, que também frequenta.
Nos dias em que não chove, estas duas mulheres vestidas de preto são presença assídua nas ruas de Sortelha. “Só vimos das 14.00 horas em diante. No Inverno, quando está bom, também vimos aos bocados e quando está a chover, ficamos em casa”, esclarece.
Felismina Mendes lamenta que os mais novos tenham “outras vidas, uns andam a estudar e outros estão empregados fora daqui” e que não se interessem pela continuidade da arte.

Turistas compram artesanato e tiram fotografias às duas mulheres

De visita a Sortelha, Jacinta Duarte, abeirou-se das duas mulheres e logo depois de se ter inteirado daquilo que faziam, comprou um pequeno cesto de bracejo. “É uma recordação e é para ajudar as senhoras”, disse, para explicar a compra.
O marido, António Paiva, rendido ao momento inesperado, reconheceu que “se todos os que vêm fossem comprando, para elas é uma ajuda para a vida”.
Outra visitante, Leonida da Silva, referiu que “é bonito encontrar aqui alguém a trabalhar” e só não comprou uma recordação porque não levava dinheiro.
A funcionária do Posto de Turismo, Sílvia Paulo, admitiu que “os turistas procuram muito os artigos de bracejo” e referem que “queriam ver mais destas senhoras, mas infelizmente não há”.
Já o presidente da Junta de Freguesia, Luís Paulo, explicou que os visitantes da Aldeia Histórica, para além de comprarem as peças de artesanato produzidas pelas duas mulheres, também lhes tiram fotografias. “Os turistas tiram-lhes milhares de fotografias por mês”, indicou o autarca que valoriza o empenho das octogenárias.
“São as mais velhas a fazer bracejo”, disse, dando conta que na aldeia residem mais duas senhoras que trabalham a mesma arte.
 

Fernando Pessoa - Poeta e pensador tem origens em Alfaiates

Fernando Pessoa, uma das figuras marcantes do nosso país como poeta e pensador tem origens em Alfaiates

 

O poeta sempre afirmou descender de uma família mista de fidalgos e judeus beirões.

Ao estudarmos a árvore genealógica de Fernando Pessoa até Pedro da Cunha, alcaide-mor do castelo de Alfaiates em meados do séc. XVI, almoxarife de Pinhel, e escudeiro-fidalgo da casa de D. Manuel I. Viveu em Alfaiates e casou com Brites do Mercado, de família judia, convertida e natural da vila de Alfaiates, filha de Luís do Mercado, cavaleiro-fidalgo da Casa Real. Do casamento nasce Rodrigo da Cunha, natural de Alfaiates, feitor da alfândega de Almeida que teve uma filha, Beatriz da Cunha, também de Alfaiates que contraiu matrimónio com Miguel Henriques Falcão, natural do Alcaide. Foram pais de Juliana da Cunha baptizada no Alcaide onde casou com Martinho Oliveira, têm um filho, Custódio da Cunha de Oliveira, nascido no Alcaide em 25.8.1632, seareiro, tratante de lãs e estanqueiro de tabaco. Viveu em Montemor-Velho e casou com Madalena Pessoa de Gouveia, da nobre família dos Pessoas e Amorins daquela vila.

Desta união nasceram Sancho Pessoa da Cunha e Amorim e Manuel da Cunha Pessoa. Manuel casa com Ana Nunes da Cunha e o filho de ambos, Diogo Nunes da Cunha Pessoa nasceu no Fundão a 15.1.1709, casou com Rosa Maria Pereira de Araújo e tiveram como descendente Daniel Pessoa e Cunha nascido em Serpa, foi médico formado na Universidade de Coimbra em 1805. Casou com Joana Pereira de Araújo e Sousa, filha do Capitão de Artilharia no Algarve, José António Pereira de Araújo e Sousa, fidalgo brasonado. Daniel Pessoa e Cunha e sua mulher foram pais de Joaquim António Araújo Pessoa, que nasceu em Tavira a 15.2.1813, Avô paterno de Fernando Pessoa, seguiu a carreira de armas atingindo o posto de general, teve como filho Joaquim de Seabra Pessoa (1850 – 1893) que casou com D. Maria Madalena Pinheiro Nogueira, filha do Conselheiro DR. António Nogueira deste casamento nasce o poeta Fernando António Nogueira Pessoa em Lisboa na freguesia dos Mártires a 23 de Junho de 1888, dia do Santo franciscano Santo António (que segundo a tradição familiar, era antepassado de Pessoa) e foi em homenagem a este que lhe puseram o nome de Fernando António.

O pai de Joaquim Seabra Pessoa, natural de Lisboa era funcionário público do Ministério da Justiça e crítico musical no Diário de Notícias. A mãe D. Maria Madalena Pinheiro Nogueira Pessoa que nasce nos Açores (ilha Terceira), era uma senhora cultíssima que falava vários idiomas e teve os mesmos preceptores que os infantes D. Carlos e D. Afonso. O pai do poeta morre com tuberculose em 1893 quando Fernando tinha apenas 5 anos. Três anos depois a família parte para Durban, na África do Sul.

Em 1905, a família regressa a Lisboa onde o poeta passa a viver e onde trabalhou como jornalista, publicitário e principalmente como escritor, é considerado um dos maiores poetas de língua portuguesa e o seu valor é comparado ao de Camões.

Morre em 1935 com 47 anos na cidade de Lisboa.

Neste esquema genealógico apresenta-se a ligação de Fernando Pessoa a alguns ramos da sua família a qual começa em Alfaiates e acaba em Lisboa.

Como dizia Almada Negreiros, a árvore genealógica de uma pessoa é como uma verdadeira árvore; de tão grande a alta que é, como os nossos antepassados mais remotos no topo, a gente só lhe vê o tronco, mas pela qualidade dos primeiros ramos, lhe advínhamos os últimos ramos e frutos.

MARÇO

31 de Março de 2009

EMENTA dia 30 de Maio de 2009

Almoço/Convívio dos Filhos e Amigos de Vale da Senhora da Póvoa

Entradas

 pastéis, empadas, fritos diversos, martinis
 

Almoço: 

Sopa
Prato de peixe - bacalhau à lagareiro
Carne -  carne de vitela assada
Sobremesa - salada de fruta, pudins diversos
Vinhos, águas, sumos à descrição
Cafés

 

Lanche:

Caldo verde
Carnes frias - todas diversas
Queijos
Todas bebidas

 


Descontos:  até aos 6 anos - grátis
6 anos até aos 12 anos - 50%
 
Preço por Adulto.............20 EUROS
 

29 de Março de 2009

Caminhada - Vale da Senhora da Póvoa - Meimão

O Grupo de Jovens esteve presente na Caminhada/passeio pedestre/BTT . Esta caminhada teve o seu início no Santuário da Senhora da Póvoa e terminou na Freguesia do Meimão.

Os participantes neste evento foram presenteados com um almoço, contando este com a presença da Senhora Vereadora da Câmara Municipal de Penamacor, e os Senhores Presidentes das Juntas de Freguesia do Vale da Senhora da Póvoa e do Meimão.

O percurso teve uma extensão de aproximadamente 16KM,  e participaram pessoas de Penamacor, Benquerença, Três Povos, Meimão, Aldeia do Bispo, Águas, Vale da Senhora da Póvoa entre outras aldeias

Estiveram presentes cerca de (105 pessoas).

Foi um dia diferente.

28 de Março de 2009

Aldeia de João Pires - Uma ladainha à luz das pinhas

Os homens tomam conta das ruas de Aldeia de João Pires nas sextas-feiras da Quaresma. A escuridão é enfrentada com o fogo ateado em pinhas.

Veja aqui o video

 

27 de Março de 2009

Penamacor - Energias com feira na Ribeiro Sanches

A escola vai mostrar um novo sistema de produção de energia, instalado pelos alunos.

(Na foto está o nosso conterrâneo João Filipe Robalo Silva - o que está com a mão na hélice, irmão do presidente do Grupo de Jovens da Paróquia de Vale da Senhora da Póvoa)

Os alunos finalistas do Curso Profissional de Energias Renováveis, da Escola EB 2 3 Ribeiro Sanches de Penamacor, instalaram um aerogerador no telhado do bloco principal da escola. O sistema vai alimentar a estação meteorológica da escola e é uma das novidades apresentadas esta quinta-feira, dia 26, aos visitantes da Feira das Energias Renováveis, que a escola organiza pelo segundo ano.

Na inauguração esteve o secretário de Estado da Educação, o penamacorense Valter Lemos

O sistema agora instalado produz energia através do vento, mas foi também pensado para funcionar quando este elemento não for suficiente para alimentar a estação. Por esta razão foi instalado um sistema solar.

A estação meteorológica funciona há já alguns anos e está disponível através da internet, actualizando o tempo presente em Penamacor a cada dez minutos.

Os equipamentos foram montados pelos primeiros finalistas do curso, que terminam agora a sua formação, que dá equivalência ao 12.º ano. Actualmente frequentam o curso 35 jovens do concelho, mas também de fora dele.

Na Feira de Energias Renováveis participam 25 expositores, entre empresas e instituições. O certame foi inaugurado pela manhã e debateu o futuro das energias renováveis, com o deputado do PS Jorge Seguro e António Sá da Costa, da Associação Portuguesa de Energias Renováveis.

Depois do almoço o Comando Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco falou sobre o sistema de Protecção Civil em Portugal e David Loureiro, do Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação, sobre o mercado das energias renováveis.

Alexandre Miranda, da Universidade da Beira Interior, encerra a jornada de colóquios com a produção de calor e frio a partir da biomassa como tema.

Estação meteorológica da Escola Ribeiro Sanches em http://penamacorweather.no.sapo.pt

Por: José Furtado
 

21 de Março de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Faleceu às 04H00 no Lar de 3ª Idade de Bismula (concelho do Sabugal)  a Sª Carlota de Jesus Martins, de 89 anos de idade, natural do Sabugal, mas residiu sempre em Vale da Senhora da Póvoa desde pequena, irmã de Joaquim Martins Badaia e tia de Maria de Fátima Cameira  Martins Xambre (médica).

O corpo encontra-se neste momento no Centro de Saúde do Sabugal. Aguarda-se que o mesmo seja transportado para a Casa Mortuária do Vale da Senhora da Póvoa.

13H45 - O corpo da falecida já se encontra na Casa Mortuária de Vale da Senhora da Póvoa. Esta encerrará às 20 horas voltando a reabrir amanhã às 08H00. O funeral terá lugar amanhã às 12H00.

Carlota de Jesus Martins dedicou grande parte da sua vida à Igreja do Vale, tendo sido catequista.

À família enlutada endereçamos os nossos sentidos pêsames.

20 de Março de 2009

Semana de Juventude começa segunda-feira

O Torneio de Futebol de 11 abre esta segunda-feira, dia 23, a Semana da Juventude de Penamacor. Esta é a única actividade que vai decorrer ao longo da semana, com jogos a realizar todos os dias, às 21 horas, no Estádio Municipal de Penamacor.

No sábado, dia 28, a Casa do Povo de Penamacor abre as portas a partir das 22 horas a uma Lan Party, um convívio entre adeptos da informática, dos jogos em rede ou da internet.

A Semana da Juventude termina como habitualmente com a Marcha da Primavera, a realizar a 29 de Março. O percurso ligará as freguesias de Vale da Sr.ª da Póvoa e Meimão.

Benquerença - Semana Cultural faz dez anos

A Semana Cultural da Benquerença volta em Abril à Casa do Povo desta freguesia do concelho de Penamacor, naquela que será a décima edição deste evento organizado pela Associação Desportiva, Cultural e Recreativa de Benquerença.

A animação começa na tarde de 5 de Abril, com a inauguração ao som do Rancho de Alpedrinha. A primeira noite fica a cargo do Teatro Váatão. Os albicastrenses apresentam a peça “Casa de Penhores”.

Pela Casa do Povo passam ainda o Quadro Vivo do Linho (dia 6), o grupo de flamengo e sevilhanas El Camino (7), a peça “Os Idiotas” do Teatro Azul (8), o fadista António Pinto Basto (9) e o humor dos Comédia à lá Carte (10).

A semana termina com a burricada, entre o centro da aldeia e a capela da Sr.ª da Quebrada.

Ao longo da semana realizam-se exposições com trabalhos em bordado de Angelina Esteves, joalharia de Rui Machado e Amélia Gil.

Penamacor - Conferência faz regresso ao passado

O passado medieval de Penamacor esteve em destaque no último sábado, numa conferência integrada no ciclo “o Fio da História”, com o qual a Câmara Municipal de Penamacor está a comemorar os 800 anos do concelho.

Pelo salão nobre da autarquia passaram Maria Helena Coelho, da Universidade de Coimbra, Hermínia Vilar, da Universidade de Évora, Feliciano Portela, no Ministério da Cultura de Espanha, e António Pires Nunes. Em declarações ao Reconquista, o tenente-coronel e investigador diz que Penamacor foi, em tempos, “uma praça forte”. O próprio faz parte da história mais recente da ligação entre os militares e a vila, já que nos anos 60 e até ao inicio da década de 70 foi comandante da antiga Companhia Disciplinar, instalada no edifício agora conhecido como ex-quartel ou convento de Santo Estêvão.

Pires Nunes, que não vinha há 30 anos à vila, ficou surpreendido com a recuperação do edifício, obras que vão ser inauguradas no próximo dia 25 de Abril. “Está muitíssimo bem recuperado, fiquei admiradíssimo”, confessou ao Reconquista à varanda da câmara e com vista para o antigo quartel.

Quanto à história do concelho, o investigador diz que ainda há muito que estudar e a prova disso foi a discussão gerada na sala. O importante é que se fale do passado e segundo o tenente coronel os 800 anos são uma boa oportunidade para isso.

O programa de comemorações dos 800 anos de Penamacor continua em Abril, com a inauguração de uma exposição no Museu Municipal, das obras do ex-quartel e de outras actividades nas áreas do teatro e música. Até 25 de Maio estão ainda a decorrer os Jogos Florais nas áreas de literatura, fotografia e expressão plástica.

Por: José Furtado
 

Árvores com padrinhos plantadas em Penamacor

Um grupo de jovens está a desenvolver um projecto de adopção de árvores através da internet. Reconquista acompanhou a plantação das primeiras espécies.

A manhã de domingo ainda só vai no início, mas já o velhinho autocarro da Câmara Municipal de Penamacor segue em direcção aos terrenos que a autarquia tem junto à estrada de Espanha, com vista para a Bazágueda. Na bagageira seguem pás, adubos e árvores, que até perto da hora do almoço vão ser plantadas pelos escoteiros do Grupo 163 da Associação de Escoteiros de Portugal, com a ajuda dos Bombeiros e da Câmara Municipal de Penamacor, entre outros voluntários.

Mas a ideia ultrapassa em muito as fronteiras do concelho. À medida que as árvores vão sendo plantadas salta à vista a placa com a identificação da espécie, a data de plantação, o nome do padrinho ou madrinha e a referência ao projecto: “Um abraço a uma árvore”.

Tudo começou em Outubro de 2008 quando um grupo de jovens europeus, a maioria de origem portuguesa, decidiu constituir uma organização ligada à ecologia. A BetGreen (Aposta Verde) nasceu em Bruxelas, cidade onde vive desde há quatro anos António Ferraz de Oliveira. O jovem de 17 anos, que é director-geral do projecto, tem raízes familiares no concelho de Penamacor, em particular numa das suas freguesias.

“Já o avô do meu avô tinha a quinta no Pedrógão de S. Pedro, que ligou a minha infância a Penamacor”, explica numa conversa mantida através do Messenger.

O projecto funciona de maneira simples, com a internet a servir de elo. Basta aceder ao sítio da BetGreen e clicar em “adopte uma árvore”. Depois é só escolher entre cinco espécies.

“Assim que a árvore estiver plantada e fotografada é criado um perfil individual em que estará a informação sobre a árvore, desde o seu nome científico às suas utilizações”, explica. A imagem é renovada a cada dois meses e os 14 euros pagos no acto do apadrinhamento suportam despesas de manutenção e até um seguro para o caso de a árvore secar.

Em Penamacor encontram-se árvores com padrinhos portugueses, mas também do Reino Unido, Holanda ou França. O concelho raiano recebe as árvores, mas a ideia tem ambições europeias. António Ferraz de Oliveira diz que há contactos com Malta e a Grécia, depois de terem recebido o não do ministério do ambiente belga “que afirmou só ter espaços de floresta para criar clareiras”.

O cariz europeu do projecto é uma das razões pela qual se encontra sedeado em Bruxelas.

A Betgreen é uma organização sem fins lucrativos e que com o apadrinhamento de árvores pretende passar uma mensagem mais abrangente.

“A nossa iniciativa funciona também como um primeiro passo, de inspiração, para que a partir de um pequeno gesto cresça algo de maior”. O objectivo é fazer da plantação de árvores um acto mais cívico do que institucional, refere António Ferraz de Oliveira.

Salvar o zambujeiro

Na manhã de domingo foram plantadas azinheiras, carvalhos e zambujeiros. Esta última é uma espécie “quase extinta”, explica António Cabanas. O antigo director da Reserva da Malcata e actual vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Penamacor refere que ainda é possível encontrar alguns exemplares de zambujeiro em Penamacor e Idanha-a-Nova. A árvore caracteriza-se por ser semelhante à oliveira, de tal maneira que há quem a conheça como oliveira brava. Não produz azeitona, mas as bagas servem de alimento a animais.

“Há uma série de espécies como a pereira brava ou abrunheiro bravo que têm uma função importantíssima no ecossistema, sobretudo como alimento para a fauna”, diz António Cabanas.

Em relação ao apadrinhamento de árvores, o responsável autárquico sublinha o papel do projecto não só na valorização do ambiente, como também na aprendizagem que este transmite ao nível da gestão.

Os avós de António Ferraz de Oliveira também ajudaram na plantação. Afinal eles são “a cara do projecto em Portugal”, diz o neto a partir de Bruxelas.

Página da BetGreen em www.betgreen.eu

Por: José Furtado
 

19 de Março de 2009

Artes marciais no Sabugal

As aulas são leccionadas no Pavilhão Gimnodesportivo do Complexo das Piscinas Municipais  do Sabugal, à segunda e quinta-feira.

Ócio & Divertimento” é o nome de uma associação criada recentemente no Sabugal dedicada à prática e ensino de artes marciais. Sem fins lucrativos, a O&D proporciona à população «um espaço onde as pessoas se possam sentir bem física e psicologicamente», refere em comunicado. «Neste momento, contamos já com a presença diária de praticantes de todas as idades», acrescenta. As aulas são leccionadas no Pavilhão Gimnodesportivo do Complexo das Piscinas Municipais do Sabugal, à segunda e quinta-feira, entre as 19h30 as 20 horas.

Três mortos em quatro dias a fazer queimadas

00h30m

FRANCISCO PINTO

Nos quatro últimos dias, morreram três idosos que efectuavam queimadas. O primeiro foi no sábado, um homem de 73 anos, em Vilar do Monte, Barcelos. Numa situação transversal a todos estes casos mortais, também António Miranda não conseguiu controlar as chamas, foi rodeado por elas e acabou por morrer. A segunda morte aconteceu dois dias depois, um homem, 72 anos, morreu queimado numa quinta em Pedrógão, Penamacor.

O último, Manuel Parreira, morreu anteontem, ao início da noite, em Palaçoulo, Miranda do Douro. Ontem, a aldeia ainda chorava a morte do homem, de 76 anos (conhecido na localidade pelas suas dificuldades de locomoção), quando tentava controlar as chamas num lameiro.

Era já noite quando a família começou a estranhar o atraso de Manuel Parreira e decidiu procurá-lo. Foi um irmão que o encontrou, já cadáver, pouco depois, junto a um monte de lenha queimada. "Conforme me aproximava do lameiro, mais era o fumo, e pensei logo que alguma coisa tinha corrido mal. Quando cheguei ao pé do corpo do meu irmão, apercebi-me que não havia nada a fazer, estava negro e tombado no chão ", explicou Diamantino Parreira, irmão da vítima.

Na aldeia, toda gente conhecia as dificuldades de mobilidade de Manuel Parreira, condição que não o impedia de percorrer e trabalhar as suas propriedades.

"O meu marido saiu de casa por volta das oito horas, teimou em levar-me com ele, ainda tentei evitar que fosse para os terrenos, já que eu estava adoentada e não me sentia com força", desabafou Olívia Esteves, de 73 anos.

(Jornal de Notícias)

17 de Março de 2009

Penamacor no “Portugal no Coração” canal 1 dia 25-3-2009

A  Câmara Municipal de Penamacor informa que no próximo dia 25 o programa de televisão do canal 1 da RTP "Portugal no Coração" vai estar presente na nossa localidade.

Logo a partir das 16:20 liguem-se ao canal 1 para ver o que a equipa de exteriores da RTP e a sua apresentadora Cristina Alves têm para dar a conhecer ao País sobre o nosso concelho.

 Certo é que não vai passar em claro os 800 anos de foral da nossa localidade.

Parabéns à RTP por não esquecer o interior e esta zona da Raia.

Este programa começou inicialmente por estar agendado para o dia 18. Depois foi alterado para o dia 24. Agora foi alterado para o dia 25, por motivo de avaria no Carro de Exteriores da RTP Norte. Esperemos que desta vez não haja mais alterações.

15 de Março de 2009

Faleceu no passado dia 21 de Janeiro de 2009,  a Srª  Dª. Maria Eduarda Caldeira Soares Mendes da Fonseca e Sousa Coutinho Castro Refoes, esposa do Dr. Jaime Pissarra Lopes Dias (filho do Dr. Jaime Lopes Dias), nora do Dr. Jaime Lopes Dias, mãe da Drª Ana Maria Lopes Dias Palmeiro e avó de quatro netos e bisavó de dois bisnetos.

A Srª  Dª. Maria Eduarda Caldeira Soares Mendes da Fonseca e Sousa Coutinho Castro Refoes nasceu em18 de Janeiro de 1923.

 

14 de Março de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Faleceu António Branco (vassoureiro)

Faleceu esta manhã o Sr. António Branco, de 87 anos, em Vale da Senhora da Póvoa. O corpo encontra-se na Casa Mortuária e o funeral será realizado amanhã por volta das 15H00.

À família enlutada endereçamos os nossos sentidos pêsames.

(Américo Valente)

 

13 de Março de 2009

Penamacor no “Portugal no Coração”

O programa da RTP “Portugal no Coração” vai estar dia 18 deste mês, em directo de Penamacor, pelo motivo das comemorações dos 800 anos da carta de foral.

João Baião e Tânia Ribas de Oliveira ficarão em estúdio mas ao longo da emissão serão feitos quatro directos a partir da vila raiana para falar de D. Sancho I, o homem que conquistou Penamacor aos Mouros, reconstruiu a povoação e lhe deu foral.

Em Penamacor estará a apresentadora Cristina Alves e toda a equipa de exteriores, uma vez que cada directo de Penamacor terá um cenário diferente.

O programa terá início por volta das 16H20 e prolonga-se pela tarde de quarta-feira, dia 18.

Para além do executivo, que irá falar da efeméride que está a ser comemorada ao longo de todo este ano, será apresentado um excerto da peça de teatro que está a ser preparada por um grupo de crianças que semanalmente ensaiam na biblioteca municipal.

O programa “Portugal no Coração” será uma oportunidade para a comissão criada para trabalhar e fomentar o programa das comemorações dos 800 anos dar a conhecer ao país o rol de iniciativas que vão decorrer.

Está previsto que os directos sejam feitos do cenário épico do castelo de Penamacor que foi remodelado e reforçado nos reinados de D. Dinis, D. Fernando e D. João I, devido em muito aos constantes conflitos com o reinado de Castela. Hoje o que resta do castelo é a sua torre de menagem, classificada de Monumento Nacional.

Por: Jaime Pires
(Jornal Reconquista)

Penamacor - História em debate nos Paços do Concelho

O Salão Nobre da Câmara Municipal de Penamacor recebe no próximo sábado, dia 14, a primeira conferência integrada no ciclo “O Fio da História”. Esta é uma das iniciativas do programa de comemorações dos 800 anos do foral da vila raiana.

Os trabalhos começam pelas 10 horas com o tema “O Foral de Penamacor no contexto da política concelhia do seu tempo”, por Maria Helena da Cruz Coelho, da Universidade de Coimbra. Durante a manhã falam ainda Hermínia Vasconcelos Vilar, da Universidade de Évora.

Os trabalhos são retomados pelas 14h30 com Feliciano Nóvoa Portela, do Ministério da Cultura de Espanha. A conferência é encerrada por António Lopes Pires Nunes, que falará sobre as fortalezas de Penamacor e a sua relação com a evolução urbana e artística da vila.

Bombeiros de Penamacor com nova ambulância

A renovação do parque automóvel é vista como uma prioridade.

Já chegou a Penamacor a ambulância prometida pelo Ministério da Saúde aos Bombeiros de Penamacor. Trata-se de uma ambulância ao serviço da corporação equipada com material de suporte básico de vida.

Esta ambulância faz parte das 45 que foram entregues pelo Ministério da Saúde às Corporações de Bombeiros do País, o que para Penamacor veio traduzir-se num bem de grande necessidade, uma vez que a falta destes veículos continua a sentir-se. Segundo Porfírio Saraiva, presidente da direcção da Associação Humanitária, a nova ambulância “veio trazer melhoria para a corporação e para a população para dar resposta aos pedidos de socorro”.

Mesmo com a vinda desta nova ambulância, este tipo de veículos continuam a ser a principal carência da corporação, diz o presidente da direcção, que avança que são precisas ainda “mais uma ou duas”.

No ano de 2008 a Junta de Freguesia de Penamacor ofereceu também uma ambulância porque entende que só dando condições de segurança e tranquilidade é que se pode fixar população.

Porfírio Saraiva lembra o estado em que se encontra o parque de ambulância, que para além de envelhecido caminha constantemente para as oficinas. As reparações das ambulâncias traduzem-se numa despesa avultada que a Associação Humanitária tem suportado.

Mas se na frota automóvel, nomeadamente em ambulâncias a corporação vive alguma carência, o mesmo já não acontece em relação ao quartel, ao contrário de outras corporações. Com instalações condignas, um corpo activo que nunca é o ideal mas o possível, uma vez que os homens ao serviço do bem público nunca são demais junta-se agora uma nova equipa de intervenção permanente. Um piquete constituído por cinco bombeiros pronto para dar resposta aos serviços de socorro.

Dado Penamacor estar entre os concelhos de maior risco, foi criada esta equipa de intervenção permanente, após ter sido celebrado um protocolo entre a Autoridade Nacional de Protecção Civil, a Câmara Municipal de Penamacor e a Associação Humanitária dos Bombeiros de Penamacor. Com custos já devidamente assegurados e repartidos entre a Associação Humanitária, a Câmara Municipal e a Autoridade Nacional de Protecção Civil.

Cabe a esta equipa a missão de assegurar, em permanência, os serviços de socorro às populações todos os dias úteis, por um período semanal de 40 horas. Esta nova ambulância vem ajudar o trabalho desta equipa em que o território de Penamacor fica com capacidade de resposta face a qualquer ocorrência que surja, porque esta equipa está preparada para actuar com prontidão a qualquer situação.

Por: Jaime Pires
(Jornal Reconquista)

06 de Março de 2009

Fundão avança com obras na estrada 570

A obra vai facilitar o acesso da zona dos Três Povos e do norte de Penamacor à A23, através do nó de Caria.

A Estrada Municipal 570, que atravessa a aldeia de Escarigo ligando os concelhos de Penamacor, Fundão e Belmonte, deverá entrar em obras dentro de poucos meses no troço inserido no concelho do Fundão. A câmara municipal daquele concelho vai investir um milhão de euros na obra, dos quais 600 mil euros são assegurados através do Quadro de Referência Estratégico Nacional, o QREN. A boa nova para a população desta aldeia da zona dos Três Povos foi anunciada no último domingo pelo presidente da Câmara Municipal de Fundão. Mas a obra beneficia também o concelho de Penamacor, em especial o norte deste, já que a estrada é uma das ligações à Auto-Estrada da Beira Interior e ao Hospital da Cova da Beira, na Covilhã.

Manuel Frexes, o presidente da Câmara Municipal do Fundão, diz que só falta definir algumas questões com os proprietários dos terrenos vizinhos à estrada, mas todos eles já assinaram as declarações que permitem o avanço dos trabalhos. “E por isso eu vim aqui agradecer a todos aqueles que tornaram possível esta obra”, referiu Frexes no Escarigo. De acordo com o autarca, os trabalhos devem arrancar perto do Verão para estarem concluídos em oito meses.

A actual estrada caracteriza-se pelas muitas curvas à saída da aldeia em direcção a Monte do Bispo, no concelho de Belmonte. A faixa de rodagem no concelho do Fundão é também substancialmente menor do que nos concelhos vizinhos, para além de não possuir sinalização no pavimento. Não admira por isso que a obra tenha sido recebida em festa.

“É claro que é com alegria que recebemos o lançamento do concurso público”, diz Sérgio Serra, o presidente da Junta de Freguesia de Escarigo. Enquanto não chega o momento de cortar a fita da nova estrada fizeram-se outras inaugurações, como a remodelação da sede da junta, com um investimento de 35 mil euros. A Avenida D. Dinis foi também alvo de trabalhos de requalificação, com o arranjo dos muros de suporte, gradeamento e passeio, nos quais foram investidos cerca de 50 mil euros. No papel ficou ainda o apoio da câmara do Fundão às obras na capela de Nossa Senhora de Lourdes e a promessa de uma solução para os problemas de climatização na casa mortuária.

Por: José Furtado
(Jornal Reconquista)

Penamacor - Deputados do PS abandonam assembleia em protesto

Três deputados da bancada do Partido Socialista na Assembleia Municipal de Penamacor abandonaram os trabalhos durante a última sessão, como forma de protesto pelo prolongar do período de antes da ordem do dia para além daquilo que consideram razoável. A reunião da última sexta-feira, 27 de Fevereiro, estava agendada para as 19 horas. Mas só uma hora e meia depois é que terminaram as intervenções dos seis deputados que pediram a palavra, alguns dos quais voltaram ao púlpito para exercerem o direito de defesa da honra. Faltava ainda dar voz ao presidente da câmara municipal para responder às questões colocadas.

A condução dos trabalhos por parte de Lopes Marcelo é contestada há muito pela oposição, mas desta vez foi o PS a tomar uma atitude. Porfírio Saraiva foi um dos deputados que saiu da sala como forma de mostrar o desagrado pelo prolongar dos trabalhos, sendo acompanhado por Dias Lopes e Luís Canez. O líder da bancada do PS e da concelhia do mesmo partido alega que “estamos a ultrapassar todos os limites”, referindo-se ao tempo de duração das assembleias. Mas apesar de a atitude colocar em causa a condução dos trabalhos por parte de um eleito do mesmo partido, Porfírio Saraiva diz que não há divisão dentro do PS local, admitindo até que a atitude de abandonar a sala foi uma reacção “a quente”, provocada pelo nervosismo do momento.

Lopes Marcelo desvaloriza o incidente e diz que da sua parte a condução da assembleia “decorreu como as outras”. O presidente do órgão refere que tem cumprido os 60 minutos para a intervenção dos deputados, mas o direito ao contraditório prolonga os trabalhos.

Quanto ao facto de ser contestado pelo próprio partido, Lopes Marcelo diz que enquanto presidente da Assembleia Municipal “a minha posição é de total neutralidade”, não admitindo que a assembleia se transforme num “tribunal político”.

Por: José Furtado
 

Penamacor - Alegada corrupção aquece os ânimos

A Assembleia Municipal de Penamacor voltou a ficar marcada pelas acusações de alegada corrupção feitas pela oposição em relação à maioria. Francisco Abreu foi mais uma vez o porta-voz das acusações. O membro da bancada da Coligação Todos por Penamacor diz que mesmo os apoiantes de Domingos Torrão lhe falam em “compadrios, corrupções e jogos de benefícios constantes” e que inclusivamente “há empresários que dizem para toda a gente ouvir que são donos da câmara”.

Francisco Abreu acusa mesmo o presidente da Câmara Municipal de Penamacor de fugir ao confronto com os empresários e de até “mexer cordelinhos” para que os críticos não manifestem a sua opinião. Em causa está a intervenção de um empresário do concelho numa sessão de câmara, da qual Domingos Torrão esteve ausente. O presidente da Câmara Municipal de Penamacor defende-se dizendo que não foge às responsabilidades. “Dou sempre a cara e se não estive na reunião é porque tive outros afazeres da autarquia”, nomeadamente reuniões na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional e no Ministério da Agricultura.

Francisco Abreu não citou nomes e entende que não tem de o fazer. “Não me compete denunciar pessoas mas situações, eu não sou polícia”.

Dias Lopes, do PS, acusa a oposição de utilizar a assembleia para fazer campanha política, dizendo que no caso das denúncias investigadas pela Inspecção Geral da Administração Local (IGAL) “a montanha pariu um rato”. No entanto a Coligação Todos por Penamacor queixa-se de não ter sequer sido ouvida pela IGAL, apesar de se ter prestado para tal. “A IGAL foi-se embora”, lamentou António Bento.

Domingos Torrão considera que a IGAL “fez o seu trabalho” e por isso “aguardamos serenamente o relatório da inspecção”. Em relação às restantes acusações, o presidente solicitou à mesa da assembleia a gravação da reunião para ponderar aquilo que foi dito e as suas possíveis consequências - entenda-se – uma possível ida para tribunal.

JF com Rádio Cova da Beira


Penamacor - Torrão confirmado como candidato

O Partido Socialista de Penamacor aprovou por unanimidade o nome de Domingos Torrão como cabeça de lista do partido à Câmara Municipal de Penamacor nas próximas eleições. A decisão foi tomada numa reunião realizada a 14 de Fevereiro.

Domingos Torrão é para já o único nome confirmado pelo PS Penamacor como candidato às autárquicas, como garantiu ao Reconquista Porfírio Saraiva, o líder da concelhia socialista. Os restantes candidatos às juntas, assembleia municipal e à própria câmara serão apresentados nos próximos meses.

Por: José Furtado
(Jornal Reconquista)

05 de Março de 2009

Jovens do Fundão vencem concurso de música no Porto

Duas alunas da Academia de Música e Dança do Fundão participaram no último fim-de-semana num dos mais prestigiados concursos de música de Portugal e trouxeram para o Fundão os dois primeiros prémios. Margarida Gavinhos de oito anos e Inês Lindeza, de dez anos, de idade estiveram no Concurso Santa Cecília, promovido pelo curso de música Silva Monteiro e que se realizou no Porto. Da cidade invicta Inês Lindeza em piano e Margarida Gavinhos em violino trouxeram respectivamente o primeiro e segundo prémios.

Noutro domínio, a Academia de Música e Dança do Fundão voltará este ano a participar num acontecimento cultural de relevo a ter lugar no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

Trata-se dos Dias da Música, este ano dedicados à música erudita de Bach e seus seguidores. As provas de selecção estão previstas para os próximos dias em Lisboa, Coimbra e Braga. A Academia de Música e Dança do Fundão estará em Coimbra na próxima quarta-feira. Nessa altura vai apresentar-se às provas com a Orquestra de Guitarras, o pianista Ricardo Vicente acompanhado da Orquestra de Cordas. Presentes vão estar mais três pianistas a solo; Rafael Bartolomeu, Xavier Canavilhas, e Ana Carolina Rodrigues.

Dulce Gabriel

(Jornal do Fundão)

04 de Março de 2009

Sabugal - Sabores da nossa terra

A mostra pretende divulgar «o que de melhor há nas tradições alimentares do concelho»
 

Na sala de exposições temporárias do Museu Municipal do Sabugal está patente ao público, até dia 29, a exposição “Sabores da nossa terra”, organizada pela Câmara local, com o objectivo de divulgar «o que de melhor há nas tradições alimentares do concelho». A mostra está dividida em vários núcleos, nomeadamente, o pão, o azeite, a caça, a matança do porco, os enchidos, o mel, a castanha, os cogumelos e o vinho, segundo os promotores. A exposição pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 9 horas às 12h30 e das 14 horas às 17h30, e ao fim-de-semana das 14h30 às 17h30.

 

Fundão - Vítima de burla “perde” 15 mil euros

Para ganhar 10 mil euros, reformado entregou 15 mil a burlões. Nunca mais lhes pôs a vista em cima

FICOU sem 15 mil euros e ainda pagou o preço de uma folha de papel azul de vinte cinco linhas. É este o balanço que um homem de 67 anos, reformado, residente em Peroviseu, pode fazer de uma conversa que teve segunda-feira com dois desconhecidos.

Sem fazer ideia o reformado acreditou na história que lhe foi contada por um dos indivíduos e no fim ainda aceitou levantar o próprio dinheiro no banco para mostrar que era uma pessoa fiável. A confiança que depositou nos desconhecidos é que não teve reciprocidade. Estes desapareceram assim que receberam o dinheiro da vítima.

O lesado foi abordado ao final da manhã numa rua da cidade do Fundão. Um homem, de cerca de 55 anos, questionava-o sobre o paradeiro de um determinado empresário da construção civil que tinha sido seu patrão há anos. Desconhecendo de quem se tratava, a vítima ouviu ainda a história do desconhecido que dizia ter regressado ao Fundão para entregar 20 mil euros (que mostrou em dois maços) ao dito empresário.

Isto para lhe agradecer o facto de o ter ajudado a ele e a um colega (espanhol) que acabara por morrer. Dizia o burlão que o tal colega lhe legara o seu dinheiro. Uma verba que teria investido lá fora e da qual recolhera bons frutos. E terá sido nesta altura do diálogo que surge o segundo elemento, a quem também é relatada a versão da benfeitoria.

Este homem, ainda terá fingido que tentava obter informações acerca do empreiteiro. Não descobrem nada e assim o primeiro burlão decide que entregará o dinheiro àqueles dois homens (outro burlão e à vítima). Cada um receberia 10 mil euros, mas antes disso teriam de provar que não precisavam do dinheiro e que o iam empregar em acções sociais.

Para provarem a sua fiabilidade, bastava mostrarem que tinham dinheiro. O segundo burlão não hesita e depressa apresenta dois maços de notas que entrega ao primeiro burlão. Impulsionado pelo exemplo, a vítima desloca-se a um banco da cidade e levanta 15 mil euros. Depois disso, o burlão sugere a celebração de um contrato e pede à vítima que vá comprar uma folha azul de 25 linhas.

A vítima foi, mas deixa o dinheiro nas mãos do burlão. Quando regressa ao local não encontra nenhum dos dois interlocutores, nem tão pouco o rasto do dinheiro. Só nessa hora deu conta que tinha sido enganado e se lembrou que também um primo já tinha sido burlado com uma história idêntica, que envolvia um médico.

Apresentou queixa na GNR que uma vez mais recorda algumas medidas de segurança, nomeadamente, o facto de que ninguém dá nada a ninguém e que em circunstância alguma se deve passar para a mão de desconhecidos importâncias monetárias ou objectos de valor.

Por: Catarina Canotilho
(Jornal do Fundão)

03 de Março de 2009

Castelo Branco - Aluno da Esart entra na Orquestra do You Tube

O violinista Tiago Santos, aluno da Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco (Esart), acaba de ser apurado para a Orquestra Sinfónica do Youtube. O jovem músico de 20 anos é assim o único português entre os 94 músicos que o júri do You Tube seleccionou para a primeira orquestra sinfónica seleccionada através da internet. À semelhança dos três mil músicos de 70 países do mundo que concorreram, Tiago Santos gravou e colocou no Youtube dois vídeos em que mostrava os seus dotes no violino.Os resultados foram anunciados esta segunda-feira.

"Estou muito satisfeito por ver que vale a pena andar a estudar tanto e a investir na música, mas agora tenho que assentar e preocupar-me com os ensaios da orquestra da Esart. Só daqui a 15 dias é que é para festejar", refere Tiago Santos, citado num comunicado do Politécnico de Castelo Branco, instituto a que pertence a Esart.

No início de Abril o músico viaja para Nova Iorque, para participar nos ensaios da nova orquestra sinfónica.

Veja aqui o video

FEVEREIRO

26 de Fevereiro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

António Joaquim completa hoje 100 anos

António Joaquim (mudo), nasceu no dia 26 de Fevereiro de 1909 em Vale de Lobo. Completa hoje 100 anos de existência neste planeta. Vive actualmente em Lisboa em casa da sua sobrinha, Maria Bárbara, esposa de Fitz Cameira. Toda a sua família vai festejar o seu aniversário. Eis o comentário deixado no Livro de Visitas por Célia Cameira:

"É com muita alegria que felicitamos o nosso tio António Joaquim pela celebração do seu 100º Aniversário! Aqui ficam os nossos votos de muitos Parabéns e beijinhos dos sobrinhos: Mª Bárbara, Fitz, Vitor, Célia, Anália, Bruno, Soraia, Patricia e Francisco Cameira."

Por nossa parte, queremos desejar um FELIZ ANIVERSÁRIO.

(Américo Valente)

Meimoa junta mulheres em convívio

A freguesia de Meimoa vai organizar pelo quarto ano consecutivo um convívio do Dia Internacional da Mulher, marcado para o próximo dia 8 de Março. O encontro está marcado para o salão da Junta de Freguesia, a partir das 13 horas. Durante a tarde haverá baile e um lanche ajantarado, garante a organização. O baile deverá continuar já depois do pôr-do-sol.

As inscrições podem ser feitas junto da Pastelaria São Domingos, pelo telefone 96 718 58 81 ou através do correio electrónico fatimaclaudia@live.com.pt

(Jornal Reconquista)

24 de Fevereiro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa - Cinema

Por iniciativa do Grupo de Jovens da Paróquia de Vale da Senhora da Póvoa, vai finalmente ser exibido o filme " A Troca", no próximo dia 1 de Março, no Salão da Casa do Povo, às 14 horas.

Esperemos que tenha mais espectadores do que teve o filme "Fátima", pois este contou com cerca de 30 pessoas.

Informações Técnicas
Título:  A Troca
Título Original:  Changeling
País de Origem:  EUA
Género:  Suspense
Classificação etária: 16 anos
Tempo de Duração: 140 minutos
Ano de Lançamento:  2008
Direcção: 
Clint Eastwood

Christine Collin (Angelina Jolie) é uma mãe que ora fervorosamente para que seu filho Walter (Gattlin Griffith) retorne para casa. O menino foi seqüestrado em uma manhã de sábado, após ela ter saído para trabalhar. Com a ajuda do reverendo Briegleb (John Malkovich) e após meses de buscas intensas, finalmente, a polícia encontra o garoto. Mas algo está errado e, em seu coração, Christine desconfia que ele não seja seu filho verdadeiro.
 
 

 21 de Fevereiro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa - Cinema

Por iniciativa do Grupo de Jovens do Vale da Senhora da Póvoa, vai ser exibido o filme "Fátima", no próximo dia 22 de Fevereiro, pelas 17H00, no salão da Casa do Povo.

Eis algumas informações sobre o filme:

FÁTIMA
Filmes - Drama

As aparições de Fátima num tocante melodrama romântico, com Diogo Infante, Catarina Furtado e Joaquim de Almeida

Em 1917, Fátima, tornava-se num local santo e a vida de muita gente seria alterada para sempre. A 13 de Maio, desse ano, enquanto na Europa se combatia nas trincheiras, três pequenos pastorinhos, Lúcia, Jacinta e Francisco, revelavam aos seus incrédulos pais que tinham visto Nossa Senhora. Entretanto, Margarida, uma jovem que tinha ido viver para Lisboa, regressa a Fátima. Dário, o filho de um influente industrial, procura Margarida em Fátima para lhe demonstrar todo o seu amor. Margarida é uma das primeiras pessoas a acreditar nas visões dos pastorinhos, de quem se torna grande amiga. As aparições começam a arrastar multidões e dão origem a um extraordinário fenómeno de Fé que deixa as autoridades profundamente preocupadas.

Co-produção entre Portugal e Itália, "Fátima", é a mais recente reconstituição, em cinema, das celebérrimas aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos de Fátima. Fabrizio Costa recria todo o fantástico caso de Fé, que iria abalar o país e o Mundo, ao mesmo tempo que gerava uma complexa e delicada situação, política e religiosa, num país conturbado. No meio de tudo isto, evolui uma história de amor entre uma jovem fadista e o filho de um industrial, que vão acabar por testemunhar toda a agitação social, política e religiosa produzida pela fantástica ocorrência. Uma nova versão cinematográfica de um dos eventos mais marcantes da História de Portugal no século XX, com Diogo Infante e Catarina Furtado nos principais papéis.
 

20 de Fevereiro de 2009

Sabugal põe a mesa no fim-de-semana

A gastronomia típica do concelho do Sabugal está em destaque neste fim-de-semana do Carnaval com a segunda edição dos Roteiros Gastronómicos.
Do caldo escoado ao caldudo ou à canja dos cornos, passando pelos famosos bucho com couves e truta frita do Côa, pode ainda provar o pixalho em onze restaurantes do município. A iniciativa é promovida pela autarquia e envolve os estabelecimentos A Formiga (Aldeia do Bispo), Éden (Rebolosa), El Dourado (Fóios), O Martins (Soito), O Pelicano (Alfaiates), O Robalo (Sabugal), O Templo (Sabugal), Raiahotel (Sabugal), Sol-Rio (Sabugal), Trutalcôa (Quadrazais) e Zé Nabeiro (Soito). Entre sábado e Terça-feira Gorda, a sala de exposições temporárias do Museu do Sabugal apresentará também os "Sabores da nossa terra".
Para domingo, no salão da Junta de Freguesia do Sabugal, está marcado um almoço da Confraria do Bucho Raiano. A ementa inclui além do dito, acompanhado com batatas e grelos de nabo cozidos, o caldo de "baginas" (vagens) secas e sobremesa de "mílharas" (papas de carolo). A missão desta confraria é dar a conhecer o bucho e contribuir para que se transforme numa oportunidade económica para a região.
 

19 de Fevereiro de 2009

RIBEIRO SANCHES
Um estrangeirado na Europa das luzes: 1699 - 1783

Ribeiro Sanches

QUANDO TUDO ACONTECEU...

1699: Nasce a 7 de Março na vila fronteiriça de Penamacor - Beira Baixa, e o nome de baptismo é António Nunes Ribeiro Sanches. – 1716: Inscreve-se na Universidade de Coimbra, em Direito. – ca. 1719: Transfere-se para Salamanca e cursa Medicina. – 1724: Grau de doutor em Medicina, pela mesma Universidade. – 1726: Foge de Lisboa, por denúncias da prática de judaísmo e fixa-se em 1730 na Holanda onde estuda com o grande Boerhaave. – 1731: Sob a sua recomendação à corte imperial da Rússia, aqui exerce durante dezasseis anos altas funções nos exércitos dos czares. – 1739: Membro da Academia de Ciências de S. Petersburgo, recebendo, no mesmo ano, igual distinção na de Paris. – 1747: De regresso à cidade das Luzes, grande centro de actividade intelectual, colabora com os maiores vultos do Iluminismo. Aqui escreve as suas obras fundamentais. – 1750: Dissertation sur la Maladie Vénérienne. – 1756:Tratado da Conservação da Saúde dos Povos. – 1760: Cartas sobre a Educação da Mocidade, uma das suas obras fundamentais, a que se segue o Método para Aprender e Estudar a Medicina1763. Mémoire sur les Bains de Vapeur en Russie1779. E até à sua morte, ocorrida em 14 de Outubro de 1783, vai ser consultado com regularidade pelas personalidades mais notáveis da Europa culta de então.

 

Ribeiro Sanches faz 310 anos

Ausente do programa das comemorações estão actividades relacionadas directamente com Ribeiro Sanches. A 7 de Março de 2009 passam 310 anos do nascimento do médico e cientista que foi médico da corte russa e o único intelectual português a participar na enciclopédia de Diderot e D'Alembert.

Domingos Torrão garante no entanto que Ribeiro Sanches não será esquecido e por isso será referenciado ao longo das comemorações.

Por: José Furtado
 

(Jornal Reconquista)

Jogos Florais com prémios

As comemorações dos 800 anos de Penamacor são o mote para os Jogos Florais a decorrer até Maio, com concursos nas áreas de poesia, prosa, fotografia, desenho e pintura. A competição é aberta a toda a comunidade, que pode apresentar trabalhos até 8 de Maio.

As artes a concurso são agrupadas nas modalidades de literatura, expressão plástica e fotografia. O primeiro prémio para cada uma delas é de 100 euros, mais um lote de livros e uma medalha comemorativa. Os prémios serão entregues no Dia do Concelho, a 1 de Junho.

Por: José Furtado
 

(Jornal Reconquista)

18 de Fevereiro de 2009

Adufeiras de Monsanto garantem a tradição do adufe

A tradição de tocar adufe está a acabar. Um instrumento habitualmente tocado por mulheres, são já as mais velhas que garantem essa tradição. As mais novas não “ligam”. A Câmara Municipal diz estar atenta e promete incentivar a juventude

MONSANTO fica no cabeço, como lhe chamam os seus cerca de cem habitantes, que tal como outrora resistiram à fúria dos mouros, resistem, hoje, à desertificação do interior. Séculos depois da invasão moura, travam-se outras lutas: contra o esvaziamento populacional deste anfiteatro de granito, incrustado de memórias, histórias, mitos e lendas, que se escondem em cada recanto desta aldeia histórica. José Saramago disse a propósito de Monsanto: “De pedra julgava o viajante ter visto tudo. Não o diga quem nunca veio a Monsanto”.

Nos anos trinta, ficou reconhecida como a “Aldeia mais Portuguesa de Portugal”. Este feito deve-se à Secretaria Nacional da Informação do tempo do Estado Novo, que nas suas acções de propaganda nacional, depois de analisar onze províncias a concurso, galhardeou esta aldeia com um belíssimo “Galo de Prata”, cuja réplica é vistosamente exibida no topo da Torre de Lucano.

Ao subir as ruas da aldeia, encontramos grandes penedos em granito, que parecem amparados por um fio. Seguram majestosamente as habitações de uma arquitectura exclusiva por obra e perícia dos habitantes locais. Lá em cima, perto das nuvens, exibe-se o castelo. Em dias mais escuros, entre o nevoeiro cerrado, ouve-se o “gritar” do adufe, que nos anos da revolução dos cravos ergueu bem alto a esperança e o suor de um povo castrado nos sonhos, pois encontravam-se numa terra quase primitiva. De ninguém. Contudo, esta aldeia bem original mostrou ter garra, aquando a revolução, vendo as suas mulheres de lenço preto e de rugas rasgadas de sofrimento a cantarem o hino da liberdade com a ajuda do inseparável adufe. Em homenagem ao adufe nasceria umas das mais belas cantigas dos cancioneiros da Beira: “Ai as armas do meu adufe/ai as armas do meu adufe.”

Por meio deste lavrado de ruas sinuosas como um labirinto sente-se a musicalidade que está profundamente enraizada nas gentes de Monsanto, sobretudo nas mulheres. Para além do património edificado, nesta aldeia, bem como em todo o concelho de Idanha-a-Nova, conserva-se um dos instrumentos mais genuínos da raia: o adufe.

O Jornal do Fundão, nesta viagem ao concelho de Idanha-a-Nova, mais especificamente a Monsanto, foi tentar descobrir as raízes deste instrumento musical que teima em resistir pelas mãos das adufeiras. Mas afinal o que é que esta sonoridade esconde? Tentámos desvendar o segredo desse som, a sua origem, enfim uma panóplia de assuntos, que nos fazem reflectir sobre a sua continuidade, já que caso não haja tocadoras de Adufe, pode correr-se o risco de se perder uma das mais belas sonoridades desta região.

História

O adufe foi trazido para a Península Ibérica, por volta do século VIII, pelos árabes. A base da sua natureza está intrinsecamente ligada à pastorícia e à transumância. Mais tarde, os cristãos copiaram os modelos dos adufes e adaptaram-nos. O adufe é instrumento de percussão e, devido ao seu impacto e agitação provoca uma sonoridade inigualável. Este pandeiro é feito de “pau de laranjeira”, pele de animal (cabra ou ovelha) macho e fêmea, tendo como fundamento um simbolismo especifico… No seu interior, deveriam constar guizos, não feijões, pedras, caricas, para provocar a verdadeira melodia de outros tempos.

O último construtor de adufes

Se aos mouros se deve esta tradição, o seu formato, segundo José Relvas, artesão de adufes em Idanha--a-Nova, “o adufe primitivo não seria quadrangular, mas sim triangular”, segundo informação constante na Torre do Tombo. “Sendo eu, um neófito deste assunto, gostaria de dizer que concordo com os especialistas da matéria, em que me disseram, que teria esta figura geométrica, devido ao seu manuseamento. O adufe quadrangular não é tão prático para se tocar”, revela ainda.

(Jornal do Fundão)

16 de Fevereiro de 2009

Penamacor em festa para assinalar 800 anos de história

A vila de Penamacor celebra este ano os 800 anos do Foral que em 1209 lhe foi atribuído por D. Sancho I.
As comemorações iniciaram-se no último fim-de-semana com uma palestra sobre a “Importância dos Forais na Génese e Desenvolvimento do Municipalismo em Portugal” e que teve como oradora a investigadora Antonieta Garcia.
A sessão aberta apenas aos elementos da Comissão de Honra das Comemorações, contou ainda com a participação do grupo de teatro Váatão de Castelo Branco que apresentou um número sobre o Foral de D. Sancho I e os direitos e deveres colectivos para o povo de Penamacor. O episódio histórico vai, durante este mês e até 15 de Março, passar por todas as freguesias do concelho de Penamacor. Depois da missa dominical, à porta da igreja, lá estarão os actores do grupo Váatão que desta forma recuam 800 anos e deixam a população informada sobre tão “ importante acontecimento histórico”, sublinhou na apresentação do programa comemorativo a vereadora da Cultura na Câmara de Penamacor, Ilídia Cruchinho.
O programa comemorativo dos 800 anos do Foral de Penamacor estende-se até dia um de Dezembro de 2009, mas será interrompido em Outubro e Novembro, devido às exigências do calendário politico que o ano de todas as eleições apresenta. E embora ainda haja várias iniciativas em estudo, o plano evocativo, agora apresentado já denota a preocupação central do município de Penamacor que nestas celebrações se propôs envolver toda a comunidade do concelho. Assim, a Escola Básica 2/3 Ribeiro Sanches que já desenvolveu na web uma página sobre a efeméride (http://sites.google.com/site/800anospenamacor/Home), também terá um papel relevante em iniciativas como os “Jogos Florais”, um concurso de Literatura, Fotografia e Artes Plásticas e cujos trabalhos devem ser entregues até dia oito de Maio. Ainda nas letras e expressão plástica, destaque no plano de festejos, para o lançamento e oferta do livro infantil “A Escola da Raposa Malcata”, da autoria de António Rico que assinalará o Dia Mundial da Criança em Junho . Nesse mesmo mês, os jovens de Penamacor apresentarão a peça de teatro juvenil “ A Lenda da Cova da Moura” e também em Junho, no Dia do Concelho, será inaugurado o Memorial alusivo aos 800 anos e que o presidente da Câmara de Penamacor ainda não revela onde será. O lançamento de “várias publicações”, alusivas ao acontecimento histórico, uma Feira Medieval (31 de Maio) e um ciclo de conferências designado de “O Fio da História”, em Março, Maio e Julho, são outras das iniciativas que marcam o programa. Em tempo de festa as inaugurações também não foram esquecidas e nos próximos meses, Penamacor associar-se-á à inauguração das obras de reabilitação do antigo quartel (em Abril) e à inauguração do núcleo Museológico da Bemposta (em Agosto). De resto os 800 anos do Foral de Penamacor serão a base para o espectáculo de música e dança , “In Terra Nostra” que a Academia de Música e Dança do Fundão está a preparar e que será estreado no dia 19 de Setembro, numa jornada cultural que também ficará marcada pela iniciativa “Pintar Penamacor” e que levará a terras de Ribeiro Sanches, vários artistas plásticos.

Veja aqui o vídeo

Por: Dulce Gabriel

(Jornal do Fundão)

Câmara do Fundão anuncia loja social e bolsa de apoio para desempregados

A antiga cantina dos pobres no Fundão vai albergar a futura loja social do Fundão que a Câmara do Fundão vai criar para apoiar pessoas carenciadas. A medida foi divulgada pelo presidente da autarquia no final de uma reunião de trabalho com os parceiros da Rede Social do Concelho do Fundão.

A Loja Social que dentro de “duas semanas” vai abrir na antiga cantina dos pobres, será um ponto de ”recepção de todo o tipo de donativos e um balcão de medicamentos”. O edifício localizado nas proximidades do Hospital do Fundão está a ser objecto de “requalificação”.

Além da loja social, a CMF vai também investir cerca de “um milhão de euros” na criação de um Fundo Municipal para a Promoção do Emprego. Trata-se de uma “bolsa de apoio económico” que permitirá estimular o mercado social de emprego. Para o efeito a CMF conta com a cooperação das vários instituições sociais do concelho.

A bolsa social de emprego destina-se a pessoas “sem qualquer rendimento”, que poderão ser úteis a uma das cerca de 60 associações sociais do concelho do Fundão e que serão agentes activos na resposta às dificuldades sociais do Fundão. As políticas agora aprovadas vão de encontro ao trabalho que está a ser realizado por organismos como a Santa Casa da Misericórdia do Fundão que actualmente serve cerca de 900 refeições por mês às pessoas carenciadas da cidade que recorrem com alguma frequência à instituição.

Por: Dulce Gabriel

(Jornal do Fundão)
 

15 de Fevereiro de 2009

Vale da Senhora da Póvoa

Hoje, pelas 14 horas, o Ti Porfírio (Birra) caiu frente ao Café do Tó Carrapato. Foi chamado o 112 que o transportou de imediato para o Hospital. Não se sabe ainda qual o Hospital. Brevemente esta  notícia será actualizada.

(Grupo Paroquial de Jovens do Vale da Senhora da Póvoa)

Segundo informação do Hospital da Covilhã, o Sr. Porfírio Mugeiro Bogas deu entrada no Serviço de Urgências, pelas 15 horas.

Encontra-se no Serviço de Medicina Interna a fazer exames.

Teve alta hospitalar pelas 18H10 e regressou a casa. Nada de grave, pelos vistos.

(Américo Valente)

 

13 de Fevereiro de 2009

Quercus espalha verde pela raia

Idanha-a-Nova e Penamacor vão receber algumas das 15 mil árvores que a associação ambientalista e a Caixa Geral de Depósitos vão plantar no próximo sábado.

Carvalho-negral, pinheiro-silvestre, plátano-bastardo, cerejeira ou sobreiro são algumas das espécies que vão ser plantadas no próximo sábado, dia 14, em oito localidades do país. A acção insere-se no projecto nacional “Criar Bosques”, promovido pela associação ambientalista Quercus e com o apoio da Caixa Geral de Depósitos.

Os concelhos de Penamacor e Idanha-a-Nova são os contemplados no distrito de Castelo Branco com algumas destas 15 mil plantas, de espécies que foram desaparecendo com o passar dos anos, à medida que avançavam o pinheiro ou o eucalipto.

“Aqui na região nós ainda temos zonas de floresta típica como os montados de sobro e de azinheiro, mas os carvalhais desapareceram de muitos sítios”, observa Samuel Infante, da Quercus de Castelo Branco. Mais grave é a situação do teixo, que outrora habitava as zonas de montanha, como a Serra da Estrela. Ironicamente algumas destas espécies estão hoje mais presentes em viveiros do que na própria natureza. Para plantar estas árvores são escolhidos diversos locais como terrenos públicos, baldios e também particulares, como vai acontecer em Idanha-a-Nova e Penamacor. Mais do que abrir o terreno, o particular em questão compromete-se a preservar o espaço, explica Samuel Infante.

Álvaro Rocha, o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, diz que o gesto “é importante”, mas o município precisa de muito mais, ou não fosse Idanha-a-Nova o segundo maior concelho do país em área. “De qualquer forma é uma maneira de incentivar a plantação de árvores”, refere o autarca.

Tudo começa nas sementes

Mais de seis mil árvores já foram plantadas, no sábado juntam-se outras 15 mil mas a meta do “Criar Bosques” supera em muito estes números. Na apresentação que faz do projecto, a Quercus coloca a fasquia no meio milhão de árvores e arbustos a plantar, cifra que sobe para o milhão quando se fala em plantas a produzir. O viveiro da Sr.ª da Graça, localizado no Sabugal e pertencente à Reserva Natural da Serra da Malcata, é um dos viveiros envolvidos neste esforço, que começa na recolha de sementes. Qualquer pessoa pode inscrever-se no projecto para recolher sementes, ligando-se por exemplo ao espaço dedicado ao programa na página da Quercus na internet (ligação no final do texto). Esta fase decorre habitualmente entre o final do Verão e o início da Primavera. As sementes seguem depois para os viveiros e finalmente para o terreno.

No sábado a plantação vai envolver elementos da Quercus, funcionários da Caixa Geral de Depósitos e voluntários do Corpo Nacional de Escutas, câmaras e juntas de freguesias.

Mais informação em www.condominiodaterra.org/criarbosques.

Por: José Furtado
 

Programa para as comemorações dos 800 anos do concelho de Penamacor

Dados que foram os primeiros passos e encarriladas que estão as múltiplas acções que se perspectivam para celebrar condignamente 800 anos de história do concelho de Penamacor, a abertura oficial das comemorações terá lugar no dia 14 de Fevereiro às 14H30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em cerimónia que constará de uma prelecção proferida pela Drª. Antonieta Garcia sobre o papel dos forais na génese e consolidação do municipalismo em Portugal, seguida da apresentação do Programa para as Comemorações dos 800 anos de Penamacor.

(Américo Valente)

 

10 de Fevereiro de 2009

Funeral do pai de António Guterres esta quarta-feira nas Donas

Deverá realizar-se quarta-feira à tarde, nas Donas, o funeral do pai do antigo Primeiro-Ministro António Guterres.

Virgílio Dias Guterres tinha 95 anos e faleceu na manhã desta terça-feira em Lisboa, vítima de doença prolongada.

Virgílio Dias Guterres era natural da Soalheira, mas a seu pedido vai ser sepultado no cemitério das Donas, freguesia de onde é natural sua esposa.

De acordo com a Junta de freguesia das Donas, o cortejo fúnebre deverá sair de Lisboa quarta-feira de manhã, estando a cerimónia do funeral prevista para a Igreja Matriz de Donas, por volta das 15 e 30.

2º Convívio dos naturais de Vale da Senhora da Póvoa, descendentes e amigos

Será realizado em 30 de Maio no Restaurante "Tear" na Meimoa

Apesar das sondagens indicarem que a maioria das pessoas optaram que o convívio fosse no mesmo local do ano passado, surgiram novos organizadores, que tomaram a responsabilidade de organizar o 2º Convívio. Pretende-se que as pessoas do Vale estejam unidas e não divididas.

Estão oficialmente abertas as inscrições para o 2º Convivio!!!

Contactos:

Maria Amélia Cameira - Tel: 962353509  email: ameliacameira@gmail.com ou melita1953@hotmail.com

José Jorge Cameira -     Tel: 966000008  email: jjorgepaxjulia4@hotmail.com

Américo Valente -            Tel: 962654803 ou 217606184 email: valentone@sapo.pt

Livro de Visitas - Mensagens

Junta de Freguesia do Vale da Senhora da Póvoa

Programa:

Nós, Mélita Cameira e Jorge Cameira, com o expresso apoio da Junta de Freguesia do VSP propomos que o II Convívio de Conterrâneos e Amigos do Vale da Senhora da Póvoa este ano se realize com este Calendário, e lá no VSP :

 

    SÁBADO (30 Maio)............ 12h30=Almoço   16h00=Lanche 
 
    DOMINGO (31  Maio)...........Ida ao recinto da Romaria  e às  17h30= Missa Campal
 
    SEGUNDA (01 Junho) .........Romaria da Senhora da Póvoa  e  Inauguração da Meleira do Vale da Senhora da Póvoa, com o Entidades
                                                     Públicas de relevo do Distrito e o nosso Presidente da Junta de Freguesia.
 ___________________________________________________________________________________________________________
 
Proposta de "Convívio Alimentar" - RESTAURANTE  O  TEAR - MEIMOA,  junto à Ponte Filipina

Entradas :  pastéis, empadas, fritos diversos, martinis
 
Almoço: 

Sopa
Prato de peixe - bacalhau à lagareiro ou semelhante
Carne - prato a combinar (talvez carne de vitela assada)
Sobremesa - salada de fruta, pudins diversos
Vinhos, águas, sumos à descrição
Cafés (bicas)
 
Lanche:

Caldo verde
Carnes frias - todas diversas
Queijos
Todas bebidas
                   
Descontos:  até aos 6 anos - grátis
6 anos até aos 12 anos - 50%
 
PREÇO, por ADULTO.............20 EUROS
 
A parte musical ficou a cargo do nosso Conterrâneo Joaquim Martins (Presidente da Junta de Freguesia)

Zé Jorge -A Junta de Freguesia. já contratou conjunto (duo musical) conforme planeado, não faltando para os mais inspirados o karaoke

Um abraço.
JMartins
 

Faleceu o Provedor da Misericórdia - SABUGAL

José Diamantino dos Santos, provedor da Santa Casa da Misericórdia do Sabugal, faleceu na madrugada de segunda-feira, 2 de Fevereiro, aos 78 anos de idade.
Natural do Freixial, Fundão, radicou-se ainda novo no Sabugal, onde fundou o Externato Secundário do Sabugal, de que foi director até ao seu encerramento aquando do surgimento da Escola Secundária do Sabugal, em 1986. Licenciado em Filosofia, na Universidade de Salamanca, foi um grande pedagogo, para além de um empenhado orientador e amigo dos muitos jovens que passaram pelo colégio.
 

9 de Fevereiro de 2009

Prossegue a plantação de um milhão de carvalhos na Serra da Estrela

Um total de 236 pessoas participou na campanha de reflorestação “Um Milhão de Carvalhos para a Serra da Estrela”, disse a organização.

Um helicóptero ajudou a transportar rebentos de árvores para uma zona do Vale Glaciar do Zêzere, onde a campanha vai continuar nas próximas semanas, enquanto os participantes, de vários pontos do país, plantavam 7500 árvores na encosta oposta.

Entre os voluntários havia alunos e professores de escolas, sapadores florestais e famílias, que esgotaram os rebentos disponíveis para a jornada, para lamento de alguns que gostavam de ter plantado ainda mais árvores.

“A este ritmo devemos chegar ao fim deste Inverno com 15 mil árvores plantadas”, disse, José Maria Saraiva, presidente da associação Amigos da Serra da Estrela (ASE).

Pinheiros, bétulas e carvalhos vão crescer ao longo dos próximos anos para “travar a erosão, aumentar a capacidade de armazenamento de água no solo e aumentar diversidade biológica”, que são os principais objectivos da campanha – iniciada após o incêndio que destruiu o vale em 2005.

No próximo ano, a ASE pretende alargar a campanha de reflorestação à encosta Sul da Serra da Estrela, na zona de Unhais da Serra. “Estamos em negociações com os baldios e o empreendimento turístico da vila para dar alguma atenção àquela encosta”, sublinhou.

Pelo terceiro ano consecutivo, um helicóptero da Base de Beja participou na iniciativa. “Temos necessidade de treino de montanha e conjugamos essa prática com uma acção de interesse para a região”, explicou António Seabra, tenente-coronel da Força Aérea Portuguesa.

A assistir à aterragem do helicóptero juntamente com os alunos estava Elisabete Marques, professora de Ciências Naturais na escola Afonso Rodrigues Pereira, na Lourinhã.

Para trás, os voluntários deixaram centenas de árvores plantadas, caminhando com esforço de enxada na mão e por entre neve e muito frio.

“Tivemos conhecimento desta campanha através do programa eco-escolas. Reunimos um grupo com os alunos mais interessados e cá estamos a dar o nosso contributo”, explica a docente.

“Não é difícil. Caminha-se bem pela encosta”, acrescenta Vanessa Oliveira, aluna de 14 anos. “Queremos um futuro com mais árvores e vale a pena”, refere a colega Marta Silva, também de 14 anos, enquanto pega em mais uma embalagem cheia de rebentos de pinheiro.

Para José Veloso, dirigente do Clube de Actividades ao Ar Livre - que levou um autocarro cheio de voluntários de Lisboa para a iniciativa -, a adesão da sociedade civil “é um exemplo e podia ainda ser mais seguido”.

“Daqui lançamos o convite às escolas, aos ministérios, aos parques naturais e às autarquias, para colaborarem nesta campanha ou, porque não, levar este tipo de acção a todas as zonas que tiveram problemas com incêndios”, concluiu.

As próximas acções da campanha estão agendadas para 14, 21 e 28 de Fevereiro.

(Jornal do Fundão)

2º Convívio dos naturais de Vale da Senhora da Póvoa, descendentes e amigos

Foram enviados emails e sms para os conterrâneos cujos contactos tenho em meu poder. Para quem não recebeu qualquer mensagem, pode responder agora, através dos seguintes contactos:

valentone@sapo.pt  Telefones: 217606184 ou 962654803

Perguntas feitas:

- Concorda que o convívio seja no dia 20 de Junho?

- Concorda que o convívio tenha lugar no mesmo local do ano passado?

- Prefere que seja noutro local?

- É-lhe indiferente o local?

Respostas obtidas até hoje às19H00:

- Concorda que o convívio seja no dia 20 de Junho? - 34

- Concorda que o convívio seja no dia 30 de Maio? -  9

- Concorda que o convívio tenha lugar no mesmo local do ano passado? - 20

- Prefere que seja noutro local? -12 (6 pessoas sugeriram que fosse no Vale)

- É-lhe indiferente o local? - 11

(Américo Valente)

6 de Fevereiro de 2009

Atenção aos passadores de moeda falsa

A Polícia Judiciária (PJ) da Guarda anunciou a detenção de um casal, de 22 e 27 anos, pela presumível autoria do crime de passagem de moeda falsa na região da Beira Interior.

Segundo Mário Bento, coordenador do Departamento de Investigação Criminal da PJ da Guarda, a detenção dos suspeitos foi feita com a colaboração da GNR do Fundão.

Aquele responsável adiantou que o casal é suspeito de ter feito “várias passagens” de notas falsas nas zonas da Guarda, Belmonte, Covilhã e Fundão.

Durante as investigações foram apreendidas 31 notas de 50 euros falsas, sendo que 17 “estavam ainda na posse dos detidos”, disse.

A PJ também apreendeu dois mil euros em moeda verdadeira e um automóvel de alta cilindrada que o casal utilizava na alegada prática criminosa.

Mário Bento adiantou à Lusa que, “dada a quantidade” de notas falsas apreendidas, existem indícios de que os detidos “estejam perto da fonte” emissora da moeda falsa, daí que a PJ continue a proceder a investigações.

O responsável disse também tratar-se de “uma contrafacção com alguma qualidade”.

“É uma contrafacção que já falsificava alguns elementos de segurança das notas”, explicou o coordenador da PJ da Guarda, salientando que a adulteração “não é perceptível de imediato”.

Na sua actuação, os detidos realizavam compras “de custos baixos”, em estabelecimentos comerciais da região, que pagavam com notas falsas de 50 euros “para terem o máximo lucro”.

“Transformavam dinheiro falso em verdadeiro”, observou o responsável.

Os detidos estão hoje a ser presentes ao juiz do Tribunal do Fundão para aplicação de medidas de coacção tidas por adequadas, refere a PJ da Guarda em comunicado.

(Jornal do Fundão)

Paisagens Monsantinas na Câmara de Penamacor

Os Paços do Concelho de Penamacor abrem as portas durante o mês de Fevereiro à exposição de pintura "Paisagens Monsantinas", da autoria de Raul Mendonça.

Raul Martins Mendonça nasceu em 1937 e vive em Monsanto, onde é proprietário de um café desde 1972. Foi nessa altura que se iniciou na pintura, como autodidacta.

Raul Mendonça foi estimulado, entre outros, pelo escritor Fernando Namora. A primeira exposição foi em 1983, na Galeria de Arte do Casino Estoril e na Câmara Municipal de Idanha-a-Nova.

A exposição é inaugurada a 6 de Fevereiro e poderá ser visitada até dia 20, sempre nos dias úteis e em horário laboral.

(Pelouro da Cultura - Município de Penamacor)

Seis meses a girar por Penamacor

O Projecto Penamacor em Movimento está a promover ao longo dos próximos seis meses uma iniciativa que pretende combater o sedentarismo, a obesidade e o stress… pedalando.

O programa 6 Meses a Caminhar e Pedalar – “Pelas Terras do Lince” arrancou no último domingo de Janeiro, com um passeio que teve como ponto de partida a vila de Penamacor. Neste arranque estiveram cerca de 20 participantes, menos que as inscrições iniciais devido ao mau tempo que se fez sentir. O objectivo da organização é promover percursos de 10 a 20 quilómetros a pé ou em BTT. Os participantes recebem no primeiro passeio um cartão e por cada passeio que façam acumulam uma etiqueta. Se juntarem pelo menos cinco destas etiquetas recebem um brinde surpresa no final da iniciativa.

Para além do passeio inaugural estão previstos mais cinco. O próximo acontece a 29 de Março e ligará Vale da Sr.ª da Póvoa a Meimão. O regulamento e inscrições estão disponíveis na página da Câmara de Penamacor na internet, em www.cm-penamacor.pt/6m/p01.html.

Por: José Furtado
 

5 de Fevereiro de 2009

Centro de Saúde de Penamacor

Câmara admite repensar abertura durante a madrugada

A unidade de cuidados continuados na Sr.ª do Incenso poderá trazer mudanças no serviço nocturno prestado no centro de saúde de Penamacor, por onde passam mais de 650 pessoas por ano.

O encargo assegurado pela Câmara de Penamacor, em relação ao Serviço de Atendimento Permanente (SAP) no Centro de Saúde de Penamacor vai continuar. Contudo, Domingos Torrão admite que com a aprovação do projecto para a Quinta da Senhora do Incenso, da unidade de cuidados continuados integrados, seja possível repensar a prestação de serviços na saúde no período da noite, entre a meia-noite e as 8 da manhã.

Entre 650 a 750 pessoas são atendidas por ano no Centro de Saúde local durante o serviço nocturno, o que para Domingos Torrão justifica que o mesmo seja mantido em funcionamento. “Não podemos querer que as pessoas se fixem no concelho se a meio da noite, lhes acontecer alguma coisa e tenham que se deslocar 40 ou 50 quilómetros para serem atendidas”, diz o presidente da Câmara Municipal de Penamacor.

O Centro de Saúde de Penamacor realiza em média cerca de dois atendimentos por noite no SAP, mas o autarca não quer olhar para os números mas sim para as pessoas. E é peremptório em afirmar que “é um dos serviços que permite a fixação da população”. E se as decisões não podem ser tomadas apenas por questões numéricas, Domingos Torrão diz que a abertura do Centro de Saúde de Penamacor 24 horas por dia vai continuar a ser assegurada pela Câmara.

Com aprovação da unidade de internamento dos cuidados continuados, que implica a permanência de uma equipa média e de enfermagem, o responsável autárquico é peremptório em afirmar que “seja qual for a mudança nunca irá por em causa o acesso das populações dos cuidados de saúde”.

O SAP é para continuar, independentemente da reforma dos cuidados primários que prevê o agrupamento do Centro de Saúde de Penamacor aos restantes Centros de Saúde da Beira Interior Sul. Domingos Torrão diz que os números não podem ser critério porque a média de utentes que passam pelo Centro de Saúde de Penamacor no período nocturno é igual aos restantes SAP a funcionar na Beira Interior.

Até ser encontrada uma alternativa, o SAP é para continuar, mas essa alternativa poderá estar no horizonte com abertura da unidade de cuidados integrados a 12 quilómetros de Penamacor.

Em Penamacor são transferidos para o Lar D. Bárbara Tavares da Silva 150 mil euros para suportar o SAP, que é encarado não como uma despesa mas como um investimento na medida que transmite segurança e bem-estar às populações que contam com um Centro de Saúde com horário permanente, 11 extensões de saúde e cinco médicos.

Por: Jaime Pires
 


 4 de Fevereiro de 2009

Cova da Beira lidera em concentração de empresas

Os concelhos de Castelo Branco e Covilhã são os que têm mais sociedades. Municípios da Cova da Beira têm seis empresas por quilómetro quadrado

COM o cenário económico internacional em rota de colisão com alguns dos indicadores mais pessimistas de que há memória, pelo menos desde a Grande Depressão de 1929, os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE) ajudam a fazer um retrato do tecido industrial da região. Apesar das volatilidades inerentes à constituição e dissolução de sociedades, fica o traço estrutural e as tendências do mercado de trabalho regional.

A sub-região da Cova da Beira (Covilhã, Fundão e Belmonte) é das mais pequenas sub-regiões, em termos geográficos, da Beira Interior, mas é a segunda com mais empresas registadas em 2006: 7.838 entidades, das quais 4.559 no concelho da Covilhã, 2.640 no Fundão e 639 em Belmonte. Este número é apenas suplantado pela Beira Interior Norte (constituída por nove municípios), com 9.317 empresas.

Daí, não é de surpreender que a densidade de empresas na Cova da Beira seja muito superior à das outras sub-regiões da Beira Interior, com uma média de 5,7 empresas por quilómetro quadrado. A Beira Interior Norte tem uma densidade de 2,3 empresas por quilómetro quadrado, a Beira Interior Sul (onde estão municípios como Castelo Branco e Idanha-a-Nova e Penamacor), 1,8 de média e a Serra da Estrela (Fornos de Algodres, Gouveia e Seia), 4,2 empresas por quilómetro quadrado. O Pinhal Interior Sul (onde estão concelhos como Proença-a-Nova, Sertã e Oleiros) tem uma média de 1,8 empresas por quilómetro quadrado.

(Jornal do Fundão)

António Cabanas (Vice-Presidente da Câmara Municipal de Penamacor) na SIC.

Veja aqui a entrevista (demora um pouco a carregar)

Mau tempo fecha estradas em quatro distritos 

04.02.2009 - 09h07 Lusa

Quatro distritos de Portugal continental têm hoje troços de estradas cortados devido à neve ou a inundações, segundo informação da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC). Em causa estão os distritos de Viana do Castelo, Castelo Branco, Guarda e Coimbra.

Em Viana do Castelo estão fechados os troços das estradas municipais entre Lamas de Mouro e Parada do Monte e entre Lamas de Mouro e Penedo do Lagarto, devido à neve.

Também por causa da neve, na Guarda estão encerradas as nacionais 338, entre Piornos e Manteigas e entre Portela e Lagoa Comprida, e a 339 entre Sabugueiro e Lagoa Comprida.

No distrito de Castelo Branco estão cortadas as estradas nacionais 338, entre Piornos/Torre e Entroncamento de Loriga, e a 339, entre Covilhã e Piornos, devido à neve.

Em Coimbra mantêm-se vedadas ao trânsito o troço da municipal 341 entre Alqueidão e Amieira e a municipal entre Campo Ereira e Lares, devido a inundação.

 

3 de Fevereiro de 2009

Arlindo Carvalho No Fundão

Foi o povo que me ensinou a cantar

Uma das cantigas que mais o celebrizou foi o "Chapéu Preto". O povo sabe-a de cor

Um espectáculo no dia 17 de Janeiro, na Moagem, no Fundão, assinalou os 60 anos de vida artística de Arlindo de Carvalho. Autor e compositor de canções que se popularizaram e que a maioria dos intérpretes portugueses de renome incluíram no seu repertório, Arlindo Carvalho é hoje um nome ligado à história da canção portuguesa. 60 anos é muita música, muita história de vida que, no caso de Arlindo Carvalho, é um caminho muito pessoal, feito de partidas e regressos.

Mas o fio condutor da sua música é de grande autenticidade e só assim se explica (mau grado os preconceitos à volta da sua obra e dos silêncios injustos) a longa duração do seu êxito  como intérprete e compositor  e a identificação popular de muitas das suas canções.

"Nunca me desliguei do povo, foi com ele que aprendi a cantar, mas dei-me mal com a burguesia e isso nunca me facilitou a vida", diz ele ao "Jornal do Fundão", ainda comovido com a reacção magnífica do público do Fundão que, com ele, festejou os 60 anos de carreira.

"Foi uma comunhão perfeita, durante mais de duas horas, com a excelente colaboração do Grupo Coral da Soalheira, em que eu cantei canções populares e outras do repertório mais clássico, como é o caso das que celebram a liberdade ou traduzem momentos poéticos mais intensos, como é a canção sobre o poema de Nuno Júdice".

"Escrevi a minha primeira canção aos oito anos, mas estes 60 anos de carreira só contam a partir do momento em que artistas profissionais cantaram canções da minha autoria, isto a partir de 1949. A minha estreia como cantor deu-se, em 1966, em Paris, quando estava no exílio e fui leitor em Poitiers"  lembra o compositor. "Paris é que me abriu as portas!".

Arlindo Carvalho diz que o seu êxito se pode medir pelo número de intérpretes que escolheram canções suas. "São muitos, quase toda a gente as cantou ou escolheu músicas minhas, mas não esqueço a Júlia Barroso, a Gina Maria, o Guilherme Kjolner, a Maria de Lurdes Resende, o Júlio Pereira e a Amália Rodrigues" Ainda recentemente, conta Arlindo Carvalho, o Rão Kyao musicou o "Chapéu Preto"

"Valeu a pena" diz ele. "A gente simples gosta de mim". No limiar dos 80 anos, continua a fazer concertos. Esteve recentemente em Belmonte, na Guarda, e no Fundão e prepara espectáculos em França e na Alemanha.

(Fernando Paulouro Neves - Jornal do Fundão)

2 de Fevereiro de 2009

Mau tempo regressa em força a partir de terça-feira

Nesta segunda-feira, o tempo vai melhor um pouco, mas a partir de amanhã. volta a piorar, como adianta à TSF a meteorologista Cristina Simões. O cenário de chuva e vento deverá manter-se durante toda a semana.

O mau tempo dos últimos dias vai hoje abrandar para regressar em força a partir de amanhã.
 

«Prevemos um novo agravamento do estado do tempo para a tarde de terça-feira, céu em geral muito nublado e períodos de chuva a partir da tarde, com ocorrência de queda de neve acima dos 800 metros», explicou à TSF a meteorogista Cristina Simões.

«Prevemos também uma intensificação do vento, que começará fraco, tornando-se moderado de sudoeste. No litoral soprará forte até 0 quilómetros por hora e nas terras altas poderá atingir rajadas de 90 quilómetros por hora», prosseguiu.

Prevê-se ainda uma pequena subida da temperatura máxima nas regiões Norte e Centro.

01 de Fevereiro de 2009

Este Janeiro foi o mais chuvoso dos últimos 30 anos

Mau tempo. Contrariando a cada vez maior tendência de seca, o primeiro mês do ano registou chuva intensa, batendo a média das três últimas décadas. A situação levou a Protecção Civil e as autoridades a tomar medidas de prevenção. Segundo os meteorologistas, vai cair chuva nos próximos nove dias

Choveu mais este Janeiro do que no mesmo mês nos últimos 30 anos, em termos médios, disse ontem ao DN fonte do Instituto de Meteorologia (IM). Os dados relativos à precipitação até ao dia 30 apontam, "que o valor de Janeiro excede claramente os valores normais", medidos através de uma média dos vários anos.
Os registos da chuva nas 24 estações meteorológicas do IM - espalhadas pelo País que fazem medição da pluviosidade há pelo menos 30 anos - ultrapassaram a média, com excepção de Sagres, Castelo Branco e Faro. Mas segundo as previsões do IM, esta última ultrapassaria os valores médios já esta noite.
"Estamos a viver um Inverno à antiga", explica ao DN o climatólogo Dionísio Gonçalves, acrescentando: "Este é um bom exemplo do nosso clima normal. O que sai da normalidade foi o número de vezes que nevou. Sobretudo no litoral e em locais onde é muito raro". O Norte e o Centro de Portugal foram as regiões mais afectadas pela chuva, apesar de esta noite a chuva ter descido no mapa (centro e sul).
(Diário de Notícias)

JANEIRO

28 de Janeiro de 2009

Penamacor - Freguesias cantam janeiras em Pedrógão

No passado dia 18. mais de 350 pessoas cumpriram o cantar as Janeiras, que no concelho de Penamacor fica marcado pelas comadres e os compadres que se ganham.

Manda a tradição que no primeiro mês do calendário, dedicado ao deus Jano, se cantem as janeiras. A tradição cumpriu-se no concelho de Penamacor, naquele que foi o sétimo encontro concelhio das Janeiras, que reuniu mais 350 pessoas a entoarem os versos quer da anunciação do nascimento do Menino, quer os versos a solicitar as dádivas das janeiras.

O encontro concelhio das Janeiras foi a primeira iniciativa cultural que a equipa liderada por Domingos Torrão tomou logo que assumiu a presidência autárquica e que passados sete anos de governação foi acontecendo ano após ano ininterruptamente. Este ano o encontro concelhio das janeiras concentrou os grupos das 12 freguesias do concelho na aldeia de Pedrógão de S. Pedro, já que no ano passado o encontro teve lugar numa freguesia a norte do concelho, no Meimão. É este o figurino traçado pela vereadora da Cultura, que pretende não deixar morrer a tradição e de forma descentralizada fazer com que este encontro passe por todas as freguesias.

A tradição do canto das janeiras é diferente de terra para terra, apesar de as letras serem muito idênticas, o que torna a identidade cultural como uma das actividades mais marcantes de cada freguesia, lembra Ilídia Cruchinho. São letras feitas pela sabedoria popular para dar as boas vindas ao novo ano, a que se junta o pedido das dádivas e em Penamacor ganha-se compadres e comadres.

Jano, era o deus recordado no início do calendário a significar o deus das portas e da entrada. Era o porteiro dos céus, muito importante para os romanos que esperavam a sua protecção. Era-lhe pedido que afastasse das casas espíritos maus. Por esse motivo os grupos de janeireiros reúnem-se à entrada das casas a entoar os versos do canto popular, recordam os mais antigos.

A tradição em terras da raia continua a ser vivida e lembra Ilídia Cruchinho que “está para ficar” dado o interesse e o número de participantes que todos os anos se envolvem na iniciativa. No primeiro ano, foi aliás, a preocupação do actual executivo que os grupos constituídos nas várias freguesias fizessem o levantamento do acto de cantar as janeiras e no primeiro encontro concelhio toda a recolha fosse gravada em áudio e vídeo. O acervo recolhido está guardado no arquivo da câmara e foi entregue uma cópia a todas as freguesias do concelho de Penamacor.

O encontro concelhio das janeiras foi a primeira iniciativa cultural que contou com os grupos formados para que fizessem o que outrora tinham feito os romanos, que se saudavam no começar de um novo ano. Ao canto das janeiras associam-se as dádivas. Às portas das casas os grupos aguardavam que os donos trouxessem as chamadas janeiras, compostas por chouriço, morcela, pão e outros produtos locais.

Em Penamacor a peculiaridade está no facto das dádivas recolhidas se transformar num convívio a que começaram a chamar de festa dos compadres e comadres. Este ano coube à freguesia de Pedrógão de S. Pedro receber os grupos participantes com a promessa de no novo ano os grupos voltarem a reunir numa outra freguesia e oferecer um lanche convívio aos janeireiros.

Por: Jaime Pires
(Jornal Reconquista)

27 de Janeiro de 2009

Penamacor vai ter um Auditório

O Município de Penamacor tem dedicado à cultura uma atenção especial. Assim, para que se promovam mais eventos culturais, resolveu construir um Auditório no Salão Paroquial de Penamacor, que vai ser remodelado para o efeito.

Prevê-se que as obras estejam concluídas em Junho.

(Drª. Ilídia Cruchinho - Pelouro da Cultura)

26 de Janeiro de 2009

2º Convívio dos naturais de Vale da Senhora da Póvoa, descendentes e amigos.

O 1º Convívio teve lugar no dia 21 de Junho de 2008 no Restaurante "Teimoso" na Lourinhã - Carrasqueira.

Para que este evento tenha continuidade, agradecia que fossem outras pessoas a tomar a iniciativa para a realização de um novo convívio em 2009. Se alguém estiver interessado em realizar este convívio, queira fazer o favor de manifestar esse desejo, e contará com o apoio deste site, incondicionalmente.

(Américo Valente)

 

23 de Janeiro de 2009

Professor  António Serrano na Rádio Renascença (Rádio Sim)

No próximo dia 25 vamos poder ouvir o Sr. Professor  António Serrano na Rádio Sim. Passemos a palavra ao Sr. Professor:

Caros Amigos,

Aceitei o desafio da "Rádio Sim" para escolher 10 músicas da minha vida e fazer uma hora de "boa" conversa com canções a condizer.  Oxalá tal objectivo tenha sido atingido. Se quiserem dar-me o prazer de avaliar, sintonizem FM 102,2 na zona da Grande Lisboa, entre as 15 e as 16 horas do próximo domingo, dia 25. Eu estarei lá!!! Também pode ser ouvido num dos 3 emissores de Onda Média, ou na internet. A FM varia com a região do País. Infelizmente, ainda não chegou à nossa Beira Baixa...

Quem quiser ouvir pela internet: Radio Sim

Obrigado.

 Abraço.
António A. Serrano

Arlindo Carvalho entrevistado na "Beira TV"

 Arlindo de Carvalho deu uma entrevista à "Beira TV".

 

20 de Janeiro de 2009

Mais um forte nevão na região

As previsões confirmaram-se e esta madrugada a neve voltou em força à Beira Interior, marcando presença não só na Serra da Estrela, como também na Gardunha, na Covilhã, em Unhais da Serra, em Manteigas, na Guarda, em Penamacor e até em Proença-a-Nova.

As estradas do maciço central da Serra da Estrela ficaram cortadas.

(Jornal do Fundão)

Está a nevar em Vale da Senhora da Póvoa

Está a nevar em Vale da Senhora da Póvoa, desde as 08H00, com bastante intensidade. Neste momento 14H10, a neve continua a cair com intensidade.

(Renato Silva e Presidente da Junta de Freguesia)

19 de Janeiro de 2009

Vento forte traz aviso laranja

Castelo Branco é um dos nove distritos de Portugal Continental em aviso laranja devido à previsão de mau tempo para as próximas horas, informa o Instituto de Meteorologia. Esta situação acontece devido à previsão de vento forte de noroeste até 75 quilómetros por hora, com rajadas na ordem dos 100 quilómetros por hora nas terras altas. A situação deverá manter-se até ao fim da madrugada de terça-feira, dia 20. No distrito está ainda prevista a queda de neve acima dos 800 metros, descendo para os 600 metros no dia 20.

O aviso laranja é o terceiro de uma escala de quatro (verde, amarelo, laranja e vermelho).

Há ouro perto de Penamacor e da aldeia de Idanha-a-Velha

Instituto Nacional de Engenharia e Tecnologia vai avançar com trabalhos de geofísica para descobrir onde se localiza a fonte primária do ouro identificado na área circundante ao maciço granítico de Penamacor

HÁ OURO na área envolvente ao maciço granítico de Penamacor, que se estende até à zona de Idanha-a-Velha. Os estudos foram realizados por investigadores do ex-Instituto Geológico e Mineiro (IGM), actual Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação, (INETI), organismo que se prepara para avançar com trabalhos de geofísica para descobrir de onde vem, afinal, o referido metal precioso e quais são as suas características. Os estudos permitirão testar também a hipótese de existência de jazigos de ouro na região e respectiva importância económica.

A sugestão foi feita por Carlos Inverno, investigador principal, com nomeação definitiva, do INETI, no âmbito das Provas de Agregação na Universidade de Lisboa, a que se submeteu, com aprovação. O investigador fez referência ao caso do ouro nesta região fronteiriça, no âmbito da síntese de uma aula para a Licenciatura em Geologia, intitulada “Comparação entre os jazigos de ouro do tipo orogénico (ou mesotermais) e os jazigos de ouro associados a intrusão. Algumas explorações para Portugal”, e que foi parte integrante das referidas Provas de Agregação.

(Jornal do Fundão)

Por: Lúcia Reis
 

18 de Janeiro de 2009

Cantar as Janeiras

Hoje vão ser cantadas as Janeiras no Pedrógão de S. Pedro. Todas as freguesias do concelho de Penamacor vão estar presentes com  grupos de cantadores para o efeito. Vale da Senhora da Póvoa vai estar presente com o seu grupo.

Prevê-se que o ritual comece por volta das 17 horas.

17 de Janeiro de 2009

Quem é Arlindo Carvalho?

Arlindo Duarte de Carvalho, nasceu na freguesia de Soalheira, Concelho do Fundão, Distrito de Castelo Branco, em 27 de Abril de 1930, onde frequentou a Escola Primária. Estudou, depois, na Guarda, Castelo Branco e Coimbra. Nesta cidade completou o Magistério Primário, no ano de 1950.

Como professor, exerceu as suas funções na sua terra natal, no Porto, em Lisboa, na Alemanha e França. Exilado em França, a partir do ano de 1965, foi leitor de Português, no Liceu Henrique IV de Poitiers.

Desde a sua infância mostrou uma grande vocação para a música. No convívio com os camponeses e trabalhadores rurais da Soalheira, da Campina da Idanha, da Serra da Estrela, desde criança aprendeu os seus cantares tradicionais que mais tarde iriam influenciar toda a sua obra musical, que é única no panorama musical português, pelas suas raízes profundamente beirãs.

Estudou na Academia de Amadores de Música onde conheceu Fernando Lopes Graça e integrou durante algum tempo o Coro de Amadores de Música e no Conservatório de Poitiers.

Desde os finais de 1949 até à actualidade, as suas melodias foram interpretadas pelos mais prestigiados intérpretes portugueses, entre os quais, Luís Piçarra, Gina Maria, Amália Rodrigues, Maria de Lurdes Resende, Rao Kyao, Júlio Pereira, Nuno da Câmara Pereira e os cantores do Teatro Nacional de S. Carlos, Guilherme Kjolner, Armando Guerreiro e Carlos Guilherme entre outros.

Incentivado pelos professores e alunos franceses do Liceu Henrique IV, onde foi leitor de português entre 1965/68, estreou-se como cantor na cidade de Paris, no ano de 1966, perante mais de 8000 ouvintes.

Nesta cidade gravou muitas das suas canções a convite de um editor francês. A partir desse momento percorreu toda a Europa, cantando em muitas Universidades e Liceus e nas mais prestigiadas salas de espectáculo e em programas de rádio e televisão em Paris, Hamburgo, Berlim, Munique, etc. Convidado de Olof Palme, participou, como cantor, nas campanhas eleitorais do Partido Social Democrata da Suécia nos anos de 1976 e 1979.

Percorreu a Suécia de norte a sul em várias digressões. Muitas das suas canções fazem parte do património dos grupos folclóricos, grupos corais portugueses e estrangeiros e de cantores suecos, franceses, alemães e australianos.

Em Novembro de 1998, fundou o Grupo Coral da Soalheira, sua terra natal, actualmente regido por Ema Casteleira, professora do Conservatório de Castelo Branco e regente do Orfeão desta cidade.

No dia 13 de Agosto de 1999, dia da abertura da campanha eleitoral em Timor Leste, foi estreado o Hino a Timor “A vida não é uma Prisão” numa transmissão da RTP em directo para todo o mundo. O qual vamos ouvir aqui nas vozes de Carlos Guilherme, Arlindo de Carvalho, Lenita Gentil e Alexandra. A sua obra foi reconhecida e consagrada ao ser homenageado pelo povo da sua terra, no dia 11 de Setembro de 1999, pelos seus 50 anos de carreira, num espectáculo inolvidável patrocinado pelas Câmaras Municipais de Castelo Branco e do Fundão, no qual participaram entre outros artistas, Carlos Guilherme, Alexandra, Lenita Gentil, Ilda de Castro, a Orquestra Típica de Castelo Branco, o Coro da Soalheira, as Adufeiras de Monsanto e vários grupos folclóricos, interpretando canções da sua autoria.

Foi Homenageado pela Câmara Municipal de Castelo Branco no dia 27 de Abril de 2005, dia do seu 75º aniversário num espectáculo em que participaram o Coro da Soalheira, o Orfeão de Castelo Branco, Maria do Ceo e o Grupo Leilia vindos da Galiza e com a presença do Vereador da Cultura de Orense. Este espectáculo foi apresentado pelo actor Vitor de Sousa.

Em 2007 lançou o seu mais recente trabalho "Coimbra dentro da Alma".

 

Arlindo Carvalho no Fundão

É hoje à noite que Arlindo Carvalho vai dar um concerto na Moagem do Fundão. Muita gente trauteou ou cantou as suas cantigas, sem saber quem era o autor. Pessoas que agora rondam os 60 anos devem lembrar-se de algumas das suas canções, pois até foram cantadas nas desfolhadas, à luz do luar. Quem vive perto do Fundão não perca este espectáculo.

Quem não se lembra destas canções? Retaxo, As Moças da Soalheira, Hortelã Mourisca, Tão longe daqui, Chapéu preto, Castelo Branco, As meninas da Terceira, Ó Galiza Minha Terra, Ó morena, Fadinho Serrano, Vira de Sesimbra, O amor é um moinho...

O espectáculo começa às 21H30 e os bilhetes custam 3 euros.

15 de Janeiro de 2009

Arlindo Carvalho comemora 60 anos de músicas

O músico começa a celebrar seis décadas de carreira no seu concelho, mas não esconde o desejo de actuar em Castelo Branco, onde ainda não tem data marcada.

O músico e compositor Arlindo de Carvalho comemora em 2009 os seus 60 anos de carreira. O primeiro concerto que assinala a data acontece já no próximo sábado, dia 17, no Fundão. O concelho de onde o cantor é natural abre as portas da Moagem a um concerto onde participam os músicos Manuel Gomes (guitarra portuguesa), Fernando Gomes (guitarra clássica), José Machado (piano) e António Rato (baixo). Em palco estará ainda o Grupo Coral da Soalheira, a terra natal de Arlindo de Carvalho. Aliás foi este que em Novembro de 1998 fundou o grupo coral, que no presente tem como regente a professora Ema Casteleira, do Conservatório Regional de Castelo Branco.

Em declarações ao Reconquista, Arlindo de Carvalho mostra-se satisfeito por ser no Fundão o primeiro concerto de consagração de 60 anos de carreira. Mas o músico confessa que “gostaria de fazer um concerto em Castelo Branco”, onde ainda não tem data marcada. Celorico da Beira e Trancoso, no distrito da Guarda, são algumas das localidades onde os 60 anos de carreira terão direito a concertos.

Arlindo de Carvalho nasceu a 27 de Abril de 1930 na freguesia fundanense de Soalheira, sendo reconhecido como um dos mais genuínos compositores da música popular portuguesa. As suas obras percorrem as raízes musicais não só da Beira que o viu nascer, mas também de outras regiões do país.

No último mês de Julho foi visitado por uma equipa da televisão pública japonesa, que se deslocou a Portugal para gravar um documentário sobre o cantor, entretanto recém-chegado de uma digressão a França.

O espectáculo na Moagem começa pelas 21h30 e os bilhetes custam três euros.

Oitocentos anos de história para comemorar todo o ano

Está constituída a comissão que vai ao longo de 2009 ser responsável pela realização de uma série de iniciativas integradas nas comemorações dos 800 anos do Foral de Penamacor.

Todos os meses ao longo de 2009 serão marcados por uma iniciativa integrada nas comemorações dos 800 anos do Foral de Penamacor, atribuído por D. Sancho I. Forças políticas a que se juntam associações, colectividades e representantes de cada uma das 12 freguesias do concelho fazem parte de uma comissão de trabalho que foi criada para delinear o programa e desenvolver uma série de actividades que vão desde exposições, colóquios, seminários, uma feira medieval e muitas outras acções que estão a ser esboçadas. Caberá aos executivos das Juntas de Freguesia escolherem os elementos que representam a freguesia nesta comissão de trabalho.

A comissão é alargada, quer ao nível do número dos que nela participam quer ao nível do território que abrange, como refere a vereadora da Cultura. Para Ilídia Cruchinho só faz sentido comemorar uma efeméride com 800 anos de história se todo o concelho estiver envolvido nas comemorações.

Trata-se de um programa ambicioso, assim é classificado pelo pelouro da Cultura, uma vez que haverá actividades todos os meses de 2009.

Lembrar e dar a conhecer a história de Penamacor é o principal objectivo uma vez que só a partir do reinado de D. Sancho I é que a história de Penamacor se define com alguma clareza. Refere Ilídia Cruchinho que a população irá perceber, através das iniciativas programadas “da importância que teve Penamacor ao longo destes 800 anos”, uma vez que chegou a ser praça militar.

A par do conhecimento histórico, o município pretende traçar uma agenda de animação cultural para atrair turistas e visitantes ao concelho.

Um dos pontos altos poderá estar marcado para o mês de Maio com a realização de um grande cortejo medieval que vai levar habitantes e visitantes ao que ainda hoje restam dos vestígios do castelo de Penamacor.

É no castelo que se irá dirigir um cortejo que culminará numa feira medieval sempre na presença de D. Sancho I e sua corte, que 800 anos depois pisam o solo de Penamacor para em alta voz ler o foral de outrora. Todo o evento tem como cenário épico o castelo de Penamacor que foi remodelado e reforçado nos reinados de D. Dinis, D. Fernando e D. João I, devido em muito aos constantes conflitos com o reino de Castela. Hoje o que resta do castelo é a sua torre de menagem, classificada de Monumento Nacional.

D. Sancho I, o homem que conquistou Penamacor aos Mouros, reconstruiu a povoação e lhe deu foral foi quem mandou repovoar o território e construir o castelo da vila que o entregou aos Templários, então dirigidos por D. Gualdim Pais, para que fosse defendido pelos monges guerreiros.

Foi igualmente D. Sancho I quem atribuiu o primeiro foral a Penamacor em 1189, documento por ele reformado em 1209 e é precisamente este documento com 800 anos que dá o mote a uma agenda cultural que começou já a ser preparada.

Por: Jaime Pires
 

10 de Janeiro de 2009

Faleceu ontem em Belas - Lisboa, às 23 horas, Maria do Nascimento (Laraita) de 93 anos de idade, natural de Vale da Senhora da Póvoa.

O funeral será realizado amanhã, pelas 15 horas.

Neste momento o corpo já se encontra na Casa Mortuária do Vale da Senhora da Póvoa (14H50).

Foi o Grupo Paroquial de Jovens do Vale que deu a primeira informação e desde já apresenta aos familiares os seus sentidos pêsames.

Os nossos sentidos pêsames à família enlutada.

9 de Janeiro de 2009

A neve já cai em Vale da Senhora da Póvoa

Pelas 16 horas começou a nevar em Vale da Senhora da Póvoa. Intensificou-se pelas 17 horas. Pelas 19 horas parou. Já deixou um suave manto branco a cobrir a aldeia.

Algumas estradas encheram–se de neve obrigando os condutores a conduzir com maior precaução.

(Informação recebida de Renato Silva, do Grupo Paroquial de Jovens do Vale)

Nossa Senhora da Póvoa

A Festa em honra de Nossa Senhora da Póvoa vai ter lugar no Santuário nos dias 31 de Maio e 1 de Junho, segundo informação dada pelo Grupo Paroquial de Jovens do Vale da Senhora da Póvoa.
 

8 de Janeiro de 2009

Mensagem do Sr. padre César Cruz, pároco do Vale da Senhora da Póvoa.

Olá a todos. Quero desejar a todos um santo ano e que este seja vivido em profunda paz e com a saúde possível. Parabéns por este local que ajuda em muito a promover a nossa linda terra, os seus locais, as suas gentes e o nosso muito amado Santuário de Nossa Senhora da Póvoa. Ainda não nos conhecemos muito bem mas com o tempo e com o criar de raízes chegaremos todos a bom Porto.

 

7 de Janeiro de 2009

Penamacor negoceia mais dois parques eólicos

A freguesia de Salvador poderá receber o primeiro parque da zona sul do concelho. A Câmara Municipal quer ainda ser compensada pela instalação de um parque junto à fronteira com Espanha.

A Câmara Municipal de Penamacor está em negociações com a empresa Generg para a instalação de novos parques eólicos junto às freguesias de Salvador e de Vale da Sr.ª da Póvoa, na Serra d´Opa. A garantia foi deixada pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Penamacor em declarações ao programa Dar que Falar, uma parceria Jornal Reconquista e Urbana FM.

4 de Janeiro de 2009

Cantar as Janeiras

Hoje foram cantadas as Janeiras. Juntou-se um grupo de pessoas que percorreu as ruas da nossa Aldeia, parando em cada casa onde cantaram as canções típicas da época. Cada pessoa ofereceu a quantia que quis em dinheiro, sendo o mesmo destinado ao pagamento dos móveis novos da sacristia da nossa Igreja.

(Rosário Barreiros)

3 de Janeiro de 2009

Sabugal e Penamacor lançam marca «Terras do Lince»

As Câmaras Municipais do Sabugal e de Penamacor e a Cooperativa Agrícola Meimoa Coop. lançaram no sábado, 13 de Dezembro, a marca «Terras do Lince», que será atribuída a diversos produtos regionais produzidos em ambos os concelhos.
De acordo com o jornal Cinco Quinas, do Sabugal, numa fase inicial, a nova marca, com o desenho de um lince e da Serra da Malcata, será atribuída a queijos de cabra e de ovelha, das marcas Meimoa Coop. e Serra da Malcata, azeite da Penazeites, de Penamacor e mel da Serra da Malcata.
O presidente da Cooperativa Agrícola Meimoa Coop., Domingos Bento, explicou que “é uma marca em que estão envolvidas as Câmaras Municipais de Sabugal e Penamacor, e que tem como objectivo dar a conhecer os concelhos”. A isto, acrescenta que “a Câmara de Penamacor, principalmente, quer apostar em produtos de alta qualidade: o queijo e o mel, uma vez que há cerca de oito ou dez anos que a Meimoa Coop vende o seu queijo em todo o país e no estrangeiro, exportando cerca de um terço da produção para França”. Assim, revelou o presidente, “vamos lançar o queijo e o mel com a marca «Terras do Lince», à qual a Penazeites, fabricante de azeite em Penamacor, se associa. Os queijos mantêm-se no mercado com a marca actual, mas também entra a marca «Terras do Lince», passando esta a ter uma maior cobertura de mercado”.
O presidente da Câmara Municipal do Sabugal, Manuel Rito, referiu ao Cinco Quinas que a marca é “uma marca “chapéu” para todos os produtos e para todo o território”. “Qualquer produto artesanal, qualquer actividade no território, pode utilizar a marca «Terras do Lince» para a sua promoção”, explicou, acrescentando que “todos os produtores que no concelho do Sabugal, e nos territórios de Penamacor, da Comunidade do Alto Águeda e da Serra de Gata vejam vantagens em promover os seus produtos, além da marca própria, com esta marca “chapéu”, podem aderir sem custos, e nós encarregar-nos-emos, a posteriori, de fazer promoção da marca e dos produtos associados”.
“Temos participado em algumas feiras, e poderemos, em conjunto, abrir uma ou várias lojas de promoção dos produtos. Estamos a estudar a situação, e poderemos abri-las onde acharmos que é mais conveniente para a promoção, dependendo de cada momento. Podem funcionar tanto neste território como fora dele”, admitiu Manuel Rito.
A marca «Terras do Lince» foi lançada nas instalações da Meimoa Coop., no concelho de Penamacor, numa cerimónia onde esteve presente o director Regional da Agricultura da Região Centro, Rui Moreira.
A par deste lançamento, foi assinado o contrato de adjudicação da obra da central meleira, a construir no Vale da Senhora da Póvoa, que vai reunir a produção dos apicultores dos concelhos de Sabugal, Penamacor e Belmonte.
 

Voltar à Página Inicial